Home Noticiário Internacional Caças da Suíça não decolaram para interceptar avião sequestrado

Caças da Suíça não decolaram para interceptar avião sequestrado

1240
58

Força Aérea Suíça não possui alerta 24 horas por falta de recursos. Avião da Ethiopian Airlines pousou por volta das seis da manhã e interceptações só ocorrem em horários comerciais (a partir das oito horas). Jato comercial teve que ser escoltado por caças Mirage 2000 da França mesmo sobre território suíço

 

F-18 Hornet - foto Força Aérea Suíça

Diversos veículos da imprensa suíça (ver lista de alguns deles no final desta matéria) estão destacando hoje a falta de preparo da Força Aérea Suíça (Schweizer Luftwaffe) para lidar com o caso do avião da Ethiopian Airlines que foi sequestrado e acabou pousando no aeroporto da cidade de Genebra, escoltado por aviões da Força Aérea Francesa.

Antes de pousar em Genebra, o jato comercial, um Boeing 767 da Ethiopian Airlines que foi sequestrado nesta madrugada ainda sobre o Sudão, foi acompanhado por caças Typhoon da Força Aérea Italiana até a fronteira norte da Itália. Posteriormente o avião entrou no espaço aéreo francês e foi acompanhado por dois aviões de caça Mirage 2000 da Força Aérea Francesa. No entanto, mesmo sabendo com antecedência de que o avião sequestrado seguiria para a Suíça, os F/A-18 da Schweizer Luftwaffe não levantaram voo da base aérea de Meiringen.

Por que isso não ocorreu? Em resposta à pergunta formulada pelo periódico de Zurique 20 minuten, o porta-voz da Força Aérea, Jürg Nussbaum, informou que eles não possuem um alerta 24 horas e que uma ação desse tipo só ocorreria durante o horário normal de expediente da Força Aérea, ou seja, a partir das oito horas da manhã até as cinco da tarde (a Força Aérea também para para o almoço, entre 12:00h e 13:30h). Quando o avião da Ethiopian Airlines pousou em Genebra, por volta das seis da manhã, é possível que os pilotos da Força Aérea ainda estivessem dormindo. Mas mesmo assim, Nussbaum disse ao periódico Blick.ch que eles tinham conhecimento do caso desde às 4:30h.

Mas a Suíça possui acordos de cooperação com os seus vizinhos, principalmente com a França. E por este motivo, quando o avião sequestrado entrou no espaço aéreo suíço vindo da França, foi permitido que os dois Mirage 2000 acompanhassem o 767 até o seu pouso em Genebra. O mais curioso é que, mesmo com estes acordos, os aviões franceses não possuem autorização para transportar armas quando no espaço aéreo suíço.

Alertas 24 horas na Suíça só ocorrem em ocasiões especiais, como durante o Fórum Econômico de Davos. Em outras situações a Força Aérea não possui recursos para manter um alerta constante por falta de dinheiro, pessoal e aeronaves. O ministro da Defesa, Ueli Maurer, possui um plano (chamado de “Projeto Ilana”) para manter um alerta 24 horas.Este ainda não foi implementado e aguarda recursos do governo.

Ethiopian702-Flight-track

Com informações das seguintes fontes: 20 minuten, blic.ch e Tages Woche

VEJA TAMBÉM:

58 COMMENTS

  1. Nossa..hoje vi duas notícias curiosas:
    1º Singapura tem esquadrões nos EUA;
    2º Suiça não tem alerta 24horas e deixa França e Itália o fazerem..

    Mas, a propósito desta, já pensaram se alguem tem a idéia de fazer isso no Brasil….Su-30 MKV para patrulhar a copa?

    Por falta de recursos e aviões…

  2. Falta de aeronaves? Não poderiam fazer alerta com duas aeronaves? Pelas dimensões, ainda por cima, fica fácil cobrir o país inteiro com poucas aeronaves.

  3. Eu não sei se o piloto francês já sabia desse acordo entre França e Suíça, mas eu queria ter visto a cara dele quando o controlador falou que ele iria entrar em território suíço para continuar a escolta até o aeroporto.

