Home Equipes de Demonstração Dubai Airshow 2017: estreia da equipe acrobática da Força Aérea da China

Dubai Airshow 2017: estreia da equipe acrobática da Força Aérea da China

2405
16

Os jatos de combate acrobáticos J-10 da Equipe de Demonstração Aérea 1º de agosto da Força Aérea da China atuaram no dia de abertura do Dubai Airshow 2017 em Dubai, Emirados Árabes Unidos, em 12 de novembro de 2017.

Seis pilotos de combate acrobáticos J-10 da Equipe de Demonstração Aérea 1º de agosto da Força Aérea da China demonstraram suas habilidades acrobáticas pela primeira vez na história do Dubai Airshow, que começou no domingo em sua 15ª edição.

A equipe de acrobacias 1º de agosto ou Ba Yi Aerobatics Team é a equipe de demonstração acrobática da Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF). Seu nome é em homenagem à data de fundação do PLA (1 de agosto de 1927), e faz parte da Região Militar de Beijing da PLAAF.

A unidade foi fundada em 1962 e, ao longo dos anos, realizou mais de 500 demonstrações para delegações de 166 países e regiões. Seu primeiro show no exterior aconteceu em agosto de 2013 no evento aéreo russo MAKS.


FOTOS: Xinhua

16 COMMENTS

  1. Se o projeto dele é suíço, o que o pessoal da Novaer, comandante da FAB e Ministério da Defesa do Brasil estão fazendo ao lado do B-250 Bader em Dubai??
    _________
    DUBAI Air Show – Apresentado o CALIDUS B-250

    Desenvolvido pela empresa NOVAER, de São José dos Campos, sob encomenda de um grupo econômico dos Emirados Árabes foi apresentado neste domingo (12NOV2017), no Dubai Air Show, a aeronave Calidus B-250.

    Tanto as autoridades dos Emirados como da Força Aérea Brasileira e do Ministério de Defesa tiveram a oportunidade de conhecer a aeronave. O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Nivaldo Rossato, e o Brigadeiro Crepaldi pelo Ministério da Defesa.

    Ele possui uma aviônica de ponta muito forte para permitir que a aeronave faça suas missões com precisão, disse ele. A aviônica Pro Line Fusion, da Rockwell Collins, terá interfaces gráficas que estão integradas com um HUD digital e janelas de exibição multifunções.

  2. O hungaro Kovács József Gábor, no Brasil Joseph Kovács não projeta mais aviões, tem quase 92 anos e veio ao Brasil em 1948 com 23 anos para fugir da situação na Hungria no pós guerra depois de se formar Engenheiro Mecânico em primeiro lugar na Escola Técnica Superior do Reinado Húngaro.
    No Brasil teve a sorte de trabalhar como 1° assistente do famoso engenheiro alemão Heinrich Focke, que desistiu do Brasil pois segundo ele aqui se aprovam projetos e depois não aprovam verbas para o projeto.
    Kovács participou de vários projetos, mas se destacou no T-25 e T-27, não é favorável a se inventar muita coisa em um projeto, diz que se vc juntar o que tem de melhor em cada avião existente você produzirá um bom avião.
    Seus aviões T-25 e T-27 mostram isso, no T-27 não inventou nada, usando o que tinha de melhor no mundo, aplicando um motor turbohélice P&W Canada e assentos ejetáveis MB instalados em desnível, o mérito foi ter aplicado isto pela primeira vez junto em um avião de instrução avançada, o T-34C e PC-7 ja existiam, mas não tinham o desempenho e os assentos ejetáveis do T-27.
    Uma vez em um projeto estavam viajando no desenho do trem de pouso e ele disse que não tinha o que inventar, o melhor era o do Piper Navajo e fez um parecido para o avião.
    Hoje ele é um consultor da Novaer, mas não trabalha liderando projetos como algumas fontes citam.
    Foto de 2016 com 90 anos quando deixou sua equipe na Novaer tirar sua barba lembrando que em 1980 apostou que tiraria a barba volumosa se fizesse o T-27 voar.
    . https://i.imgur.com/twEr2Mz.jpg

  3. Pessoal, foquem no tópico, tem DUAS matérias sobre o avião B-250 no site, publicadas nos últimos dias.
    Só faz algum sentido discussão fora do tópico quanto não tem matéria publicada a respeito.

  4. PARABÉNS!
    Vejo uma grande nação projetando poder mundo afora, sem dever nada a quem quer que seja.
    Lembro há bem pouco tempo dos comentários feitos por aqui mesmo, no sentido de que seus equipamentos militares soltavam parafusinhos… até pode ser verdade, naquela realidade antanha, mas não vejo a recíproca agora, diante das grandes e eficientes FFAA chinesas.

  5. Nunão 15 de novembro de 2017 at 15:22

    Ué, o vídeo passa minutos narrando o B250? Não parece off-topic. Vou procurar outro post do Rafale para comentar sobre ele. Heheheh.

    Bem, sobre o B250 x PC9… queria entender como um “Projeto da Pilatus” de uma aeronave eventualmente superior a uma das suas e mais competitiva (barata) se materializa na mão da Novaer e vira realidade em poucos anos? Queria entender este mecanismo… prefiro acreditar que o locutor mandou mal.

  6. Walfrido Strobel
    Vida longa aos Antonov, meus prediletos.
    _____________________

    O Lavi realmente é Show.

    Cores das anv’s, horríveis.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here