Home Indústria Aeronáutica Dassault e DGA testam o Rafale em configuração pesadamente armada

Dassault e DGA testam o Rafale em configuração pesadamente armada

505
94

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto Dassault

O trabalho, considerado preliminar, foi financiado pela própria Dassault e conduzido em colaboração com a Direção Geral de Armamento da França. Segundo a empresa, o Rafale está ampliando ainda mais sua versatilidade

A Dassault Aviation divulgou nesta quinta-feira, 23 de janeiro, uma nota a respeito dos primeiros testes de voo bem-sucedidos completados pelo Rafale numa nova configuração pesadamente armada. A configuração, que pode ser vista nas fotos divulgadas com a nota, compreende seis mísseis ar-terra de precisão AASM Hammer, quatro mísseis ar-ar de longo alcance da família Mica, dois mísseis ar-ar de alcance extra-longo Meteor, assim como três tanques externos de 2.000 litros.

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto 5 Dassault

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto 4 Dassault

A Dassault informou que esse trabalho preliminar foi financiado pela própria empresa, e conduzido em colaboração com a Direção Geral de Armamento (DGA) da França. O objetivo é chegar a uma completa liberação do envelope de voo. Pela melhoria das capacidades dos quatorze pontos duros da aeronave, incluindo oito sob as asas, o Rafale é, segundo a Dassault, o único caça no mundo capaz de carregar 1,5 vezes o seu próprio peso.

Ainda segundo a nota da empresa, a capacidade “omnirole” do Rafale responde às necessidades de países que requerem, a custos controlados, uma ferramenta operacional e versátil, capaz de cumprir todas as missões de forma mais efetiva, ao mesmo tempo em que mobiliza menos recursos. Dois caças Rafale representam o mesmo potencial de seis caças da classe do Mirage 2000, o que mostra a capacidade do caça em racionalizar forças armadas.

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto 3 Dassault

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto 2 Dassault

A nova configuração foi possível pela arquitetura aberta do avião, projetado desde o início para executar todas as missões previamente realizadas por sete diferentes tipos de aeronaves na França. Essa configuração combina grande autonomia com a versatilidade do sistema de armas, o que, ainda segundo a Dassault, demonstra o poder e a superioridade operacional do Rafale. O caça já possui, conforme divulgado pela empresa, uma gama de configuração sem igual, incluindo a capacidade de ataque em profundidade equipado com dois mísseis de cruzeiro Scalp e três tanques de 2.000 litros, o que foi usado pelas Forças Armadas Francesas na Operação Harmattan na Líbia, em 2011.

Essa demonstração da configuração pesadamente armada vem poucos dias após a Dassault receber o contrato do Ministério da Defesa da França para a versão F3-R do Rafale, o que para a empresa demonstra que o caça é parte de um contínuo processo de melhorias para atender aos requerimentos de seus operadores.

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto 6 Dassault

FONTE / FOTOS: Dassault (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em francês)

VEJA TAMBÉM:

94
Deixe um comentário

avatar
90 Comment threads
4 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
24 Comment authors
Jackal975Mauricio R.LywOganzaMarcelo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Iväny Junior
Visitante
Member

Muito bom, realmente uma grande capacidade de armas.

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

Em um fórum um carinha fez uns cálculos e, se aqueles forem os AASM baseados na Mk.82, são 8.400Kg que o Rafale está transportando nessas fotos.

solskhaer
Visitante
solskhaer

Muito bem, pesadamente fortíssimo armado e bonito de se ver. Mas nem os EUA compraria para eles, aliás, deve ser muito caro para qualquer pais mante-lo nessa configuração!
Os CDF desse fórum por favor, façam os cálculos de quanto exatamente o Rafale carrega na primeira foto em termos de preço de cada missel, fora o querosene x 3!

Vespão
Visitante
Member
Vespão

Incomparável .

Pena que optamos pelo + barato para delirio do pessoal do lado negro da força .

FLIGHTER
Visitante
FLIGHTER

Ainda bem que compramos o mais barato, pois com esse peso todo (+/- 8.500 Kg), aí e que ele ia ficar mesmo “NA CHOM” ou no hangar como preferirem, se é que teriamos EUROS para coloca-lo nesta configuração.

M@K
Visitante
M@K

Uma dúvida:
Os AASM Hammer são mísseis ou bombas guiadas?

