segunda-feira, maio 17, 2021

Gripen para o Brasil

Grupo Airbus acelera planos para vender suas ações da Dassault

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Eurofighter Typhoon e Rafale em formação - foto Força Aérea Alemã

Concorrência do Rafale com o Eurofighter Typhoon em disputas internacionais, além da disposição em reduzir influências governamentais após reestruturação, estariam entre os motivos

Reportagem do site Defense News publicada na quarta-feira, 30 de julho, noticiou que o Grupo Airbus revelou sua determinação em vender os 46,3% de ações que possui do fabricante rival Dassault Aviation, conforme o grupo reestruturado se livra dos últimos vestígios de controle estatal.

A Airbus mantinha sua parte na Dassault, que fabrica tanto jatos executivos quanto aviões de combate, desde antes de sua entrada na EADS, como um legado da nacionalização da indústria aeroespacial francesa no início dos anos 1980. Porém, com seu interesse no consórcio Eurofighter, a Airbus tem se encontrado frequentemente numa posição em que o caça Typhoon, do consórcio, concorre com o rival Rafale, da Dassault, em concorrências de aviões de combate.

Rafale na mostra LIMA 2013 com Typhoon ao fundo - foto Força Aérea Francesa

Essa revelação foi feita na publicação dos resultados financeiros do grupo referentes ao primeiro semestre deste ano, em que a empresa informa: “Como parte da revisão do portfólio, o Grupo Airbus continua a buscar opções de venda de seus investimentos na Dassault Aviation.” Nesta quarta-feira, o diretor executivo Tom Enders da Airbus, falando numa coletiva de imprensa e investidores sobre os resultados financeiros, não quis revelar o cronograma para essa venda. Porém, ele afirmou que o Grupo Airbus está “trabalhando ativamente”  para vender sua parte na Dassault.

Não foi dado nenhum motivo específico para o renovado interesse na venda, mas fontes ligadas à indústria disseram que, desde que o grupo reestruturou sua composição de ações no início de 2013, reduzindo a influência dos governos francês e alemão, foram removidos os impedimentos para o negócio.

Até o momento em que o site publicou a notícia, ninguém da Dassault estava disponível para comentar o fato. O Grupo Airbus registrou ganhos de 67 milhões de euros (90 milhões de dólares) em sua parte na Dassault no primeiro semestre deste ano.

caças Typhoon e Rafale em treinamento sobre a França - foto Armeé de lair

FONTE: Defense News (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

20 Comments

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
nadimchaachaa

A Embraer poderia pedir um empréstimo para o BNDES e comprar isso…rsrsrs…Aí sim, seria uma salada…
Antes que alguém diga algo, e já me defendendo, não sou Rafalista…rsrsrs…

Pangloss

Vamos ver quais ações são vendidas mais rapidamente: 10 % da HAL ou 46,3% da Dassault.

Acho que não há fundo abutre que se interesse…

Iväny Junior

Essa foi uma jogada de mestre da Airbus…

thomas_dw

vai ocorrer uma valorização recorde das acoes da Dassault – uma das maiores e melhores empresas do setor aeroespacial.

thomas_dw

A Embraer poderia pedir um empréstimo para o BNDES e comprar isso…rsrsrs…Aí sim, seria uma salada…

difícil de ocorrer – a EMBRAER nao tem o capital para absorver uma compra destas.

Grievous

Iväny e thomas_dw, Poderiam detalhar a opinião de vocês? Só pra entender. Um diz que foi uma jogada de mestre, outro diz que haverá uma valorização recorde. Num outro post sobre o mesmo tema era até motivo de escárnio, pois a Dassault estaria perdendo tudo. Uma enxurrada de ações sendo colocadas a venda, pelo motivo declarado ou aparente (querer pular fora do negócio), normalmente faria o preço cair e não subir. Soma-se a isso o fato do Rafale ainda não ter conseguido êxito nas exportações, a crise no setor, com governos diminuindo as forças armadas, a crise econômica de modo… Read more »

Pangloss

Prezado thomas_dw, não ignore que o banco dos BRICS está aí para isso mesmo: dar corda a enforcado.

