terça-feira, abril 20, 2021

Gripen para o Brasil

Pilotos da FAB que estão voando Gripen na Suécia falam sobre o caça

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Gripen D foto Saab

Chegaram os futuros instrutores de Gripen para a FAB

ClippingNEWS-PAExiste alguma menina ou menino que nunca tenha sonhado em ser piloto? O sonho de voar não é único e é partilhado por crianças e jovens em todo o mundo. Foi certamente o caso do Gustavo e do Ramon. Não só realizaram os seus sonhos, como deram um passo ainda maior para serem os primeiros instrutores do Gripen do Brasil.

Em dezembro do ano passado, quando se tornou pública a decisão do Brasil em escolher o Gripen, a Força Aérea Brasileira começou a avaliar os seus pilotos de caças para identificar quais deles seriam os melhores instrutores. O processo de seleção culminou nos capitães Ramon Lincoln Santos Fórneas e Gustavo de Oliveira Pascotto, que trocaram o Rio de Janeiro e Anápolis, respectivamente, pela F7 em Såtenäs, na costa do Lago Vänern. Durante a sua formação de seis meses aqui, eles irão aprender tudo o que é necessário saber sobre o Gripen. No final de abril regressarão, então, ao Brasil, onde irão transmitir todo o conhecimento aos seus colegas, como novos instrutores qualificados do Gripen.

Apesar de a avaliação ter iniciado em dezembro, foi apenas em setembro que o Gustavo e o Ramon souberam que tinham sido selecionados como futuros instrutores.

“É um enorme privilégio que essa missão tenha recaído em nós, e o sentimento de responsabilidade é enorme”, refere Ramon.

Gripen NG - foto 2 Saab

Os pilotos conhecem-se desde 2001, quando iniciaram juntos a instrução de voo e no início das suas carreiras foram colocados no mesmo esquadrão. Nos últimos cinco anos, o Gustavo, que tem um total de 1.550 horas de voo, fez parte do 1º GDA – 1º Grupo de Defesa Aérea, Anápolis, onde pilotava o Mirage 2000. O Ramon, que tem 1.880 horas de voo, tem base no 1º Grupo Aviação de Caça, Rio de Janeiro, pilotando o Northrop F-5M. Agora, novamente juntos, irão simultaneamente submeter-se ao programa de formação para instrutor da Força Aérea Sueca.

“Estamos preparados para um trabalho árduo, pois, além de termos de aprender, temos que entender completamente, para assim podermos ensinar aos outros. O curso parece bastante completo e tudo foi bem planejado, por isso, tenho a certeza que tudo correrá bem”, refere Gustavo.

No dia 19 de Novembro realizou-se o primeiro voo acompanhado por instrutores no banco traseiro do Gripen D. O exercício de 50 minutos foi uma aventura, mesmo para dois pilotos experientes. “Voamos em formação e realizamos várias manobras avançadas, o que foi uma experiência incrível”, refere Ramon.

Os brasileiros ficaram impressionados com o Gripen, que é conhecido como um avião de caça fácil de pilotar graças ao seu sistema de controle elétrico e interface do piloto simples. “Foi fascinante experienciar as características do Gripen, e é fácil de ver as vantagens que o piloto tem em situações extremas, quando a informação necessária para realizar a tarefa é claramente apresentada. É como se o avião estivesse falando com você, dando a informação correta no momento certo”, refere Ramon, apoiado por Gustavo.

Gripen NG - foto Saab

Não é apenas a distância entre a Suécia e o Brasil que é enorme. O tempo é também bastante diferente, especialmente nesta época do ano. Apesar disso, o Gustavo e o Ramon estão bastante ansiosos pelos próximos meses. Estão cheios de expectativas e orgulhosos por fazerem parte de algo único, e marcarem a história da aviação como os primeiros instrutores Gripen do Brasil. “Nunca imaginamos isto quando nos conhecemos na escola de aviação”, refere Gustavo.

Esta é a primeira vez que o Gustavo está na Suécia. Pelo contrário, o Ramon já visitou a Suécia numa ocasião em que participou numa conferência para pilotos de caças. Mas ambos conhecem o Gripen há bastante tempo. “O Gripen é bastante conhecido no Brasil, não apenas entre nós pilotos, mas também para a população em geral”, refere Ramon.

Está garantido um inverno e uma primavera em Såtenäs, onde será assimilada a teoria e a prática antes de chegar o tempo de regressar ao Brasil para dar formação aos futuros pilotos Gripen. “Será um período intenso, mas estamos sendo bem tratados e estaremos preparados quando sairmos da Suécia. Será quando regressarmos ao Brasil que o trabalho realmente começará”, refere Gustavo.

FONTE / FOTOS (em caráter meramente ilustrativo) / VÍDEO (em inglês): Saab

NOTA DO EDITOR: o título original é o subtítulo.

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

5 Comments

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joner

Realmente é um fato histórico e estes pilotos são muito aguardados de volta. Agora, notícia melhor que essa seria se eles retornassem voando dois dos primeiros gripens que ficarão por aqui.

JT

Off-Topic: “A Russian military intelligence plane nearly collided with a commercial passenger jet south of Sweden.” http://cnn.it/1GmXxE4

André Sávio Craveiro Bueno

Mesmo Off Topic no UOL:

Avião militar russo quase colide com avião comercial próximo ao Sul da Suécia

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2014/12/14/aviao-militar-russo-quase-colide-com-aviao-comercial-proximo-ao-sul-da-suecia.htm

Nick

“Tá” demorando anunciar esse leasing dos Gripen C/D.

Não vai adiantar muito mandar os pilotos que serão multiplicadores sem os caças por aqui.

[]’s

Vader

Reportagem bem bobinha essa. Nada de novo.

Reportagens especiais

Show de Warbirds no Cavanaugh Flight Museum

O Cavanaugh Flight Museum, que fica em Dallas no Texas, volta e meia realiza eventos especiais com Warbirds, para fotografias...
- Advertisement -
- Advertisement -