Home Aviação de Ataque Egito encomenda caças Sukhoi Su-35

Egito encomenda caças Sukhoi Su-35

8800
175
Caças Sukhoi Su-35
Sukhoi Su-35

O Egito encomendou uma série de caças multifuncionais Sukhoi Su-35, informou o jornal de negócios russo Kommersant em 18 de março.

O jornal citou dois altos oficiais de defesa dizendo que a encomenda para “mais de duas dúzias” de caças foi finalizada no final de 2018, com entregas previstas para 2020-21.

Acrescentou que o acordo é estimado em cerca de US$ 2 bilhões.

O Su-35 é o caça operacional mais avançado da Rússia. Ele também está em serviço com a Força aérea Chinesa e foi encomendado também pela Indonésia.

É um jato de combate de geração múltipla 4++ super manobrável produzido na Rússia e desenvolvido como um aperfeiçoamento dos aviões Su-27 monoposto.

Está equipado com um radar phased array e propulsores de empuxo vetorado. Pode desenvolver uma velocidade de até Mach 2.25 e tem um alcance de 3.600 quilômetros.

O avião de combate está armado com um canhão GSh-30-1 de 30mm e tem 12 pontos duros para transportar bombas e mísseis.

175 COMMENTS

    • O caça é ótimo, o suporte não se sabe pois em diversos países que compraram equipamentos russos (Brasil, Venezuela, Coréia do Sul entre outros) houve dificuldades e críticas sobre assistência técnica.

      • Já ouvi falar também sobre isto, no entanto acho estranho vender tanto mesmo com este suposto problema ?

        Ou então este problema não é tão grande como se alarde-a ?

      • O problema se chama $$$$$ ninguém vende peças de graça, quando falam em pós venda russo,logo já vão criticando os Russos sem analisar os fatos; a índia esta com mais de 20 Su-30MKI aterrados sem capacidade de voar,pois já venceu a revisão de 1200 horas, a responsável da revisão e a estatal HAL (responsável de revisão de todos os caças da IAF) e ela só tem estrutura para revisar um certo numero de caças por vez, vão culpar os Russos agora?
        Revisar equipamentos da Venezuela um país que nem grana para o papel higiênico tem ?
        Pergunta se o Brasil esta tendo problemas de disponibilidade dos Sabres agora….

        • Parte da culpa é a burocracia Russa. Já teve um tempo em que os Sabres ficaram aterrados por falta de manutenção causada pelo atrasado de peças enviadas da Russia devido a sua própria burocracia (o pagamento foi feito corretamente) dos Russos. sendo que um sabre foi canibalizado inclusive. (hoje todos os helicópteros estão operacionais e funcionando) mas que o atraso acontece, sim, acontece. Isso não é tanto pela incapacidade dos russos de suprir, mas como já foi dito, pela sua burocracia, que faz a brasileira parecer o paraíso.

          • Victor Filipe
            Parte da culpa é a burocracia Russa. Já teve um tempo em que os Sabres ficaram aterrados por falta de manutenção causada pelo atrasado de peças enviadas da Russia devido a sua própria burocracia (o pagamento foi feito corretamente)
            _______

            Sério? )) Você inventou este conto de fadas? Talvez você precise ser lembrado de que 6 helicópteros prontos estavam na fábrica de Rostvertol e esperavam pelo pagamento, só depois de contar sobre isso na imprensa brasileira, a FAB pagou por esses carros e eles chegaram ao Brasil

            __

            Seriously? )) Did you invent this fairy tale yourself? Maybe you need to be reminded that 6 ready-made helicopters stood at the Rostvertol plant and waited for payment, only after telling about it in the Brazilian press, FAB paid for these cars and they got to Brazil

          • Tirei isso dos meus próprios olhos que vi… sou de Porto Velho Rondônia. onde os sabre são baseados na BAPV. esse fato do aterramento por falta de peças é relativamente conhecido. mas como falei, já foi tudo solucionado

          • Fazer uma analise preditiva junto aos Russos, para descobrir quais as peças que apresentam defeitos ou com quantas horas de voo, devem ser substituidas as peças X, Y ou Z e ter sempre essas peças na prateleira.
            Eu chamaria de logistica preditiva.
            Trabalhei em uma empresa de tratores e existia um sistema que fazia mais ou menos isso.
            Era estabelecido um limite minimo para peças de reposição e para linha de montagem.
            Quando esse limite era atingido, o sistema gerava uma ordem de compra que era enviada fisica e por email para o fornecedor.