  4. Essa é a desculpa mais esfarrapada que eu já vi: NÃO podemos interceptar uma aeronave comercial sequestrada PORQUE não temos um alerta 24 horas. Vindo de um país RICO a desculpa de não ter recursos para tal operação, com F-18 e F-5 em boas condições de uso e território pequeno para patrulhar, é um ABSURDO. Mesmo operando caças antigos como o nosso – que é territorialmente imenso – temos alerta 24 horas, porque a Suíça não pode ter? Essa pegou muito mal……

  5. Eu acho o seguinte: Para um país que colocará em pleito popular a decisão de compra dos Gripen, isso é um balde de água fria.

    Como o cidadão vai aceitar que seus impostos sejam destinados para compra de jatos de combate se na hora de usá-los não o fazem e dependem de nações amigas realizarem a interceptação?

    Se fosse no Brasil, daria recorde de comentários no PA.

    Abs

  6. Lembrando que um alerta pressupõe aeronaves em solo que somente são acionadas em caso de necessidade.

    Lembrando que os suiços mantém voos de policiamento com aeronaves permanentemente no ar. É isso mesmo? Se sim, talvez o porta-voz tenha se referido a este tipo de alerta, que no caso deles é de permanente voo.

    Enfim, de uma forma ou de outra o caso parece absurdo.

  7. Ou pode acontecer o contrário, que caças são parte do componente de defesa e que precisam investir em sistema próprio. E pela localização do país, creio que o “convênio” com os vizinhos ainda seria válido.

  8. O pior é que é tudo verdade mesmo…

    A Suíça é governada a mais de 15 anos por uma coalizão de extrema esquerda…..

    São os mesmos partidos que já tentaram duas vêzes via plebiscito eliminar as forças armadas….mas como foram derrotados; o governo partiu para uma estratégia diferente:

    Reduziram drasticamente o orçamento…..as forças armadas praticamente só existem no papel…..

    Nenhum caça tem capacidade de ataque ao solo; todas as unidades de artilharia de montanha foram desativadas; quase todos os bunkers tiveram o mesmo fim e a lista continua…….

    Para alguém que serviu (a muito tempo atrás) o exército suíço por 8 anos, dói ver a situação atual.

    Recentemente durante o WEF em Davos; a Austria teve que dar uma ajuda senão não haveria alerta 24 horas.

    E não é por falta de equipamento……32 F-18 e 54 F-5E é muita coisa para um país pequeno….e dinheiro tem…é sabotagem mesmo de um governo que só sonha em levar o país para a desgraça da CE e financiar “projetos” duvidosos mundo afora……bom, mas agora já estou saindo do tópico…..

    • Isso explicaria o consentimento com os Mirage entrar seu território??

      Não. Os suíços tiveram uma hora e meia (do momento em que foram avisados – 4:30h até o pouso do avião em Genebra – 6:00h) para interceptar o 767.

      100km em avião é “logo ali”.

  9. Prezados editores,

    Tenho um comentário de 16:24 “awaiting moderation”.

    é automático ou fiz algo errado?

    NOTA DOS EDITORES: COMENTÁRIOS COM LINKS EVENTUALMENTE FICAM PRESOS NO ANTISPAM. ISSO É NORMAL. JÁ FOI LIBERADO.

  10. phacsantos, boa tarde.
    Até há bem pouco tempo atrás não aparecia esta situação…
    Talvez não tenhas ‘logado’ corretamente; eu também estive nessa e fiquei todo desconfiado, che.

    • Só lembrando uma coisa: a Força Aérea Suíça considera os F-5E aptos apenas a voos de combate durante o dia. Por sua aviônica ser muito antiquada (não sofreu modernizações de monta, apenas uma ou outra atualização pontual) eles optaram por não operá-los em combate à noite, o que seria missão dos F-18, com sua aviônica moderna.

      Mas, ainda que tenham 32 caças F-18 em dotação, parece que não há orçamento para manter pilotos em rodízio para alerta 24h para voá-los à noite… Se essa doutrina não mudar, então nem Gripen nem nada vai resolver em situações como essa.

      Para saber mais sobre o por que dos Suíços quererem novos caças para substituir seus velhos e defasados F-5, o segundo link do “veja também” traz informações.

      Mas, pelo jeito, a parte do texto do link relacionada ao alerta com patrulhas permanentemente no ar para ser eficaz num país com tempo de resposta pequeno como a Suíça etc etc etc, precisa ser relativizada e pensada só em “horário comercial” (com pausa para o almoço), pois não tem pilotos de alerta à noite.

