O F-35 Joint Program Office divulgou um comunicado ao site Defense News confirmando que emitiu orientação para aterrar um número limitado de F-35s mais novos após um acidente envolvendo um F-35B em 15 de dezembro em Fort Worth, Texas.

No comunicado, o F-35 Joint Program Office explicou que emitiu uma Diretriz Técnica de Conformidade de Tempo (TCTD) como medida de precaução enquanto a investigação sobre o acidente de 15 de dezembro continua.

O TCTD restringe certas aeronaves que foram identificadas como de maior risco de realizar operações de voo até que procedimentos possam ser implementados para seu retorno seguro ao ar.

O F-35 Joint Program Office enfatizou que identificou as aeronaves específicas afetadas pelo TCTD e trabalhará em estreita colaboração com os vários ramos dos militares e parceiros internacionais dos EUA para garantir que a diretiva seja seguida adequadamente.

Isso inclui o desenvolvimento de procedimentos para resolver possíveis problemas e garantir a operação segura dessas aeronaves.

Uma fonte anônima disse ao Defense News que um tubo de combustível de alta pressão para o motor F135 do jato falhou no incidente de 15 de dezembro. Apenas aeronaves com menos de 40 horas de voo são afetadas.

Anteriormente, foi relatado que Israel havia aterrado 11 de seus F-35A como precaução após a ocorrência do acidente.

Relembre outros acidentes com o F-35:

Acidente com caça F-35B do USMC nos EUA

F-35A japonês teve 2 aterrissagens de emergência antes do voo que resultou em queda

F-35B do USMC cai após colisão com KC-130J sobre a Califórnia

Queda do F-35 em Eglin ocorreu por velocidade excessiva no pouso, problemas no software, capacete e sistema de oxigênio

VÍDEO: Acidente com o F-35B britânico a bordo do porta-aviões HMS ‘Queen Elizabeth’

VÍDEO: Acidente de pouso do F-35C no porta-aviões USS Carl Vinson da Marinha dos EUA operando no Mar da China

Vaza imagem do F-35C da Marinha dos EUA que caiu no mar após ‘acidente de pouso’ no USS Carl Vinson

Caça furtivo F-35A da USAF cai no estado americano de Utah

 

Subscribe
Notify of
guest

32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Underground

Durante sua fase de desenvolvimento essa aeronave se defrontou com vários problemas, parte da origem desses problemas já bem conhecido.
Ao meu ver os problemas dessa aeronave são mais midiaticos, embora os problemas de fato se apresentam. A aeronave está sob foco permanente da imprensa, de uma imprensa não especializada.
Essa aeronave ainda mantém sua superioridade aérea perante outras ou mesmo em área contestada, pode entrar e sair sem ser vista.

Rômulo

Realmente.
A ejeção do piloto foi midiática.

Underground

“… embora os problemas de fato se apresentam”.

Rômulo

‘…..embora só tenham problemas.”

Sergio Machado

Qual situação não controlada ela apresentou situação de superioridade aérea ou entrou e saiu de espaço aéreo contestado? Existe histórico de conflito, com exceção de abate de drones por Israel?

Nei

https://www.aeroflap.com.br/cacas-f-35-de-israel-teriam-invadido-espaco-aereo-iraniano-diversas-vezes/

Lembrando que nenhuma aeronave é imbatível.
Mas tecnologicamente, o F-35 é superior a qualquer outro caça 4++, em relação a tecnologia embarcada e sensores.
Agora, sim tem problemas, aliás muitos, assim como caças de 6 geração irão ter muitos também, pois tecnologias novas, demoram a ser testadas e corrigidos seus erros.

André Macedo

Não necessariamente, o problema é querer embarcar um monte de tecnologia sem maturidade num projeto só, como fizeram com o F-35 ou com o Zumwalt.

Leonardo

e de custo altíssimo pra manutenção…

Last edited 1 mês atrás by Leonardo
Rômulo

Teriam do verbo ‘ninguém sabe se foi’.

Sergio Machado

A matéria é clara, teriam. O que pode ser bem contestado, haja vista o F35 não ter autonomia pra tal, o que implicaria uso dos muitos detectáveis aviões de reabastecimento sobre espaço aéreo estrangeiro. A distância mais curta entre Israel e o Irã é de mais de 1.700 km, e ainda que Israel a aumente a autonomia do F35 – o que é altamente questionável sem tanques externos- como tem reivindicado, não há milagre. Ou seja, essa “incursão” carece de uma boa sustentação lógica, parecendo muito mais tática diversionista israelense.

marcus mendes

A solução mais sensata, seria fazer um upgrade no projeto do F22, com sensores e aviônicos modernos e esquecer esse F35.