          • Burocrácia tambem tem muita no Brasil. Se uma peça por causa da burocrácia demora 2 meses para chegar, o correto e voce fazer o pedido com 3 meses de antecedencia e já ter uma extra no estoque para emergencia. Agora querer a peça no dia seguinte em que você precisa dela acho que ninguem consegue. O nome disso e logistica.

          • Planejamento……faz uma compra politica não compram nenhuma peça sobresselente , ai depois de alguns anos operando o aparelho descobre que as peças se desgastam, vão comprar e querem que cheguem no mesmo dia…..
            Uma piada, ainda bem que resolveu…

          • Não foi isso o que o Caiafa disse. Ele conversou com militares e disse que o suporte era ruim por causa dos russos. Na Venezuela também pouco tempo depois que os Sukhois chegaram.

            Não entendo essa necessidade de contrariar a opinião dos profissionais envolvidos. Se fosse só com um país tudo bem, mas são vários.

          • Não foi isso o que o Caiafa disse. Ele conversou com militares e disse que o suporte era ruim por causa dos russos. Na Venezuela também pouco tempo depois que os Sukhois chegaram.
            ___
            Who did you talk to? ))) Do you think people are idiots? ))) What can be told fictional stories?

            Com quem você conversou? ))) Você acha que as pessoas são idiotas? ))) O que pode ser contado histórias fictícias?

          • Rustam, conta então a verdade para nós, ficamos muito curiosos. Mas com todos os detalhes, pelo teor do seu post dá para ver que Você é o especialista da área, provavelmente o provedor de assistência Russo coordenando a operação no Planeta Terra… conta em português e inglês por favor.

          • Fazer uma analise preditiva junto aos Russos, para descobrir quais as peças que apresentam defeitos ou com quantas horas de voo, devem ser substituidas as peças X, Y ou Z e ter sempre essas peças na prateleira.
            Eu chamaria de logistica preditiva.
            Trabalhei em uma empresa de tratores e existia um sistema que fazia mais ou menos isso.
            Era estabelecido um limite minimo para peças de reposição e para linha de montagem.
            Quando esse limite era atingido, o sistema gerava uma ordem de compra que era enviada fisica e por email para o fornecedor.

          • Fazer uma analise preditiva junto aos Russos, para descobrir quais as peças que apresentam defeitos ou com quantas horas de voo, devem ser substituidas as peças X, Y ou Z e ter sempre essas peças na prateleira.
            Eu chamaria de logistica preditiva.
            Trabalhei em uma empresa de tratores e existia um sistema que fazia mais ou menos isso.
            Era estabelecido um limite minimo para peças de reposição e para linha de montagem.
            Quando esse limite era atingido, o sistema gerava uma ordem de compra que era enviada fisica e por email para o fornecedor.

          • O senhor Victor Felipe desinforma.
            Nunca houve canibalização do AH-2 Sabre (Mi-35M).
            Além disto, jamais esteve a disponibilidade em rampa do AH-2 Sabre inferior a 68%.
            Creio que dói para alguns o fato de o desempenho destes vetores serem superlativos na FAB.

            Este vetor já exibiu a marca de 100% de disponibilidade em rampa…

          • Você, de novo, com informação de facebook para afirmar disponibilidade de um vetor militar? É essa sua fonte? Pode ser facebook oficila do esquadrão ou de quem quer que seja….não é reflexo da verdade! Você adora posar de sabido e entendido…na realidade não sabe de nada! Você adora chamar os outros de fanboy…mas, você é um dos maiores deles…só que dos russos!

        • O problema vai além do dinheiro, diversos países tiveram dificuldades, como Coreia do Sul e até China, inclusive alguns anos atrás tiveram problemas de suporte dentro da Rússia.

          Segundo um jornalista os nossos sabres tiveram grande dificuldade com suporte no início, hoje foram resolvidos mas ainda não é perfeito.

          Sobre Venezuela, o problema não é de agora, começou logo que os Sukhois chegaram nos.

          Não somos nós que criticamos, são os operadores.