      Realmente, um “escândalo” de economia difícil de explicar tanto quanto aquele dos bombardeiros russos que, no ano passado, não foram interceptados pelos caças suecos (embora essas interceptações sejam muito comuns de se noticiar) porque na ocasião ninguém quis fazer alerta na Páscoa (será que era para não atrapalhar o trabalho do coelho?)

  11. Que desculpa esfarrapada! Até parece que não possuem recursos para manter um sistema de Defesa Aérea.
    Os países europeus possuem acordos, por meio da OTAN (aqueles participantes) e normas do EURO CONTROL que permitem apoio nesses casos, entre países.
    Todos os países europeus (exceto a Suíça, que fiquei sabendo agora…) possuem aeronaves em QRA (Quick Reaction Aircraft), o nosso ALEBAS (Alerta na Base).
    ALEVOO (Alerta em Voo) ninguém faz. Nem os EUA nem a China. Só em casos especiais.
    Manda os suíços pro COMDABRA pra aprenderem um pouco! Muito mal contada essa história…

    • Caro Rinaldo Nery

      Na minha modesta opinião não há nada de desculpa esfarrapada ou história mal contada.

      Esse episódio mostrou como é e como atua a Força Aérea Suíça quando a questão é alerta aéreo (ou QRA, como preferirem).

      Por falta de recursos aqui nós mandamos os recrutas para casa nas sextas na hora do almoço para economizar no rancho.

      Lá o orçamento não permite que eles possuam QRA das 17:00h até as 8:00h do dia seguinte (sem falar da hora do almoço, que as matérias não deixaram muito claro).

      O nosso colega Franz (cvn76), que serviu ao Exército Suíço e colabora muito conosco, colocou alguns pontos interessantes sobre esta questão e vale a pena reler o seu comentário.

      PS: para quem não leu ou já esqueceu, o Brasil passou no teste recentemente (início do mês) quando recebeu um alerta de sequestro de um 767 (de novo esse avião?) da American Airlines. Um F-5 foi destacado. Acho que é este caso que o Marcio tenha se referido.

      http://www.aereo.jor.br/2014/02/03/falso-alerta-de-sequestro-a-aviao-mobiliza-caca-f-5-da-aeronautica/

  12. Poggio, é só manter uma aeronave armada e abastecida, um caçador, um mecânico da aeronave e um especialista em armamento, mais um soldado pra operar a fonte externa. Precisa de muito dinheiro pra isso? Que diferença faz se é durante o expediente ou após, dia ou noite, inverno ou verão?
    Então nós devemos ser muito bons…

  13. É o que acontece quando se tem esquerdóides no poder, em qualquer lugar do mundo capitalista: sucateamento das FFAAs.

    Destruir o poder militar “regular”, para dominar o povo através de um “exército vermelho”, “popular”, uma guerrilha ou uma milícia é a primeira tática de guerra de 5a geração comunista/socialista.

    Para quem não sabe, a China PRC por exemplo possui forças armadas regulares até hoje. Totalmente irrelevantes perto do Exército de “Libertação Popular”…

    E é assim em qualquer lugar em que eles chegam ao poder, de Cuba á Coréia do Norte, da finada URSS à Venefavela do “Passarinho”.

    Essa notícia não me causa surpresa alguma. Pobres suíços; mas cada povo tem o governo que merece.

    Vergonha total…

  14. Piloto de caça, na Suíça:

    – Num vô vua purque hoje é domingo!

    – Num vô vua purque tô cansado!

    – Num vô vua purque já são 5h01!

    – Num vô vua purque num tô cum vontade!

  15. Pessoal, vou postar aqui o que comentei no outro post sobre esse assunto. Aqui o colega phacsantos levantou essa questão também.

    ________________________________

    Pessoal, pode ter outro motivo essa “não-interceptação”.

    No mês passado eu estava justamente em Genebra e pude ver com meus próprios olhos esse detalhe: Não é necessário sobrevoar o espaço aéreo Suíço para pousar em Genebra. Na verdade, Genebra fica em uma pontinha do território da Suíça cercada de França por todos os lados. O Aeroporto é tão colado na fronteira que a cerca de um dos lados da pista, dá pra França! (tem um “setor francês no aeroporto também).

    Deem uma olhada no Google Earth e poderão confirmar isso.

