Home Noticiário Internacional Custo operacional do F-35A será 10% maior que o do F-16, segundo...

Custo operacional do F-35A será 10% maior que o do F-16, segundo Pentágono

231
32

F-16 e F-35 voando juntos - foto USAF

Dados preliminares de 24 mil dólares por hora de voo foram fornecidos ao Parlamento Holandês

Segundo reportagem da Flightglobal publicada na sexta-feira, 19 de abril, os custos operacionais da versão de decolagem e pouso convencionais do Lockheed Martin F-35 deverão ser aproximadamente 10% maiores que os do F-16, do mesmo fabricante. As informações foram dadas pelo tenente-general Christopher Bogdan, que lidera os esforços o escritório do programa conjunto (JPO – Joint Program Office) do F-35 no Pentágono, como números preliminares fornecidos ao Parlamento Holandês no dia 18.

Fazendo uma comparação entre os custos de hora de voo entre as duas aeronaves, Bogdan indicou em seu pronunciamento que o valor da hora de voo do F-35A está estimado em 24.000 dólares por hora, ou aproximadamente 10% a mais em relação ao custo da hora de voo do F-16. O valor derivou de uma cooperação entre a Força Aérea dos EUA (USAF) e o Departamento de Avaliação de Custos de Defesa & Escritório de Avaliação de Programas. “Suposições básicas comparáveis foram usadas para avaliar custos operacionais relativos entre o F-35 e aeronaves já em uso (legacy)”, informou o JPO.

Dados finais de custos deverão ser apresentados em relatório do Pentágono relativo a aquisições de 2012, agendado para publicação no mês de maio. Mais cedo neste ano, o Chefe do Estado Maior da USAF, general Mark Welsh, disse a repórteres que o JPO estava buscando reconciliar dois diferentes grupos de estimativas de custos: um da USAF e outro da Lockheed Martin. Ambos divergiam devido a suposições diferentes nas quais cada um baseava suas estimativas.

F-35 e F-16 taxiando - foto USAF

FONTE: Flightglobal  (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: Força Aérea dos EUA

NOTA DO EDITOR: o valor de 24.000 dólares por hora de voo para o F-35A não surpreende quem já acompanhou notícias anteriores sobre estimativas e compara com os custos para voar caças de última geração de porte e complexidade semelhante. O que pode surpreender é a hora de voo do consagrado F-16 chegar a um valor superior a 20.000 dólares, caso seja cerca de 10% inferior ao estimado para o F-35A, como diz a reportagem. Estudo da Jane’s sobre o custo de hora de voo de vários caças ocidentais (veja último link da lista abaixo), embora não apresentasse uma média de estimativas distante dos 24.000 dólares por hora para o F-35, trazia um valor praticamente três vezes menor para o F-16.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rafael M. F.
Rafael M. F.
7 anos atrás

Tudo bem que ele foi projetado para levar as armas internamente, que os ângulos de sua superfície foram cuidadosamente desenhados de modo a garantir a “stealthiness”, mas é fato que o F-35 tem uma aparência “gorducha” comparado com um F-16.

Soyuz
Soyuz
7 anos atrás

Mostrem um número sobre o programa F-35 (ou sobre outros programas equivalentes) que depois de alguns anos se prova verdadeiro.

Tudo muda, o orçamento de desenvolvimento, o custo de aquisição, o custo de operação, os prazos, as encomendas, o desempenho. É inerente ao negócio.

Este número é “para Holandês ver”, especialmente em um momento onde por lá a ideia de comprar o F-35 “subiu no telhado”

Nick
Nick
7 anos atrás

Essa notícia é estranha 2X.

Uma por colocar em US24.000 os custos do F-35, quando as projeções são US$34.000.

Outra é colocar o custo do F-16 em US$20.000, fala sério. Quer dizer que a hora vôo de US$5.000 era mito?

Vejo um viés pró F-35 nesssa notícia. 🙂

[]’s

Vassili
Vassili
7 anos atrás

Uma pinóia que o custo da hora/voo do F-35A seja de 24.000 dólares apenas………….. sou mais propenso em acreditar nas estimativas anteriores, que citam 35.000……………

E, quanto ao mesmo custo dos F-16, tb não acredito que a matéria fale a verdade, pois o Falcon foi desenvolvido para ser bem mais barato de adquirir e operar, se comparado aos caças mais pesados de terceira geração.

