sábado, setembro 25, 2021

Gripen para o Brasil

Gripen na Suíça: lançada a campanha a favor do caça

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

‘O Gripen é um telhado sobre a casa suíça’, é o mote da campanha anunciada pelo chefe do departamento de Defesa Ueli Maurer, que se despede do cargo de presidente da Confederação Suíça

Na sexta-feira, 27 de dezembro, o chefe do Departamento de Defesa e atual presidente da Confederação Suíça, Ueli Maurer, participou da coletiva anual de imprensa em Adelboden com direito a uma partida de “Curling Bávaro” com os jornalistas. Ele falou sobre a despedida do cargo de presidente que acumulou no último ano e aproveitou a oportunidade para lançar a campanha em prol da aquisição do caça Gripen, fabricado pela sueca Saab, cuja forma de financiamento será objeto de referendo popular em maio.

Maurer vai liderar a briga para convencer a população de que a Suíça precisa adquirir novos caças e se mostrar mais forte. O combate promete ser duro e, com o número de assinaturas colhidas pelos opositores à compra, visando lançar um referendo, há 90% de chances de que esse ocorra em 18 de maio de 2014. O mote da campanha a favor do caça é: “O Gripen é um telhado sobre a casa suíça“.

Para justificar a aquisição, o chefe do Departamento de Defesa comparou a defesa aérea da Suíça com o telhado de uma casa: “Aos poucos, o nosso telhado está ficando esburacado. Ele ainda aguenta quando o tempo está bom, mas não vai funcionar no caso de uma tempestade.”

A compra do Gripen precisa ser analisada num contexto geopolítico maior, disse Maurer, pois a Suíça não será poupada em caso disputas territoriais e acessos a recursos e rotas. A diferença em relação ao passado é que não se pode saber de onde virá o ataque de um oponente. As forças armadas precisam se adaptar a ameaças, incluindo a defesa contra ataques cibernéticos. Também é preciso preparar o exército para reações rápidas. Referindo-se a exercícios anuais, ele disse que “um exército que só é disponível num período de oito semanas não é o bastante para nós.

As reformas nas forças armadas deverão ser completadas em 2022, mas a votação sobre a compra do Gripen pode parecer muito adiantada, em relação a esse prazo, para as pessoas pesarem esses elementos e terem a percepção das futuras ameaças. Maurer advogou dentro e fora do país pela autoconfiança e independência da Suíça, buscando seu próprio caminho como uma pequena nação, sem copiar outras. Foram 10 visitas ao exterior no ano em que acumulou o cargo de presidente, com 17 encontros com chefes de estado, 11 chefes de governo, cinco ministros de Relações Exteriores e oito ministros da Defesa.

Maurer não se escondeu ao falar de sua experiência acumulando o cargo de presidente da Confederação por um ano, afirmando que foi um “fardo” que carregou. Complementou dizendo que estava feliz ao passar esse cargo a seu colega Didier Burkhalter.

Porém, ele  também disse que foi uma boa experiência, tendo atingido a maioria de seus objetivos, apesar das críticas de setores da imprensa de “pensamento único” contra seu partido, o UDC. Maurer mostrou saber lidar com essas críticas e devolver os golpes sem temor da imprensa, aproveitando-se das controvérsias para divulgar suas ideias. Por isso mesmo, é considerado um dos mais experientes em comunicação dentro do governo,  e um dos poucos que não rejeita falar com a imprensa sobre qualquer assunto: foram cerca de 130 aparições.

SCHWEIZ UELI MAURER ADELBODEN

FONTES / FOTOS: 24 Heures, Berner Zeitung e SFTV (compilação, tradução e edição do Poder Aéreo a partir de originais em francês e alemão)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

19 Comments

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Alberto Soares

Será bom se aprovarem no referendum, vai “aliviar” um pouco nosso lado e aumentar a credibilidade geral.
Poderemos ficar com “um olho no gato e outro no peixe”,
afinal de contas “assusta” ! kkkk

Alfredo Araujo

Bela configuração ar-ar dessa maquete…
2 Iris-t e 7 meteor…

Carlos Alberto Soares

Maquete ….