    • Eu entendo que a relação da Suíça com os seus vizinhos é ótima, principalmente com a França. Entendo também que a posição geográfica de Genebra não ajuda na defesa do seu espaço aéreo por parte da Suíça e entendo mais um monte de coisas. Só que integridade territorial faz parte da soberania de um país.

      Fazendo um paralelo com uma situação fictícia aqui no Brasil, digamos que uma aeronave não autorizada entre no espaço aéreo brasileiro a partir da Colômbia e queira pousar em Tabatinga (na fronteira com a Colômbia). Digamos também que a Força Aérea Colombiana esteja operando na região e intercepte a aeronave ainda no seu espaço aéreo. Vocês acham normal que os aviões colombianos entrem no espaço aéreo brasileiro e acompanhem o pouso da aeronave não autorizada em Tabatinga, só porque o esquadrão mais próximo da FAB está Manaus?

  16. Caríssimos,
    Vamos dar nome aos bois e as vacas:

    1. A Suíça, através de sua força aérea, tem plenas condições de interceptar qualquer aeronave comercial, sob quaisquer condições de voo, leia-se IFR oi VFR.

    2. A Suíça também dispõe de recursos financeiros para manter 1 esquadrão que seja no standby night, podendo inclusive fazer rodízio entre tripulações. Resumindo, existem várias estratégias para manter uma operação 24h a baixo custo.

    Isso nos leva as seguintes questões, inclusive já abordadas:

    1. A decisão de não haver condições de interceptação 24h é de natureza política.

    2. Um evento desses tem várias implicações, que poderão ser tanto positivas quanto negativas para o contrato do Gripen na suíça. O que ocorrerá só o tempo dirá. No entanto isso agora muito nos interessa, afinal um cancelamento do contrato do Gripen NG teria que implicações para nós?

    Mudando de pato pra ganso: os franceses também teriam economizado na hora de voo utilizando os M2000?

    • “Corsario137 em 17/02/2014 as 21:01
      Mudando de pato pra ganso: os franceses também teriam economizado na hora de voo utilizando os M2000?”

      Corsario137, não entendi bem sua pergunta, mas minha intuição diz que, talvez, você esteja querendo dizer que economizaram usando M2000 ao invés de Rafale.

      Se for isso, o raciocínio está equivocado.

      Tanto o Rafale quanto o Mirage 2000 são os caças empregados pela Força Aérea Francesa e, conforme o esquadrão, fazem parte do alerta de defesa aéreo, que é feito normalmente em quatro bases diferentes (é claro que há mais esquadrões e mais bases, mas eles costumam deixar em alerta aeronaves em quatro pontos principais, usando também desdobramentos. Lembrando também que há esquadrões de M2000 (modelos D e N) que são dedicados exclusivamente a ataque, e que um dos esquadrões de Rafale treina ataque nuclear boa parte do tempo, então não necessariamente farão alerta de defesa aérea).

      Dentre os esquadrões que destacam aeronaves para cumprir esse alerta, a coisa hoje, pelo que me lembro, está mais ou menos meio a meio entre esquadrões de Rafale e de Mirage 2000. Há também um rodízio, do qual eventualmente até caças Rafale da Marinha Francesa participam. Até outro dia, caças Mirage F1 participavam também desses desdobramentos para o alerta (matéria recente).

      No fim das contas, conforme a aproximação do intruso do espaço aéreo francês se der por um lado ou por outro do país, pode ser que um caça de esquadrão de Rafale faça a interceptação. Ou pode ser que um caça de esquadrão de Mirage 2000 intercepte. Depende da base com caça em alerta que estiver mais próxima. Então isso não teria nada a ver nem com pato nem com ganso. Não é questão de economizar na hora de voo.

      (é claro, tudo isso parte de uma suposição minha sobre a bola que você teria levantado com a pergunta – se não foi isso, é só você explicar melhor sua pergunta)

      Saudações!

  17. Na Suécia a coisa teria sido beeeeem diferente.
    Pra quem citou o Brasil, nós temos um excelente histórico de interceptações ao longo da história, em momentos mais ou menos favoráveis economicamente.

  18. Segundo o regulamento os pilotos só decolariam se fosse ano bissexto, noite de lua cheia e o tripulante em questão fosse vegetariano e destro.