M@K
Visitante
M@K

Ah! Outra coisa.
Com essa carga bélica do Rafale, me lembrei daquele filme: “Águia de Aço”, onde um herói norte americano vai sozinho com seu belo F16 enfrentar a força aera de uma país inimigo. O cara destrói refinarias, defesas AA, caças inimigos e uma base dos coitados e nunca acabava a munição. Quem sabe os franceses lançam uma versão própria deste filme com o Rafale. Com essa carga bélica vão poder destruir meio mundo.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Nunão,
Eu acho que não há opção em relação ao kit de extensão de alcance da AASM.
Só existe o kit de cauda com o propulsor foguete, que pode ser ou não acionado.

Se chamarmos de míssil um projétil guiado autopropelido a AASM é um míssil.
Seu conceito é muito parecido com o do MÍSSIL Bullpup AGM-12, que era chamado de míssil, e também ao da “bomba” AGM-123 Skipper, que era chamado de “BOMBA”. rsrsrs
Vai entender!

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

“Vespão 23 de janeiro de 2014 at 20:48 # Incomparável . Pena que optamos pelo + barato para delirio do pessoal do lado negro da força .” Concordo e acrescento: Não temos KC/MRTT, nenhum se é que se pode chamar de um C 130 para toda a FAB como satisfatório, Chegamos a ter 28 C 130, hoje temos 04 e olhe lá, Demoramos quase 20 anos para definir o FX, No GDA os Jaguares estavam “voando desarmados” nos últimos tempos, Os F 103 foram desativados com somente 4 000 hs/voo, Fizemos exercícios com misseis fora da validade, As Sextas-Feiras é… Read more »

Augusto
Visitante
Augusto

É um BELÍSSIMO caça!!!

Vader
Visitante
Member

Bela configuração. Para testes e “vespinhas” de blog ficarem ouriçadinhas… 🙂 Na prática a utilidade de uma configuração de armas de ataque ao solo com três tanques de longo alcance e armas de ataque BVR e, mais inútil ainda (nesse caso), armas de combate WVR, é altamente discutível, para dizer o mínimo… Carregado desse jeito, logo pouco manobrável, e com o RCS de um terópode, um caça desses não poderia dar combate a, por exemplo, um Mirage 2000-5 e seu MICA. Suas armas de longo alcance teriam sua eficácia tremendamente prejudicada pelo imenso RCS. Suas armas de curto alcance não… Read more »

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Eu olho esta foto e imediatamente me vem a mente a quantidade de desenhos, gráficos e trapizombas apresentadas pelo público “supports Rafale” sobre RCS x Alcance e super trunfo e blá blá…
Conclusão: para cumprir a missão pendurado com tudo aquçlo ele precisa dos três” tancões”, o que faria o dito cujo brilhar como uma árvore de natal até no radar Furuno da barca de Niterói.
Mito desvendado……..

Grande abraço

Grievous
Visitante
Grievous

Quanto aos comentários referentes à inutilidade da configuração, se puderem responder a esse leigo… Nos anos 90 eu lia que a tecnologia permitia aos caças cumprirem diversas missões numa só surtida. Lembro até do texto que dizia que “antes se perguntava quantos aviões eram necessários a uma missão e agora a pergunta é quantas missões um caça pode cumprir numa só surtida”. Algo assim. Bem propaganda mesmo. Da guerra do Golfo, vi vídeos que mostravam os F/A-18 partindo para missões de ataque, durante o voo mudavam para o modo ar-ar, engajavam e derrubavam algum caça usando os Sparrow (acho que… Read more »

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Amigos,

O normal é que os aviões primeiro façam a missão de ataque e, em seguida, complementem sua missão com permanência em PAC, protegendo os demais aviões amigos.
Essas foram as missões designadas para os Rafales no exercício Cruzex 2010, por exemplo.
Essa não é uma configuração para utilizar em uma missão ar-ar pura, com expectativa de dogfight. Dogfight para quem está armado com mísseis BVR e de muito longo alcance é última opção. Nesse caso, certamente tanques e adaptadores seriam alijados para o combate.
Abraços,

Justin

evansanper
Visitante
evansanper

Sim, é viável esta configuração para ataque. Lembrem dos raids de Israel contra o Iraque e Síria: as aeronaves estavam completamente carregadas de mísseis, bombas e combustível para atacar seus alvos.
Lembrem também que o combustível dos tanques externos é o primeiro a ser gasto pela aeronave justamente para serem ejetados depois.
É melhor os caças levarem tudo o que precisam “amarrado” em si mesmos do que depender de aviões-tanque depois, já que nenhum daqueles atacará alvos a uma distância razoável sem recorrer a combustível externo ou a estes últimos. Há sempre de se escolher entre um ou outro.