No meu ponto de vista, esta matéria tem a simples função de enganar um provável futuro operador deste fenomenal caça bombardeiro. Nada mais que isso.

Abraços.

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
7 anos atrás

Considerando que a estimativa foi feita para CONVENCER a Holanda a permanecer no programa JSF…

Está NA CARA que a hora do F-16 está mais que SUPERdimensionada e a hora estimada do F-35A está SUBdimensionada para dar esta diferençazinha de 10% do F-16 que os holandeses operam…

Só acredita nesta peça de puro marketing desesperado desavisado inocente…

Penguin
Penguin
7 anos atrás

Tudo depende das premissas adotadas, ou seja, dos itens que são considerados no cálculo do custo da hora de voo.

De qualquer forma, para se comparar, os itens considerados devem ser os mesmo ou similares:

“Suposições básicas comparáveis foram usadas para avaliar custos operacionais relativos entre o F-35 e aeronaves já em uso (legacy)”, informou o JPO.”

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
7 anos atrás

P.S. Em relação ao atentado de Boston acertei na mosca ao dizer que pela primariedade da bomba só podia ser obra de um grupo “nacional” de caipiras malucos ou de algum descendente imigrante simpatizante sem ligação internacionais.

Dois idiotas chechenos que inclusive eram conhecidos e foram dispensados pelas autoridades. Mas resolveram agir.
O mais novo com 19 anos e cara de adolescente idiota.

Este tipo de “terrorista virgem local” é quase que impossível de se impedir por melhor que seja a sua vigilância.

Vader
7 anos atrás

Não creio que estes números projetados pelo Pentágono esteja muito fora da realidade não. Quanto ao F-16, temos que lembrar que há muito tempo ele não é mais aquele caça barato para exportação que foi no início de sua operação. O F-16 hoje não deixa nada a dever aos caças mais pesados, contendo todos os principais avanços tecnológicos e eletrônicos dos caças mais avançados do mundo. Mesmo as versões um pouco antigas, como a MLU, contém todo o aparato tecnológico moderno. Quanto ao F-35, temos que lembrar que em que pese toda sua modernidade, trata-se de um MONOMOTOR, ao contrário… Read more »

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Imaginem o custo das demais variantes, principalmente a “B’ (STOVL)…. Agora, depende muito da metodologia usada para se chegar a estes números e deve-se levar em conta se houve ou não fatores de projeção de aumento de valores futuros, sejam pela desvalorização da moeda sejam por questões de aumento projetado de custos e mão de obra… ou seja um circulo vicioso. Qualquer maneira, ou os valores do F-16 estão inflados ou os do F-35A estão subdimensionados… parece mais uma tentativa de justificar o que eles não tem certeza ainda sobre o ciclo de vida deste vetor. Por via das dúvidas… Read more »

DrCockroach
DrCockroach
7 anos atrás

Desculpem o off-topic, mas aproveitando o comentario do Gilberto sobre o que aconteceu em Boston gostaria de registrar minha repulsa ao obscurantismo terrorista, mas tb homenagear um heroi, Carlos Arredondo, o Homem do chapeu de cowboy. Ele perdeu um filho na guerra do Iraque e se tornou um pacifista. O times relata que varias vezes foi cuspido e uma vez apanhou quando tentou recuperar a foto do filho de cima de um caixao durante um protesto. No atentado foi um dos primeiros a correr p socorrer as vitimas. Foi ele que aplicou dois torniquetes numa vitima que perdeu as duas… Read more »

Marcos
Marcos
7 anos atrás

O custo total dos F-16 mais antigos (combustível, peças, revisões, horas/momem) provavelmente tenham custos próximos aos F-35, cuja custos de manutenção são ainda pequenos, pois as peças são novas e não precisam ser trocadas, as revisões mais complexas estão longe e por ai vai.