          • Falta de logistica do comprador. Quem quer e pode, tem estoque de peças de reposição corrente e faz o pedido com antecedência já contando com a demora

      • JPC3
        O caça é ótimo, o suporte não se sabe pois em diversos países que compraram equipamentos russos (Brasil, Venezuela, Coréia do Sul entre outros) houve dificuldades e críticas sobre assistência técnica.
        ______

        Criticism? From whom ? )) From Brazilian sources, tell me more about this? I also remember the tales of M-35m in Brazil that they are not new and bought through a Pakistani intermediary))))

        Crítica? De quem? )) De fontes brasileiras, me fale mais sobre isso? Eu também lembro dos contos da M-35m no Brasil que eles não são novos e comprados através de um intermediário paquistanês))))

          • South Korea has a T-80U, BMP-3, several dozen Ka-3211BC, Mi-17, and an anti-aircraft system based on the Vityaz 350

            and they are working, but in that month the Russian government wanted to buy out the T-80U tanks, the Korean army said no! )) Do not tell tales

            A Coréia do Sul tem um T-80U, BMP-3, várias dúzias de Ka-3211BC, Mi-17 e um sistema antiaéreo baseado no Vityaz 350

            e eles estão trabalhando, mas naquele mês o governo russo quis comprar os tanques T-80U, o exército coreano disse que não! )) Não conte contos

            Vídeo – Dezembro de 2018)) – bem-vindo ao mundo real de Neo

            https://www.youtube.com/watch?v=RnOGseUk1NA

          • Realmente? )) O exército sul-coreano tem um T-80U-BMP-3 – várias dúzias de KA-32, Mi-17 e ZENIT SYSTEM BASED ON o cavaleiro militar russo 350! Basta olhar para os ensinamentos de dezembro de 2018 com tanques russos, tudo está bem lá, assim como com bmp-3

            Sim, 3 meses atrás, o governo russo se ofereceu para comprar os tanques T-80U, o exército de Kourea recusou esse pedido e encomendou peças de reposição adicionais na Rússia – uma surpresa))

            True? )) The South Korean army has a T-80U-BMP-3 – several dozen KA-32, Mi-17 and ZENIT SYSTEM BASED ON the Russian military knight 350! Just look at the teachings of December 2018 with Russian tanks everything is fine there as with the BMP-3

            Yes 3 months ago, the Russian government offered to buy out the T-80U tanks, the army of Kourea refused this request, and ordered additional spare parts in Russia – a surprise))

        • Postei o link mas não saiu. Também tem críticas de jornalista brasileiros que conversaram com os militares.

          Ninguém aqui está mentindo, amigo.

      • JPC3, já li que o real problema é que os russos “classificam” os clientes em diferentes contratos de manutenção. Se você for um cliente “top premium” a manutenção é top de linha. Mas se você contratar uma manutenção com terceiros (bem mais barata) aí você é tratado como um cliente de balcão de uma lojinha no fim do mundo.

      • O Reino, quer ver o Iran, rebaixado. É uma luta geopolítica antiga, pois em 1500, o Império Otomano, já tentara conquistar a Pérsia (Xiita) e não conseguiu. Ao contrário do Iraque, que tem grandes planícies, o relevo do Irã, tem muitas montanhas e dificulta a vida de um invasor.

  1. Interessante a Rússia vender um caça tão avançado para o Egito.
    Sem dúvidas, é o melhor caça da atualidade.
    E mostra, ainda, a influência russa na regão.

    • Nunca vida ou li nenhuma autoridade Egípcia criticarem os K-52K que foram comprados para operar nos Mistral, o que eu li foi uma mídia americana dizer que alguem de um “órgão” americano disse que alguém do Egito disse etc…
      Ou seja o famoso “disse me disse” sem provas ou declaração oficial…Tudo isso para vender 10 Apaches.

      • O melhor é que os mesmos que acreditam nessa lorota sobre problemas nos kamovs são os mesmos que acusam qualquer notícia negativa sobre os EUA de fake news, mesmo quando é o próprio governo americano que está dizendo.

    • Se a experiência do Egito com os equipamentos russos fosse ruim, eles não gastariam tanto dinheiro adquirindo aviões em que não confiassem.
      Só os americanófilos fazem esta propaganda negativa das armas produzidas pela Russia. Quem já comprou e usou, continua comprando e utilizando.

      • Franscisco

        Já é domínio público que o Egito, com armas soviéticas, derrotou os israelenses em 1973.
        A situação só se reverteu com a desastrosa ordem de Sadat de interromper o avanço egípcio e a posterior ajuda maciça americana a Israel.
        Portanto, deixe esse pessoal falar que a caravana está passando.

  2. Fato interessante nesta historia toda é que à alguns meses atrás surgiu a notícia do acidente com o Rafale da EAF, este boato veio da mídia russa, na época o Egito negou (falando que a Rússia queria atrapalhar e vender mais caças), criticaram muito aqui no blog falando que era fak news, mas dias depois surgiu mais detalhes o que corfimaria o acidente, este fato trágico aconteceu exatamente no mesmo dia que o presidente Francês visitava o Egito e supostamente negociava um segundo lote de Rafale…
    Ai esta a verdade, o Egito acabou comprando caça Russo em vez de um segundo contrato com a França, na minha opinião se tornando agora uma das forças aérea mais forte da região, só perdendo para Israel…
    Outro detalhe é que o Egito tem uma ajuda americana superior a U$1,5 bi anual , e compra armas Russas ,Francesas e Chinesas, assim como fazia o Paquistão.

