Home Noticiário Internacional Rússia assina contrato para mais 92 jatos Su-34 ‘Fullback’

Rússia assina contrato para mais 92 jatos Su-34 ‘Fullback’

423
26

O Ministro da Defesa da Rússia assinou um contrato para compra de 92 aeronaves de ataque Sukhoi Su-34 “Fullback” no dia 1º de Março, marcando o maior contrato para um único tipo de aeronave para a Força Aérea Russa em mais de 20 anos.

Para cobrir as entregas até 2020, o contrato foi assinado pelo Ministro da Defesa, Anatoly Serdyukov, e pelo diretor geral da Sukhoi Igor Ozar. “Os Su-34s irão substituir todos os aviões bombardeiro Su-24 em serviço”, disse Serdyukov. Uma fonte citada pela agência de notícias Russia’s Interfax calculou o valor do negócio em torno de 100 bilhões de rublos (3 bilhões de dólares).

O Ministro da Defesa disse anteriormente que 70 Su-34 seriam entregues até 2015. Seis aeronaves estão em serviço no Centro de Testes e Avaliações da Rússia, em Lipetsk, com um total de 10 a serem entregues neste ano.

A Força Aérea Russa irá eventualmente colocar em campo um total de cerca de 120 Su-34 em cinco esquadrões de 24 aeronaves cada, disse seu comandante, o Col. Gen. Alexander, Zelin ano passado no MAKS Air Show, próximo à Moscou.

Equipado com dois motores turbofan AL-31MF, o caça-bombardeiro de dois lugares Su-34 foi projetado para realizar ataques de precisão contra alvos fortemente defendidos sob todas as condições atmosféricas, dia ou noite. É armado com um canhão de 30mm GSh-301 e uma grande variedade de mísseis ar-ar e ar-superfície e bombas.

Observando que o Su-34 está entrando em serviço mais de uma década atrás dos planos originais, Douglas Barrie, um analista de guerra aérea do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos de Londres, disse: “O Su-34 irá, com os aviônicos e sistemas de armas apropriados, fornecer à Força Aérea uma plataforma de ataque de longo alcance capaz, com consideravelmente mais força do que o Su-24.”

O Ministro da Defesa disse que a Força Aérea irá adquirir mais de 1.500 novas aeronaves até 2020. A compra dos Su-34 foi assinada por Moscou apenas dois dias depois da Marinha Russa ter confirmado a compra de 24 caças embarcados Mig-29K/KUB.

FONTE: Flightglobal (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)
Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
eraldocalheiros
eraldocalheiros
8 anos atrás

enquanto no hemisfério sul, uma gd potencia não consegue comprar miséros 36 aviaozinho de caça. Grande potencia essa não, agora vamos e venhamos que maquinas belissimas esses SU 34 quisera nós podermos ter pelo menos uns 48 desses bombardeiros na FAB ja estaria de bom tamanho.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

e o PIB do Brasil, é maior que o da Russia….buá….

Clésio Luiz
Clésio Luiz
8 anos atrás

Cerca de 32,5 milhões de dólares a unidade.È um valor surpreendentemente baixo. Imagino que isso deva ser o valor da célula apenas, sem contar peças de reposição, treinamento nem armamento.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Vejo pedidos de 90 unidades daqui, 200 unidades dali, 80 unidade de outro, 120 para mais um outro. Enquanto isso, quando muito, a única coisa que se houve por aqui é mala aqui, cueca ali, conta secreta acolá.

uitinaxavier
uitinaxavier
8 anos atrás

A força aérea tem ao seu serviço no minimo 400 Su-27 a grande maioria foi convertida para padrão Su-30M e os restantes continuam em fase de modernização, além de 50 ou 100 Su-30Mk, com a encomenda de 48 unidades do Su-35, mais Algumas duzias de Su-33 e agora com mais 92 Su-34, sem contar com a entrada em operação do caça de ataque Su-39, e treinamento Yak-130, e ainda uma grande quantidade de Mig-29 e su-24. E tem gente ainda que acha a força aérea russa pode se comparar com as outras da Europa, os russos tem uma quantidade muito… Read more »

Baschera
Baschera
8 anos atrás

O país deitado em berço esplêndido é o único dos BRICS que além de pés de barro…usa muletas !!

Esta aquisição russa (ou seria investimento), de vulto, custará apenas cerca de Us$ 3 bi….. enquanto os espertos aqui pagaram só de juros da dívida interna, apanas em janeiro/2012, Us$ 11,2 bi (R$ 19 bilhões).

Só de juros…. nada de amortização !!

Mas…aqui temos praias….. côco gelado…. churrasco…e mulé…..e canha.

Em compesação temos banqueiros e políticozinhos vendidos e corruptos.

É o preço…..

Sds.

Fabio ASC
Fabio ASC
8 anos atrás

eraldocalheiros, 48 seriam para a MB. A FAB precisa de 120 PAK-FA

Almeida
Almeida
8 anos atrás

Se a MB comprasse 12 desses pro VF-1 não precisaríamos de alvo, digo, porta aviões.

Mas a gente só pode reclamar e chorar…

edcreek
edcreek
8 anos atrás

OLá,

Com mais essa agora ninguem terá coragem nem de chegar perto da costa Russa, qualquer marinha do mundo seria varrida, além de usar todos os misseis do “ar” Russos ainda podem fazer ataques nucleares taticos….Os EUA que precisão acelerar o caça classe galaxy F-35, enquanto eles cortão e cortão a Russia a China e a India compram e compram…

Enquanto isso na republica bananeira….