Edcarlos Prudente
Edcarlos Prudente
7 anos atrás

O que o Marcos disse é acertado, o custo de manutenção de um velho F-16 é quase equivalente ao custo de manutenção de um F-35ª novo. Todos sabem o quanto o custo de manutenção de uma aeronave aumenta com o passar dos anos de operação. E isso influencia consideravelmente no custo da hora de voou.

Wagner
Wagner
7 anos atrás

Enganação total, até parece que o F 16 tem 4 motores de um SR71 !! Não passa de mais uma propaganda barata do Pentágono para tentar empurrar a força nos países títeres dos USA o F 35. O F 35 vai ficar mais caro do que isso. E o F 16 JAMAIS FOI TÃO CARO ASSIM. Pelo jeito o Kirchnerismo está avançando no Pentágono também, virou moda manipular números. Além disso, se o custo do F 35 Piramyd já está assim agora, imagine daqui a 10 anos quando as celulas ja nao forem assim tao novas. De qualquer forma a… Read more »

Penguin
Penguin
7 anos atrás

Custo operacionais da USAF, segundo os CRITÉRIOS DA USAF (e não da JANES):

http://www.flightglobal.com/blogs/the-dewline/2011/08/exclusive-us-air-force-combat.html

F-16C (2010): USD 19.087
F-16D (2010): USD 23.336

Clésio Luiz
Clésio Luiz
7 anos atrás

Nos anos 60, já com uma imensa frota de F-4 operando, a USAF especificou para o F-X uma considerável redução no número de homens/hora para a manutenção do que viria a ser o F-15. Este nasceu com um reduzido número de itens a serem verificados, com uma muito inferior taxa de falhas para cada 1000 horas de voo, entre outras coisas. Mas no final das contas, o custo do F-15 para operar acabou saindo muito superior ao F-4 e isso se refletiu nas vendas. Só países ricos se interessaram por ele. E o aparecimento do F-16, que no começo era… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
7 anos atrás

Interessante informação Penguin. Mostra que a informação prestada pelo Pentágono está correta e quem insiste em dizer que os custos do F-35 foram subdimensionados e os do F-16 superdimensionados incorre em desonestidade intelectual

Nick
Nick
7 anos atrás

Se os custos de hora/vôo do F-16 forem isso mesmo, dizer que o mesmo era um caça barato de operar por causa da escala era um mito. E dos grandes.

[]’s

Penguin
Penguin
7 anos atrás

Nick, metodologia de cálculo de custo de hora de voo pode variar significativamente a depender do que se inclua ou não nos cálculos.

Para se comparar se o custo da hora/vôo do F-16 é competitivo em relação a outras aeronaves da mesma classe, é necessário a utilização da mesma metodologia para o calculo. Ou pelo menos similar.

Nick
Nick
7 anos atrás

Caro Penguin, Então estamos com um problema. 🙂 Dependendo da metodologia podemos ter os custos de hora/vôo variando de US$5.000 até US$20.000… E o pior é que esse custos são todos válidos, e usados como armas de debates de fóruns ou ferramenta de marketing das fabricantes. No caso do F-16C x F-35, acho muito estranho, que o F-16C que pelo menos até então era um parâmetro para um caça de excelente custo-benefício vier com esses valores, eu tinha uma noção que girava entre US$5000 até US$10000. E depois o F-35 com uma série de tecnologias inovadoras, ser só 10% mais… Read more »

Penguin
Penguin
7 anos atrás

Certa vez um forista do SAAF Fórum deu uma explicação muito didática sobre custos de hora de vôo: Just like the cost of buying combat aircraft, the hourly operating cost means nothing without a page or two of details explaining what it includes and what it excludes. For a low number “hourly operating cost”, quote the hourly fuel bill. For a higher number add one or more of the following: * salary for pilot plus support staff * 1/120 of yearly servicing costs (assuming 120 flying hours per year) * 1/20 of the per-aircraft procurement cost (assuming you will depreciate… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Wagner, “Não consigo ver o F 22 deixando de fazer algo que o Piramyd tenha prometido.” O da USAF eu até posso concordar, mas tem as versões B e C que não podem ser substituídos pelo F-22. E mesmo no caso da USAF, por mais caro que seja o F-35A, seu preço ainda é a metade de um F-22, tando de aquisição quanto de operação. E se formos computar o que seria gasto caso quisessem desenvolver um F-22 com DAS, HMDS e EOTS, além de um compartimento de armas com o dobro da capacidade (5000 lb), eu acho que não… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Quanto ao custo maior de operação do F-35, em suas diversas versões, há de se ter em mente que está embutido o custo de manutenção por exemplo do EOTS, que no caso de um caça convencional é separado do custo de manutenção de um pod de ataque, como o Sniper, o ATFLIR, O Litening, etc. Também há de se ter em mente que ele não precisa do apoio de um avião de guerra eletrônico como o Growler, ou de sistemas de despistador rebocado descartável, etc. Se pensarmos que um F-35 é um pacote completo seu custo de operação não é… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
7 anos atrás