Nick
Visitante
Member
Nick

Não entendi essa de “nova configuração”. A Dassault sempre exalta a capacidade de carga do Rafale, desde sempre.

Agora observando essas fotos, nota-se que a metade da carga é tanques extras de combustível.

E faltou o mais importante. Qual é o raio de ação dessa configuração, sem a necessidade de reabastecimento?

Ou é somente para tirar fotos e voltar para a base? 🙂

[]’s

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

Nunão, os tanques do Gripen, pelo link que você forneceu, são de 450 galões (imagino americanos) o que dá 1.700 litros.

Não existe problema nenhum com esses testes, só os ______________________

NOTA DOS EDITORES:

COMENTÁRIO EDITADO NA SUA SEGUNDA PARTE, QUE LEVOU A UMA BRIGA COM OUTRO COMENTARISTA, OBRIGANDO A DELETARMOS SUMARIAMENTE DEMAIS COMENTÁRIOS QUE PROSSEGUIRAM NESSA BRIGA ABSOLUTAMENTE INÚTIL.

POR FAVOR, DEIXEM SUAS RUSGAS PESSOAIS PARA OUTROS ESPAÇOS.

Alfredo Araujo
Visitante
Member
Alfredo Araujo

Ainda bem que o Justin e o Nunão salvaram a discussão..

Quando eu li a primeira crítica sobre variedade de armas das fotos, o primeiro exemplo que me veio a cabeça foi o da FAA Israelense e seus F-15…

E nada impede que a Armeé d’Lair faça raids no norte da África com essa configuração, realizando REVO no Mediterrâneo…

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Muito bom o debate, muito bom mesmo.

Cliquem no vídeo e nos link’s: (Quem quiser. lógico)

http://www.cadillac.com/future-cars/2015-escalade.html

Vindo com o acessório no banco do carona, eita ….

Preço sem o acessório:

http://www.webmotors.com.br/comprar/cadillac/escalade/6-2-curta-4×2-v8-gasolina-4p-automatico/4-portas/2013/11078146

Mas só tenho grana U$$ para ter e manter um desses:

http://www.webmotors.com.br/comprar/volvo/xc60/3-0-t6-top-awd-turbo-gasolina-4p-automatico/4-portas/2013/10086049

Não queremos ficar a pé, que cheguem logo:

http://www.webmotors.com.br/comprar/volvo/xc60/3-0-comfort-awd-turbo-gasolina-4p-automatico/4-portas/2009/11161318

Aliás o que o$ france$e$ fabricam com 04 rodas que seja parecido ?

Entenderam a pergunta e os trocadilhos ?

EUA – Sweden – France

SH – G NG – Rafale prix le plus élevé

Chico Pinheiro, “graças a Deus é sexta-feira!”

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Caros Vespão, Augusto, Grievous, Justin Case, evansanper, Clésio Luiz e Alfredo Araujo (7):

o texto é imperdível, o cara nervoso no final é o GR ?

http://www.youtube.com/watch?v=OPj0iuyP1vc

bitt
Visitante
Member

Pois é, foi o que me ocorreu também – afinal, qualquer folheto da Dassault exaltava a qualidade de seu produto era ser um “multitarefa verdadeiro”. Desde 2009 esses folhetos fazem referência ao fato do Rafale transportar 1,5 X seu peso em armamento e/ou pods e tanques externos. Qual é a novidade? Tamb me ocorreu que durante a campanha da Líbia deve ter sido feito, se não a mesma coisa, pelo mns algo parecido. Pelo que me lembro (peço q De Martini ou o JC me corrigijam, se eu estiver errado), tanto na Guerra do Golfo qto na do Iraque, aeronaves… Read more »

