Home Noticiário Internacional Canadá sinaliza que tomará, em breve, decisão sobre abrir concorrência de caças

Canadá sinaliza que tomará, em breve, decisão sobre abrir concorrência de caças

340
9

F-35 - foto USAF

Decisão envolve a opção de comprar caças F-35 sem abrir concorrência, ou colocá-lo para competir com propostas do Rafale, Typhoon e Super Hornet

Segundo reportagem publicada pela Reuters na quinta-feira, 29 de maio, o Governo Canadense sinalizou que deverá tomar em breve uma decisão sobre substituir seus envelhecidos caças CF-18 pelos F-35 da Lockheed Martin, de características furtivas, ou abrir uma concorrência para que outros fabricantes participem. A reportagem é assinada por Randall Palmer.

As informações foram dadas na quinta-feira pela ministra de Obras Públicas, Diane Finley, ao afirmar que o Governo Conservador finalizará, nas próximas semanas, a análise de relatórios sobre como substituir os jatos CF-18 da Força Aérea Real Canadense: “Ao longo das próximas poucas semanas, ministros finalizarão as análises de uma certa quantidade de relatórios relacionados à avaliação de opções, benefícios industriais, custos e outros fatores”, disse Finley em um evento do setor de defesa.

Advanced Super Hornet - foto Boeing

A ministra não foi específica sobre a data para a decisão, apenas que, após as análises, será preciso saber se ainda há questões pendentes. Ela também afirmou: “Sempre soubemos que esta seria uma decisão difícil. É por isso que estamos levando tanto tempo.”

A ideia original de adquirir 65 caças furtivos F-35 da Lockheed Martin por 9 bilhões de dólares canadenses (US$ 8,3 bi), sem realizar uma competição aberta, gerou muitas críticas ao Governo Conservador, forçando-o a brecar o processo em 2012. Desde então, foram convidados outros fabricantes de caças para dar informações sobre suas aeronaves. A Força Aérea, ao lado de um painel independente de quatro membros, passou a avaliar as várias opções.

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto Dassault

A questão central está entre realizar um processo competitivo ou simplesmente comprar o F-35, porque este seria o único avião capaz de atender às necessidades militares. O F-35 é promovido como o único caça que pode evitar detecção por radar, e seus defensores dizem que a participação no programa de produção permitirá aos canadenses concorrer para o fornecimento de componentes para milhares de exemplares a serem vendidos no mundo.

Partidos de oposição, por seu lado, criticaram a decisão anterior de não abrir uma competição para escolher os substitutos do CF-18, que entrou em serviço na década de 1980. A própria controladoria do governo afirmou que a decisão de compra do F-35 era baseada em dados ruins, com custos e riscos subestimados.

Caça Typhoon em teste de armamento - foto Eurofighter

Já os competidores da Lockheed Martin prometem benefícios industriais garantidos no caso do Canadá escolher suas aeronaves. São eles a americana Boeing, com o F/A-18 E/F Super Hornet, a francesa Dassault, com o Rafale, e o consórcio europeu Eurofighter, com o Typhoon.

O Super Hornet é considerado um caça comprovado, usado maciçamente pelos Estados Unidos, mas com produção para terminar, embora a Boeing afirme que os EUA e a Austrália ainda voarão o jato por décadas, quando a empresa ainda estará fornecendo apoio à sua operação. O Rafale já foi empregado nos conflitos do Afeganistão, Líbia e Mali, mas nenhum país além da França já o comprou. O Eurofighter Typhoon tem 390 exemplares entregues para diversos países.

F-35 com baias abertas - foto Lockheed Martin

FONTE: Reuters (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: USAF, Boeing, Dassault, Eurofighter e Lockheed Martin

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
6 anos atrás

Será q vale a pena para os europeus participar de uma competição no quintal dos EUA ?
Gastar dinheiro para participar de uma competição, onde sabe-se q um avião americano vai ganhar…

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
6 anos atrás

Meu palpite é que os canadenses deveriam optar por uma solução australiana.

Iväny Junior
6 anos atrás

Tem uma ala da força que quer o Gripen. Vamos abrir o RFI, a orquinha é um avião que não cumpre seus requisitos.

Corsario137
Corsario137
6 anos atrás

Como diria Ivan, o mapento…
Se tem grana vá de F-35, senão compre o Super Gripen.

That is all folks 😉

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
6 anos atrás

Nunão:

Partido da predileção canadense por bimotores, e tendo em vista todos os fatores envolvidos,me parece quem sai com larga vantagem é o Super Hornet.

Vader
6 anos atrás

As fabricantes estão perdendo seu tempo. O F-35 vai levar.

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Concordo 100% com o HMS TIRELESS. Uma solução parecida com a australiana (e da US Navy) seria menos arriscada financeiramente e tão boa ou melhor quanto.

Almeida
Almeida
6 anos atrás

E concordo 50% com o Vader rsrsrs…