segunda-feira, março 8, 2021

Gripen para o Brasil

T-Xc da Novaer: peças primárias do protótipo já estão prontas

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

T-Xc - três vistas e painel - imagem Novaer

Novaer informa status da fabricação do protótipo do T-Xc, monomotor de transporte civil e treinador acrobático militar

 –

A Novaer informou na sexta-feira, 29 de novembro, que estão prontas todas as peças primárias do protótipo do T-Xc, bem como muitos dos seus conjuntos estruturais. Dentre as peças e conjuntos prontos estão todas as superfícies de comando, cone de cauda e partes estruturais primárias da fuselagem do primeiro protótipo de sua aeronave, o monomotor de transporte civil e treinador acrobático militar, T-Xc.

A fabricação deste seu primeiro protótipo encontra-se em plena fase de montagem, na qual são feitas a colagem dos conjuntos e integração dos sistemas. As atividades em andamento no momento são a colagem das nervuras nas asas (a longarina principal está colada), instalação dos sistemas e das superfícies de comando nas asas e nas empenagens.

T-Xc - peças para protótipo - foto 2 Novaer

As próximas etapas serão a colagem das cavernas, instalação dos sistemas na fuselagem, ensaio de carga limite nas asas, ligação da fuselagem central com o cone de cauda e ligação asa-fuselagem. Ao final do processo, serão então instalados os equipamentos (motor, sistemas elétricos, aviônicos e instrumentos, comandos de vôo) em preparação para os testes de solo e voo.

T-XC - peças para protótipo - foto Novaer

T-Xc - peças para protótipo - foto 3 Novaer

As fases do programa T-Xc, segundo informações da Novaer

 

Fase de prototipagem

Compreende as atividades de concepção, projeto, engenharia, desenvolvimento e fabricação do protótipo do T-Xc, a partir do avião “prova de conceito” K-51, conforme o contrato de subvenção firmado com a FINEP. Esta fase teve início em junho de 2010 e conclusão prevista para 2013. As atividades previstas nesta etapa estão sendo custeadas com os recursos de subvenção da FINEP e investimentos da empresa. Atualmente, a NOVAER encontra-se na etapa de construção dos ferramentais a serem utilizados na fabricação das estruturas em fibra de carbono, e fabricação de partes do protótipo T-Xc.

Fase de certificação

Compreende as atividades de análises de engenharia, testes e ensaios em laboratórios e em voo, para a certificação de cada versão da aeronave, a ser requerida junto à FAB para a versão treinador designada T-Xc e junto à Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC para a versão transporte designada U-Xc.

U-Xc - três vistas e painel - imagem Novaer

Fase de fabricação

Compreende a etapa de construção das instalações industriais da NOVAER, incluindo edifícios, escritórios, ferramentais, estrutura de suporte e pós-venda, bem como um Centro de Tecnologia de Compostos (o “CTC”). Com dois objetivos gerais: (a) permitir à NOVAER deter um parque fabril moderno e compatível com o planejamento estratégico de seus negócios; e (b) manter um núcleo industrial que, além dos impactos decorrentes do negócio, possa oferecer a empresas e entidades de PD&I, públicas e privadas, uma estrutura moderna de pesquisa em materiais compostos e produtos aeroespaciais.

T-Xc - dimensões - ilustração Novaer

Especifiações T-Xc e U-Xc - tabela Novaer

FONTE / TABELA /  IMAGENS: Novaer (clique no link para saber mais sobre o T-Xc e o U-Xc)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

10 Comments

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Achei que só a fuselagem seria em composto, enquanto a asa seria em metal. Engano meu. Integralmente em material composto. Fibras de carbono e de vidro aguentam os esforços que uma aeronave militar será submetida?

Marcos

off topic

Avião Embraer 190 das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) caiu na Namíbia. (Veja)

Groo

Quem suporta o esforço é a longarina estrutural e não o revestimento que pode ser de meta, composites ou tela.

Marcos

Groo

Sim, entendo. Mas pelo que pude compreender da leitura acima, a longarina também seria em material composto. Ou não?

_RJ_

Lembro de ter lido que o Kovacs, antes de projetar o T-XC estava trabalhando em um acrobático com estrutura 100% de composto, para a classe unlimited, que sofre esforços no mesmo nível (ou talvez até pior) do que treinadores militares primários.
Confio plenamente na experiência do Kovacs (que é muita). Acho que o T-XC deve se tornar uma aeronave fantástica. E o U-XC dá vontade de comprar um, pois parece do mesmo nível de um Cirrus, mas com um toque especial do Kovacs no desenho. Deve fazer muito sucesso.

rommelqe

Caro Marcos, As superfícies aerodinamicamente ativas das asas sofrem basicamente tensões de membrana (biaxiais ) o que favorece o emprego de materiais compostos. A justaposição destas superfícies a uma estrutura principal (compondo as cavernas da asa) pode até ser sobre materiais compostos também, mas não dá para ver nas fotos, dando a entender que esta aparentemente seria em alumínio. No engastamento das raízes das asas com o corpo, as tensões decorrentes de torsões compostas com flexões normalmente são melhor tratadas com o uso de elementos metálicos (podem ser usinados a partir de blocos maciços usando fresas de cinco eixos). Mas… Read more »

juarezmartinez

Caro rommelqe! Parabéns pela elucidação técnica da possível estrutura e composição de longarinas da aeronave, foi uma das mais completas e com fundamentos técnicos que já li por aqui.

Quanto ao “Unasur”, a DIRMA, o CTA,EAV, EMA, o e o bispo da igreja já avisaram que vamos entrar em outra fria, mas os barbudinhos do Itamaravilha não vão sossegar enquanto não inviabilizarem a FAB, com suas elocubrações masturbológicas alucinógenas.

Grande abraço

Hamadjr

Caro Rommelq o seu comentário sobre a concepção técnica do projeto da NOVAER para mim foi proveitoso, quanto ao que a UNASUR propoem eu não avalio como imperfeito ou impossível de ser levado acabo. A idéia esta correta ter uma aeronave padrão de treinamento para as FA do bloco destes paises desde claro que exista uma estratégia comum a ser compartilhada, seja no desenvolvimento e aperfeiçoamento de uma aeronave seja em sua cadeia produtiva e no comércio desta versão para fora do bloco. A questão é que de boa intenção o inferno ta cheio mas quem sabe a execeção quebre… Read more »

Almeida

Muito melhor que aquela porcaria bolivariana!

Iväny Junior

Lembra muito o Neiva T-25.

Combates Aéreos

Promessa e realidade no combate BVR: abates com mísseis AIM-120 AMRAAM

Data Unidade Avião Piloto Arma Alvo País Nº 27-Dec-92 USAF F-16D - AIM-120A MiG-25PD IrAF 1 17-Jan-93 USAF F-16C - AIM-120A MiG-29B IrAF 1 28-Feb-94 86FS/ 526FW F-16C 89-2137 B.Wright AIM-120A J-21 RVRS (Pesic KIA) 1 14-Apr-94 53FS/ 52FW F-15C E.Wickson AIM-120A UH-60A US Army 1 24-Mar-99 322 sqn KLu F-16A/MLU J-063 P.Tankink AIM-120A MiG-29 18106 127.lpe/JRViPVO (Milutinovic OK) 1 24-Mar-99 493EFS /48FW F-15C 86-0169 C.Rodriguez AIM-120C MiG-29 18112 127.lpe/JRViPVO (Arizanov OK) 1 24-Mar-99 493EFS /48FW F-15C 86-0159 M.Shower AIM-120C MiG-29...
- Advertisement -
- Advertisement -