  19. Dentro do tema, a FAB apresentou seu planejamento de Defesa Aéreas para a Copa:

    http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/17765/COPA-2014—FAB-apresenta-esquema-de-defesa-aérea-para-o-mundial-em-junho

    A sistemática de Comando e Controle foi elaborada pelo MB Egito, Chefe do EM do COMGAR, um oficial brilhante. E será operacionalizada por outro também muito competente, o MB Baptista Jr, Comandante do COMDABRA.
    Com relação à Defesa Aérea em High Visibility Events, a FAB possui muita experiência. Quando estive em um Simpósio Internacional de Defesa Aérea em Pretoria, em 2007, tive a oportunidade de assistir à palestra de um oficial general da Luftwaffe, sobre como realizaram a Defesa Aérea na Copa da Alemanha, em 2006. Não vi nada diferente ou a mais do que já fazíamos aqui.

  20. Amigos,

    É comum que se façam acordos para a troca de informações, de forma que um país vizinho se prepare para receber um tráfego que esteja sendo acompanhado, qualquer que seja o motivo.
    Em muitos casos, esses acordos são mais amplos, e permitem que o alvo seja acompanhado pelas aeronaves que o escoltam, mesmo em território estrangeiro, ATÉ QUE AS FORÇAS LOCAIS POSSAM ASSUMIR A TAREFA.
    O fato de Genebra estar muito próxima à fronteira pode ter contribuído para que os caças suíços não decolassem. Mas eu não acho que tenha sido uma boa decisão.
    Não se pode prever com precisão o que um sequestrador fará, nem acreditar no que ele promete fazer. Não é raro que aviões sequestrados alternem seus destinos no último momento. Já vimos isso no Brasil e em vários casos de sequestros anteriores.
    Eu acho que os caças suíços deveriam ter decolado. Mesmo que hão houvesse tempo ou oportunidade para assumir o acompanhamento, ainda assim teriam cumprido adequadamente sua missão.
    Aqui mesmo, durante a Guerra das Falklands/Malvinas, o Vulcan inglês pediu para pousar em emergência, e assim mesmo os nossos F-5 lá foram para acompanhá-lo, mesmo que por pouco tempo.
    Abraços,

    Justin

  21. Senhores,

    Apesar das excelentes desculpas e teses levantadas …. a Suíça pecou irremediavelmente.

    Qualquer babaca agora sabe o seu ponto fraco… e sinceramente … fosse a mesma lógica, então no caso de acontecer o mesmo aqui em Santana do Livramento coladinha a Rivera …. iriamos chamar a FAU para interceptar o inimigo ???

    Quer dizer que se um exército…ou mesmo um terrorista atacar o território suíço de madrugada será um passeio ??

    Governos de esquerda… ou prevaricam com a defesa…. ou compram até o que nunca poderão usar… é 8 ou 800 !

    Sds.

  22. Tem verba e avião para a Patruille Suisse e não tem um único F/A-18 Legacy ou um F-5E para o alerta 24hs ??

    Vão comprar Gripen E para que então… levar politico passear das 8 ás 17 hs ??

    Sds.

  23. O governo da Suíça é de esquerda????????

    Até onde sei, o governo suíço atual é de um partido de centro-direita (o “Partido do Povo”, ou SVP) que já foi mais forte mas hoje está sempre dependendo de negociar apoio com o partido liberal (o “FDP”…) e, se não me engano, dos social-democratas, para ter as maiorias nas decisões. A esquerda e os verdes são oposição.

    Por favor, alguém com mais entendimento da política suíça me corrija se estiver errado, mas é mais ou menos isso que entendo ao ler notícias de lá sobre as idas e vindas da política em relação ao Gripen.

    É um sistema de coalizões e democracia direta um tanto confuso para entender, principalmente quando as notícias originais são principalmente em alemão e francês (com os nomes dos partidos também mudando a sigla conforme a língua do jornal…)

    Mas eu tenho quase certeza de que não é governo de esquerda não…

  24. Nunão 22:44

    Desculpe, mas você está errado.

    O Conselho Federal (Executivo) é composto por 7 membros….

    Destes somente um (justamente o da Defesa) é do SVP…Partido Popular Suíço de centro-direita.

    Os demais são:
    2 SP (Socialistas ou ex-comunistas)
    2 FDP (Partido Liberal de centro)
    1 CVP (Partido Social Cristão…. de esquerda)
    1 BDP (são mais perdidos que cego num tiroteio….centro)

    Apesar do SVP ser o partiddo mais forte no Congresso; os demais partidos sempre fazem oposição a todos os projetos ou idéias do SVP…..

