Home Aviação de Caça F-X2: um gosto ‘AMARG’ na boca

F-X2: um gosto ‘AMARG’ na boca

324
58

F-16 no AMARG

Na imagem capturada do Google Earth, centenas de caças F-16 armazenados no 309th Aerospace Maintenance and Regeneration Group (AMARG), localizado na Base Aérea de Davis-Monthan, Tucson, Arizona. Clique na imagem para ampliar.

Com as perspectivas sombrias da economia e da política no País e um possível cancelamento do Programa F-X2, a alternativa para a substituição futura dos Mirage 2000 e F-5M mais velhos da FAB pode ser a aquisição de jatos no “cemitério de aviões” americano. As aeronaves de patrulha marítima P-3A Orion da FAB também foram adquiridos no AMARG e depois modernizadas.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

Não obrigado. 15 a 20 anos atrás seriam mais que bem vindos, mas agora temos toda a condição de comprar equipamento moderno novo de fábrica, basta assinar os papeis.

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Neste caso os prováveis “vencedores” do FX-2 seria a LM/Elbit…. esta última a eterna capacitadora de aviônica da FAB.

Aliás, falando nisto, onde está o vôo de apresentação do primeiro A-1 modernizado pela EMB ??

Dizem que a integração do sistema de armas deu páu… e tiveram que char os israelenses as pressas…..

Mesma coisa com os A-4 da MB….

E assim vamos indo… remendando e colando !

Sds.

joao.filho
joao.filho
6 anos atrás

“basta assinar os papeis” Ah, se no Brasil fosse assim tao facil…

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
6 anos atrás

contei 232 unidades na foto… impressionante. Alguns parecem que estão com tanques sob as asas, é isso mesmo ou estou enganado ?

Clésio Luiz disse:
10 de julho de 2013 às 12:22

Concordo com você, o país tem condições de comprar equipamentos novos de fábrica, mas não temos governantes a altura; por isso acho que a FAB deveria pensar em caças usados em uma compra com recursos próprios.

Darkman
Darkman
6 anos atrás

Esse deve ser o nosso caminho.
Espero que não comprem tudo e deixem alguma coisa para a FAB.
Pelo andar das coisas estamos caminhando para F16.

Pensem melhor do que os F5 eternos podem descansar no musal.

asbueno
asbueno
6 anos atrás

Senhores, penso que, se não houver outra saída e tivermos que adquirir aeronaves usadas, estas deveriam ser Gripen C/D, em que pese os F 16 possuírem um desempenho melhor. E est aquisição deveria ser via leasing. Acredito, também, que os Gripen devem ser mais recentes e estar em melhor estado de conservação e, portanto, poderiam voar num prazo mais curto. Considerando estas duas aeronaves, F16 somente se o valor envolvido for substancialmente menor.

Marcos
Marcos
6 anos atrás

Baschera

Pois é! E tem gente que acha que é só ter engenheiro dentro da fábrica e pronto, tá tudo resolvido. Como dizem mesmo? Transferência de tecnologia é de engenheiro para engenheiro, tudo para justificar Ael e Helibras.

Vader
6 anos atrás

Colegas, desfaçamos um engano recorrente, por gentileza, de uma vez por todas: Não existe essa de “comprar com recursos próprios”. A FAB não adquire NADA que seja de algum valor se não estiver devidamente contemplado no Orçamento da União. Muito menos caças de alta performance. A FAB não possui uma “conta-movimento” no Tesouro Nacional, que lhe permita fazer o que bem entender das verbas a ela destinada: tudo é rigidamente destinado, e devidamente controlado pela CGU, TCU e demais órgãos de fiscalização. Portanto, peço aos amigos que por favor esqueçam essa história de comprar Gripen, F-16, ou mesmo mais F-5,… Read more »

Edgar
Admin
6 anos atrás

Interessante notar que existem alguns carros de clientes rondando o pátio atrás de promoções e semi-novos em boas condições, baixa quilometragem, sem vazamento de óleo, etc.

Se vocês perceberem bem, ao lado da segunda aeronave sem o látex, aparecem alguns pixels brancos. Julgando pela proximidade da caminhonete branca e esta Imagery ter sido coletada em 2013, acredito que a possibilidade do menor desses pontos brancos ser nosso comandante da FAB sem o quepe é altíssima.

