Home Aviação de Caça Tenente-coronel da FAB que testou o Gripen fala sobre o caça

Tenente-coronel da FAB que testou o Gripen fala sobre o caça

562
19

VÍDEO: Canal do Palácio do Planalto no youtube

COLABOROU: Sandro

VEJA TAMBÉM:

19 COMMENTS

  1. “During the war I had the oppertunity to fly captured P-47’s and P-51’s. I didn’t like the Thunderbolt. It was too big. The cockpit was immense and unfamiliar. After so may hours in the snug confines of the 109, everything felt out of reach and too far away from the pilot. Although the P-51 was a fine airplane to fly, because of its reactions and capabilities, it too was disconcerting. With all those levers, controls and switches in the cockpit. I’m surprised your pilots could find the time to fight. We had nothing like this in the 109. Everything was simple and very close to the pilot. You fitted into the cockpit like a hand in a glove. Our instrumentation was complete, but simple: throttle, mixture control and prop pitch. How your pilots were able to work on all their gadgets and still function amazes me.” Oberleutnant Walter Wolfrum

    Simplicidade e letalidade…

  2. Clésio,

    Até onde sei, isso não deve ter sido nenhuma celeuma para os tchecos e húngaros, que voavam MiG-21, e desconfio que eles não devem ter ficado tristes com a troca de caça, só por ter que trocar de lado…

    http://www.airteamimages.com/pics/100/100760_800.jpg

    http://www.saabgroup.com/Global/Documents%20and%20Images/Air/Gripen/Gripen%20for%20Czech%20Republic/tigermeet_2.jpg

    http://farm4.static.flickr.com/3312/3225228402_da4b054a20.jpg

    http://www.dutchaviationsupport.eu/2010/1-%20PenV/Gripen/Hungarian%20Gripen%20prepared%20for%20departure.JPG

  3. Muito me admira ser um vídeo feito pelo Blog do Planalto.

    O interessante é que de todas as decisões tomadas pelo governo (no amplo espectro da administração pública federal), parece que esta foi uma das mais acertadas.

    Aquilo que o Planalto esperava, ou seja, críticas da oposição e/ou sociedad pela decisão, não aconteceram. Ao contrário, estão até colhendo bons frutos.

  4. Prezado Clésio, não entendi

    É porque o canopi abre para a esquerda? Esta é só uma das peculiaridades de caças feitos na Suécia.

    Imagina na parte de gerenciamento de painel como deve ser algo diferente.

  5. De fato, Vader. Aproveitaram diversas cenas da Saab (e creditaram isso no vídeo) para mesclar com a entrevista.

    Algumas das imagens são deste vídeo aqui:

    http://www.aereo.jor.br/2013/01/10/gripen-ng-uma-nova-geracao-esta-pronta-voce-esta-video-completo/

    Só que acabou “passando” uma cena que pode ser “politicamente incorreta”. O voo em formação com um Flanker a 1 minuto e 40 segundos (lembrando que a Venezuela tem caças da família…) pode parecer uma cooperação com os amigos latino-americanos, mas no vídeo original era uma situação que levou a um combate, rsrsrsrs. Aliás, em 1 minuto e 20 segundos do vídeo, tem um Flanker sendo captado nos sensores como inimigo…

    • Só que acabou “passando” uma cena que pode ser “politicamente incorreta”. O voo em formação com um Flanker a 1 minuto e 40 segundos (lembrando que a Venezuela tem caças da família…)

      Também reparei nisso. Mas a minha opinião é de que a pessoa que editou não é do ramo dos “aviõeszinhos” e não pensou nessa possibilidade política.

      Por outro lado alguém pode interpretar simplesmente como um voo entre dois aviões diferentes de forças armadas amigas lado a lado.

  6. O que sempre me encantou na interface homem-máquina desenvolvida no Gripen é a sua filosofia “menos-é-mais” ou, como disse o pilto sueco com que conversei na LAAD 2013: “no need-no show”. É bem como no depoimento do alemão Oberleutnant Walter Wolfrum: acostumado com o Me109, onde tudo era simples e estava à mão, podendo se concentrar em voar e combater, sentiu-se perdido no espaçoso cockpit do P-47 e no meio dos mostradores, manetes e interruptores do P-51… O outro ponto forte é consciência situacional. Todos os pilotos que voam o Gripen, destacam esse ponto. Coisas que parecem simples, como o sistema de comunicação onde se o piloto recebe uma chamada de um ala, a voz do piloto “parece” vir de sua posição relativa, se o sistema de comando e controle em terra faz uma chamada a voz parece vir de baixo, alertas RWR cujos bipes dão a impressão de virem da posição relativa da ameaça, contribuem enormemente para a formação desta consciência situacional no caça sueco.

  7. Breaking News !!!!!

    ‘VOZ DA RÚSSIA’ AFIRMA:

    “Caça Sueco Gripen foi eleito pelo governo brasileiro por que o canopi abre para… esquerda !”

  8. Realmente, quem voou diz que avião é um muito bom de manobra, suave e redondo, agoara vamos ver se conseguimos tocar o projeto sem interrupções, sem metidos, sem lobbys burros e principalmente com responsabilidade e objetividade.

    Grande abraço

  9. Nunão, Poggio

    Foi uma brincadeira com uma peculiaridade da aeronave. Por estas bandas geralmente se entra pelo lado esquerdo, mesmo em aeronaves com canopi de abertura lateral, como o Tucano.

  10. Pô Clesio, eu ia falar exatamente isso…cavalos puro sangue, ou melhor, dragões hibridos de leão também são montados pela esquerda!
    Ride a dragon like a Gripen!

    • Clesio,
      Sei que foi brincadeira, mas como achei o tema interessante pra discutir, coloquei as fotos pra quem eventualmente não tivesse entendido conseguir entender. E a ultima foto é pra quem não entendeu nada poder olhar outros detalhes mais interessantes…

      Mas acho que o Ozawa matou a charada, embora eu ache que o governo preferiria estilo MiG: abertura (e nada de lenta, gradual e segura…) da direita pra ocupação pela esquerda!

  11. Nunão, estava dando uma conferida agora e dos ancestrais do Gripen, apenas o Lansen tinha abertura de canopi lateral, o resto era para trás.

    Deve ser coisa de vikings, acho que eles subiam nos barcos pela direita…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here