Linha de montagem do ‘Platypus’ (Su-34)

    431
    6

    Nas fotos, uma fábrica da NAPO, com uma linha de montagem de jatos Su-34 “Platypus” ou “Fullback” (designação da OTAN).

    6
    Deixe um comentário

    avatar
    6 Comment threads
    0 Thread replies
    0 Followers
     
    Most reacted comment
    Hottest comment thread
    6 Comment authors
    Mauricio R.Taz MirandaVadercristiano.grHamadjr Recent comment authors
      Subscribe  
    newest oldest most voted
    Notify of
    Baschera
    Visitante
    Baschera

    Monstruoso….. dá para fazer “um baile” a bordo deste caça-bombardeiro, que alías já vem com banheiro…..

    Sempre disse que o Su-34 é o mais belo e talvez mortal do vetores russos.

    Sds.

    Hamadjr
    Visitante
    Hamadjr

    As fotos contrasta com o estereótipo “rodiuliano” no que diz respeito ao russos,

    cristiano.gr
    Visitante
    cristiano.gr

    Será que é essa a fábrica que o ex-vice-presidente José Alencar visitou e disse que não servia nem para fazer sapatos, desqualificando de vez o SU-35 no FX2? A fábrica parece muito adequada e os aviões que fabrica, nosso país, por enquanto, só sonha em fazer igual.

    Vader
    Visitante

    Bem legal, mas se vê que é um negócio meio que… artesanal.

    Essa sim era a aeronave perfeita pra aviação de caça naval. E dane-se o Porta-Aviões.

    Taz Miranda
    Visitante
    Taz Miranda

    Caros.

    Sem querer criar polêmica, mas no que tange a processo fabril de um produto com alto valor agregado como o em questão, as instalações estão bem aquém do esperado, principalmente tratando-se do nível tecnológico envolvido no produto. Não estou criticando nem o produto, nem o fabricante muito menos o país, mas que há a necessidade de uma melhor estrutura para a validação do processo, isso não há dúvidas. Lembrando que observo isto apenas olhando as fotos.

    Mauricio R.
    Visitante
    Mauricio R.

    Tb não fiquei assim tão impressionado e considerando que os então soviéticos ao ocuparem as bases aéreas da Luftwaffe, na Alemanha após a guerra de 1939-45, nem se deram ao trabalho de passar uma demão de tinta nas paredes dos hangares, não duvido de nada.