Home Aviação de Caça Novos caças para a Suíça: constituído o grupo de acompanhamento

Novos caças para a Suíça: constituído o grupo de acompanhamento

4094
33

FA-18 Hornet - foto Forca Aerea Suica

Grupo composto de 14 membros já tem reunião marcada para este mês, e deverá levar em conta não apenas caças, mas também a defesa terra-ar, acompanhando os trabalhos técnicos de um grupo de especialistas que avaliará a aquisição das aeronaves

Em nota divulgada na sexta-feira, 8 de abril, o Departamento de Defesa da Suíça informou que foi constituído um grupo de acompanhamento encarregado da avliação e da aquisição de novos aviões de combate. O grupo, de 14 membros, será presidido pelo ex-conselheiro dos Estados Hans Altherr, e é formado de representantes dos quatro partidos governamentais, da Sociedade suíça dos oficiais, dos Swissmem, do DFAE (Depto de Assuntos Estrangeiros), do DFF (Depto de Finanças), do DEFR (Depto de Economia), do DDPS (Depto de Defesa, Proteção Pública e Esportes) e das Forças Armadas.

A primeira reunião está prevista para o final deste mês de abril, e o grupo de acompanhamento deverá abordar todos os aspectos das ameaças presentes ao espaço aéreo, com uma visão global para definir a resposta apropriada, levando em conta meios de defesa terra-ar e aviões de combate (caças). Os debates serão confidenciais, segundo a nota.

Os 14 membros acompanharão os trabalhos de um outro grupo interno do Departamento de Defesa, composto por especialistas e encarregado da parte técnica, incumbido da avaliação e da aquisição de um novo avião de caça.

F-5 F - foto Forca Aerea Suica

Composição do grupo:

  • Ex-conselheiro dos Estados Hans Altherr, presidente e representante do PLR
  • Ex-conselheiro dos Estados Peter Bieri, representante do PDC
  • Ex-conselheiro Nacional Roland Borer, representante da UDC
  • Conselheira dos Estados Géraldine Savary, representante do PS
  • Coronel EMG / SMG Stefan Holenstein, presidente da Sociedade suíça dos oficiais
  • Beat Brunner, membro da direção dos Swissmem
  • Simon Plüss, responsável pelo setor de Controles de exportação de Material de Guerra, SECO, DEFR
  • Jon-Albert Fanzun, chefe de Gabinete do chefe do DFAE
  • Karl Schwaar, diretor suplente da Administração federal das finanças, DFF
  • Comandante dos Corpos Dominique Andrey, conselheiro militar do chefe do DDPS
  • Embaixador Christian Catrina, chefe da Política de segurança e secretário geral suplente do DDPS
  • Comandante dos Corpos Aldo Schellenberg, comandante das Forças Aéreas
  • Hans-Rudolf Sieber, chefe das Finances do DDPS
  • Peter Winter, diretor de Sistemas aeronáuticos, armasuisse

F-5 Tiger II e FA-18 Hornet - foto Forca Aerea Suica

VEJA TAMBÉM:

33 COMMENTS

  1. É isso aí, caro Rinaldo Nery. Sei que estou sonhando, mas, vai que alguém de bom senso, na FAB, tenha uma atitude mais efetiva. Sds.

    • ivammc, boa noite.
      .
      Não tem como a hora ser agora. Os suíços só pretendem dar baixa nos seus F/A-18 a partir de 2025, podem até esticar pra 2030. Até lá, os caças a dar baixa serão os F-5. Mais detalhes no primeiro link da lista “veja também” ao final da matéria.

  2. os f 18 ate 2030 e sobra somente os f5s a naum mais f5s naum isso ja era e obsoleto demais e boca da suica cair de f35s como o boca ja disse eles tem dinheiro para tal no verao passado eu vi pela janela de casa os f5s suicos e f18s um f 18 passou devagar bem em cima da minha casa deu para ver ele tava voando baixo os dois turbinoes o f 18 e lindo parece o starfighter de Guerra nas estrelas pois e a suica vai cair de f35 typhoon e gripen o gripen e melhor para voar na suica terreno alto montanhoso o gripen e mais leve .e dificil de voar os f18s aqui eles sao pesados e sao chupados facilmente para as paredes dos alpes de pedra acho que funciona como ima ,no ano passado morreram dois pias aqui na suica eles bateram contra a parede rochosa nos alpes voando de noite ,emquanto isso no brasil morre de f5 huehue podia panhar uns f18s velhos no deserto do Nevada so para cobrir as olimpiadas olim piadas so pode ser ta uma piada mesmo entaum uns f18s recauchutados pegariam bem para a F.A.B

  3. Não tem dinheiro por conta da roubalheira dessa cambada de políticos corruptos que são exemplos do que há de mais podre entre os cidadãos brasileiros, estão no mesmo saco dos médicos ladrões de orgãos, dos políciais informantes dos traficantes, dos traficantes, dos pedófilos, … Corrupção deve ser considerado crime ediondo e ter punição severa, o problema é que só provam crimes dos empresários, engenheiros e executivos os políticos seguem se safando.

