Home Noticiário Internacional Não há prazo final para assinatura do contrato do Rafale, diz MD...

Não há prazo final para assinatura do contrato do Rafale, diz MD indiano

179
5

Rafale em Le Bourget 2013 - foto Dassault

Segundo reportagem publicada pelo jornal The Economic Times nesta quarta-feira, 30 de outubro, o ministro da Defesa da Índia, A K Antony, se recusou a estabelecer um prazo final pra a conclusão do acordo multibilionário de aquisição de 126 caças Rafale para a Força Aérea. Antony disse a repórteres: “Essa não é uma questão. A questão é que o comitê de negociação do contrato (CNC) está andando e nem eu nem o Governo podemos interferir com isso. Como posso eu estabelecer um prazo final?”

O ministro havia sido solicitado a comentar se há questões entre a HAL (estatal indiana de fabricação de aeronaves) e a Dassault Aviation francesa atrasando a assinatura do contrato. A declaração de Antony veio logo após o chefe em exercício da Força Aérea Indiana, marechal do ar S Sukumar, dizer que há uma expectativa do contrato ser assinado pelos dois lados até o final deste ano fiscal (nota do editor: o ano fiscal indiano termina no último dia de março e começa no primeiro dia de abril).

Rafale - foto Robineau - Dassault

Antony também disse que haverá pelo menos quatro a cinco etapas após o CNC terminar sua negociação e a proposta ser levada ao Governo para liberação. O Governo, segundo o ministro, está agindo como deve fazer, conforme os procedimentos de aquisição, e que vários elementos estarão envolvidos na análise detalhada do contrato.

A Índia selecionou o caça Rafale, da Dassault Aviation, para negociação exclusiva dentro do programa MMRCA (avião de combate multitarefa de porte médio), que visa contrapor a grande quantidade de desativações de caças mais antigos, o que vem levando à queda do número de esquadrões ativos. O acordo, que deverá superar Rs 60,000 crore, será o maior contrato de defesa já assinado pelas Forças Armadas Indianas, e o Ministério da Defesa está tomando todas as precauções para seu encaminhamento.

Rafale - foto Dassault

FONTE: The Economic Times (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: Dassault

VEJA TAMBÉM:

5
Deixe um comentário

avatar
5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Fernando "Nunão" De MartiniJustin CaseDrCockroachAntonio M Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

É normal essa burocracia? Está sendo assim entre Suécia e Suiça?!!?

Nem parece que já houve uma escolha …….

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Prezado Antonio,

Eu nao diria que eh normal, mas tb nao eh surpreendente. Estes contratos sao extremamente complicados, com um montao de coisas que estao abertas a dupla interpretacao, e que podem causar serios prejuizos mais adiante (vide F-35). Assim tempo eh necessario p/ diversas analises e indas e vindas dos negociadores. Mas certamente tranquilo tb nao estah, longe disto…

Quanto a Suecia e Suica, o Nunao eh o nosso especialista aqui, mas parece que nao haverah tantas duvidas quanto ao contrato em si, o problema reside se houver um referendum popular onde a populacao, independentemente do caca escolhido, pode ser contra.

[]s!

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Antonio M disse:
31 de outubro de 2013 at 5:45 #
É normal essa burocracia? Está sendo assim entre Suécia e Suiça?!!?
Nem parece que já houve uma escolha …….
.

Antonio, bom dia.

Esses contratos são complexos e há muita coisa para concordar.
O outro problema é que, depois que contratante e contratado concordam os termos do contrato, há ainda um longo trâmite burocrático para que os governos aprovem aquilo que foi concordado.
Tudo isso é comum, seja na Suíça, na Índia ou no Brasil.
Talvez em uma republiqueta ditatorial seja diferente.
Abraço,

Justin

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Obrigado a todos pela atenção !