  3. Mas o Egito não é um aliado preferencial dos EUA? E todos aqueles programas Peace Vector que transferiram caças F-16 ao Egito. Geopolítica tá cada dia mais difícil de entender.

    • O motivo principal é não ficar na mão de apenas um fornecedor e sujeito a embargos. No caso do Egito, que está em uma área “quente”, é fundamental.

      • Obrigado pela resposta rápida. O Egito vai ter F-16, Rafale, MIG 29 e Sukhoi 35. A logística disso deve ser bem fácil de gerenciar!

        • e so botar o pessoal da força aerea para trabalhar porque por la o pessoal e voltado apenas para a atividade fim da força aerea e não ficam por ai brincando de repartição publica fiscalizando ate documentação de teco-teco

        • Você deve ter querido dizer difícil…
          Se bem que eu acho isso besteira.
          Se você compra um avião caro, precisa ter as peças, os técnicos treinados.
          No Egito, provavelmente, tudo em uma ou duas bases.
          Qual a dificuldade de ter uns 10 a 20 mecânicos treinados em cada modelo ou até mesmo chamar o fornecedor para auxiliar?
          É comum se falar que padronização facilita.
          Mas grande parte das empresas aéreas têm aviões de diversos modelos, até porque cada um tem suas peculiaridades.
          Já imaginou uma frota só de Boeing 737-7 Max.
          Tudo no chão agora.
          Tudo tem seus custos e benefícios.
          Até porque ter uns 5 a 10 motores sobressalentes seria normal…

          • Sim eu quis dizer difícil. O fácil era só uma ironia. Mas não ficou bem por escrito…rs. Entendo que tanto a padronização e a diversificação tem seus pontos fortes e fracos. Somente fico curioso com Egito comprando material de origem russa. Os EUA vão reclamar? Reclamaram muito com a Turquia comprando material de defesa aérea russo(S-300 eu acho) Se bem que a turquia é membro da Otan. Enfim, como eu disse, Geopolítica!

      • Alexandre Galante, disse tudo. Tem gente que clama por ficar na mão de um fornecedor. Embora o atraso do meu comentário porque li agora. Mas, é isso aí mesmo, simples assim. Elementar. Não se pode depositar tudo o que tem e o que não tem num único fornecedor, é burrice e/ou “lobby-se”, caixa 2…

  4. Esse caça é o ‘bicho’.
    Agora, a Força Aérea do Egito com Rafale, Mig-29, Mig-35 e agora Su-35 está se desenhando como a mais poderosa da região.

      • Se o Egito igualar a quantidade de aviões com Israel, será mais poderosa.
        Se não me engano, Israel tem cerca de 400 aviões de combate, sendo 300 F-16s.
        Um mix de 400 Rafale, Mig-29, Mig-35 e Su-35 seria devastador para esse oponente.
        Sairia caro, mas seria insuperável.

        • É Antônio. A Força Aérea Egípcia está novamente voltando aos seus tempos de glória, de quando era a Força Aérea mais poderosa da região, tanto em qualidade de equipamentos quanto em números, assim como era em 1948, 1967, 1973… e deu no que deu… E olha que não foi por falta de tentativas. Se formos levar para esse lado, acho que poderiam apelidar a Força Aérea Egípcia de ‘Fênix’ porque os caras renascem das cinzas até um patamar de grandeza, apenas para serem dizimados novamente, mesmo contando com aeronaves modernas e superioridade numérica.

          Felizmente eles não tem se engraçado para o lado errado tem várias décadas, e quem sabe dessa vez eles conseguem manter o poderio, né?

        • Egypt is not going to fight with Israel! What are you telling tales considering people idiots! The main problem is the terrorists and Ethiopia at the moment!

        • aí tu olha a história e acorda para a realidade, Israel deitou e rolou encima dos árabes com o melhor que a URSS tinha disponível, Egito e Israel hj são aliados, inclusive com caças egipicios entrando no espaço aéreo israelense quando necessário, com ajuda de israel,

        • O Antonio Reis piloto árabe seja la quem for já apanharam tanto dos pilotos israelenses que nem se tivessem o triplo de caças eles sequer ousariam mexer com Israel, portanto menos, bem menos.É como o pessoal da USAF chamavam eles…Camel Jockey.

        • Acho que você não entendeu a piada Antonio. Se você olhar no mapa, o Egito não fica a oeste de Tel Aviv. A oeste de Tel Aviv está o Mar Mediterrâneo – onde “só tem peixe”.

          • Excesso de preciosismo.
            Se colocarmos o Mapa Mundi, chapado, em linhas gerais, o Egito fica a oeste de Israel.
            Como a Rússia fica a leste da Alemanha.
            É por aí.
            Mas, valeu.

          • Boa… tá certo!!!! Oeste pode ser considerado certo, preciosismo seria dizer Sudoeste ou a Sul Sudoeste de Israel. Faltou nas aulas de historia, mas pelo jeito gostava de geografia!!! Ponto positivo anotado no diário, dessa vez o bilhetinho para casa será com caneta azul com desenho de coração e carinha de sorriso no final da anotação.

  5. Se dizem que não tem almoço grátis porque manutenção deveria ser barata, quem compra tem que ter grana para manter ou então fazer como a China faz, fabricar sob licença.

    • eles apenas gastam com atividade principal da força aerea e não ficam gastando 80% com pessoal e com praticamente nada em modernização e aquisição de equipamento.

        • Provavelmente não torram todo orçamento em pessoal fazendo concurso atrás de concurso sem pensar que tem aeronaves ,bases e equipamentos que prescisam sempre serem modernizados,substituídos e mantidos operacionais acima de tudo,tem que ser racional ou voçe acha normal uma força com 60mil militares e apenas 100 caças e menos de meia dúzia de verdadeiras bases aéreas.

  6. Verdades sejam ditas. o AIM-120C-5 foi disparado no limite do seu alcance. o míssil chegou praticamente morto. não é difícil evadir nessa situação. Qualquer outro míssil no lugar dele poderia sofrer o mesmo destino e isso não seria vergonha incluindo AIM-120D e R-77-1. Disparar um missil no limite do seu alcance só visa fazer a aeronave inimiga manobrar, pois acertar é muito difícil

    (agora se fosse na NEZ seria outros 500)

    • Na verdade, o míssil “voa” e é guiado por bastante tempo apos o propelente acabar. o NEZ é a distancia que o míssil percorre com propelente ativo. NEZ media de um AIM-120D 60Km (NEZ varia muito de acordo com as condições de combate. se uma aeronave estiver fugindo e empregando manobras evasivas a NEZ é consideravelmente degradada)
      Alcance máximo de um AIM-120D 160km

      • Sim, mas com o passar do tempo ele vai perdendo energia e assim capacidade de manobra. você pode entender que até a sua NEZ o míssil iria manter sua velocidade e capacidade de manobra máxima. entretanto quando o combustível acabar (sendo assim, ele saindo da NEZ) ele vai ter sua velocidade e manobrabilidade sendo degradada cada vez mais. por isso que misseis modernos quando vão engajar um alvo a longa distancia assumem uma plataforma de parábola, assim eles sobem e conseguem conservar mais energia usando a gravidade para “cair” sobre o alvo. entretanto isso nem de longe é tão bom quanto o próprio impulso dos motores do míssil

        • Sim, ele teria e sim ele poderia sair, mas como disse. qualquer manobra cobra muito da velocidade fazendo o míssil perder muita energia nesse estagio e por isso é mais fácil de se evadir nessa situação

        • Olha, a gravidade dá uma “forcinha” legal, a depender da altura em que ocorre o ápice da trajetória parabólica e da altura em que o alvo de encontra. Como a gravidade corresponde à aceleração de 9m/s^2, se a diferença de altitude entre o ápice da trajetória do míssil e do alvo for de 1000m, um objeto de 150kg ganha mais 140m/s (540km/h) de velocidade em virtude da aceleração promovida pela gravidade. Obviamente, isso sem levar em consideração resistência do ar.

        • Alias, uma das vantagens do Meteor é justamente o fato dele ter mais controle sobre a propulsão do que os demais misseis. Supostamente, o Meteor consegue interromper a queima de combustível e reiniciar seu motor próximo do alvo para (na linguagem dos corredores) ter um “gás final” na fase terminal.

          • Jacinto,
            Me desculpe mas acho que você tá enganado. Quem é dito ter motor de pulso duplo (que não é o mesmo de “duplo empuxo”) é o AIM-120D e o Derby-ER.
            O AIM-120D nunca foi confirmado e parece que não tem.
            O Meteor tem só um tempo de queima muito maior que a de um Amraam. Provavelmente 3 ou 4 x mais que os 9/10 segundos do míssil americano. É assim que ele consegue ir mais longe.
            O AIM-120C e D adotam um método de incrementar o alcance denominado de “trajetória loft”, contra alvos muito distantes. Isso quer dizer que em vez de irem direto para o alvo eles sobem onde o ar é mais rarefeito e mergulham em direção ao alvo e no processo, recuperam alguma velocidade que os habilitam a manobrarem.

