terça-feira, março 2, 2021

Gripen para o Brasil

Gripen na Suíça: ‘culpa’ por não aprovarem verba cai em político do FDP

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Gripen F demonstrador - foto Departamento de Defesa da Suíça

Parlamentar favorável à aquisição do Gripen, do partido FDP,  faltou à votação – apesar de aprovada a compra, por apenas um voto não foi aprovada a verba – outro parlamentar do mesmo partido se absteve, e um terceiro, do CVP, também faltou

Segundo o jornal suíço Tages Anzeiger, a falta de votos de três parlamentares do Conselho dos Estados (Senado) do país não permitiu que a compra do caça sueco Gripen fosse sacramentada, tanto com a aprovação da aquisição (que ocorreu) quanto com a da liberação da verba (que não ocorreu por falta de apenas um voto).

O jornal foi atrás do trio para buscar suas explicações para faltar à votação ou se abster, pois os três já haviam se pronunciado a favor da compra do caça. Seria um acidente? Ou foi uma manobra política calculada? Martin Schmid, do partido FDP (sigla em alemão para o antigo “Freisinnig-Demokratische Partei”, que desde 2009 se autodenomina “Die Liberalen”), disse que não compareceu pois tinha uma importante reunião. Jean-René Fournier, do CVP, aparentemente se ausentou devido a uma reunião do painel de seguros da Helvétia – e teria avisado de sua ausência com bastante antecedência, embora estivesse comprometido com a compra de caças.

Já Ticino Fabio Abate, outro membro do FDP, compareceu mas se absteve de votar. Este informou que se absteve por não se satisfazer com a qualidade do dossiê sobre o assunto. Abate (nota do editor: nome curioso, pois pode-se dizer que sua abstenção “abateu” a aprovação das verbas) disse que não está claro que efeito a compra de caças terá em outras áreas da defesa, e que por isso não poderia concordar.

Enquanto isso, embaixador sueco e Saab permanecem otimistas quando à aquisição do Gripen pela Suíça

 –

Gripen F demonstrador em voo de testes - foto 2 Depto Def Suíça

O embaixador sueco Thöresson, cujo escritório fica a cinco minutos do Parlamento Suíço, vem acompanhando de perto. E, no balanço entre a aprovação da compra do caça pelo Conselho dos Estados, porém sem ter conquistado a maioria na votação para aprovar a verba, ele permanece otimista quanto ao negócio chegar a um bom termo. Ele esperava uma maior quantidade de votos favoráveis à aquisição, mas sua experiência de seis anos na Suíça indica que as coisas andam devagar na política local.

O embaixador permanece otimista e tranquilo, pois acredita que a Suíça está dizendo sim à compra do caça pois um sistema ao mesmo tempo “melhor e mais barato” não existiria hoje. Também otimista permanece a empresa Saab. O porta-voz da companhia, Mike Helmy, disse que apesar dessa recente dificuldade, tudo permanece nos trilhos: “É o direito das instituições suíças decidirem o que consideram correto, e respeitamos isso.” As aquisições do novo Gripen E pela Suécia e pela Suíça estão interligadas, pois se esta última resolver não comprar o caça, o Governo Sueco poderá também desistir de sua decisão de adquiri-lo.

A votação também foi acompanhada de jornalistas suecos, pois esse debate na Suíça é acompanhado com grande interesse em seu país. O negócio é muito importante para a Suécia, na opinião de Christopher Wendig, da TV sueca. Isso porque também há um debate no país, com muitos se mostrando contrários a gastar no programa da nova geração do jato. Assim, uma decisão na Suíça também vai influenciar o debate na Suécia.

FONTES: Tages Anzeiger e SFTV (compilação, tradução e edição do Poder Aéreo a partir de originais em alemão)

FOTOS: Departamento de Defesa da Suíça

NOTA DO EDITOR: mais uma vez, pedimos desculpas ao leitores pela exploração do nome do partido em alemão no título e texto, mas é quase impossível resistir.

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

Kkkkkkkk 🙂

Luis

Mas que FDP!!!

Rodrigo DS

‘culpa’ pela não aprovação da verba cai em político FDP

Rsrsrsrsrs……

É o que mais tem aqui no Brasil é o que mais acontece no Brasil…..

Jakson de Almeida

Esse deputado é(literalmente)um FDP.

Nick

Tinha que ser um FDP ….. SAUHAUSHAHUASUHA! 🙂

Mas sério, ao que parece agora a verba só com referendum, e ae a demagogia vai rolar solto. No meu entender existe risco de não sair.

[]’s

Fabio

Esse partido é suíço mesmo? Tem certeza que não é algum daqui?

jacubao

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA… Essa do FDP foi muito boa.

- Advertisement -

Combates Aéreos

SIMULAÇÃO: Gripen NG versus Sukhoi Su-30MKV

Em 2009, visando a concorrência de caças para a Noruega, foram realizadas 50 simulações envolvendo o caça Gripen NG...
- Advertisement -
- Advertisement -