domingo, maio 22, 2022

Gripen para o Brasil

Mais um lote de três bombardeiros Su-34 entregue à Força Aérea Russa

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Su-34 - foto 4 Sukhoi

A Sukhoi informou em nota que na terça-feira, 9 de julho, um lote de bombardeiros de linha de frente Su-34 foi transferido para a Força Aérea Rusa, nas instalações  V.P. Chkalov Novosibirsk (divisão Novosibirsk da companhia).

Três aeronaves Su-34 decolaram e se dirigiram para seus locais de emprego. A empresa também informou que já estão em serviço os primeiros aviões da encomenda estatal de 2013 transferidos às Forças Armadas no início de maio deste ano, demonstrando altos índices de prontidão e de capacidade.

Ainda segundo a Sukhoi, a implementação da encomenda 2013 está em pleno andamento em Novosibirsk, obedecendo a contratos assinado com o Ministério da Defesa da Federação Russa em 2008 e 2010, que criaram as condições para uma carga de trabalho estável a longo prazo.

Su-34 - foto 3 Sukhoi

FONTE / FOTOS: Sukhoi (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

20 Comments

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Baschera

Este sim eu gostaria de ver na MB, como uma frota de defesa da costa em vez do porta-balões e sua aviação da Guerra da Coréia.

Sds.

Baschera

Nunão,

….. e faz diferença ?? 🙁

Sds.

Vader

Um esquadrão desses e a Marinha podia mandar seu estúpido PA para os braços de Netuno.

Fighting Falcon E/F

Vader,
É uma viu.
Considerando que não vamos ter uma Marinha com projeção mundial para deslocamento nos sete mares e coisa e tal (so a falácia do governo mesmo), seria uma solução.
O que diz Nunão?

Wagner

é interessante ver que um desses faz mais do que dois Su 24, ou um Su 24 e um Su 22 juntos, por exemplo.

A previsão para este ano é de 14 dessas aeronaves, incluindo esses tres, a serem entregues a VVS.

E assim eles seguem melhorando, e fazendo sua parte.

Já no Brasil…

Carcará 01

SU 34, mais conhecido como “O Pato”…

joao.filho

Já no Brasil…
Seguimos de A-4, (quantos, 2 ou 3?) que para falar a verdade nem devem ser postos no ar, dado o alto risco para os pilotos, sendo uma aeronave velhissima mesmo com as tantas “modernizações “.

joseboscojr

Eu também sou fã desse caça mas concordo com o Nunão. Esse caça só teria algum sentido se fôssemos penetrar um espaço aéreo contestado defendido por um porta-aviões dotado de caças de defesa de frota eficientes e de aviões radar. Não sendo esse o caso a FAB pode muito bem dotar seus P-3 com ASM antinavios, como por exemplo o Harpoon ou melhor ainda, o SLAM-ER. Mesmo os “futuros” do pretérito A-4 modernizados podem vir a ser dotados de mísseis antinavios e operar de bases em terra. Muito provavelmente o radar do A-4 modernizado o fará compatível com um míssil… Read more »

joseboscojr

E plagiando o Colombelli, se tivermos mísseis com diferentes sistemas de orientação dificultaríamos a defesa.
Por exemplo, o Harpoon, o Gabriel III e o Exocet usam radar ativo; já o SLAM-ER usa um seeker de formação de imagem térmica; o Sea Skua tem um sistema de radar semi-ativo e o Penguin usa um seeker de busca térmica.
Que o Nunão não me ouça, mas bem que uns 12 Su-34 armados com mísseis Yakhont seria bem vindo, não tanto pelo caça em si, que acho redundante, mas pelo míssil supersônico, que agregaria uma maior capacidade de penetrar defesas navais mais sofisticadas.

jairo boppre sobrinho

Caro José Bosco
Desculpe a ignorância, o Brahmos tb entraria nesta sua sugestão?
Abraço a todos

jairo boppre sobrinho

Bosco
Ou os 2 misseis são a mesma coisa com outro nome?
Abs

joseboscojr

Jairo,
É mais ou menos isso. O Brahmos é um Onix (Yakhont) construído sob licença pela Índia com algumas pequenas modificações locais.
Um abraço.

Nick

48 SU-34 na FAB dariam à Força uma capacidade inédita de interdição tanto no mar como em terra. Somando-se à esses +48 SU-50 “FireFox” e complementados por uma centena de caças de 4,5ª geração como o Gripen E/F , e teríamos uma FORÇA AÉREA com letras maiúsculas. 🙂

[]’s

Mauricio R.

48 Su-34 entulhariam a dispersão das bases da FAB, c/ células esperando peças de reposição ou canibalizadas p/ manterem algumas das demais, voando.
Será que não aprendemos nada de utíl, c/ os Mi-35???

Wagner

Não digo 48, mas umas 12 para proteger o Rio de Janeiro e nossa ” Esquadra” seriam úteis…

Joner

Se o SU 35 já é bem grande, este deve exigir um hangar bem espaçoso.

Últimas Notícias

Operação Rimon 20: Caçadores israelenses versus caçadores soviéticos

Sérgio Santana O fim da Guerra dos Seis Dias de 1967 deixou as forças israelenses no lado leste do Canal...
- Advertisement -
- Advertisement -