        • Cosme,
          Mísseis modernos com piloto automático avançado baseado em plataformas inerciais de fibra ótica ou semelhantes podem gerenciar muito bem sua energia cinética e em tendo bateria que dure seu alcance pode se estender muito.
          Se você imaginar que um obus pode atingir um alvo a 30 km em ele tendo sido acelerado só dentro do cano (7 metros mais ou menos) verá que não tem nada demais um míssil que acelera por 5 ou 6 km poder ter 160 km de alcance útil.
          O alcance nominal é aferido com o vetor em uma situação ótima de velocidade e altitude, somado ao tempo de duração da bateria térmica e ao tempo de atuação dos fluídos que fazem funcionar os servoatuadores das aletas (caso não sejam elétricos).
          Um moderno míssil ar-ar pode adotar uma trajetória “loft” , subindo e indo em direção ao alvo fazendo uma parabólica, como se fosse um míssil balístico. Com isso ganha alcance e velocidade na descida.
          Quando não faz isso o míssil adota uma trajetória denominada de “proporcional” onde o míssil se dirige ao ponto futuro em que o alvo estará. Esse modo é utilizado em alvo mais próximos.

      • Victor,
        Na verdade o NEZ se estende um pouco mais além do término do propelente. Provavelmente se mantém até uma velocidade de Mach 2.5.

      • A queima é constante mas depois que acaba combustível o míssil segue parte do percurso até o alvo desacelerando gradualmente. Portanto depois da queima a velocidade não é mais constante.

        Segundo algumas fonte o AIM-120 tem combustível para cerca de dez segundos de propulsão, o resto ele faz sem combustível.

        • Apenas 1/4 da trajetória de um míssil ar-ar é propulsada. Os outros 3/4 é sem propulsão, e portanto há uma perda de velocidade no caso do míssil adotar uma trajetória proporcional.
          No caso do amraam cai de Mach 4 pra menos de Mach 2, mas mesmo assim ele “voa” já que suas asas são capazes de sustentá-lo nessa velocidade.
          Exemplo da cinemática de um míssil amraam AIM-120C lançado a Mach 0.9 a 20.000 pés: https://i.imgur.com/n7kH4ok.png

          Se o míssil adota uma trajetória “loft” ou ataca um alvo muito baixo em relação ao lançador ele acelera no mergulho.

    • Victor, esse negócio de mísseis é complicado, quando o míssil erra é porque estava no limite do seu alcance, ou porque estava perto demais como no caso do AIM-9X errando um Su-22 na Síria, eu acho que mísseis errando o alvo é algo até normal, visto que se tem muito mais mísseis lançados do que caças derrubados, por mais que eu confie nos mísseis, é sempre bom carregar uma boa quantidade deles e deixar o canhão lá engatilhado só por garantia.

    • Não precisa ir tão longe para comparar PIB e capacidade de compras de FAs. Fiquemos aqui na América do Sul mesmo. O Chile, um país com mais de 90 % de suas terras ruins para a produção agrícola (daí o apelo às uvas e o esforço em produzir bons vinhos), com poucos recursos naturais, sem florestas, com grande deserto e que possuí FAs mais atualizadas que o Brasil, isso sem falar em rodovias, IDH, cultura da população, educação, saúde, com parque industrial bem menor que o brasileiro. Dão um baile no Brasil.
      Detalhe, lá a moeda é bem desvalorizada em relação ao Dolar, o que é muito bom para o país poder exportar e atraír investimentos. Aqui a imprensa e economistas de meia tigela conseguiram pôr na cabeça da população que temos quer ter moeda valorizada. Será que o Japão e a China estão errados?

      • Olha, sem querer ser antipático, não é bem assim. O Chile renovou sua aviação de caça com apenas 10 F-16 novos e outros 48 F-16 MLU Belgas/Holandeses, ou seja, comprou a maior parte deles USADOS. E é assim no resto das forças, basicamente porque o país não pode sair comprando equipamentos novos. As FA chilenas não são assim tão mais atualizadas que as nossas, arrisco dizer que as do Brasil são mais modernas, salvo a aviação de caça, até o ano que vem, com o início da chegada dos Gripens.

