Home Data Comemorativa Força Aérea Argentina restaura A-4B veterano das Malvinas

Força Aérea Argentina restaura A-4B veterano das Malvinas

813
12

A-4B C222 El Tordillo restaurado pela Área de Material Rio IV - foto 2 Força Aérea Argentina

‘El Tordillo’  foi apresentado nos 70 anos da Aérea de Material Rio IV

Em 15 de agosto, os 70 anos da Área de Material Rio IV da Força Aérea Argentina, organização instalada em Río Cuarto, província de Córdoba, foram comemorados com um feito especial: a apresentação de um jato A-4B Skyhawk restaurado.

Trata-se do A-4B de matrícula C222, denominado “El Tordillo”, que participou em várias missões de sucesso no Conflito do Atlântico Sul (Guerra das Malvinas / Falklands), de 1982. No discurso antes de descobrir a aeronave, o chefe do “Grupo Mantenimiento del Área Material Río IV”, comodoro Julio Ayut, afirmou: “Este avião leva sobre sua fuselagem o nome dos nove heróis da V Brigada Aérea mortos nas Malvinas, como um testemunhos de que nunca esqueceremos seus sacrifícios para conosco. El Tordillo é história e lenda. Quando se fala de Malvinas, sempre alguém se recordará deste A-4.”

A-4B C222 El Tordillo restaurado pela Área de Material Rio IV - foto Força Aérea Argentina

Em seguida, o capitão reformado Carlos Varela, veterano das Malvinas e piloto da última missão com a aeronave, juntamente com os restauradores da Área de Material Rio IV, descobriram o avião, numa apresentação que culminou com o voo de dois jatos A-4AR da V Brigada Aérea, além de saltos da Equipe Militar de Paraquedismo da Força Aérea (EMPARFA), carregando bandeiras da Argentina e da FAA e o encerramento com uma passagem de avião Twin Otter.

A organização que comemorou seus 70 anos é uma das mais importantes instalações logísticas de manutenção dos meios de combate da Força Aérea Argentina.

FONTE / FOTOS: Força Aérea Argentina (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em espanhol)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Iväny Junior
5 anos atrás

Esse ainda não tinha os conformais atrás da cabine? O A-4 sem estes conformais é até bonito. Com eles, parece uma tartaruga ninja.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Isso ai é o que sobrou da F.A. Argentina.

Se não nos cuidarmos, vamos para o mesmo caminho, até porque o contrato do Gripen não foi assinado.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
5 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
5 anos atrás

“Marcos
24 de agosto de 2014 at 17:30 #”

Contrato assinado não significa vetor entregue e operacional.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
5 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
5 anos atrás

Aliás qual empresa faria/integraria hoje um overhaul completo do A 4 ?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
5 anos atrás

Há um livro muito bom, chamado Dios y los Halcones, escrito pelo Cap Pablo Marcos Carballo (hoje Comodoro R1) , piloto de A-4 durante o conflito. Se encontrarem nas livrarias em alguma viagem à Argentina comprem.

sergiocintra
sergiocintra
5 anos atrás

Marcos Um colega do blog, postou uma nota sobre um site de pesquisa sobre compras/ vendas/ negociações de materiais bélicos realizadas pelo mundo – veja não é algo oficial – e naveguei pelo site : http://armstrade.sipri.org/armstrade/page/trade_register.php onde completando o Step1 Supplier(s) – Fornecedores, selecionando United States, e ainda em Recipient(s) – “Compradores”, selecionando Brazil. No Step 2 selecionei o período 2011 a 2013 -período máximo- e efetuado o dawnload, aparecem uma listagem das negociações efetuadas e qual a surpresa em um dos itens mencionados, constando como “Year of order/license 2013 – 36 F414 – A turbina do JAS39E. Não sei… Read more »

sergiocintra
sergiocintra
5 anos atrás

Nunão

Sim Nunão, mas o que chamou minha atenção foi a menção e correlacionei com a situação que o Franco passou na encomenda das turbinas do F-5, ou seja, tinha que ter uma certa antecedência e de certa forma reserva para o tempo de produção e entrega. Como mencionado no site “Ano da compra/ licença”, PODE ser até essa segunda.
A menção é qto. ao caminho a que estamos seguindo. Mas concordo contigo, não afirmação de compra, que aí pareceria antecipar algo que ainda não sabemos.