Home Noticiário Internacional F-35 no Canadá: ministra confirma que haverá quatro outros concorrentes

F-35 no Canadá: ministra confirma que haverá quatro outros concorrentes

200
13

F-35 - foto Lockheed Martin

Além da Lockheed Martin, fabricante do F-35, outras quatro empresas são cotadas para fornecer novos caças: Boeing, EADS, Saab e Dassault

Confirmando informações vazadas anteriormente por autoridades do governo canadense, a ministra de Obras Públicas do país disse, em pronunciamento feito na sexta-feira (25 de janeiro), que as conversações para o fornecimento de novos caças para a Força Aérea Canadense envolverão a Lockheed Martin e outras quatro empresas: a Boeing, que produz o F-18 Super Hornet, a EADS, responsável pelo Eurofighter Typhoon, a Saab, fabricante do Gripen e a Dassault, que fabrica o Rafale.

Elemento de F-18 F Super Hornet - foto Boeing

O país precisará desativar em breve sua frota de caças CF-18, e o jato F-35, produzido pela Lockheed Martin, havia sido anunciado em 2010 como o substituto, num total de 65 exemplares a serem encomendados. Porém, o governo mudou os planos devido à escalada dos preços estimados para o F-35. Vale lembrar que 9 bilhões de dólares canadenses (US$ 8,9 bilhões) foram reservados para a compra dos novos caças.

Eurofighter of the German Air Force

Segundo o ministro, será enviado um questionário para as cinco empresas, solicitando informações detalhadas das capacidades técnicas dos caças já em produção ou com sua fabricação já agendada. Após o recebimento das respostas, será enviado um novo questionário solicitando as estimativas de custo detalhadas.

Gripen NG Demo com mísseis Meteor e IRIS T em testes pelos suíços - foto Saab

Não está descartada a possibilidade de que, mesmo após todo esse processo, a escolha continue recaindo sobre o F-35, apesar de toda a polêmica levantada a respeito de seus custos,  riscos e atrasos.

Meteor em Rafale - foto Dassault

FONTE: Reuters (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: Lockheed Martin, Boeing, EADS, Saab e Dassault

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Baschera
Baschera
7 anos atrás

Mais um FX….. este poderia ser muito parecido com o nosso… não fosse o NJ, tempos atrás, dizer que o F-35 era “demais para nossa bolinha”….

Sds.

Giordani
Giordani
7 anos atrás

Blefe. E a LM e os EUA sabem disso.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
7 anos atrás

De fato está mais para um blefe no sentido de fazer a LM baixar o preço. Ademais, caso o Canadá tenha de adquirir algum caça de 4.5 G, sem dúvida será o SH. Mas mesmo assim monsieur Trappier acha que o Rafale pode ganhar….rs!

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Sukhoi não???
(rs)

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Não sei se trata-se de blefe. Pouco provável que comprem dos europeus, mas pode sair ai um pedido para os F-18. Além dos atrasos e dos preços, há outros problemas no F-35 que os canadenses não contavam. A verdade é que se os F-35 fossem entregues nesse momento, as aeronaves teriam enormes dificuldades de operar no Norte do Canadá. Falta integrar o sistema de GPS à aeronave. E lá para cima, só na base do GPS.

Fabio ASC
Fabio ASC
7 anos atrás

Marcos, SU não, afinal, aliado é aliado, fdp é fdp, capacho é capacho.

carvalhomtts
carvalhomtts
7 anos atrás

concordo com todos os comentarios,no meu ponto de vista de leigo,acho que a logistica deste caça vai ser muito cara para se manter por isso a diminuição dos pedidos este o meu ponto de vista

Ivan
Ivan
7 anos atrás

‘Cost Plus’. Este é o mais grave defeito do Joint Strike Fighter. Todos os países integrantes do consórcio estão amarrados a um projeto com preço variável e que beneficia a Lockheed Martin, empresas paraceiras e seus executivos toda vez que algo precisa ser revisto, melhorado ou testado novamente. É uma arapuca contratual. O problema dos governantes é que a opnião pública começa a perceber a manobra e entende que será o contribuinte, notadamente o norte-americano, que pagará a conta. Mas se o Pentágono, com ligações estreitas com a indústria bélica americana, não toma providência concreta nenhuma, o que os sócios… Read more »

thomas_dw
thomas_dw
7 anos atrás

Se o Canada nao comprar, a Industria Canadense nao participa do programa, ao contrario da Australia que nao tinha opcao, o Canada pode esperar ate depois de 2020 para receber as primeiras unidades.

Quanto ao programa F-35, nao existe outra alternativa.

Nick
Nick
7 anos atrás

O Canadá deveria adotar a solução Australiana. Fazer um composição entre o F-18E/G e o F-35 significará menos custos de aquisição e operação e ainda assim uma boa capacidade ofensiva/defensiva, atualizado com o cenário para os próximos 30 anos.

[]’s

Almeida
Almeida
7 anos atrás

Concordo com o Nick. Eles devem diminuir o pedido de 65 F-35A e por algumas duzias de F-18E/F no lugar, mas não abandonarão o programa totalmente.

Com U$ 9 bilhoes da pra levar uns 30 Super Hornets mais uns 30 Lightnings, mantendo uma capacidade dissuasória considerável e dentro do orçamento.

Vader
7 anos atrás

Concorrência sempre é bom. A LM está precisando de uma “sacudida” pra ajeitar melhor as coisas e acelerar ainda mais as entregas e o programa de testes. E o Canadá é mesmo um país meio esquisito, que costuma fazer suas “portuguesices” em matéria de aeronaves de combate. Mas repito o que eu já disse: o caça para o Canadá é o F-35. Isso porque será o caça com maior raio de combate do ocidente, e o Canadá precisa disso para patrulhar seu enorme, inóspito e congelado norte contra as hordas russas. Se tudo der errado, se o gelo do ártico… Read more »