Home Operações Aéreas Primeiro voo operacional de jatos Mirage 2000D franceses desdobrados na Jordânia

Primeiro voo operacional de jatos Mirage 2000D franceses desdobrados na Jordânia

523
12

Primeiro voo operacional Mirage 2000D operação Chammal - foto Min Def França

Na manhã de 6 de dezembro dois jatos Mirage 2000D da Força Aérea Francesa realizaram a primeira missão de reconhecimento armado sobre o Iraque, na Operação Chammal. No dia anterior, caças Rafale fizeram parte de força de quinze aeronaves que atacaram alvos em apoio a tropas iraquianas

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França, na manhã deste sábado, 6 de dezembro, dois jatos Mirage 2000D da Força Aérea Francesa realizaram a primeira missão de reconhecimento armado partindo de base na Jordânia, dentro da chamada Operação Chammal de combate a forças do Estado Islâmico (EI) sobre o Iraque.

O objetivo do desdobramento na Jordânia, nove semanas e meia após o início da Operação Chammal (que é o componente francês no apoio a tropas iraquianas que lutam contra combatentes do EI), é reduzir o tempo de trânsito das aeronaves de combate francesas até a zona de operações, no Iraque.

Primeiro voo operacional Mirage 2000D operação Chammal - foto 2 Min Def França

Atualmente, o destacamento na Jordânia é composto de três jatos de ataque bipostos Mirage 2000D, que lá chegaram em 28 de novembro. Outros três aviões do mesmo tipo deverão chegar nos próximos dias, segundo a nota do ministério, acompanhada das fotos acima e abaixo que mostram os aviões configurados com as seguintes cargas externas: duas bombas guiadas em pilone duplo na estação central, casulo de designação de alvos na estação dianteira direita da fuselagem, dois tanques externos sob as asas e um míssil ar-ar guiado por infravermelho na estação subalar externa esquerda.

Primeiro voo operacional Mirage 2000D operação Chammal - foto 3 Min Def França

Paralelamente, os caças Rafale desdobrados no Golfo Pérsico (em base nos Emirados Árabes Unidos, bem mais ao sul do que a Jordânia) continuam suas missões orientadas principalmente ao reconhecimento em profundidade, reforçando a qualquer momento a capacidade de ataque francesa. Foi o caso de missão realizada no dia 5, e abordada em outra nota do ministério, acompanhada da foto de arquivo abaixo.

Na missão do dia 5, uma patrulha de dois caças Rafale equipados com mísseis AASM (bombas com kits de guiagem e de propulsão para aumento do alcance da arma) fizeram parte de uma força de quinze aviões da coalizão de países que atua na luta contra o Estado Islâmico. A força tinha como objetivo neutralizar vinte alvos como pontos de apoio, postos de tiro, bunkers e postos de comando utilizados pelo EI (também chamado Daech) a cerca de 20 quilômetros ao nordeste de Mossoul, no Iraque.

Caça Rafale com AASM - Operação Chammal - foto de arquivo Min Def da França

A missão dos caças Rafale durou aproximadamente seis horas e,  segundo a nota do ministério, os jatos atacaram três objetivos designados, num apoio direto às tropas iraquianas no solo.

FONTE / FOTOS: Ministério da Defesa da França (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de originais em francês)

VEJA TAMBÉM:

12
Deixe um comentário

avatar
12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
juarezmartinezIväny JuniorOganzaFernando "Nunão" De MartiniClésio Luiz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

Com certeza ele poderia levar mais Nunão. Veja essa foto:

http://www.aerospaceweb.org/aircraft/bomber/mirage2000/mirage2000d_01.jpg

Cada Belouga dessas pesa 300 kg e mede 3.33 m.

Se não me engano, cada pilone desses da rais das asas suporta 500 kg.

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Oganza
Visitante
Oganza

Nunão e Clésio, acho que só veremos o M-2000 com bombas nas estações sob as tomadas de ar em caso de muuuuita necessidade. É que existe possibilidade de colisão quando ele está usando o tank central… E quando não está, como no segundo link do Clésio, a turbulência é significativa com lançamento sendo feito bem na “manha”. Essas fotos dele “fully loaded” são só divulgação, com a realidade sendo um pouco mais complicado. Mas esse aviãozinho é muito porreta, sem o trem de pouso de certos deltas (esses com asas baixas) recolhecem para frente como no A-4, provavelmente ele poderia… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

Olha Oganza, eu devo discordar. Os 4 pilones da raiz das asas são inclinados, tanto lateral quanto longitudinalmente. E isso com certeza é feito pensando no lançamento (como aconteceu com o Super Hornet). Fora que os pilones não deixam as bombas caírem livremente, eles as empurram para longe da fuselagem. Não é difícil encontrar vídeos de todo tipo de caça lançando mais de uma dezena de bombas de uma vez só. O que acontece é que depois que o fabricante homologa determinado tipo de carga, ele raramente é utilizado pelos operadores. Como o Nunão disse, os Rafales estavam voltando das… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

E o vídeo dele soltando 12 bombas ao mesmo tempo, aos 3:30min:

https://www.youtube.com/watch?v=o8XJfYTldck#t=210

Oganza
Visitante
Oganza

Pois é Clésio, mas o problema não são os tanks das asas, esse problema surge quando o tank central está instalado. Agora além de todos os vídeos do M-2000 “fully loaded” serem para divulgação, ainda existe o problema da turbulência… …problema esse que até os mais avantajados Kfirs de Israel tb enfrentou, forçando-os colocar as cargas ventrais de forma assimétrica para minimizar o problema. Na primeira Guerra do Golfo, onde os bombardeios foram intensos e eles quase sempre já decolavam com alvos definidos e estávamos ainda entrando na “era”do one shot / one kill, não vimos eles “fully loaded”… é… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

A possibilidade que eu discutia com o Nunão não envolvia o tanque ventral Oganza, mas acrescentar mais 2 bombas além das que estão sendo transportadas no pilone central.

Iväny Junior
Visitante
Member

Se esse caça ainda estivesse no mercado, venderia.

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Se tem uma coisa que é muita boa neste avião, são as asas, soberbamente bem construídas e a configuração ajuda e muito no reforço estrutural.
Apesar de eu não ser chagado Maison, gosto muito deste avião e do F 1.

Grande abraço

Oganza
Visitante
Oganza

Clésio,

hummm com certeza, será que seria possível colocar 2 pares em tandem?

Fiacaria show… 🙂

Grande Abraço