Nick

Para usar essa configuração, a situação deveria estar crítica, algo do tipo é “tudo ou nada”. 🙂

4 BVR (Meteor) +2 WVR (A-Darter) me parece a configuração mais aceitável para os Gripen E em missões de CAP.

[]’s

Alfredo Araujo

Falando em carga de misseis por um caça…

Em uma situação de disparo, levando em consideração um AAM de última geração, feito os metor e os Aim-120C7, seria disparado 1 missil por alvo ? Ou mesmo levando em consideração a modernidade do missil, são disparados 2 ?

nunes neto

Configuração da FAB, dois tanque e dois A-Darter, ou um A-Darter e um Derby e olha lá!

Oganza

Nunão, mandei um e-mail para a vocês justamente sobre essa possibilidade de baixar/comprar números anteriores da revista Força Defesa, mas não tive resposta, mande para Voêe para Dinair.

Vocês poderiam me dar uma posição sobre isso?

Obrigado.

Ps.: Quando vai estar liberado o primeiro lote da nova edição?

Galeão Cumbica
Gilberto Rezende

Este processo é crucial para o Brasil, uma vez que o processo de financiamento do GOVERNO sueco ao retrofit de 60 unidades do Gripen C pertencentes a Flygvpnet para o padrão Gripen E está vinculado a venda de 22 unidades do Gripen E para a Suíça compondo o mesmo documento no mesmo processo. E lá está escrito com TODAS as letras que não realizada a venda Suíça o governo sueco se desobriga a cumprir sua parte. NO MÍNIMO, a derrota no referendo significaria a necessidade de uma reforma agravada na forma de pagamento do Brasil ou mesmo a suspensão/término do… Read more »

Guilherme Poggio

E lá está escrito com TODAS as letras que não realizada a venda Suíça o governo sueco se desobriga a cumprir sua parte. Prezado Gilberto Rezende O Governo Sueco comprometeu-se com a compra de 60 Gripen E caso QUALQUER PAÍS comprasse o Gripen E. Digamos que a consulta popular da Suíça acabe pela rejeição do caça (qualquer caça, não necessariamente o Gripen), mas o Brasil siga em frente com a sua decisão o comprometimento estaria mantido. NO MÍNIMO, a derrota no referendo significaria a necessidade de uma reforma agravada na forma de pagamento do Brasil A Saab nunca vinculou (pelo… Read more »

André Sávio Craveiro Bueno

Gilberto Rezende
30 de dezembro de 2013 at 11:24

Apenas para dizer que não haverá retrofit de Gripen C, mas, sim, Gripen E com partes totalmente novas utilizando alguns sistemas da versão anterior. Ou seja, uma aeronave nova, porém com alguns sistemas reaproveitados.

Oganza

Vlw Nunão…

eu uso Mac e fui lá baixar para iTunes, mas o aplicativo é só para iPhone e iPad :(… rsrsrs

de qualquer forma eu tinha mandado o e-mail para o seu do aero nunao@aereo.jor.br.

mas vamos conversando vc’s tem o meu contato.

Muito obrigado.

Oganza

Voltando ao assunto, depois da incursão russa no Baltico a Sécia interira se mexeu… tudo por causa de um feriado rsrsrs – na boa, pra mim o Gripen E sai com ou sem compra de Brasil ou Suíça.

Lógico que eles e o bolso do contribuinte agradece se sairem as 3 encomendas,

E André Sávio Craveiro Bueno, as partes que serão reaproveitadas das versões C/D, serão apenas para os suécos, os suíços e os nossos virão com cheirinho de carro novo e embalado em plástico bolha 🙂

André Sávio Craveiro Bueno

Oganza,

Resta saber se os nossos virão com pintura sólida, metálica ou perolizada! 🙂

Valeu pelo clareamento da situação.

Oganza

É André… rsrsrs pode crer…

separa um conversível na cor preta… pode tirar 3 voltas na suspenção, não vou precizar das estações subalares… kkkkk

ÔÔÔÔÔhhhhh ansiedade boa essa!!!!

Grande abraço.

Últimas Notícias

USAF seleciona o turbofan F130 da Rolls-Royce para o programa de remotorização do bombardeiro B-52

A Força Aérea dos EUA anunciou em 24 de setembro que deu à Rolls-Royce um contrato de US$ 500...
- Advertisement -
- Advertisement -