Home Noticiário Internacional Segundo Rádio Sueca, novo Gripen será custeado pela Suécia…

Segundo Rádio Sueca, novo Gripen será custeado pela Suécia…

165
6

Segundo reportagem da Rádio Sueca publicada na quarta-feira, 20 de junho, a Suécia vai pagar a conta do desenvolvimento de uma frota de novos caças Gripen, apesar de uma decisão parlamentar anterior de não custear o projeto sem envolvimento estrangeiro. A informação foi dada por um porta-voz do da coalizão partidária: “A Suécia vai modernizar o Gripen por sua própria conta”.

A Força Aéra Sueca estima que vai precisar de aproximadamente 80 novos caças Gripen, a um custo estimado de 8 bilhões de dólares. Os dois principais partidos políticos do país já concordaram em comprar as aeronaves da Saab, baseada na Suécia. Mas até agora o consenso era que, como condição, a Suécia deveria encontrar um outro comprador externo para dividir os custos multibilionários de desenvolvimento.

A escolha suíça e a mudança de humor político na Suécia

No ano passado, a Suíça concordou em comprar aproximadamente 20 aeronaves, mas desde então um poderoso “lobby” contrário à compra emergiu no país. Mas poderá haver uma mudança no “humor político” na Suécia, o que permitirá que o país seja menos dependente de vendas externas da aeronave.

O porta-voz do “Centre Party” (partido de centro), parte da coalizão do governo, afirmou: “Esperamos que diversos países vão comprar o Gripen. Mas até que a Suíça, a Croácia ou outros países façam isso, a Suécia vai modernizar o Gripen por conta própria. Haverá uma proposta do governo muito em breve. É óbvio que nós necessitamos de uma boa defesa aérea. Será que o atual Gripen será bom o suficiente para enfrentar aeronaves de outros países como a Rússia em 2030, 2040? Não.”

Ainda segundo a reportagem, um grupo de trabalho do governo vai trabalhar num relatório, nos próximos meses, em cortes nas despesas militares que poderiam ajudar a financiar a modernização da Força Aérea com a nova geração do Gripen, também conhecida como “Super Jas”.

Venda internacional seria um pretexto

Porém, qualquer corte militar seria impopular politicamente, pois levaria a perdas de empregos em áreas vizinhas a bases militares. Igualmente impopulares seriam cortes na força de trabalho devido ao final da produção do Gripen, que poderá ocorrer no próximo ano. A parceria próxima entre o Governo Sueco, os militares e a indústria de armamentos poderia salvar o projeto sem a injeção de recursos suíços, diz Anna Dahlberg, redat0ra-chefe do jornal Sweden’s Expressen: “Há uma forte simbiose entre o Estado e a indústria de armamentos na Suécia. Por 20 anos, nós ouvimos falar que o Gripen está prestes a fazer um grande avanço internacional. Mas por que os suíços iriam querer dividir os custos de desenvolvimento do avião? Eles podem comprar uma nova aeronave no mercado, se quiserem. O cenário internacional, como um todo, tem sido um pretexto para ir em frente com esse projeto.”


… mas segundo a TV Suíça, parlamentares da Suécia querem que suíços ajudem a pagar a conta do desenvolvimento da nova versão do caça sueco

Já uma reportagem da SFTV veiculada no mesmo dia que a da rádio sueca (acima), diz que os parlamentares suecos querem uma longa parceria militar com a Suíça, no contexto da compra de 22 novos caças Gripen E/F pelos suíços. Os custos do desenvolvimento da nova versão do caça deveriam ser divididos entre os países, trabalhando juntos, na visão dos parlamentares, que estão focados na “cooperação de longo prazo entre Suíça e Suécia, como parceiros iguais, que juntos podem desenvolver muitas coisas juntas”, segundo Cecilia Widegreen, que encabeça o Comitê de Segurança do Parlamento Sueco. Widegreen é uma parlamentar conservadora e uma das maiores defensoras do Gripen.

Os políticos suíços estariam confusos a respeito dos desejos suecos. Chantal Galladé, presidente do Comitê de Segurança do Conselho Nacional, afirmou haver uma “sensação desagradável de que compramos gato por lebre e não sabemos que custos adicionais ainda estariam pela frente.” Outro parlamantar suíço, Hans Fehr, disse que “se vocês querem continuar a desenvolver o Gripen E/F, não é nosso papel pagar por isso.”

FONTES: Rádio Sueca (Sverige Radio) e TV Suíça (SFTV – schweizer fernsehen)

Compilação, tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo

FOTOS: Saab (testes do demonstrador do Gripen E/F por equipe suíça)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
8 anos atrás

#saab_out_ng

Guilherme Poggio
Editor
8 anos atrás

Há uma forte simbiose entre o Estado e a indústria de armamentos na Suécia.

Mas não é assim em qualquer parte do globo?

Nick
Nick
8 anos atrás

Caro Guilherme Poggio,

Bom, por aqui não é bem assim….. 🙁

[]’s

Gilberto Rezende- Rio Grande/RS
Gilberto Rezende- Rio Grande/RS
8 anos atrás

Mais interessante na notícia:

“Igualmente impopulares seriam cortes na força de trabalho devido ao final da produção do Gripen (C/D), que poderá ocorrer no próximo ano. ”

Para o carnaval que a oposição faz projetando o “fim iminente da produção do RAFALE”…

DEMOROU um bocado para aparecer a PRIMEIRA notícia falando o ÓBVIO…

A produção do Gripen pode parar MUUUUUITO antes….

Penguin
Penguin
8 anos atrás

Interessante… Article Swedes And Swiss Move Toward Joint Gripen By Bill Sweetman Source: Aviation Week & Space Technology http://www.aviationnow.com/Article.aspx?id=/article-xml/AW_06_18_2012_p38-465770.xml&p=2 Trechos: (…) The blended wing-body sections will be larger, placing the wing attachment points an estimated 30 in. farther apart. The goal is to maintain the same wing loading for the E/F’s 2.5-ton increase in gross weight. The body will be slightly longer, maintaining or improving fineness ratio. Sources suggest the design will incorporate F-35-style diverterless supersonic inlets. The E/F is expected to supercruise with weapons carried. (…) (…) A mock-up of the Selex Galileo sensor suite for the E/F was… Read more »