    E por que isso? Por que o SVP é o únco partido que é contra a entrada da Suíça na CE…..por isso é taxado de “nazista”, “isolacionista” entre outros adjetivos….

    Como falei antes; é pura sabotagem política dos outros partidos….agora metem o pau no SVP:

    “Estão vendo? o ministro da Defesa é um incopetente….”

    Já digo agora: o Grippen não vai ser comprado…..o próprio governo já está unfluenciando a opinião pública a dizer “não” ao plebiscito dessa compra…..

    Mas deixa eu ficar por aquí….tá na hora de trabalhar…:-)

  25. Caso a LEONI Studer AG ou qualquer um de seus concorrentes me convide para trabalhar lá, faço as malas na hora e vou para esse país desarrumado, incompetente, sem planejamento, nem sabem o que é FA’s !
    Vou ter que agüentar essa zona política que o cvn76 comentou, mas fazer o quê né ?

  26. Manchete dos jornais locais de hoje:

    Diante das reações ao fato do País não ter aviões em stand-by 24H; o governo anunciou que vai tomar “medidas rigorosas” e com certeza até 2020 a Suíça voltará a ter aviões em alerta 24 horas……:-)

  27. Oi Nunão

    O sistema político suíço é único no mundo; com suas vantagens e desvantagens…..:-)

    O Presidente do Conselho Federal é um cargo mais representativo e dura um ano.

    Sempre é um dos 7 Membros, que são ao mesmo tempo Ministros.

    O Presidente no ano passado foi o Ueli Maurer; agora desde 1. de janeiro é o Didier Burkhalter (FDP) que é ao mesmo tempo Ministro das Relações Exteriores…..

    Realmente o CVP passou para o SVP a direção da campanha pró Gripen….

    Mas os próprios suecos fizeram a maior c*g*d* recentemente…….vazou um documento da empresa sueca metendo o pau nos políticos suíços e por isso o CVP caiu fora da campanha….

    Creio que os Gripen não serão comprados e eu até entendo os argumentos do pessoal que é contra…..

    A Suíça, um país minúsculo, cercado de países amigos, realmente precisa de 32 F-18 e 22 Gripen??

    Num momento de crise (mesmo para um país rico) em que se economiza nas pensões dos aposentados, faz cortes na educação e em outras áreas, fica difícil convencer a população a votar pelo sim…

    Muitos argumentam que esssa grana seria melhor aplicada em outros áreas, mesmo que seja em outros projetos militares!

    Abs

  28. O Gripen poderá ser escolhido se deixarem claro que substituirá os F5, que a obsolescência, tempo em serviço dos mesmos justificam a compra.

  29. Amigos,

    É comum que se façam acordos para a troca de informações, de forma que um país vizinho se prepare para receber um tráfego que esteja sendo acompanhado, qualquer que seja o motivo.
    Em muitos casos, esses acordos são mais amplos, e permitem que o alvo seja acompanhado pelas aeronaves que o escoltam, mesmo em território estrangeiro, ATÉ QUE AS FORÇAS LOCAIS POSSAM ASSUMIR A TAREFA.
    O fato de Genebra estar muito próxima à fronteira pode ter contribuído para que os caças suíços não decolassem. Mas eu não acho que tenha sido uma boa decisão.
    Não se pode prever com precisão o que um sequestrador fará, nem acreditar no que ele promete fazer. Não é raro que aviões sequestrados alternem seus destinos no último momento. Já vimos isso no Brasil e em vários casos de sequestros anteriores.
    Eu acho que os caças suíços deveriam ter decolado. Mesmo que hão houvesse tempo ou oportunidade para assumir o acompanhamento, ainda assim teriam cumprido adequadamente sua missão.
    Aqui mesmo, durante a Guerra das Falklands/Malvinas, o Vulcan inglês pediu para pousar em emergência, e assim mesmo os nossos F-5 lá foram para acompanhá-lo, mesmo que por pouco tempo.
    Abraços,

    Caro Cel Justin, eles não acompanharam ele, só o enquadraram na final Galeão, se fosse, veja bem , se fosse ataque aéreo, a nossa vaca tinha ido para o brejo, tanto é que o senhor bem sabe que muita coisa mudou no alerta H 24 depois daqueel episódio.
    Nem quero pensar se o o míssil anti radiação que estava armado e não tinnha saído do pilone tivesse se soltado com o solavanco do pouso, era uma vez o radar de área terminal da BAGL.

