Home Indústria Aeronáutica T-Xc: ministro da Defesa recebe Novaer em Brasília

T-Xc: ministro da Defesa recebe Novaer em Brasília

721
19

T-Xc - emprego militar em treinamento - concepção artística Novaer

Em nota sobre a visita, a empresa também divulgou imagens de algumas das possibilidades de emprego civil e militar da aeronave

A Novaer divulgou nota na segunda-feira, 29 de setembro, informando que o ministro da Defesa do Brasil, exmo. sr. Celso Amorim, recebeu executivos da Novaer e representantes do Estado de Santa Catarina. O ministro se informou sobre o status do programa T-Xc, que conta com o apoio do Governo Federal, via FINEP, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e do Estado de Santa Catarina, por meio da SC Parcerias e Participações S.A.

T-Xc - encontro no Ministério da Defesa - foto Novaer

Na oportunidade, a Novaer informou sobre os excelentes resultados obtidos nos testes da campanha de ensaio em voo que estão sendo realizados junto ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial – DCTA, em São José dos Campos, SP e sobre o contrato firmado com FINEP-ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica – onde serão realizados os ensaios estruturais durante a campanha de certificação.

T-Xc - encontro no Ministério da Defesa - foto 2 Novaer

T-Xc - emprego aeromédico - concepção artística Novaer

A empresa demonstrou também a variedade de produtos oriundos da mesma plataforma, como uma versão de transporte aeromédico para resgate em regiões hostis e de captação de órgãos para transplante, versão de transporte de pequenas cargas e aeronave de ligação, a ser utilizada por forças armadas e uma versão de treinamento militar com motor turboélice e assentos ejetáveis (T-Xc MTP), além das já conhecidas versões de transporte civil (com paraquedas balístico opcional) e de treinamento militar primário-básico, que a Novaer pretende oferecer à Força Aérea Brasileira e demais forças aéreas do continente e do mundo.

T-Xc - emprego militar - ligação e transporte - concepção artística Novaer

Estiveram presentes o titular da Secretaria de Produtos de Defesa do MD, Sr. Murilo Marques Barboza, o Diretor do Departamento de Produtos de Defesa do MD, Major Brig. José Euclides da Silva Gonçalves, a Secretária de Articulação Nacional do Estado de Santa Catarina, Sra. Lourdes Martini, o Presidente do Conselho de Administração da NOVAER, Paulo Junqueira, o Diretor Presidente da empresa, Graciliano Campos, e o Diretor para o Setor de Defesa, Geraldo Ferreira da Silva.

T-Xc - equipado com paraquedas - concepção artística Novaer

FONTE / IMAGENS: Novaer

NOTA DO EDITOR: reparar nas diferenças do canopi entre a versão de treinamento militar, mostrada no alto, e as demais concepções de emprego militar e civil divulgadas pela empresa juntamente com a nota sobre a visita ao ministro.

VEJA TAMBÉM:

19
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
10 Comment authors
Rinaldo NeryMauricio R._RJ_Fernando "Nunão" De MartiniMarcos Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
ci_pin_ha
Visitante
ci_pin_ha

Estou começando a gostar desse projeto.

Phacsantos
Visitante
Member
Phacsantos

Se bobear daqui a pouco a USAF começa a gostar também!rs

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Com o canopi “militarizado”, abre-se a possibilidade de assentos ejetores. Ainda que uma das imagens apresente o pára-quedas, esse, penso eu, apresenta um envelope de utilização bem mais restrito do que assentos ejetores, ainda mais em aeronaves acrobáticas e em voo militar.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Sobre assentos ejetores no T-Xc, não sei não.

Muita coisa teria que ser modificada no projeto. Do jeito que está, incluir o peso de dois assentos na aeronave vai fazer muuita diferença na performance.

Sou adepto do paraquedas para aeronaves muito leves.

Carlos
Visitante

E o ganso preto da UNASUL ?

Carlos
Visitante

Errei, o ganso é branco com listas azuis.

Coisas dos bolivarianos, de lá e de cá. (rs)

http://www.aereo.jor.br/2013/12/02/maquete-11-do-unasul-i/

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Achei interessante essas variantes que eles criaram. É interessante notar que na primeira imagem a aeronave está equipada com motor turbo-hélice e assento ejetor. Já na última, com paraquedas balístico, trata-se da versão civil. Um comparativo: a diferença de peso entre as versões do Grob 120A (motor a pistão) e o 120TP (turbo-hélice e assento ejetor) é de 100 kg. Evidente que há ganhos e perdas de peso, o que deve ter obrigado os engenheiros a recorrerem a alterações no projeto para evitar que o CG se deslocasse para trás. O Grob utiliza assento ejetor da Martin Baker, com peso… Read more »

Marcos
Visitante
Member
Marcos
Marcos
Visitante
Member
Marcos
André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Bons vídeos Marcos.

Não gostei da ejeção. Não parece que o “piloto” pousou em direção. Seria ele zero-zero?

Já havia visto a liberação de pára-quedas do Cirrus. É impressionante de qualquer forma.

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Correto: Não gostei da ejeção. Não parece que o “piloto” pousou em segurança. Seria ele zero-zero?

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
Member
André Sávio Craveiro Bueno

Tem toda razão Nunão.

¨60 nós é pouco mais de 100km/h, velocidade e tanto

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Sobre a ejeção:

No teste, a aeronave está sem o canopy, o que ajuda bastante. Numa situação real… Pois é! De qualquer modo, em altitude, é uma boa solução.

É interessante que não se nota a emissão de fogo durante o procedimento. Seria o assento ejetado por ar comprimido?

_RJ_
Visitante
_RJ_

E por falar em iniciativa nacional de aeronave,

Alguém sabe a quantas anda aquele projeto de transporte bimotor lá do Paraná? Acho que é IPE-014 se não me engano. Nunca mais ouvi falar.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Ah, prá que se provar no mercado civil, se podem aporrinhar as ffaa c/ suas idéias toscas e sem noção…

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Acho que cabem algumas observações: 1 –ninguém sabe como vai abrir o canopy. Estão especulando; 2 – na instrução básica/primária na AFA o cadete voa, também, manobras, acrobacias e voo em formação dois aviões. A idéia do paraquedas balístico é interessante. Não há nenhuma relação com sair do parafuso ou não. O Cirrus possui paraquedas porque não passou na certificação de voo de planeio. Informação passada por um engenheiro aeronáuti co da turma que trabalhou no IFI; 3 – o T-25 e o T-27 saem sozinhos do parafuso, bastando soltar os comandos. E um deles possui assento ejetável. Também não… Read more »