Na Suécia, Parlamento autoriza Governo a adquirir caças Gripen E novos de fábrica

    470
    13

    Gripen NG - vista ventral com cargas externas - foto Saab

    Autorização parlamentar anterior só cobria a conversão de versões existentes para o modelo de nova geração encomendado pela Suécia. Porém, desde o ano passado, informações da indústria já indicavam que células seriam novas, com aproveitamento de poucos itens de caças da frota atual

     

    Em sessão realizada na quarta-feira, 11 de junho, o Parlamento Sueco aprovou proposta do Governo de que a encomenda sueca de caças Gripen E poderá incluir a produção de novos componentes e aeronaves.

    A aprovação da proposta deu-se por aclamação, e foi publicada no site do Parlamento Sueco. Com a decisão, o Governo e as Forças Armadas da Suécia têm a autorização de encomendar à Saab (fabricante da aeronave) caças Gripen E novos de fábrica.

    Aprovação anterior dada pelo Parlamento cobria apenas a reconstrução de aeronaves das versões Gripen C e D em caças Gripen E. Porém, a proposta do Governo Sueco, que estava na lista de temas para as sessões parlamentares de 2014, trouxe justificativas para retirar essa limitação, que vinha da época do acordo-quadro com a Suíça (clique aqui para acessar matéria da época, informando que apenas 8 exemplares suecos do Gripen E seriam novos, e os demais, convertidos de caças existentes).

    Conforme o histórico mostrado na justificativa do Ministério da Defesa da Suécia, entendia-se na época do acordo-quadro que a conversão era a opção mais custo-efetiva para os exemplares suecos. Após o interesse adicional vindo do Brasil (seleção do Gripen, no final do ano passado, no programa brasileiro F-X2), o Governo justificou na proposta ao Parlamento que se poderia realizar a transição de caças anteriores para os novos de uma maneira mais eficiente em custos. Ao mesmo tempo, isso beneficiaria a capacidade operacional das Forças Armadas, tanto com nova construção de certos subsistemas quanto do avião por inteiro.

    Gripen E em detalhes - legendas em inglês - ilustração Saab

    Assim, pela proposta enviada ao Parlamento essa transição será baseada, em parte, na reutilização de subsistemas dos exemplares de Gripen das versões A/B, além da produção de novos subsistemas e novas células. Isso deverá permitir que a frota existente de Gripen C/D seja descomissionada o mais tarde possível ao invés de ser reconstruída como aeronaves de nova geração, permitindo um aumento na disponibilidade de caças das Forças Armadas Suecas e a liberação, para leasing a outros países, de aviões adicionais. O governo solicitou então, ao Parlamento,  a inclusão da produção de componentes novos e de aeronaves na autorização já concedida, alegando também que essa mudança não envolvia custos adicionais ao Estado, e essa proposta foi aprovada na sessão de quarta-feira, 11 de junho. Para acessar os textos originais disponibilizados pelo Parlamento Sueco, clique nos links dos parágrafos acima.

    A nova aprovação parlamentar repercutiu em meios suecos, entre eles o Omni e o NyTeknik. Em abril (ou seja, antes do referendo suíço que barrou a decisão do Conselho Federal da Suíça de adquirir o Gripen) o  SVT Nyheter já havia informado sobre a proposta do Ministério da Defesa da Suécia de adquirir jatos Gripen E novos de fábrica, mudando de vez o foco anterior de conversão dos caças atuais em modelos de nova geração, de forma a preservar a frota existente de Gripen C/D tanto para manter o quantitativo da Força Aérea Sueca quanto para atender ao maior interesse mundial por leasing das aeronaves (incluindo, à época, a própria Suíça). Clique nos links acima para acessar as notícias originais.

    Gripen D e Gripen NG Demo - decolagem mostrando diferenças trens de pouso - foto Saab

    Vale lembrar que, desde o ano passado, pessoal da Saab ligado à produção e a imprensa especializada já informavam que o aproveitamento de itens de caças Gripen da frota atual seria restrita a poucos itens. Isso se deve  às grandes mudanças estruturais que a versão Gripen E traz na célula, devido à realocação do trem de pouso para carenagens sob as  asas, permitindo instalação de maior capacidade de combustível na fuselagem central, que precisou ser reprojetada assim como a traseira, devido ao novo motor. Entre os itens reaproveitáveis estariam o sistema ambiental/ fornecimento de oxigênio, assentos ejetáveis e partes do sistema hidráulico. O que faltava era uma aprovação política do Parlamento Sueco que viabilizasse a lógica industrial da produção de 60 caças Gripen E para a Suécia, já contratada, e que se espera ampliar para 70 exemplares com o aumento dos recursos para a Defesa, já aprovado no parlamento. Para saber mais a respeito, clique nos links da lista abaixo.

    Com informações do Parlamento Sueco (Sveriges Riksdag), Omni, NyTeknik e SVT Nyheter – tradução e edição do Poder Aéreo a partir de originais em sueco.

    IMAGENS: Saab

    VEJA TAMBÉM: