terça-feira, setembro 28, 2021

Gripen para o Brasil

VÍDEO EXCLUSIVO: A história do caça F-5 – parte 5

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Depois da USAF e da NASA o T-38 foi adquirido pela República Federal da Alemanha. A Lutfwaffe encomendou 46 T-38 juntamente com 47 T-37 para treinamento básico. Assim que essas aeronaves deixavam a fábrica da Northrop elas eram enviadas para a Base Aérea de Sheppard, estado do Texas, onde se encontrava a unidade de treinamento de jatos da Lufwaffe.

Jovens pilotos alemães indicados para o curso de jatos permaneciam por 53 semanas em Sheppard. Além de instrução teórica eles voavam 132 horas no T-37 e em seguida outras 130 horas no T-38. Ao final do curso os pilotos seguiam para a Base Aérea de Luke, no Arizona, para o curso do F-104 Starfighter, ou voltavam para a Alemanha para voar o Fiat G-91.

As aeronaves alemãs eram todas pintadas com as marcações da USAF. Elas foram integradas ao inventário da Unidade de Treinamento da USAF e não havia aeronaves exclusivas.

Em 1969 a Marinha dos Estados Unidos selecionou o T-38 para a sua escola de formação de pilotos de testes. Cinco aeronaves foram adquiridas para uso no Centro Naval de Testes Aeronáuticos da Patuxent River (Maryland).

Portugal, Coreia do Sul, Taiwan e Turquia também receberam jatos de treinamento T-38, mas estes eram todos usados e provenientes do inventário da USAF. Destes, somente a Turquia continua a utilizar o jato até hoje.

Alguns T-38A da USAF foram modificados para o padrão AT-38B. Eles podiam empregar determinados armamentos a partir de uma única estação sob a fuselagem. As aeronaves eram empregadas para a prática de lançamento de bombas, foguetes ou disparos de armas de tubo.
Para permanecerem em atividade no século XXI os T-38A sobreviventes da USAF foram submetidos a um programa de modernização. Os aviões receberam reforços estruturais, painel com novos aviônicos e substituição de determinados componentes dos motores. Até que o seu substituto esteja totalmente operacional, o Talon continuará a formar pilotos de jatos pela década de 2020 e em breve completará 60 anos de atividade.

Na década passada a Turkish Aerospace iniciou o processo de modernização dos T-38 da Força Aérea Turca com novos aviônicos. O primeiro exemplar do T-38 ARI foi entregue em 2012. Estes aviões serão eventualmente substituídos no futuro por um jato de projeto local chamado Hurjet.

- Advertisement -

7 Comments

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

Uma das modificações que o T-38 sofreu ao longos das décadas de serviço, foi uma nova tomada de ar, mais eficiente, que foi desenvolvida pela NASA.

Last edited 11 meses atrás by Clésio Luiz
Wagner

Projeto bom é assim. Quase todas as aeronaves contemporaneas a ele ja foram substituidas 2 ou mais vezes e o Forever ainda continua muito útil!

André Sávio Craveiro Bueno

Aeronave muito elegante, além de robusta e de fácil manutenção. Esses dois últimos atributos contribuem muito para a quantidade ainda em voo [T-38 + versões F-5]. E essa quantidade em voo mantém o fluxo de sobressalentes.
Sobre esta última questão, a saída dos T-38 da USAF deverá causar um belo golpe mas está ainda distante no horizonte.

Ivanmc

Muito bom o vídeo! Parece os documentários do Discovery, os quais eram ótimos antigamente.
Estou aguardando a parte que deverá falar sobre o F-5G. Se for possível, é claro.

Marcos Cooper

e sobre os F-5C/D da USAF do Skoshi Tiger!

nonato

Últimas Notícias

Zhuhai Airshow 2021: Apresentação do caça stealth Chengdu J-20

Pela primeira vez, o caça J-20 da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China (PLAAF) equipado com...
- Advertisement -
- Advertisement -