Ninguém nunca perdeu dinheiro por subestimar a capacidade brasileira de fazer bobagens com o dinheiro alheio.

Gilberto Rezende

O interesse da Airbus em vender as ações da Dassault é claro uma vez que se trata de um fabricante de um produto concorrente. O MAIS interessante foi o texto se referir a uma reestruturação: “Desde que o grupo reestruturou sua composição de ações no início de 2013, reduzindo a influência dos governos francês e alemão, foram removidos os impedimentos para o negócio.” Pois é a EADS é uma transnacional capitalista européia sem pátria onde os governos da Alemanha e França tem sua influência reduzida ao ponto de não poder mais determinar as ações da Empresa…. Que beleza o capitalismo… Read more »

Carlos Alberto Soares
Almeida

Ê Gilberto… 🙂

“Que beleza o capitalismo sem pátria e sem freios…”

E desde quando o Socialismo tem pátria? Não era a Internacional e agora Bolivariano sudamericano? Ah é, tem também o “Capitalismo de Estado”! Rsrsrs

Incrível como esse pessoal navega entre o estatismo ufanista e a anarquia apatriada…

Almeida

Voltando ao assunto, tá certa da EADS de querer se livrar de 1. uma empresa problemática e 2. da influência de burocratas e politiqueiros de sua administração.

E sim, as ações da Dassault devem cair ainda mais com esta enxurrada de ações nas bolsas. A não ser que o governo francês, tipicamente estatizador, resolva pegar de volta isso aí. Ou quem sabe a Índia. De qualquer maneira, investidor nenhum vai pagar essa conta, mas sim os contribuintes de alguns países com governos irresponsáveis.

Afinal, já tem até brasileiro querendo doar seus impostos através do BNDES pra Embraer comprar estas ações…

Guilherme Poggio

Eu compraria as ações. E assim que o contrato com a Índia fosse assinado eu venderia.

É só uma questão de mercado acionário.

Carlos Alberto Soares

Poggio

E se não for assinado ?

Não vais cortar os pulsos com barbeador elétrico né ?

Guilherme Poggio

Poggio

E se não for assinado ?

Bom, mercado de ações é assim mesmo. Você aposta que uma empresa pode crescer, mas isso pode não acontecer. Veja o que aconteceu com as ações da Saab depois do anúncio do F-X2.

Iväny Junior

Grievous Foi uma jogada de mestre quando da aquisição das ações por parte da antiga EADS, que pegaram uma dassault já ruim das pernas, com muita dificuldade de se manter no mercado. No momento da fomentação da não venda do rafale à índia, e com o Typhoon sendo o top contender apresentando muitos operadores satisfeitos e a MBDA também fazendo parte do grupo, a EADS hoje Airbus aproveitou tudo o que de melhor poderia ter a dassault em projetos (46% dá direitos à acesso praticamente irrestrito) e está passando a bomba financeira prestes à estourar para frente. Sendo assim, mata… Read more »

Nick

Não vejo muitos atrativos nas ações da Dassault. Exceto talvez para os chineses. 🙂

[]’s

Pangloss

Então, fica combinado assim: 1 – A Airbus vende sua participação na Dassault, para algum maluco aventureiro que, certamente, as comprará por um valor inferior ao atual. As ações da Airbus sobem, porque o mercado percebe que a empresa está se reestruturando, ficando mais enxuta e, em tese, mais eficiente; 2 – As ações da Dassault caem ainda mais, e a companhia quebra, em razão do péssimo momento econômico que atravessa a França (e boa parte do mundo), o que inviabilizou a intervenção estatal; 3 – Quebrada a Dassault, a Airbus recebe, no colo, o MMRCA indiano, cobrindo os prejuízos… Read more »

Iväny Junior

Pois é Pangloss

Assim que a Airbus comprou as ações da dassault, a Raposa entrou no galinheiro.

Carlos Alberto Soares

Reportagens especiais

Fort Worth Alliance Air Show 2015 – B-52

Sim, ele é grande, é feio, é gordo e faz estrago, não é à toa que o apelido do B-52...
- Advertisement -
- Advertisement -