    Grande abraço

  30. Desculpe Juarez, mas já é a terceira vez que falamos sobre esse caso. NÃO HOUVE NENHUMA MODIFICAÇÃO NO ALERTA POR CONTA DESSE EPÍSÓDIO.
    Segundo: eles não interceptaram o Vulcan tão próximo assim.
    O que acontece, rotineiramente, é que o tempo de alerta no período BRAVO pode variar de Base para Base, em função da localização da vila dos oficiais e do tempo que o piloto leva pra chegar na Base. Se for distante, como é o caso da BACO e da BASC, o piloto fica na Base.
    Desculpe a insistência, mas participei do SISDABRA por muitos anos e sei o que estou falando. Não podia deixar de corrigi-lo.

  31. Guilherme Poggio
    18 de fevereiro de 2014 at 21:36 #

    Pelo jeito o problema com aeroportos não é somente por aqui. E aqui os aeroportos chegam primeiro, depois vem a especulação imobiliária com a benção ou inércia dos governos municipais que permitem a aproximação de residências, prédios, shoppings, comércios que começam a pressionar por mudanças nos horários por esse motivo do barulho.

    Mas isso em relação a bases militares é o cúmulo. Parecem estar mais preocupados com meio-ambiente, o politicamente correto do que com a realidade. E o que aconteceu parece que mostrou que esqueceram de combinar com criminosos, terroristas, psicopatas etc o horário em que podem cometer seus crimes.

  32. “cvn76
    18 de fevereiro de 2014 at 9:10 #”

    Caro amigo, conheço-os e fui aprovado em 2002 depois de um rigoroso processo feito na Alemanha, mesmo o meu Inglês sendo “macarronico”, Inglês fluente era mandatário.

    Depois colocaram que minha única opção(por causa do Inglês) era liderar um processo de “implantação” de uma unidade de negócios no Brasil, pagariam o aperfeiçoamento do Inglês etc ….

    Fiz uma contra-proposta para os mesmos moldes:
    España ou Portugal, depois Brazil, negativo.

    Caí fora.

    Nunca se instalaram aqui, prefiro nem comentar os motivos da época, mas dou duas dicas:
    “Eles não pagam bola e não vendem com manobras tributárias e fiscais”, entendeu ?

    Lembrei-me do nome do Manager na época:
    Witzig, Manfred

    Totalmente Off Topic a dissertação acima, desculpem-me.

    Fica por ai parceiro que aqui é terra de ninguém.

    O pior dai é melhor que o bom daqui.
    Há exceções, mas ….

    Como muito bem comentado por você o sistema político é único no mundo, mas há uma rotação de poder e/ou de pessoas.

    Já aqui, ressuscitamos a Maria Antonieta e o Luis XIV !

  33. Desculpe Juarez, mas já é a terceira vez que falamos sobre esse caso. NÃO HOUVE NENHUMA MODIFICAÇÃO NO ALERTA POR CONTA DESSE EPÍSÓDIO.

    Caro Cel,só se na BASC e na BAAN não houve, na BACO, piloto do Alerta H 24 fica na base e no caso do 14 fica/ficava no contanier junto ao hangarete de defesa aérea, após o hangar do 5º ETA.e isto começou a acontecer após este episódio. Detalhe, vi isto com estes olhos que a terra a de comer.

    Segundo: eles não interceptaram o Vulcan tão próximo assim.
    O que acontece, rotineiramente, é que o tempo de alerta no período BRAVO pode variar de Base para Base, em função da localização da vila dos oficiais e do tempo que o piloto leva pra chegar na Base. Se for distante, como é o caso da BACO e da BASC, o piloto fica na Base.

    Cel, o problema não foi a distãncia, foi a dificuldade do THOR e do radar depois do controle de área terminal, junto com a precariedade do radar Emerson Eletric de colocar o o F 5 na proa correta de interceptação do Vulcan, quando o piloto deu Tally hoo, estava praticamente na vertical da final do Galeão.

    Desculpe a insistência, mas participei do SISDABRA por muitos anos e sei o que estou falando. Não podia deixar de corrigi-lo.

    Compreendo sua posição, e eu também estava no “circo”.

    Grande abraço

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here