O F-35 não custa a metade do F-22 para comprar, pelo contrário. Ele custa quase tanto quanto o Raptor quando este saiu de linha…

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Clésio,
Independente de quanto se paga pela unidade, cada Raptor saiu pro contribuinte americano mais de 300 milhões de verdinhas, se incluirmos o custo de desenvolvimento.
E pior, ainda está subindo tendo em vista que ele ainda não está com 100% de sua capacidade.

Vader
7 anos atrás

Essa discussão não tem sentido. O fato é que, custe o que custar, o F-35 será produzido, será adquirido aos montes, e os países operadores pagarão o que tiver que pagar para tê-lo operacional em seus arsenais. O F-35 não tem substituto, e vale cada centavo pago. A maior prova disso é que países que nem sequer estão no Programa JSF, cito especificamente Israel e Japão, já fizeram suas encomendas do avião, caminho este que muito provavelmente será seguido também pela Coréia do Sul, e aguardam ansiosos sua entrega. Se a hora-vôo do F-35 custa US$ 24.000, US$ 34.000 ou… Read more »

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Milord Vader, “Essa discussão não tem sentido.” Respeitosamente discordo. Evidentemente haverá uma separação entre as forças aéreas que possuem caças stealth, com capacidade de atuar em cenários de alta intensidade, e as forças aéreas que NÃO possuem caças stealth, que atuariam apenas de forma periférica e/ou em cenários de média e baixa intesidade. Entretanto a diferença de custo de manutenção e operação entre aeornaves de 4ª e 5ª geração pode justificar a manutenção dos 2 (dois) tipos no inventário de uma força aérea. Inclusive considerando os tipos de campanhas aéreas possíveis no futuro de cada força. Acredito que uma combinação… Read more »

Wagner
Wagner
7 anos atrás

O F 22 não tem DAS ????

Vader
7 anos atrás

Ivan disse: 22 de abril de 2013 às 12:24 Ivan, penso que seu argumento não invalida o meu; na verdade o complementa. O fato é que quem no futuro quiser ter um caça para primeiro dia de combate, num conflito de alta intensidade, terá que adquirir o F-35. Ou se arriscar nas aventuras genéricas sino-russas… E quem quiser operar o F-35, ainda que parcialmente, vai pagar por isso o preço que for necessário. O que vai acontecer cada vez menos é um país se arriscando a atacar outro apenas com caças de 4a geração. Preocupante, nesse caso, é a situação,… Read more »

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Batavo pacífico?
Sei não! 🙂

Vader
7 anos atrás

Ivan disse:
22 de abril de 2013 às 14:31

Ivan, verdade que nem sempre foi assim, mas hoje em dia a Holanda é tão guerreira quanto a Jamaica…

E viva Djah… 🙂

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Wagner, O F-22 não trem nem um simples IRST quanto mais um DAS. Quando foi desenvolvido o F-22 foi planejado para ser um destruidor de caças de 4ª e 3ª G e e a furtividade aliada ao radar AESA era tido como uma combinação mais que suficiente e realmente um IRST era dispensável, embora tenha sido desenvolvido um específico e o lugar pra ele deve continuar existindo no nariz do caça. Só que os “inimigos” estão desenvolvendo caças furtivos mais rápido do que se imaginava na década de 80 e 90, e também estão desenvolvendo uma capacidade inusitada de ECM,… Read more »