Abraços,

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
8 anos atrás

Rossano Botelho (do Facebook):

Já faz um bom tempo que a Inglaterra mantém um destacamento de caças Typhoon nas Falklands/Malvinas, fazendo o alerta de defesa aérea. Antes deles, eram os Tornado F3, operando numa base que foi extensivamente modernizada após o conflito de 1982.

http://www.aereo.jor.br/2009/09/22/typhoon-da-raf-ja-estao-nas-malvinas/

Caças muito mais modernos e capazes para essa tarefa de defesa aérea que qualquer outro do chamado “Cone sul” , na minha opinião. E vão continuar sendo por muitos anos…

Ivan
Ivan
8 anos atrás

O Sukhoi Su-34 ‘Fullback’ (código Otan) é uma caça-bombardeiro amplamente superior ao Su-24 ‘Fencer’ (código Otan) que substitui. Penso que chamá-lo de ‘caça’ é apenas uma deferência ao canhão automático de 30 mm, modelo GSh-30-1 com 180 (cento e oitenta) projéteis, ou quem sabe a sua boa agilidade, considerando seu tamanho. Pela sua capacidade de combustível interno e armamento transportado poderia ser facilmente classificado como bombardeiro, mas a tradição não é essa, como foi com o F-111 americano ou mesmo o Su-24 russo. Acredito que o Su-34 poderá substituir também os Tupolev Tu-22M, tanto nas missões ar-terra como ar-mar. Sem… Read more »

Ivan
Ivan
8 anos atrás

No sítio SISTEMASDEARMAS há uma matéria detalhada sobre o desenvolvimento do Su-32 ou Su34 que chama de Strike Flanker.

Quem quiser conferir, segue o link:
http://sistemasdearmas.com.br/ca/su32-01.html

Sds,
Ivan.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini disse:
2 de março de 2012 às 10:36

Não, se comprarmos o Rafale! Estaríamos de igual para igual (não que estou dizendo que vamos atcar as Malvinas é claro que não, a compração aqui é Super Trunfo mesmo). Já se comprássemos o Gripen…melhor não escrever para não ser chamado de petralha…

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
8 anos atrás

Marcelo, você está certo disso? Até algum concorrente do F-X2 chegar aqui em quantidade (tanto faz se for Gripen, Rafale ou Super Hornet, me abstenho dessa discussão um tanto inócua sobre qual deles é melhor pra nós), o treinamento dos pilotos estar completo e acumular um tempo de operação suficiente para se saber explorar as melhores características das máquinas… Até esse longínquo ano os Typhoons ingleses, que já são uma realidade operacional hoje, provavelmente estarão ainda mais avançados em sistemas e armamentos, podendo fazer muito mais do que missões de defesa aérea. E, se vacilar, os F-35 já estarão operando… Read more »

Vader
8 anos atrás

Três esquadrões desse na MB e poderíamos de fato controlar todo o atlântico sul.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
8 anos atrás

Vader, Controlar eu duvido. Iríamos negar (ou dificultar) o uso do mar em uma faixa contígua considerável a partir da costa, para embarcações de superfície. Inegavelmente de forma muitíssimo maior do que hoje e um tanto melhor do que com algum dos três caças do F-X2 equipados com mísseis antinavio. Controle de área marítima (o que concluo de suas palavras “controlar todo o atlântico sul”) é outra coisa. E, no caso de uma área tão grande e com as distâncias da costa envolvidas, esse controle só pode ser feito por uma frota de superfície. O resto é negação do uso… Read more »

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

A gente não dá conta nem do mar territorial quanto mais do Atlântico Sul. Por falar nisso, alguém sabe informar se os franceses mantém caças na Ilha de Santa Helena? Sempre penso nisso quando vou daqui pra África e encontro aquele pedaço de terra no meio do nada.

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Nunão, Bem lembrado. Só para ilustrar segue o link com desenho do globo terrestre mostrando a distribuição de todo o Atlântico (só para não chamar de mapa 🙂 ): http://www.guiageo-mapas.com/globos/oceano-atlantico.htm Se observamos ‘lá em cima’ entre a Groelândia – Islandia – Reino Unido, veremos uma porção de mar gelado que é chamado de Falha GIUK. Neste pedacinho de mar muito menor que o trecho entre Recife e Dakar a OTAN pretendia deter a passagem de submarinos com mísseis de cruzeiro e dezenas de bombardeiros da URSS. A quantidade de meios era e ainda é enorme de ambos os lados. Controlar… Read more »

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Corsário,

Santa Helena é parte do território ultramarino do Reino Unido, composto pelas Ilhas de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha.

Aparentemente não tem sequer aeroporto, então só poderia usar Harriers… he he he… mas estes além do pequeno alcance foram desativados da RAF e da Royal Navy. 🙂

Sds,
Ivan.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Jura que a Ilha é da Rainha? Ia morrer jurando que aquilo era dos franceses. Não foi lá que prenderam o Napoleão?

Mas tomara que esse aeroporto fique pronto mesmo. Em caso de uma emergência uma aeronave comercial teria um local para pousar no meio do Atlântico Sul.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Corsário, foram os ingleses que prenderam o Napoleão. ..em uma ilha inglesa.