Nelson Junior

Bem pontuado… Isso se chama responsabilidade ! Quando um caça americano apresenta qualquer problema ou um acidente, e pode haver vários, pois se trata de equipamentos extremamente complexos, ele é submetido a analises criteriosas e até que se apresente o problema e uma possível solução, eles aterram a frota inteira se preciso for… Já em outros “admiráveis” países como Russia, China, etc… Os defeitos e acidentes acontecem e nem ficamos sabendo… Daí quando uma guerra se apresenta, se entende o porque de os equipamentos ocidentais serem tão mais confiáveis que os demais… Nada como a pratica para por tudo a… Read more »

Luiz Antonio

Complementando os comentários do colega, faço destaques para os fatos de ser um projeto inédito, o qual incorpora tecnologias distantes astronomicamente de qualquer país desse planeta, o que afeta os cotovelos alheios, sem considerar outro fato tão importante quanto, que as aeronaves estando em operações (igualmente restritas quanto à informações) se expõem aos atritos decorrentes; Resumindo, os caras tem dinheiro para gastar, até com prejuízos, para desespero da torcida contrária. Quaisquer argumentos dos especialistas de sofá não mudam fatos, pois continuam operando e ainda vão por muito tempo.

Hcosta
Emmanuel

O problema é que deram um cheque em branco para Lockheed Martin colocar todas as tecnologias que existiam e, principalmente, não existiam dentro de um caça que teria três versões distintas. Não tem como isso dar certo. Não tem. Eu fui um grande defensor do projeto e ainda acredito que seu potencial, como plataforma, é sem igual. Talvez o grande problema do F-35 seja tecnologia demais e caça de menos. Sem contar na confiança exacerbada dada a uma única empresa para desenvolvimento de três projetos gigantes e prazos mínimos. Enquanto isso, caças como F-16 e F-15 ainda evoluem mesmo com… Read more »

Arthur

Claro que tem aterrar esta porcaria. Produto ‘top of mind’ do século 21. É o caça mais ‘fodástico’ do mundo. Fosse o F-35 projeto brasileiro, diriam que é produto de corrupção; mas, como corrupção não existe na América, então é mera casualidade. O mundo ocidental e cristão está muito mais seguro agora… com eles ‘groundeados’. Até Israel fez a mesma coisa. Volto à repetir: caça muito bom…

Adriano Madureira

E falando no F-35 : Quanto daquelas 875 deficiências já foram sanadas? Alguém está informado?

Cesar

Todas.
Sanaram colocando todos no chão.

Rinaldo Nery

Boa pergunta! “Está muito à frente do seu tempo….”

Cesar

Solta pecinha

Sergio

….solta pecinha, solta rosca, solta fumaça, só não solta resultado.

GRAXAIN

Aeronave para os ricos!

Arthur

Esse caça é uma droga e ainda tem quem defenda. Mas como a marinha americana quer implantar sutiãs inteligentes para seus pilotos femininos, é capaz de parar de cair. Grande avião…

Sergio

De novo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nelson Junior

Enquanto a choradeira e dor de cotovelo de alguns não tem fim…
O F-35 já tem mais de 800 unidades produzidas e os novos pedidos só aumentam, deve ser uma porcaria mesmo

Arthur

Não é dor de cotovelo, é falta de opção mesmo. Investiram tempo e dinheiro demais nesse poço sem fundo.

Sergio

…resultado de muita corrupção e muita gente sendo enganada misturado com o lob das “satrwars” americanas…..

Nonato

Alguns problemas não têm nada a ver com muita inovação tecnológica. Canhão que atira torto, assento ejetor que não funciona se o piloto for muito baixo. Parece haver falta de controle de qualidade como tem acom o tanker da boeing. Quem fala mal do F 35: a) ou é fã do regime chinês ou russo; b) é hater e fala mal porque está na moda; c) é neutro e vê problemas. De qualquer modo funciona, é o mais avançado do mundo e é melhor do que F 15, F 16, F 18, Typhoon, Rafale. Furtividade é seu forte. Tecnologia embarcada… Read more »

Jose

Os americanos não tem medo de errar até chegar a perfeição.
O F35 é fantástico !
O caça mais moderno da atualidade.

Salim

O F35B me encanta, toda vez que vejo sua operação pouso/decolagem. São mais de 800 unidades sendo voadas no mundo no limite se preparando para garantir paz. Acidentes acontecem e são investigados ao extremo para sanar qualquer deficiência maquina ou operacional.

Sergio Peixoto

Soltou outra pecinha ???????

olivete da silva

Isto é que da tercerizar peças….Um fornecedor é a china…é piada..estes americanos…já viram que não da esse avião F35 mas insistem…tem muita gente mamando no minimo…OK.