F - 5
F - 5
6 anos atrás

Vader:

Palavras corretíssimas.
Inclusive em instituições públicas, caso você não utilize o orçamento previsto até o dia 31 de dezembro, a verba volta para a União…

Fighting Falcon E/F
Fighting Falcon E/F
6 anos atrás

Considerando o que temos, seria uma boa pedida a compra de alguns lotes de caças F-16 C/D e vir no pacote a possibilidade de modernização aos moldes que queremos. Assim poderíamos equipa-los com o radar EL/M-2032 com maior capacidade que os Grifo dos F-5M, aviônica similar aos outros caças da FAB, misseis Derby, Piranha II e Python 4 ou 5. Só de possuir maior capacidade de manobrabilidade, ser um projeto uns 20 anos mais novo, maior potência e autonomia é uma solução razoável para os próximos 15 anos até a entrada de um governo sério que conduza a contento nossas… Read more »

asbueno
asbueno
6 anos atrás

Perfeito Vader.

Wagner
Wagner
6 anos atrás

O clima desértico realmente faz muita diferença na preservação das células, ou na prática não muda muito ??

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Se ficarmos sobrevivendo de “tampax” a cada 10 anos, em 2040 os caçadores do 1º GDA serão agraciados com “brevês” da categorial “ALL FIGHTERS”, pois teremos dado a volta ao mundo nos modelos utilizados por nossos pilotos.

Vader
6 anos atrás

Wagner disse:
10 de julho de 2013 às 14:05

Prezado, para responder à sua pergunta basta que você passe por um ferro velho qualquer e veja as carcaças que ficam por anos expostas a chuvas e intempéries climáticas.

Alexandre Galante
6 anos atrás

Pessoal, a FAB vistoriou as células dos P-3A no AMARG em 1999, comprou em 2000 e só em 2002 o presidente FHC autorizou o financiamento de modernização.

asbueno
asbueno
6 anos atrás

Na hipótese de se adquirir tampões ao invés de aeronaves novas, a escolha por F 16 AMARG possivelmente demandará alguns anos para a entrega das unidades. Penso que os Gripen C/D estejam em melhor estado e poderiam chegar bem mais rápido. Alguém pode dizer algo mais sobre isso?

Fighting Falcon E/F
Fighting Falcon E/F
6 anos atrás

Asbueno, Acho que nem os Gripens estariam disponíveis, pois além da documentação, burocracia de liberação e as revisões de entrega, teríamos que modificar o data link, treinamento de equipagens, etc. Considerando como foi feito com o 2000, seria um processo de uns 3 anos após a entrega do primeiro lote para equipar um esquadrão. Mais o período de assinatura e modificação das aeronaves, uns 6 anos! Temos que observar também é o fato da aeronave que for comprada, pode influenciar no tipo de KC que devemos possuir, se for o F-16 temos que adaptar o 767 que compramos (alguém confirma… Read more »

asbueno
asbueno
6 anos atrás

Bom, então, como já se sabia, estamos fubecados…

Considerando a Constituição (e o que ela deve determinar em relação
ao dever da FAB), livro branco etc, o MP deveria processar os responsáveis pela situação em que a FAB se encontra.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  asbueno
6 anos atrás

Asbueno e Fighting Falcon E/F, Não houve nenhuma mudança significativa de equipamentos dos Mirage 2000 quando os recebemos, aeronaves estas no padrão do “estado da arte” da década de 1980, então por que diabos teria que se aguardar alguma mudança importante num item como data link (que aliás o Mirage 2000 nem tem) de caças Gripen C/D que estão já no padrão do “estado da arte” da primeira década do século XXI? O que demorou para receber os Mirage 2000 foi o cronograma de revisões das aeronaves na França, conforme a disponibilidade de retirá-los também do esquadrão que o operava… Read more »

asbueno
asbueno
6 anos atrás

Bom Nunão, então a coisa é mais ou menos assim: os F 16 AMARG são, creio eu, de padrão A/B (na sua maioria), “abandonados” no deserto, precisariam de uma revisão extensa além de uma atualização. Os Gripen C/D, também estocados, além de mais recentes requereriam uma revisão bem menos extensa. O resultado disso seria o recebimento bem mais rápido dos suecos.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  asbueno
6 anos atrás

Asbueno, quem quiser ser otimista ao extremo em relação a prazos de leasing de Gripen C/D pode pensar no exemplo da República Tcheca: Assinatura do contrato em junho de 2004, início dos treinamentos em agosto do mesmo ano e entregas começando em abril de 2005, com todos os 14 jatos recebidos antes do final do ano. Evidentemente, trata-se de um contexto de quase 10 anos atrás, e está aqui apenas como exemplo de solução rápida. O caso da Suíça que citei pode ser talvez mais realista. Atualmente, após cerca de 8 anos de uso, os primeiros exemplares estão passando por… Read more »

Alexandre Galante
6 anos atrás

Asbueno, a USAF mandou mais de 100 F-16C/D para o AMARG.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Alexandre Galante
6 anos atrás

Galante,

A questão é: a USAF mandou-os para o AMARG porque estão com número excessivo de caças, como é o caso da Suécia, ou porque as aeronaves estão num estado excessivo de bagaço?