    Paras as viaturas das FAs falta até pneu, mas vai ver se falta pneu para os carros da Câmara, Senado e Legislativo.
    A população devia se juntar, invadir Brasília e fazer uma à francesa, com o apoio do exército que deve servir e proteger a população e não uma pessoa apenas, ou uma classe de pessoas.

  4. Acho que a FAB deveria ficar de olho nesses F5, tem cerca de 50 caças, é a melhor opção para agora, são de excelente qualidade, até a USAF comprou alguns com 2 lugares.

    É só trazer e começar a colocar em condições de voo, sem custos de treinamento de pilotos, integração de armas e equipe de terra, estocar no PAMA SP e aos poucos transferir para a base de Cumbica para reparos na fuselagem, depois manda para Embraer pintar e fazer a eletrônica.

    Já visitei o PAMA SP várias vezes, inclusive fizeram uma simulação nos motores do F5 em bancada, pessoal qualificado e ferramentas eles tem, só falta vontade para fazer.

    • “André Lourenço em 09/04/2016 às 13:56”
      .
      André Lourenço, boa tarde.
      .
      Sem prejuízo da sua argumentação, gostaria de fazer alguns reparos.
      .
      “Acho que a FAB deveria ficar de olho nesses F5, tem cerca de 50 caças…”
      .
      Em serviço, são menos de 30. Os demais estão estocados, e as condições podem não ser das melhores (observação seguinte).
      .
      “…é a melhor opção para agora, são de excelente qualidade…”
      .
      Essa era a percepção até relativamente pouco tempo atrás. Porém, surgiram fissuras estruturais e parte da frota foi condenada. Alguns seguiram para reparos. Segue link a respeito:
      http://www.aereo.jor.br/2015/04/15/devido-a-fissuras-estruturais-suica-decide-desativar-10-cacas-f-5/
      .
      “…até a USAF comprou alguns com 2 lugares.”
      .
      Na verdade quem comprou foi a USN, e para ter quantidade suficiente de bipostos, o que a USN fez foi aproveitar a parte dianteira de células de bipostos que já tinha e combinar com parte central, traseira, asas etc de monopostos em melhores condições que adquiriu da Suíça. Seguem alguns links a respeito:
      http://www.aereo.jor.br/2009/05/31/f-5f-franken-tiger-e-f-5n-aggressors-ex-swiss-air-force/
      http://www.aereo.jor.br/2008/09/30/os-novos-f-5n-da-us-navy/
      http://www.aereo.jor.br/2015/03/27/entra-ano-sai-ano-e-o-f-5-nao-sai-da-usn/
      .
      Em suma, eu acho que a janela para aquisições de F-5 da Suíça foi durante a fase inicial do programa de modernização dos F-5 da FAB, há cerca de 15 anos, quando poderiam ser colocados na linha de voo para compensar aeronaves retiradas dos esquadrões para modernização, e depois tomar-se a decisão de modernizá-las ou usar como fontes de peças. Porém, hoje, não conseguimos verba nem para prosseguir a modernização das células adquiridas da Jordânia (e revitalizadas no PAMA-SP), quanto mais para adquirir outras células e também colocá-las na fila. Mas compreendo seus argumentos.

  5. O Brasil comprar F5?
    Mas F5 ele ja tem.
    Está precisando é de caças de verdade…
    Quanto aos pneus das viaturas sempre tive a opinião de que a maioria dos paises gasta dinheiro desnecessariamente.
    Tipo imagino que nas guerras os EUA compram água mineral em garrafinhas para seus soldados. Ja imaginou os gastos?
    Aí, de repente, o exército paga 150 mil por um Marrua, feito no Brasil (estou chutando o preço).
    Talvez um pneu custe mil reais.
    Não ha dinheiro que chegue…
    Deveria se pagar o mínimo de lucro para empresas privadas. Deixar que faturam exportando.