    • PIB do Egito = $ 301,1 bilhões USD (2019)
      PIB do Brasil = $1,929 trilhões USD (2019)

      A diferença é que os militares do Egito compra os melhores equipamentos, seja de quem for. No Brasil só querem se for armamentos vindo dos USA, Inglaterra ou França. Falar em aviões ou armas russas para os militares brasileiros é uma ofensa. Preferem sucatas doadas pelos norte-americanos, mesmo que seja só para servir de enfeite.

        • Aproveitando a ironia do seu comentário, quer dizer que se fosse aquele dos EUA ou Frances sem transferência de tecnologia não seria superfaturados né?

          • Estaríamos voando nele com valor da hora ficando mais caro com peça de reposição, com dependência de melhorias mais caras ainda, sem falar do jabá. O Gripen foi a escolha mas coerente e duvido o MP, TCU quem quer que seja provar que foi ilícito a compra e a escolha.

          • se esqueceu que a” trasferencia de tecnologia” daqui alguns anos vai ter sido em vão porque todo o parque de fornecedores da EMBRAER vai falir ou vai trasferir operaçoes para os EUA ja que ela na pratica deixara de existir em solo brasileiro

      • A diferença é que o Egito não gasta com educação, saúde e previdência nem 1/20 avos do que o Brasil dispende. É um país muito pobre, de gente muito pobre. Embora o Brasil tenha pobreza, e muita, não é nem próxima da do Egito.

    • mas tem que olhar o preço pago pela população miserável do Egito, esse dinheiro poderia ficar num banco que seria emprestado pelo mohamed que ia abrir uma venda de kebab, que venderia para os turistas, mas vira combustível para F16, MIG, E SUKHOI, ou seja eles pagam caro demais por essas armas. os brasileiros perto dos egipcios são ricos.

      • Exato Carlos Campos. O custo dos gastos excessivos de um país com sua defesa, no final, apresenta a sua conta na forma da deterioração na qualidade de vida dos seus cidadãos.

    • Venho afirmando isso há tempos.
      Acostume-se com a nova situação que está se desenhando não só no Oriente Médio, mas no Mundo.

  7. Estranho algumas pessoas falarem que não tem peças de reposição, pois em 2017 o embaixador do Brasil na Rússia, Antônio guerreiro publicou que Brasil estava enteresado em mais um lote de helicópteros de ataque, então não condiz o argumento de falta de peças de reposição.

    • There is no large air brake on the Su-35 !!! Finally, learn the material, and if you do not understand in the Russian systems, it is better to be silent so as not to look ridiculous …
      ——

      Não há freio a ar grande no Su-35 !!! Finalmente, aprender o material, e se você não entende nos sistemas russos, é melhor ficar em silêncio, para não parecer ridículo …

      • Você disse que o Su-35 não tem freio aerodinâmico….e o que o Roberto falou é extamente isso! Ele disse que a função de air-brake é exercida pelo lemes em posições opostas…..mo que foi que ele discordou ou falou diferente daquilo que você escreveu? Você é estrangeiro por aqui…portanto, educação é o mínimo que você deve apresentar! Isso se você aprendeu a ter educação!

          • Seu texto foi mudado? Por quem? Pela tradução? Afinal, você diz que o Su-35 tem freios aerodinâmicos ou não? Lembre que freio aerodinâmico é qualquer equipamento ou superfície móvel que possa ser utilizada para resizir a velocidade da aeronave….no caso que o Roberto falou, o uso dos lemes de forma opositiva funciona como um freio aerodinâmico……se você não entende isso, o problema não é meu…
            Quanto à sua mania de querer mandar que os outros aprendam, pode funcionar para quem você está acostumado a falar…..talvez seja comum no seu país…..mas, educação e polidez é algo que se aprende desde o berço…..se você não é capaz de debater sem usar ironia, deboche e grosseria, restrinja-se à sua pequeneza…

    • O primeiro caça a usar abertura dos lemes em direção oposta como freios aerodinâmicos foi o F-22? Se sim, creio que seu uso pode ter começado para se reduzir RCS, e copiado para outros pelo mesmo motivo.

  8. O que eles poderiam fazer, mas não sei se teriam essa iniciativa, seria comparar a manutenção, custo, sistemas e desempenho de cada tipo de aeronave que possuem, Mig 29, Mirage 5, Mirage 2000, SU-35 em futuro, Rafale, F-16 (A/B/C/D). Comparar o futuro SU-35 com o Rafale seria uma boa analise, poderiam também incluir os antiquados F-16 na comparação.

