Home Aviação de Caça Mirage F1 se despede da defesa aérea da França, rumo à desativação

Mirage F1 se despede da defesa aérea da França, rumo à desativação

507
15

Caça Mirage F1 visto de cockpit - foto Força Aérea Francesa

Em 13 de junho, a aeronave deixará oficialmente o serviço operacional na Força Aérea Francesa, embora um último voo de despedida esteja programado para a data nacional de 14 de julho

Na última terça-feira, 4 de fevereiro, jatos Mirage F1 do Esquadrão de Reconhecimento 2/33 “Savoie” da Força Aérea Francesa deixaram de cumprir a missão de alerta de defesa aérea e policiamento (chamada de “permanence opérationnelle” – PO na França), na qual vinham operando desdobrados na Base Aeronaval de  Lann Bihoué (Lorient). Neste último desdobramento em Lorient, operavam em revezamentos sucessivos dois pilotos e cinco mecânicos do “Savoie”, desde 3 de setembro do ano passado.

As aeronaves foram substituídas por caças Mirage 2000-5 do Esquadrão de Caça 1/2 “Cigognes”, também operando desdobradas em Lorient – vale lembrar que o “Savoie” opera baseado em Mont-de-Marsan, enquanto o esquadrão “Cigognes” está baseado em Luxeuil.

Jatos Mirage F1CR franceses desdobram-se no aeroporto de Kaunas na Lituânia - foto MD França

Provavelmente, esta foi a última missão operacional (excetuando-se as surtidas para treinamento e manutenção da proficiência dos pilotos) realizada pelo Mirage F1 na Força Aérea Francesa. Isso porque essas aeronaves, cuja principal atribuição no último esquadrão que as opera na França é o reconhecimento, mas que também cumprem missões de caça e ataque ao solo, já não são mais mandadas para operações no exterior.

A cerimônia oficial de retirada de serviço do Mirage F1 está programada para 13 de junho, na Base Aérea 118 de Mont-de-Marsan. Na França, um último voo desse mítico avião está planejado para o desfile de 14 de julho, data nacional francesa (Queda da Bastilha) no desfile de Champs-Élysées, em Paris. A partir de então, os últimos jatos Mirage F1 da força Aérea Francesa ficarão estocados na Base Aérea 279 de Châteaudun.

Rafale e Mirage F1 no Recce Meet 2013 - foto Força Aérea Francesa

FONTE / FOTOS: Força Aérea Francesa (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em francês)

VEJA TAMBÉM:

 

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vespão
Vespão
6 anos atrás

Linda a´ultima foto do Mirage F1 e Rafale juntos , vetores genuinamente franceses independentes de embargos e coisas e tal …

Virou proteção de tela aqui na empresa …

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Vespão! todaq e qualquer aeronave vem com embargos embutidos, basta você contrariar o governo do vendedor e veras teus avião na “chon”, acontece com americanos, Russos, Ingleses, do Baluquistão, da Moldávia, do Butão e até da França…….

Agora, para il o f 1 é o único da linhagem que deixará saudades, um belo avião, inviabilizado pela arrogãncia, impáfia e ganância da Maison….

Grande abraço

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Roberto F Santana,

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk muito bom…

jairo boppre sobrinho
jairo boppre sobrinho
6 anos atrás

Roberto
Mandou muito bem!

Srs
O F1 era o mais bonito dos Mirage!

Abs

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

Se o Mirage F1 fosse alemão, diriam “o F-104 feito corretamente”. Mas como é francês, a pilhéria é “there, fixed it for you”.

Colombelli
Colombelli
6 anos atrás

Um foguete com asas.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

O projeto do F1 certamente se beneficiou com os cerca de 15 anos que separaram a entrada em operação dos dois. Todo caça dos anos 50 era delicado de voar, geralmente com velocidade de decolagem e pouso equivalentes à velocidade de cruzeiro dos caças da 2ª Guerra. E com características de estol pra lá de perigosas. Os caças de 3ª geração, como o Mirage F1, são muito mais mansos no manejo. Mas eu pessoalmente não vejo nada de muito inovador na configuração aerodinâmica do F1, que já não fosse utilizada nos anos 50, como os spoilers para controle de rolagem,… Read more »

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
6 anos atrás

Poooo… é em um momento desses q o Musal poderia comprar uma unidade de um F1 e mostrar lado a lado a “dinastia Mirage” =D

Imaginem q sensacional seria ver Mirage 3, Mirage F1 e Mirage 2000, lado a lado !?!?!

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Vos Tambien podes !

Brig. Gral. Mario Miguel CALLEJO,

Ponte en alerta de inmediato.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Ponte ou ponga-te ?

Pera ai vou pro GT ….. kkkk ….

Caro Juarez Martinez, Ayuda-me !

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Vespão
10 de fevereiro de 2014 at 11:19 #

Tanto existe e não está restrito à caças, e os argentinos sentiram isso na pele com os Exocet.

Mas é um belo avião com 700 unidades produzidas, um bom caça.

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Ainda essa ladainha de embargo do Vespão? Aff…

Roberto F Santana, sensacional seu post! 🙂

Mauricio R.
Mauricio R.
6 anos atrás

E lá se vai o único Mirage, que algum dia prestou p/ algo!!!
Inexorável.
Desolé!!!
Au revoir!!!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
6 anos atrás

Em 2003 recebemos a visita, em Anápolis, de um Tenente desse Esquadrão, piloto de Reconhecimento Tático, que nos deu uma excelente palestra sobre o emprego do F-1 nessas missões, trazendo, inclusive, fotos de missões reais dele (o Tenente), cumpridas no Iraque.
O POKER estava operando em Anápolis, e foi uma excelente oportunidade para intercambio de informações e aprendizado mútuo. O F-1 utiliza um pod com um radar SAR tático, muito interessante.