  6. Meu caro Bardini, F-15 na FAB iria ser muito bom. Porém, a ideologia não aceitaria. Se a FAB quisesse uma aeronave de verdade já teria tomado uma atitude. Mas a ideia é boa. Sds.

  7. ivammc 9 de abril de 2016 at 17:18
    .
    “F-15 na FAB iria ser muito bom. Porém, a ideologia não aceitaria.”
    .
    Qual ideologia?
    .
    “Se a FAB quisesse uma aeronave de verdade já teria tomado uma atitude.”
    .
    A força já fez sua parte, escolheu uma aeronave que vai poder operar de verdade dentro de suas limitações. Resta agora aguardar o andamento do programa.

  8. Ideologia: De nunca ter o nosso território ameaçado logo não precisaríamos ter aeronaves de ponta. Esse era e continua sendo o pensamento na FAB. Lhe digo isso Bardini, porque fiquei mais de 2 décadas na FAB. Sds.

  9. Olha se for para o Brasil ir de usado para quebrar um galho, não vamos inventar a roda de novo povo.
    Esse caça é o F-16 tem aos milhares, e tem mais de uma empresa que pode dar um bom tapa neles a um custo justo, com uma gama de armas enorme já integradas ao caça.
    Falo custo beneficio é o F-16 para de comprar F-5 e vai de F-16 usado.
    Quando Gripen chegar, teremos Gripen NG como principal e F-16 como secundário.
    Olha não sei quanto custaria mais F-16 block 40 não deve sair o olho da cara, a merda é que o pais ta quebrado sem grana simples assim.

  10. Caro Rinaldo Nery, fui praça durante 9 anos, fiz cursos mas não é o caso de mais detalhes, não fui oficial. Vejo que o senhor foi oficial. E quanto a ideologia eu posso ilustrar: o material para manutenção era escasso e quando o pedido era feito demorava de 2 a 3 anos para chegar de uma simples graxa patente. Canos descalibrados com a alma empenada precisando dar passo, logo f-5 desdentados. Sendo, não a interesse em melhorar as aeronaves só um ufanismo de comprar 36 Lifts NG para dar tempo de evacuar Brasília. Deixo claro que é a minha opinião baseada em conhecimento empírico, não querendo desrespeitar ninguém.

  11. Caro Rinaldo Nery, depois que me formei em Ciências Jurídicas e Sociais descobri mais da realidade da FAB, do que quando eu servia. E gostaria de saber, do senhor, o por que não se renovou a nossa frota de caças a mais tempo?

  12. Bem, é que quando se posta ¨é o pensamento da FAB¨ me pareceu ser uma afirmação muito forte. Só se a gente tomasse um whisky com o Comandante da Força, com o Chefe do EMAER, com o Comandante do COMGAR e com o Chefe da 6a Subchefia do EMAER (que aliás, era o Brig Vasconcelos, da minha turma), pra saber a posição deles. Mas o TB Rossato não bebe.
    Se todos os F-5EM fossem desdentados não faziam nem campanha de emprego ar-solo, ou ar-ar. Nem lançavam nenhum missíl.
    Dizer que o Gripen NG é um LIFT me parece, também, equivocado. Um caça de geração 4+… Não vou falar das qualidades e capacidades da aeronave aqui, pois já foram mais que exaustivamente enumeradas em várias matérias no PA. Se fosse o Gripen NG naquele treinamento com a US Navy, recentemente, o resultado seria outro. Se essa aquisição é um ¨ufanismo¨, então estamos muito errados e não sabemos.
    Mas, cada um com a sua opinião.

  13. É estranho dizer que é ufanismo comprar “36 Lifts NG” para dar tempo de evacuar Brasília enquanto você defende que a força deveria ter optado por um “caça de verdade”, mais caro que os F-39 E/F e que sofreriam muito mais para serem mantidos operacionais por estas bandas devido seus custos, haja visto que você disse que até F-5 é “desdentado”.
    .
    Talvez a FAB, que tem tido seus pés por muito tempo “no chão” tenha feito bom uso desta experiência na sua escolha.