  9. Sobre a questão de se manter aeronaves ocidentais e russas em uso, a Indonésia aprendeu isso também com uma dura lição.
    No seu periodo comunista comprou aviões de transporte An-12 e depois dos comunistas cairem em desgraça pela crise na queda de produção de bens e uma solução maluca onde decidiram estatizar todas as fazendas e fábricas houve um massacre com 600.000 a 1.200.000 mortos, para exemplo o Gen. Moeldoko pai do Gen. Moeldoko atual entrou em uma cidade e matou 37.000 pessoas, todo os registrados no Partido Comunista.
    A alegação era que no Camboja e Laos os comunistas mataram milhões de pessoas e antes que eles matem é melhor que morram, por outro lado tinham medo de os prender e depois poderem ganhar de novo as eleiçøes e voltar se vingando.
    Os EUA ofereceram ao novo governo o novo C-130B, a Indonésia foi o primeiro cliente internacional e o primeiro país estrangeiro a receber um C-130, mas em condição os An-12 não poderiam ser voados e deveriam ser destruidos, a Força Aérea tinha intenção de voar os dois pois o problema era com os comunistas locais e não com a Rússia.
    No final desativaram todos os aviões russos e receberam a preço de custo e doações uma nova Força Aérea com C-130, mas no episódio do Timor Leste veio a lição, os EUA embargaram todo o suprimento dos C-130 e se eles ainda estivessem voan o An-12 teria sido melhor.
    Por isso hoje voam F-16A/B/C/D e Su-27/30/35 sem medo, pois sabem que não se pode depender de um só fornecedor.

  10. O Egito é um velho cliente de aviões russo. A diversificação de equipamentos é uma estratégia. Em caso de conflito, se um fabricante impor restrições, busca-se apoio do outro. Um grande caça!

  11. Não vou mentir, apesar dos percalços da logística russa, teve uma época que esse caça era o meu preferido e torci para ter ao menos uns 24 Su-35 por essas bandas, pra mim ele está entre os melhores da sua geração, mas hoje eu sou Gripen desde criança, que tirando a desvantagem do tamanho de poder levar menos armas e combustível, não irá dever em nada em se tratando de tecnologia e guerra eletrônica, desconfio até que pode ser ligeiramente melhor que o Su-35, mas é claro não posso afirmar.

  12. Muito mimi… o caça é isso é aquilo, não é , pode ser …. jesuis
    F-22 / F-35… vide F-16 vs Mig-21 …rs
    Pode ser a p~i~k das galáxias aérea… e por N fatores deixar de ser…
    Resumindo o importante é ter o avião caça..ter um sistema de vigilância aérea eficaz..travou no alvo…até o teco-teco Kowsar, rs, é bom…

  13. O egito não opera Mig-29s como alguns estão falando.
    Agora recentemente saiu a notícia que eles iriam de Mig-35 e agora é SU-35, duvido muito que vão operar os 2.
    Se vão de Sukhoi é pq desistiram do Mig.

  14. O Mig-35 não é a denominação dada pela fabricante ao avião inicialmente chamado de Mig-29M/M2? Pelo que eu li, o Egito encomendou 46 Mig-35, com as primeiras aeronaves sendo entregues.
    Se é assim de fato, podemos dizer que o Egito não possui Mig-29 e sim, Mig-35. Mig-35 não é Mig-29, assim como Su-35 não é Su-27….em ambos os casos, as semelhanças externas são quase totais, mas internamente são aeronaves muito diferentes. O mesmo vale para o Gripen A/B/C/D em relação ao Gripen E/F.

    Quanto ao vídeo do link que o Walfrido colocou, há outro em que a aeronave é denominada Mig-35:

    https://m.youtube.com/watch?v=C3jvheShYQc

    • De fato, inicialmente falou-se em MiG-35 para o Egito, mas no fim acabaram vindo MiG-29M(monoplace)/M2(biplace), pela indisponibilidade do primeiro naquele momento.

      Existe muita confusão porque o MiG-29M/M2 e o MiG-35 são externamente idênticos. A diferença estão nos sensores, em especial no radar. O MiG-29M/M2 tem um radar mecânico Zhuk-ME, enquanto o MiG-35 tem um novo radar AESA.

      Aliás, ambos são baseados nos MiG-29K/KUB (aqueles que a Índia e a Rússia têm) só que “desnavalizados”. É tudo parte da mesma família.

    • Na época houve esta dúvida em vários blogs e imprensa especializada, mas depois ficou esclarecido que a versão dos egipcios ainda não é do Mig-35.
      São os melhores Mig-29 produzidos, mas não são Mig-35.
      Conforme foi postado acima o Mig-35 ainda não estava a venda para exportação quando o Egito assinou o contrato, estava na fase de divulgação.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here