Grievous
Visitante
Grievous

A celeuma vem da paixão (ou ódio) falando mais alto que a razão.
Alguns não gostam do Rafale e pronto. Ninguém precisa gostar. É um direito.
Se essa antipatia resultar em alguma bobagem postada, há sempre alguém pra corrigir.
No final, tudo se encaixa

Grievous
Visitante
Grievous

Do jeito que estavam os comentários iniciais, eu pensei que a tecnologia das defesas aéreas tinham evoluído tanto que não seria mais possível um avião cumprir uma missão assim, como “uma árvore de natal”, como disseram. Fico preocupado que voltemos àquela mentalidade dos anos 60, quando se imaginava que os aviões tinham se tornado obsoletos, que os SAM dariam conta de qualquer um que levantasse voo. Quantos projetos acabaram por conta disso? Quantos grandes aviões desapareceram? Todo mundo passando a voar rasante pra evitar aparecer nos radares… Com o F-22, passei a ficar preocupado com o contrário, que nada poderia… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Cher Monsieur Grievous

Soutenez vos commentaires, nonobstant

Rafale prix le plus élevé,

merci.

Vespão
Visitante
Member
Vespão

Grievous
24 de janeiro de 2014 at 11:22 #

Belo comentario .penso eu que alguns colegas e gripeiros de coração , deveriam parar com essa de torcida de futebol., realmente lamentavél.

Quanto ao vetor sueco ainda no papel ,só resta o comentario ….(Ele não impõe medo,mas fará se respeitar )

bitt
Visitante
Member

“Mas ainda há espaço para a força bruta embarcada nas asas de um belo avião”

Bela observação – eu diria que definitiva.
na biografia de Marcel Dassault existe uma passagem que se encaixa nesta sua. Teria ele observado, ao assistir um desfile no qual voavam Mirages, em 1961: “Não existe dúvida: se é bonito, voa bem.”

Saudações.

Grievous
Visitante
Grievous

Carlos Alberto, tive que usar o tradutor (rs). O Rafale é mesmo caro, mas o F-14 também tinha fama de ser caríssimo e mesmo assim é amado por todos. O fato é que ficamos livres do Rafale. Teremos nossa pulga atômica. Então podemos deixar o Rafale voando feliz nos céus da França e, se tudo der certo pra ele, da Índia também. Vespão, No fundo acaba sendo mesmo uma questão a la torcida de futebol. Mas é até legal, desde que não descambe pra troca de ofensas. Um pouco de provocação é até divertido. Gera mais possibilidades de trocas de… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Grievous “Carlos Alberto, tive que usar o tradutor” Grafia do Latin(a regrinha, lembra?), não seja tão severo, isso é grave (rs) “O fato é que ficamos livres do Rafale.” Enfim, concordamos. Sempre fui SH mesmo, mas G NG tá bom, afinal de contas ‘Não é um avião para assustar, mas impõe respeito’ E quer saber minha opinião depois da decisão ? Não foi o melhor, mas foi o mais aconselhável. Depois que a Maria Antonieta tupiniquim e o MAG, este o verdadeiro “L’État c’est moi” detonaram o SH por causa da espionagem de butiquim, ir de Suécia é trancham !… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Estimado Dom Juarez Martinez

muy buenas tardes

¿Madre de Dios, la sangre española?

Tenga la seguridad de que esto pasará pronto.

No importa, nuestros intercambios de ideas vienen primero.

Mantenga la calma y sigamos adelante.

Un cordial saludo de su hermano

Carlos Alberto

Iväny Junior
Visitante
Member

Bem, agora eu serei obrigado a defender o rafale. Dentre os caças de geração 4+, o vetor frances é o 3º mais discreto, perdendo apenas de Gripen (0.1m²) e Typhoon (0.25/0.75m²), provavelmente não excedendo 2m² totalmente armado. É bom lembrar que o super lobby, por exemplo, sem armamento externo e tanques subalares já tem 1.2m². Portanto o rafale full armed é ainda muito mais discreto que o F-15, por exemplo, que conta com 25m² e mesmo com material absorvente de revestimento, não pode ficar com menos de 10m². O F-16 também segue estas afirmativas por suas linhas. Portanto, de longe,… Read more »

Grievous
Visitante
Grievous

Carlos Alberto Soares
24 de janeiro de 2014 at 14:38#

“Enfim, concordamos.”