Até onde sei, o que existe na USAF, USN e USMC com os atrasos do F-35 é um problema de “fighter gap” e não de “fighter excess”.

Fighting Falcon E/F
Fighting Falcon E/F
6 anos atrás

Nunão, Eu considerei o fato de aquisição. Comprando essas unidades até elas concluírem a revisão (que com certeza vão passar), troca de alguns equipamentos para adequação ao que temos (data link, rádios, etc), a entrega das células em três lotes (quatro ao ano) não teríamos o GDA operando plenamente antes de cinco anos (um plano de ação viável diante da morosidade dos assuntos de defesa no país). O prazo é razoável, se conseguissimos em um ano assinar o contrato e treinar pessoal (início de 2014), no ínicio de 2015 teríamos as primeiras células voando em Anapolis (prazo muito otimista). Se… Read more »

asbueno
asbueno
6 anos atrás

Correto Galante, como dito “USAF vai cortar 250 caças”.

Nunão, independente da rapidez com que se faça o acerto e a entrada em operação, o mais triste são as oportunidades perdidas e o motivo dessa perda. Fosse na década de 80, com crise econômica brava, tudo bem. Mas não…

DrCockroach
DrCockroach
6 anos atrás

O orcamento tem varias fases: planejamento (PPA, LDO), autorizacao e empenho (LOA), liquidacao, restos a pagar… Quando os colegas, e eu, se referem a usar orcamento proprio da FAB, nao significa alterar a Lei Orcamentaria Anual (LOA), o que nao eh possivel nesta fase como corretamente apontado (excepto pelas despesas discricionarias que eram de ateh 10%, mas realmente nao sei se ainda eh assim), mas alterar o planejamento p/ o ano fiscal seguinte: isto envolveria uma negociacao entre FAB e SOF. Ou seja, a FAB tem que convencer que eh possivel realocar recursos de “x” (digamos alguns itens de custeio)… Read more »

Fighting Falcon E/F
Fighting Falcon E/F
6 anos atrás

Talvez as versões C/D do Bloco 35/40 já traria um ganho operacional para a FAB e GDA. Independente de integrações ou modificações.
No caso do Gripen C/D seriam ótimas escolhas, mesmo com suas limitações para o tamanho do país, mas considerando que suas “pernas” são mais longas que dos F-5, já estamos em vantagem…

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
6 anos atrás

Fighting Falcon, Entendi a questão de considerar aquisição, mas vale lembrar que os “tampões” Mirage 2000 vieram também por aquisição, e sem qualquer modificação importante de adequação, sendo decididos em 2005 e com o término das entregas em 2008, três anos depois. http://www.aereo.jor.br/2012/12/13/ele-assinou-o-acordo-para-a-compra-dos-tampoes-assistiremos-esta-cena-novamente/ http://www.aereo.jor.br/2008/08/28/ultimos-f-2000-sao-recebidos/ Por que o prazo com o Gripen seria de cinco anos, se mesmo num país moroso como o nosso um caso anterior levou três anos para o processo completo, entre a assinatura do contrato e o recebimento de todas as 12 aeronaves?

claudiocalabria
claudiocalabria
6 anos atrás

Pessoal, observem esta matéria deste site:

http://www.aereo.jor.br/2008/08/24/f-2000-o-gap-filler-da-defesa-aerea-do-brasil/

Voltamos a estaca zero.

claudiocalabria
claudiocalabria
6 anos atrás

A FAB está em absoluto colapso.

Fighting Falcon E/F
Fighting Falcon E/F
6 anos atrás

É Nunão,
Tem razão.
2017 teriamos toda a dotação, considerando a decisão no início de 2014.

eduardo pereira
eduardo pereira
6 anos atrás

Nunao é mais ganho pra FAB comprar F-16 ,ou outro qualquer, usado do que o JF-17 novo ??