  14. Caro Reinaldo Nery, concordo e respeito a opinião do senhor. Como já foi ventilado muitas vezes aqui, o Gripen NG é uma nova versão (o NG vem de “new generation”) do JAS 39 Gripen, caça leve multiuso empregado pela força aérea sueca desde 1997. Esse avião também foi vendido a países como África do Sul, República Checa e Hungria. Assim sendo, para um pais de dimensões continentais, riquezas naturais e o mais importante o seu povo, o qual se deve proteger. Acredito que para o Brasil seria um caça da classe Typhoon, Su-35, Super Hornet, Rafale ou F-16 Block 60. Destarte, não sou contra o Gripen, mas poderia mesclar com outras plataformas de maior autonomia de interceptação.
    Hodiernamente pode se ler aqui mesmo sobre a FAB:
    http://www.aereo.jor.br/2013/07/30/militares-reclamam-da-penuria-da-aeronautica-e-dificuldade-para-tocar-projetos/

  15. ivammc, como voce já foi da “graxa”, como o Juarez, sabe que é difícil e caro manter um avião de combate. É o bordão que usamos aqui várias vezes: não adianta ter se voce não pode manter. Simples assim. Com o dinheiro do Petrolão dava até pra ter F-22. US$ 58.000/hora de voo.
    Quero uma Ferrari, mas não consigo pagar o IPVA. Nem o seguro.

  16. Boa, Rinaldo Nery, é isso aí. Poderiamos ter como dizia o FHC: uma mini USAF.
    Desculpa qualquer coisa em algum comentário mal colocado, acho que o espaço é para debater com bom senso.
    Saudações.

  17. ivammc 10 de abril de 2016 at 0:06
    .
    Sim, se o dever é cuidar do céu então é preciso ter uma aeronave que possa fazer isso full-time e dentro do que a força possa manter. Não adianta sonhar com coisa mais cara pra ficar no hangar por falta de dinheiro para comprar até o combustível.

  18. ivammc 10 de abril de 2016 at 0:26
    .
    Não necessidade de você pedir desculpas, e eu também não sou o dono da razão… Estamos apenas defendendo nossas opiniões, por mais que elas venham a divergir em algum momento.

  19. Amigos,

    A FAB tem uma missão a cumprir, muito bem determinada em documentos de alto nível. Assim, não tem direito de planejar seus meios aéreos, treinamento e manutenção em grau inferior ao necessário para o cumprimento dessa missão.
    Ainda, temos que lembrar que o pedido de dotação orçamentária é feito para atender a essa necessidade operacional. Simplificando, se a Força for reduzida a metade, só terá direito de requisitar a metado dos recursos que pede hoje. Da mesma maneira, o Governo provavelmente irá “contingenciar” esse novo orçamento no mesmo percentual que usa hoje. Assim, por mais que se reduza a força ou sua capacidade nominal, isso não resultará em aumento da eficiência ou redução da penúria.
    Se tivermos 100 ou 12 Gripens NG, provavelmente continuaremos a ter 50% de disponibilidade sobre esses números, em vez dos 75% esperados.
    Quem atribui uma missão, tem que dar recursos para seu cumprimento.
    Abraços,

    Justin

  20. Prezado Justin Case,

    Penso da mesma forma.

    Prezado Ivammc,

    Quem informou que irá disponibilizar seus F/A 18 Hornet nos próximos 5 ou 6 anos foi o Kuwait.

    Abraços

  21. A época do F16 já passou, a uns 15 anos atrás uma empresa chamada VEM ( varig engenharia e manutenção ), ofereceu a FAB um lote de 12 caças F16 MLU da Holanda, a FAB recusou alegando que o FX poderia ser cancelado caso o negócio fosse fechado.

    Acho que esses caças foram parar no Chile, Portugal também vendeu alguns para a Hungria é só dar uma olhada aqui no site, no deserto existem apenas versões antigas do F16, que estão virando drones.

    Acho que o tempo do F5 não passou não, a FAB voltou a comprar mais alguns da Jordânia.

    Veja como são as coisas, esses F5 da Jordânia seriam para substituir os Mirage 2000, mas na verdade vão cobrir os outros que já começam a dar baixa, então estamos no vermelho.

    Repito, acho que o Gripen foi a melhor solução para a FAB, mas acho que vai demorar um pouco mais do que foi assinado.

  22. O pessoal não pode ver uma noticia de F-5 que querem que Fab compre,se pudessem atrapalharia o negocio da argentina e compravam o F-5 que eles vão comprar temos F-5 o suficiente agora e o gripen. se pensamos em voltar para trás não vai haver mais lotes do gripen não o F-5 e um caça bom é pelo menos foi mas chegou ao final serve para Uruguai,nicaraguá serve pro Brasil não dá mais

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here