Só pra constar: Eu também preferia o SH, em segundo lugar o Rafale e por último o Gripen. Achava o último com cara de fraquinho.
Sobre a questão do preço, aqui tudo fica caro mesmo…
Porém, uma grande maioria não queria o Rafale de jeito nenhum, então estamos livres.
Não importa mais a torcida. Acabou.
Agora eu sou Gripen desde pequenininho (rs).
Peguei gosto nesse “aviãozinho”

Saudações

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Ivany, Eu não concordo muito com isso não! Meu predileto (Super Hornet) rsrsrss provavelmente tem o menor RCS de todos os caças de 4,5 G. É dito ser de 0,1 m². Quem tinha RCS de 2 m² 2 era o F-18 Hornet. Quanto ao RCS numa configuração armada, duvido que seus 2 Amraams semi-embutidos produza um incremento de RCS maior do que o incremento de dois Micas ou Meteors nos Rafales e nos NG, que são levados em “cabides”. Também duvido que os dois AIM-9X nas pontas das asas seja pior que os dois MICA-IR nas pontas das asas do… Read more »

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Quanto aos MiGs travarem no SR-71, há de se saber o que quer dizer “travar”. Quantas vezes houve esse travamento? Qual era a taxa de travamento? Quantos por cento das vezes? Se travar 2 ou 3 vezes em 25 anos de operação ininterrupta pra mim é uma taxa extremamente baixa. Também “travar” seria sinônimo de “interceptar”? De abater? Olha que você pode ter um SR-71 (RCS de 5 m², Mach 3.3 e 26.000 metros de altitude) por alguns segundos e nem sequer ter tempo de disparar um míssil porque a aeronave já teria saído do envelope cinético do míssil antes… Read more »

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Críticas de equipamento americano que deixa qualquer desavisado achando que lá a bruxa anda solta que nem por estas bandas: O novo porta-aviões Gerald Ford é caro e nem catapulta que funciona tem. O DDG-1000 tem um canhão que não serve pra nada e custa o olho da cara. Os LCS não servem pra nada e são desdentados (isso eu concordo rrsrs) O LPD-17 tem problema crônico na grampola da parafuseta O F-35 não pode com chuva, sol, vento, etc. O F-22 não tem um gerador de O2 que funciona e seu material RAM desprega sob chuva, neve, vento, sol,… Read more »

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Será que alguém em sã consciência acredita mesmo que um caça stealth tem um revestimento que não pode com chuva e nem com neve? Mas que tem base lá no Alasca? E mesmo que o RCS do F-22 aumente na chuva e o material RAM na periferia do bocal do F-35 derreta quando em pós-combustão, você acha mesmo que é a tal ponto desses caças ficarem piores que os que já têm naturalmente imenso RCS sob qualquer aspecto? Quer dizer que o material RAM que derrete no F-35 vai interferir tanto assim mesmo estando lá na traseira do bicho? Quer… Read more »

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Correção:

Onde se lê “mão de tinta” lê-se “demão de tinta”.

Control
Visitante
Control

Srs

A configuração de carga plena como esta do Rafale ou de qualquer outro caça bombardeiro é mais de marketing do que de aplicação prática, pela perda de capacidade de manobra que impõe, tanto que os testes foram financiados pelo fabricante e não pelo governo francês.
Observem que quanto mais penduricalhos são acrescentados, mais cresce a carga alar e o arrasto, dois fatores que impactam fortemente na capacidade de manobra.
Ou seja, um avião assim carregado é um pato gordo cujos comandos precisam ser tratados com delicadeza.

Sds

Vader
Visitante
Member

Ah claro, essa configuração é utilíssima… Desde que se combine com o “Charlie” que ele só pode interceptar Rafale depois que ele despejar seus AASMs e se alijar dos tanques… Na boa, ainda que eu fosse uma Rafalechete, eu teria VERGONHA de falar que uma barbaridade dessas é “melhor” que qualquer coisa só porque a foto é bonita, como falou o Sr. Hornet, acima. Srs. Clésio, Hornet e outros, isso aí funciona com quem NÃO TEM força aérea, caso de Líbia e Afeganistão. Não é preciso ser nenhum gênio pra saber disso! Qualquer F-5 melhorzinho e bem armado bota essa… Read more »