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  eduardo pereira
6 anos atrás

Eduardo, Eu sempre prefiro a possibilidade de comprar caças novos, mas não há qualquer compra conhecida de material bélico importante de origem chinesa por parte das Forças Armadas Brasileiras, a não ser uniformes e itens do gênero. Com os russos, que não eram nossos fornecedores habituais, começamos comprando itens como mísseis superfície-ar de pequeno porte (MANPADS) de qualidade já bem comprovada no mundo (e mais ou menos nessa época passamos a cogitar caças, quando modelos russos foram incluídos na concorrência do primeiro F-X), passamos depois a comprar helicópteros também bem cotados mundialmente, e hoje conversamos sobre baterias de mísseis superfície-ar… Read more »

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Falando em AMARG, vejam que foto mais insólita… trata-se de um F-117 invisível….

https://deanoinamerica.files.wordpress.com/2012/02/stealth-fighter-joke.jpg?w=614&h=460

They also have a number of one off aircraft preserved along museum row to show off historic aircraft that were once stored there in larger numbers. One that made me laugh was the Lockheed F-117 Nighthawk Stealth Fighter, the “invisible aircraft“….it was actually just an empty space apart from a couple of wheels with a sign….aircraft humour folks!

🙂

Sds.

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Mas a parte mais bacana do AMARG é onde estão os Convair B-36 Peacemaker…..

https://deanoinamerica.files.wordpress.com/2012/02/b-36-boneyard-1950s.jpg?w=614

Sds.

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Para quem quiser conhecer melhor o AMARG, este site de um fotógrafo tem boas e interessantes fotos…..

http://kristoffertripplaar.wordpress.com/tag/amarg/

…. para se conhecer em um cemitério de aviões !

Sds.

eduardo pereira
eduardo pereira
6 anos atrás

Valeu Nunao, vendo por sua ótica percebo que realmente nao é apenas chegar comprando tem muito mais por detras de uma compra de armas principalmente de um fornecedor novo e a logistica tem tudo a ver (fiz um periodo e quase todo o segundo de logistica na Puc e sei do que voce esta falando,rs).

Luiz Fernando
Luiz Fernando
6 anos atrás

Esse lugar é demais…

Estarei lá em duas semanas. Vou visitar, novamente o museu que fica lá, o PIMA Air & Space Museum. Na minha última visita lembro de ter visto mais de 300 aeronaves, que não desde aviões da segunda guerra, até o SR-71, umas 4 ou 5 B-52´s (uma de cada modelo), Mig´s, Harrier, Tornado, etc, etc, etc…

Não vejo a hora…
LF

Requena
Requena
6 anos atrás

Vem cá, como é mesmo o esquema daqueles caças chineses…
#bateudesespero

Marcos
Marcos
6 anos atrás

“mas não há qualquer compra conhecida de material bélico importante de origem chinesa por parte das Forças Armadas Brasileiras, a não ser uniformes e itens do gênero”

Que são uma lastima!!!

Nick
Nick
6 anos atrás

Se for esses F-16, quem comprem às centenas e retrifitem os mesmos na OGMA e posteriormente um recheio israelense AEL/Elbit. Isso somado à um radar AESA SABR, e teremos um caça que poderia durar pelo menos 15/20 anos. O problema é que apesar das células virem à preço de banana, as modernizações e retrofits não deve ficar barato não.

[]’s

Mauricio R.
Mauricio R.
6 anos atrás

“…a integração do sistema de armas deu páu… e tiveram que char os israelenses as pressas…..”

Aí qndo eu digo que:

#embraerforadofx2,

alguns aqui ficam, digamos assim, indignados; outros falam de OGMA…

Parece, só parece, que a intrometida metida a sabida, é somente metida e intrometida; manjar que é bom…
Orra meu, chamem os israelenses!!!
Mas ela ao menos, manja pacas de aeronaves regionais e executivas.
Assim de uma vez por tdas, aprendamos c/ nossos erros, se optarmos por reformarmos alguns F-16; chamemos a Lockmart!!!

Mauricio R.
Mauricio R.
6 anos atrás

Mas voltando a vaca fria, a USAF pretende modernizar c/ AESA entre outras coisas, uns 350 F-16, fora aqueles outros 150 de Taiwan.
A Boeing está transformando 126 F-16, em zumbís QF-16.

Vader
6 anos atrás

Marcos disse:
10 de julho de 2013 às 23:13

““mas não há qualquer compra conhecida de material bélico importante de origem chinesa por parte das Forças Armadas Brasileiras, a não ser uniformes e itens do gênero”

Que são uma lastima!!!”

