domingo, dezembro 5, 2021

Gripen para o Brasil

M-346 Master: Itália assina contrato de 220 milhões de euros

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

M-346

Contrato é para os primeiros seis M-346 Masters destinados à Força Aérea Italiana, e inclui simuladores e suporte

A Finmeccanica anunciou em Roma, no dia 10 de novembro, que assinou um contrato no valor de 220 milhões de euros para fornecer à Força Aérea Italiana seis treinadores avançados a jato M-346 Master (que deverão receber a denominação T-346A) e simuladores de voo, compreendendo um sistema integrado de treinamento. O anúncio foi feito por meio da Alenia Aermacchi (subsidiária Alenia Aeronautica) e ARMAEREO (Direzione Generale per gli Armamenti Aeronautici – Direção Geral para Armamentos Aeronáuticos).

O contrato também inclui apoio logístico, treinamento de pessoal militar e construção de parte da plataforma de infraestrutura logística que será usada para treinamento e operações em terra: salas de treinamento multimídia e hangar para serviços de manutenção na Escola de Voo de Lecce.

Os dois primeiros M-346 deverão ser entregues no final de 2010, inicialmente para o Departamento de Testes de Voo da Base Aérea de Pratica di Mare, onde serão realizados os primeiros testes operacionais. Até o final de 2011, a Força Aérea Italiana deverá receber outras quatro aeronaves.

Segundo a empresa, este contrato faz parte de um acordo maior, que inclui 15 aeronaves e respectivo suporte logístico. Além disso, informou-se que diversos países do mundo estariam avaliando o M-346 Master para suas necessidades de treinamento, o que inclui os Emirados Árabes Unidos, que recentemente anunciou a aquisição de 48 exemplares – o contrato para os mesmos estaria em finalização.

M-346

FONTE / FOTOS: Alenia Aeronautica

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan

Que bela machina!

Ivan

Este pode ser um LIFT para a FAB, bem como ter uma versão monoposto, com mais combustível, para ser um caça leve para FAB, formando com o novo FX-2 uma composição HI/LOW. O M-346 Master é irmão gêmeo do Yak-130. A Yakovlev, por sua vez, apresentou uma proposta de uma versão monoposto, Yak-131, armada com um canhão de 30mm, 3.000 kg de bombas, foguetes e mísseis, além de aviônica com radar Moskit 2. A Alenia Aermacchi seguiu caminho diferenta da Yakovlev, mas o avião é basicamente o mesmo. Seus controles são Fly-By-Wire; Os motores são Honeywell F124, montados na Itália;… Read more »

casag

Belíssima! Dava um bravíssimo caça leve, heim Ivan?

Ivan

Bravo, bravíssimo…

Felipe Cps

Ó o AMX Tunadão aí ó…

Clésio Luiz

O brigadeiro Sato disse em entrevista à revista Asas que a FAB comprou mais unidades do F-5F (os jordanianos) para substituir os Xavantes. E me parece ser assunto fechado porque ele disse que essa questão foi amplamente discutida na FAB. Ou seja, a garotada passara dos ALX direto para o F-5F. O que parece estranho nessa história é que, pelas minhas contas, a FAB tem agora 6 unidades dos F-5F. Será que a FAB vai optar por converter unidades do F-5E jordanianos em F-5F?

casag

Realmente tem bastante do AMX… Êles aproveitaram bem melhor a experiência.
Uma coisa que os colegas que conhecem um pouco de aerodinâmica poderiam comentar: prá que aquela deriva tão alta?

Ivan

Amigos, Defendo a necessidade de um Caça Leve e um LIFT moderno. Defendo uma linha de frente HI/LOW. Mas sei que tudo depende do resultado do FX-2. Se o vencedor for o Gripen NG, o principal caça já será bastante leve, matanto a necessidade de adaptar um LIFT para a função. Precisaria apenas do LIFT. Se o vencedor for o Rafale ou SH a questão passa a ser pertinente, pois são caças mais pesados (peso médio na verdade), bimotores e de operação mais cara (sem choro, por favor). A Northrop tem um programa de conversão de F-5E em F-5F. Se… Read more »

RodrigoMF

Está na proposta da Boeing a ajuda para converter F5E em F5F.

Felipe Cps

Ivan em 11 nov, 2009 às 17:24:

Ô loco Ivan, SH “peso-médio”??? O que é um peso-pesado pra vc então? B-1??? 🙂

No mais, concordo com suas colocações. Mas pelo jeito o LIFT da FAB será mesmo o F-5EM, e por um bom tempo ainda…

Abs.

Ivan

Felipe, É apenas uma classificação pessoal. Não devia ter escrito. Mas é que eu considero peso-pesado os monstros F-15 (todas as letras) e SU-27 (todos os derivados). Tanto pelo peso, como pelas dimensões. Resquícios dos antigos conceitos levados apenas pelas dimensões do que estava sendo analisado. Por exemplo: Carros de Combate, eram simplesmente leves, médios e pesados. Mas de um certo tempo para cá falamos em MBT – Main Batle Tank, algo como Principal Tanque de Batalha. O mesmo conceito talvez possamos aplicar aos caças, algo como principal caça de batalha, independente do peso vazio (8 à 16 toneladas) ou… Read more »

JACUBAO

Seria um belo substituto dos Xavantes.

Últimas Notícias

Os jatos mais avançados da Força Aérea dos EUA podem estar vulneráveis ​​devido às suas próprias armas

A Força Aérea dos Estados Unidos tem algumas das aeronaves mais sofisticadas do mundo e está desenvolvendo jatos mais...
- Advertisement -
- Advertisement -