Marcelo
Visitante
Member
Marcelo

Ué, não era o Rafale que tinha os motores fraquinhos? Bela configuração.
Abraços

evansanper
Visitante
evansanper

Sim, é necessário ter superioridade aérea para essa configuração ser eficaz, mas o fato é de que é útil, afinal, em alguma situação. Se Israel algum dia atacar o Irã com seus F-15 e F-16, qual será mesmo a configuração utilizada? Três tanques externos + tanques conformais + bombas + mísseis ar-ar – algo igual ou pior em termos de arrasto do que o visto aí em cima. Lembremos dos já citados F-15E e F/A-18 na Desert Storm. Eu, de minha parte, restrinjo-me a afirmar que a configuração é sim útil em algum cenário, razão para que não veja ela… Read more »

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Nunão,

Como as próprias campanhas na Libia e no Mali já provaram a capacidade de ataque a longa distância (com auxilio de Revo) dos Rafales, continuo com a opinião que essa “validação” de composição tanques extras+misseis+bombas inteligentes não passa de marketing.

Ou seja, RP para manter o caça da Dassault na midia visto que não assinou ainda na Índia e nos EAU também anda meio devagar. 🙂

[]’s

Oganza
Visitante
Oganza

Oh Bosco, “Quanto aos MiGs travarem no SR-71, há de se saber o que quer dizer “travar”. Quantas vezes houve esse travamento?” Pode-se dizer que o MIG 31 foi praticamente a gota d’água para que a Administração Reagan desse o ponta pé que faltava no Programa Guerra nas Estrela, que no fim deu xabú mas deu ao mundo o GPS com o programa NavStar e resolveram completar também o programa do B-1. Tudo isso porque os pilotos dos Blackbirds não conseguiam mais ir e voltar da Ex-URSS mais impunes, pois os Foxhound interceptavam suas rotas e conseguiam acompanha-los (com o… Read more »

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Vader
24 de janeiro de 2014 at 18:58

Pensei seriamente em como comentar o que escrevestes sem te ofender e admito que foi bem difícil, já que teus dois comentários neste post ultrapassaram o ridículo…

Mas eu acho que posso dizer que tenho decência Sr. Vader, e tenho mente sã também!

Demos uma olhada nesta imagem:

comment image

Que idiotas estes israelenses em, que caças imprestáveis!

“Apenas um Sith pensaria de um modo tão absoluto”!

Obs. Antes de me chamar de “rafalechete”, sou um defensor do Gripen NG na FAB, mas pra mim é apenas um caça, não uma religião… O Rafale não é o capeta! 😛

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Bosco, Super Hornet com RCS de 0,1m²? História estranha em!

Oganza
Visitante
Oganza

Nunão, “Talvez o excesso de marketing esteja aí, visando impressionar clientes externos com as imagens. ” E já acho que só se vai com uma configuração MEGASUPERPOWER dessa ai com superioridade aérea ou com escoltas…. …. e nesse caso, quem está sobrando é o par de Meteor ou melhor, está sendo subutilizado. – se a “coalizão” tiver superioridade aérea garantida, o que eventualmente aparecer e eu usar o Meteor, provavelmente será um desperdício. Em operações como a Southern Watch em 1996, os F-16 já não decolavam para PAC em suas Kill Box levando os AIM-120 e levavam apenas um par… Read more »

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Lyw,
O Carlo Kopp é um dos maiores admiradores da tecnologia russa e é um crítica feroz da tecnologia ocidental.
Veja o que ele diz sobre o Super Hornet, principalmwnte na parte dedicada à redução do RCS:
(http://www.ausairpower.net/SuperBug.htmlP)
Quanto às comparações entre o RCS das mais diversas aeronaves há muitas tabelas para corroborar minha afirmação, mas como todas são muito parecidas…
(http://defence.pk/threads/rcs-of-different-fighters.20908/)
(https://www.facebook.com/5thGenerationFighterAircrafts/posts/573867899291446)
Mesmo em tabelas mais pessimistas, o RCS do SH nunca é menor do que o do Rafale.
Um abraço.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Caro Grievous

Concordamos novamente, apenas uma ressalva:

Para mim a jaca não teria entrado nem na lista curta.

Explico:

Sempre afirmei que é uma bela máquina, mas todos os custos envolvidos, da aquisição a flanelinha do PB, mais o que os franceses fizeram no pós venda mundo afora e principalmente com o Brasil, tô fora.