Home Noticiário Internacional Patrouille Suisse deverá voar com F/A-18 Hornet, mas só se Gripen for...

Patrouille Suisse deverá voar com F/A-18 Hornet, mas só se Gripen for aprovado em referendo

292
7

F-18 Hornet em apresentação solo - foto Força Aérea Suíça

Caso a aquisição de 22 caças Gripen seja aprovada, permitindo complementar o F/A-18 na defesa aérea da Suíça, este último poderia ter algumas unidades da frota alocadas à equipe de demonstração, que vai aposentar seus F-5

Ao contrário de notícias anteriores que especulavam sobre o futuro uso do caça Gripen na equipe de demonstração Patrouille Suisse, hoje equipada com o F-5 Tiger II e que deverá deixar de voar essa aeronave devido à retirada deste de serviço nos esquadrões suíços, o jornal St. Galler Tageblatt trouxe a informação de que o futuro jato da equipe será o F/A-18 Hornet.

A notícia, originariamente publicada na revista militar “Schweizer Soldat”, foi confirmada em seguida pelo jornal junto ao Departamento de Defesa e à Força Aérea Suíça. Porém, esse reequipamento dependeria do caça sueco Gripen, do qual o governo suíço pretende adquirir 22 unidades para substituir mais de 50 jatos F-5, ter seu fundo para aquisição aprovado em referendo popular, marcado para o mês de maio.

F-5 Tiger II da Patrouille Suisse em formatura - foto Força Aérea Suíça

Isso porque a aposentadoria do F-5 deverá ocorrer por volta de 2016 e, se a sua baixa não for compensada pela entrada em serviço dos 22 caças Gripen E (versão de nova geração do caça) ao longo dos anos seguintes, simplesmente não haverá como garantir a defesa aérea da Suíça com os 32 caças F/A-18 Hornet atualmente em dotação, e muito menos alocar alguns deles para a Patrouille Suisse.

Assim, a aquisição do Gripen, fabricado pela sueca Saab, garantiria não apenas a melhoria da missão de defesa aérea e policiamento aéreo da Suíça, mas também a continuidade da equipe de demonstração. Não está claro quantos caças F/A-18 receberiam as cores da Patrouille Suisse e nem se essa mudança de pintura seria feita, mas é certo que a aeronave é adequada para também cumprir essa missão. Afinal, é utilizada há muitos anos pela equipe “Blue Angels”, da Marinha dos EUA.

F-18 Hornet em apresentação solo - foto 2 Força Aérea Suíça

Enquanto a entrada em serviço do Gripen E na Força Aérea Suíça deverá se estender até 2023 (ano previsto para atingir a capacidade de operação plena no país), por volta de 2030 a  substituição do próprio F/A-18 Hornet deverá ser implementada. Nesse sentido, as fontes consultadas pela reportagem sinalizam com o próprio Gripen, o que levaria o caça sueco a também equipar a equipe de demonstração, quando da retirada definitiva de serviço do Hornet, daqui a uma década e meia.

Evidentemente, novas compras do Gripen teriam que ser feitas para essa continuidade do reequipamento, mas tudo isso ainda depende do resultado de um primeiro e definitivo passo, que é a aprovação da compra do caça no referendo de maio.

Hornet e Gripen F treinam para Axalp - foto Grimmi

Opositores suíços à compra do Gripen evitam fazer qualquer ligação entre o futuro da Patrouille Suisse e a aprovação do Gripen no referendo. Para eles, o destino da equipe de demonstração é irrelevante, frente a assuntos mais importantes em debate, como o futuro do policiamento aéreo suíço. Mas, para muitos, é importante manter essa verdadeira marca de identidade da Suíça e de suas forças armadas, que é a Patrouille Suisse.

F-18 Hornet em apresentação solo - foto 3 Força Aérea Suíça

FONTE: St. Galler Tageblatt (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de originais em alemão)

FOTOS: Força Aérea Suíça / Departamento de Defesa da Suíça /Grimmi

NOTA DO EDITOR: vale lembrar que a Força Aérea Suíça já tem tradição de fazer apresentações solo do F/A-18 Hornet, que neste ano estão a cargo do capitão Julien “Teddy” Meister, do esquadrão 17. As fotos do caça nesta matéria são de apresentações do “F/A-18 Hornet Solo Display”

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luis
Luis
6 anos atrás

Pelo visto é o único esquadrão suíço que faz patrulha…

Os outros são italianos e/ou franceses.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

Não seria mais sensato eles usarem o PC-7 não? Consta que eles possuem 28 deles e apenas 8 PC-21. Esquadrão de demostração a jato é um luxo que eles não estão podendo manter agora.

Mayuan
Mayuan
6 anos atrás

Pois é Clesio, pensei isso também, pra um país tão preocupado com o dinheiro público (o que é ótimo), gastar tanto com um “EDA” a jato me parece paradoxal. Faria mais sentido fazer algo como nosso EDA e usar um vetor de menor custo e que, ao mesmo tempo, faz propaganda de um produto nacional.

De qualquer jeito, não pago imposto na Suiça nem vou votar no referendo deles então nem ligo.

Iväny Junior
6 anos atrás

Uma dúvida me surgiu sobre o legacy: Ele suporta os GE-F414?

Um dado para reflexão: Com 32 aeronaves supersônicas, a Suíça que é um país bem pequeno acha que sua defesa aérea ficaria comprometida.

Atualmente temos 36 (efetivas) pra patrulhar um continente.