Home Aviação de Caça Suécia precisa de mais Gripen para combater ameaça russa

Suécia precisa de mais Gripen para combater ameaça russa

250
17

Gripen  NG Test aircraft

A ministra da Defesa da Suécia, Karin Enstrom, disse que as Força Aérea de seu país deve obter um total de 70 novos aviões de combate JAS Gripen E, dez aeronaves mais do que o parlamento já havia acordado.

O comentário da ministra Enstrom veio na esteira da crise ucraniana e também do amplamente divulgado incidente do ano passado quando aviões russos realizaram missões sobre o Mar Báltico bem perto da Suécia.

Esses voos e a insegurança em curso na Ucrânia tem alarmado as autoridades suecas.

“As ações russas na e ao redor da Ucrânia levaram a incertezas na Europa. Os acontecimentos passados fazem com que realmente seja necessário um reforço na defesa da Suécia”, disse o Enstrom ao periódico sueco Dagens Nyheter.

O Parlamento já havia concordado em compra dos 60 aviões JAS Gripen da nova geração, que são projetados e fabricados pela Saab AB, mas Enstrom acredita que mais 10 devem ser comprados.

Qualquer compra será precedida da contratação adequada e de protocolos de preços para garantir a equidade e a transparência, disse ela.

FONTE: Radio Sweden (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

 

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
6 anos atrás

Ponto para a FAB…
Quanto maior a escala melhor para os compradores do avião

Edgar
Admin
Reply to  Alfredo Araujo
6 anos atrás

Eu ainda acho que existe uma aliança entre as Forças Armadas ocidentais e as Russas, para criar um ambiente propício a retornar os investimentos nas mesmas.

glaison
glaison
6 anos atrás

#Edgar

Eu ia dizer exatamente isso.

Crise econômica, redução dos gastos de defesa… Ameaça as vendas de armas…

Antigos adversários começam a se provocarem.
Opaaa, ficou perigoso de novo.

Aumento dos gastos com defesa… Aumenta venda de armas.

Problema resolvido.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
6 anos atrás

Pois é, Edgar e Glaison, mas, parafraseando e ampliando a frase clássica do Garrincha:

Será que combinaram de combinar com os russos?

Edgar
Admin
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 anos atrás

Pelo visto sim, Nunão:

OTAN - Russia

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Edgar
6 anos atrás

rsrsrsrsrs

Corsario137
Corsario137
6 anos atrás

Gente, O mundo é assim desde sempre. A gente é que tem a falsa sensação de que estamos sempre entrando em um novo e maravilhoso “período de prosperidade”. Não faz nem 80 anos e na Alemanha tinha um doido matando criança em campo de concentração e levando o mundo para uma guerra. Ainda na década de 60, milhões pereceram nos Gulags de Stalin. Em 98 estava havendo limpeza étnica nos Bálcãs! O ser humano continua muito perigoso pra si é para os outros. Os suecos, que já viram coisa do arco da velha, não caem nesse papinho de “nova ordem… Read more »

Corsario137
Corsario137
6 anos atrás

Outro dia li aqui alguém dizendo que os EUA são a única superpotência do planeta. O primeiro passo para a derrota é a arrogância. Olhem para a história! Ela, sábia, sempre nos ensina muito!

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Provavelmente esse alguém disse que os EUA são a única potência dominante do planeta HOJE. Duvido muito que tenha dito que será PRA SEMPRE, mesmo porque, parafraseando o Renato Russo, “o pra sempre sempre acaba”.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
6 anos atrás

Bom, o Império Britânico era aquele onde o Sol nunca se punha, pois estava presente nos cinco continentes e os três oceanos.

Hoje é apenas uma ilha chuvosa…

A hegemonia norte-americana, como todas as outras, um dia terminará.

Minha única pergunta é: qual a nação que irá substituí-la?

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Nenhuma outra !

Nenhuma civilização terráquea teve o poder de destruir toda a vida animal e vegetal antes.

De uma coisa eu estou certo: Norte-americanos nunca permitirão que outra nação os substitua hegemonicamente na face da terra.

Sds.

Nick
Nick
6 anos atrás

Caro Baschera,

Impérios vem e vão. Pode não ser hoje ou amanhã. Mas um dia os EUA deixarão seu posto de nação mais poderosa do planeta para algum outro país. É inevitável.

[]’s

Aldo Ghisolfi
Aldo Ghisolfi
6 anos atrás

Baschera, bom dia.

“De uma coisa eu estou certo: Norte-americanos nunca permitirão que outra nação os substitua hegemonicamente na face da terra”.

Eu complementaria a tua afirmação, dizendo que quando isso acontecer, e haverá de!, o fato vai independer da permissão dos EEUU.

Olho na China!

Rogério
Rogério
6 anos atrás

Baschera
4 de abril de 2014 at 21:21

Mais 2 “governinhus” de Obama ou similar e já era.

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Rogério,

Dois “governinhus” do Obama? Os dois governos do Bush filho foram o que causou todo esse estrago na economia norte americana meu caro!

Mais de UM TRILHÃO DE DÓLARES em duas guerras estúpidas que não trouxeram nenhum benefício geoestratégico, apenas desgastes. Tá bom pra você?

Almeida
Almeida
6 anos atrás

E com franceses, ingleses, russos ou americanos enquanto potências, certos estão os suecos que nunca se deixaram dobrar por nenhum deles.