Home Aviação de Caça Caças Mirage F1 franceses fazem última campanha de tiro ar-solo

Caças Mirage F1 franceses fazem última campanha de tiro ar-solo

423
14

Mirage F1 - última campanha ar-solo - foto Força Aérea Francesa

Realização do último exercício do tipo sinaliza a proximidade de desativação da aeronave, que poderá significar tanto a dissolução do esquadrão quanto o seu reequipamento com o Rafale

Mais uma página está sendo virada na Força Aérea Francesa (Armée de l’air). Em novembro, os jatos Mirage F1 franceses que hoje operam apenas no Esquadrão de Reconhecimento (ER) 2.33 “Savoie”, mas que entre meados da década de 1970 e boa parte da década seguinte foram os principais caças em operação na França, realizaram a sua última campanha de tiro ar-solo.

Quando a última campanha de tiro (geralmente anual) é anunciada, costuma significar que dentro de um ano a unidade deixará de existir ou será reequipada com um novo caça. Foi assim com diversas dissoluções e reequipamentos nos esquadrões franceses ao longo dos últimos anos, como se pode ver nos links ao final desta matéria e, por isso, uma ou outra opção deve estar no planejamento do esquadrão “Savoie” ao longo de 2014. Vale dizer que, apesar da necessidade francesa de reduzir as entregas do Rafale nos próximos seis anos, o excedente de exemplares já recebidos e os programados para 2014 devem ser mais do que suficientes para a formação de um quarto esquadrão de linha de frente do novo caça, na Força Aérea Francesa.

Mirage F1 - última campanha ar-solo - foto 5 Força Aérea Francesa

Como exemplos de desativações e reequipamentos dos últimos anos, alguns esquadrões equipados com o Mirage 2000C foram recentemente dissolvidos e suas aeronaves remanejadas para outras unidades, ao passo que um novo esquadrão de Rafale era criado (o Gascogne). Ao mesmo tempo, o esquadrão Normandie-Niémen, que anteriormente operava o Mirage F1, foi reequipado com o Rafale, enquanto outro operador do Mirage F1, o esquadrão Belfort, foi dissolvido.

Mirage F1 - última campanha ar-solo - instalação de GBU 16 de 500kg- fotoForça Aérea Francesa

Mirage F1CR com bomba na estação ventral - foto Força Aérea Francesa

Alguns detalhes da última campanha de tiro dos Mirage F1 franceses

A campanha de tiro ar-solo foi realizada entre 15 e 28 de novembro na Base Aérea 120 de Cazaux, para onde foram desdobrados oito jatos Mirage F1CR (monopostos) e dois Mirage F1B (bipostos), normalmente estacionados na Base Aérea 118 de Mont-de-Marsan.

Os pilotos da unidade puderam empregar armamentos com F4 (bomba de queda livre de exercício), LGTR (bomba guiada de exercício), canhões de 30mm, além de bombas MK82, GBU 12, GBU 16 e GBU 22, com prioridade de instruir e qualificar novos pilotos.

A Força Aérea Francesa  publicou um dossiê completo sobre essa última campanha de tiro dos caças Mirage F1, incluindo uma tabela muito interessante sobre os armamentos ar-solo reais e de exercício empregados (como os listados no parágrafo anterior) tanto por esse modelo quanto por outros caças franceses, incluindo o Mirage 2000 e o Rafale. Clique aqui para acessar o dossiê, em francês.

Mirage F1 - última campanha ar-solo - foto 4 Força Aérea Francesa

Mirage F1 - última campanha ar-solo - foto 3 Força Aérea Francesa

Mirage F1 - última campanha ar-solo - foto 2 Força Aérea Francesa

FONTE / FOTOS: Força Aérea Francesa (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de informações de originais em francês)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Baschera
Baschera
6 anos atrás

O mais belo dos Mirage…. e talvez um dos mais belos de sua geração.

Quantos poderiam estar operacionais ??

Sds.

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Bom e bonito.

Mas de 700 unidades fabricadas. Escala!

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

@Bachera

Eu ainda achomais bonito o Mirage 50 venezuelano:

comment image

…mas realmente o F.1 fotografa muito bem em diversos ângulos.

Acho que o caça que tem menos ângulos feios é o F-16, mas no geral ninguém chega perto do gatão…

Colombelli
Colombelli
6 anos atrás

Magníficos.

Há um video no youtube de um deles no Chade, a uns 500 nós, andando a poucos metros acima de uma estrada empoeirada. So procurar crazy french pilots.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Concordo, bela foto – nota 10, se estivesse “armado” seria
nota 12.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

“Colombelli
17 de dezembro de 2013 at 18:31 # ”

Peço licença, tomei a liberdade:

http://www.youtube.com/watch?v=XUBWdhwJTT0

Iväny Junior
Iväny Junior
6 anos atrás

Pode ser um tampão? Provavelmente. E muito provavelmente também a própria frança deve ter uns 100 estocados, assim como tem o 2000c. É o melhor tampão? Não, nem de longe. Os mísseis 530 saíram de linha, os magic 2 são meio ceguetas e os micas (que imagino que esses que estão saindo de cena, estejam capazes de operá-lo), caros demais. Além de que a manutenção dele também é caríssima, e, não é tão compatível com a aviônica israelita quanto o delta. Quanto à beleza, concordo. Muito mais bonitos que aeronaves muito mais atuais. Mas se for por beleza, coloca os… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

Nunão, até você comentar isso eu sempre achei que o Mirage 50 (atualizações dos IIIE e V) venezuelano tivesse o Cyrano IV. A página da Dassault diz que esse radar e o Agave (que foi usado também no Jaguar indiano) do Super Etendart eram opcionais no Mirage 50, mas não afirma categoricamente que os exemplares venezuelanos os receberam. A página do Greg Goebel (Air Vectors) que me parece um entusiasta que se preocupa muito com as suas fontes de consulta, também não afirma diretamente que eles receberam esse radar. E eu não estou em posse de nenhum livro que conte… Read more »

Iväny Junior
Iväny Junior
6 anos atrás

Pois é Martini

Pensei que este ultimo f1 poderia ter recebido radar compatível com o mica. Portanto, fica ainda pior a situação para escolha de tampão. Imaginei que houvessem muitos estocados porque a frança sempre foi a operadora majoritária deles, mas como a desativação vem sendo progressiva, provavelmente eles devem ter sido mesmo canibalizados.