Ora caro Marcos, só porque o uniforme chinês do EB solta a tinta na primeira lavada? 🙂

cristiano.gr
cristiano.gr
6 anos atrás

É interessante o fato de não ter sido dado o devido destaque sobre as operações de espionagem americanas das comunicações privadas e governamentais aqui no Brasil. Sempre tive certeza da capacidade americana de espionar toda a comunicação via telefone fixo ou móvel, internet e fax, só que isso era uma coisa que não dava para se falar muito, pois as pessoas mais “bobinhas”, manipuladas e que se acham espertas, mas não sabem nada sobre como o mundo gira, tendem a pontar o dedo e tentam difamar como teoria da conspiração. Agora a coisa mudou, caiu a máscara americana e todos… Read more »

Guilherme Poggio
Reply to  cristiano.gr
6 anos atrás

cristiano.gr disse: É interessante o fato de não ter sido dado o devido destaque sobre as operações de espionagem americanas das comunicações privadas e governamentais aqui no Brasil. Seguem os links Amorim defende o uso de tecnologia nacional para defesa de redes de comunicação do País Celso Amorim reconhece vulnerabilidade do país a espionagem Espionagem e Inteligência. Jogando o jogo Patriota diz que Brasil não concederá asilo a Snowden Snowden aceita oferta de asilo apresentada pela Venezuela Slides da NSA explicam como funciona o programa PRISM NSA e CIA mantiveram em Brasília equipe para coleta de dados filtrados de satélite… Read more »

Max
Max
6 anos atrás

Cristiano:
“Esse assunto vai, mesmo que não pareça, direto de encontro ao assunto do FX-2, pois a espionagem afeta as relações entre os países e da mais folego aos concorrentes”

Que concorrentes seriam esses?
Saiu em vários jornais que a França mantêm uma rede de espionagem sobre telefonia e internet muito semelhante ao modelo empregado pelos americanos .

E se alguém acha que Rússia e China entre muitos outros não fazem a mesma coisa merece uma medalhinha de honra a ingenuidade 🙂

Vader
6 anos atrás

cristiano.gr disse:
11 de julho de 2013 às 13:08

Amigo, sem querer defender a Trilogia, mas acho que você não tem visitado o Blog das Forças Terrestres.

Wagner
Wagner
6 anos atrás

Nosso uniforme é feito pelos chineses ?????

Vc está de sacanagem.

Ou não ????

KKKKKKKKKKKKKK !!!!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Wagner
6 anos atrás

Wagner,

Já foi, mas segundo a notícia abaixo, não será mais.

http://www.forte.jor.br/2011/08/04/fardamento-do-eb-nao-vira-mais-da-china/

Vader
6 anos atrás

Wagner disse:
11 de julho de 2013 às 15:31

Vai por mim parceiro: lamentavelmente não é sacanagem…

Enquanto isso Americana, importante cidade têxtil aqui da minha região, passa por tremenda onda de desemprego.

É o PT preservando a indústria e, dado que se trata no fundo de material bélico, a soberania nacional.

Joner
Joner
6 anos atrás

Uma pergunta aos mestres:

Por quanto sairia um lote de 36 destes F-16 estocados, com um contrato de revitalização e modernização como probe de revoo, radar AESA, data link e rádios compatíveis como o que temos, treinamento, uma certa quantidade mínima de misseis e bombas, tudo feito em solo EUA (para baratear). Não preciso comentar que para isso o Brasil precisaria “sair de cima do murro” e declarar e agir de maneira que deixe claro que esta do lado dos EUA (SEMPRE).

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Joner
6 anos atrás

Joner, Quanto a probe para revo, não sei se seria possível a instalação – apenas vi instalação de sonda para F-16 em tanques conformais como conceito, e nem todo F-16 é preparado para tanques conformais. Quanto aos demais itens, acho que as modernizações previstas para F-16 dos EUA e de Taiwan, que incluem radar AESA entre outras coisas, pode dar uma noção de custos. Os valores abaixo são totais e para grandes quantidades de aeronaves, nem sempre dividir pelo número de aviões mostrado e depois multiplicar por 36 significaria realmente o quanto custaria fazer isso num lote de 36 F-16… Read more »

eduardo pereira
eduardo pereira
6 anos atrás

Que isso Nunao a França mete a faca sem dó mesmo hein!!
Os 36 milhoes de dolares por F-16 nos moldes Taiwaneses esta mais caro que o JF-17 novinho,mas F-16 é F-16 e modernizado,com AESa e armamentos atuais (uns 100 pra FAB ) ficariam joinha !! Ainda lembro de quantas vezes assisti “Aguia de Aço ” só pra ver o F-16 ( assim como Top Gun pra ver o caça dos caças o Tomcat F-14 o qual comprei o dvd pra poder ver trocentas vezes ,rs).

Justin Case
Justin Case
6 anos atrás

Amigos,

Off topic, mas nem tanto:

Thales e os compromissos de transferência de tecnologia em projetos militares:

http://www.digitaljournal.com/article/354159

Abraços,

Justin

eduardo pereira
eduardo pereira
6 anos atrás

Interessante Justin Case, esta transf. de tecnologia vai agregar muito valor e conhecimento pro crescimento de nossa industria de defesa .