segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

Lockheed Martin F-35 lidera avaliação suíça de jatos de combate

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

ZURIQUE, 21 de junho (Reuters) – O F-35A Lightning II da Lockheed Martin teve o melhor desempenho em uma avaliação suíça para a compra de jatos de combate, embora a decisão política final ainda esteja aberta, informou a emissora suíça SRF na segunda-feira, citando três fontes não identificadas.

O governo deve decidir este mês entre o Eurofighter da Airbus, o Rafale da Dassault da França, o F/A-18 Super Hornet da Boeing ou o F-35A.

Os eleitores suíços em setembro apoiaram o plano do governo de gastar até 6 bilhões de francos suíços (US$ 6,53 bilhões) em novos caças em um referendo surpreendentemente apertado.

“De acordo com insiders, a Suíça pode comprar um número maior de caças F-35 com os 6 bilhões de francos suíços orçados do que seria o caso com os três concorrentes. O simulador do F-35 também pode ser uma vantagem: permitiria o F-35 realizar significativamente mais missões de treinamento virtual do que a competição”, disse o programa investigativo da SRF, Rundschau, em um resumo de uma reportagem que vai ao ar na quarta-feira.

O ministério da defesa não quis comentar.

A aeronave substituirá a frota antiga da Suíça de 30 F/A-18 Hornets, que sairá de serviço em 2030. Novos jatos serão entregues até 2025.

Pelo menos dois dos sete membros do Gabinete prefeririam um caça a jato europeu, disse a SRF, enquanto os críticos prometeram lançar uma campanha de referendo sob o sistema suíço de democracia direta contra qualquer decisão de comprar um caça a jato dos EUA.

- Advertisement -

79 Comments

Subscribe
Notify of
guest
79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camargoer

Ola´Colegas. Achei estranho a reportagem dizer que o F35 tem vantagem por contar com um simulador. Pelo que constar, todos os caças modernos têm simuladores (até o F39 tem). Outra coisa estranha foi a conta de que seria possível comprar, pelo mesmo valor, mais F35 do que os outros caças. Bem, o tamanho da frota é uma conta baseada em uma escala de horas, disponibilidade, custo e tempo de manutenção, tipo de missão. Se um dado modelo é mais barato, ao invés de adquirir uma frota maior, o ideal é usar esse dinheiro economizado em outra coisa, talvez mais armas… Read more »

MFB

A compra do F-35 deveria ser óbvia. Ele e o F-22 são os únicos quinta geração de verdade e o F-22 não está à venda. O resto é remendo chinês e russo. Se conseguirem, quando J-20 e SU-57 ficarem maduros, já estarão defasados e superados pela próxima aeronave americana que entrara em operação no início da próxima década.

Paulo

Perfeita colocação.. se eles tem dinheiro nada mais óbvio do que pegar o melhor vetor.

Marcos Cooper

“se eles tem dinheiro nada mais óbvio do que pegar o melhor vetor.” Typhoon?

Camargoer

Caro MFB. O melhor caça vai depender da missão proposta. Eu não creio que o F35 seja a melhor opção para um país pequeno que demande essencialmente defesa aérea. Um caça furtivo faz diferença para o agressor, como nas operações de ataque que Israel faz em seu entorno. A Suiça demanda um caça de interceptação que não precisa ser furtivo. Até o contrário. Precisa ser ser ostensivo.

Rodrigo Martins Ferreira

Parece que os suíços não só conhecem melhor as suas necessidades como discordam de você.

Camargoer

Olá Ig. O contexto suíço é muito restrito. O país tem um histórico de neutralidade política. A principal tarefa da força aérea suíça é garantir que sei espaço aéreo será preservado. Para isso, é necessário uma ostensiva presença. Ao contrário de outros países, é importante para a Suíça exibir sua presença, até mesmo para que isso sirva para inibir o combate aéreo. É muito diferente do que faz Israel, por exemplo, que demanda uma capacidade ofensiva robusta. Neste contexto, acredito que a tecnologia furtiva é desnecessária e eleva os custos de operação sem adicionar qualquer vantagem tática.

Salim

Camargoer, filosofia suíça, vai ter defesa aérea , porem e neutro, ser discreto e o padrão suíço por excelência. Alem de ter NR caças pequenos, nada melhor que um furtivo para multiplicar a insegurança no inimigo, fica sendo um multiplicador de forca.

Camargoer

Caro Salim. Os caças suíços demandam presença ostensiva para evitar incidentes. Eles precisam se mostrar e serem vistos. O objetivo da força aérea suíça é dissuadir a violação do espaço aéreo, não derrubar o inimigo furtivamente.

DSC

Eu discordo. E pelo que parece os suíços também discordam. E muitos MoDs e Forças Aéreas de muitos outros países também…  Como por exemplo o MoD da Dinamarca: F-35 x Eurofighter x F/A-18E/F Super Hornet Capacidade de sobrevivência: Eficácia de missão: Segundo os dinamarqueses, o F-35 tem uma capacidade de sobrevivência e de eficácia de missão, superior à do F/A-18 Super Hornet e Eurofighter Typhoon em todos os tipos de missões, incluindo DCA (Defensive Counter Air). A verdade é que o F-35A é a melhor opção para a Suíça e é de facto o melhor interceptador de entre todos os… Read more »

Camargoer

Caro DSC. Por favor, escrevi que acredito que a para as missões que irão cumprir na Suíça, os novos caças não demandarão furtividade pois irão executar missões essencialmente ostensivas. Também escrevi que o F35 até pode vencer a concorrência por outros méritos, como eletrônica avançada, melhores sensores e outras características. Só não acho que caças operando principalmente como interceptadores de um país com tradição de neutralidade e que não é membro da Otan demandarão furtividade.

carcara_br
Antoniokings

kkkkkkkk

Agressor's

A linha de produção do f-22 foi sepultada pela inviabilidade dos custos pra se manter uma frota deste Dumbo Branco. E esse abacaxi do f-35 nem a pau que é stealth, já que foi um pré-requisito do projeto que ele não fosse full-stealth…

Last edited 1 mês atrás by Agressor's
Fernando C. Vidoto

Se não é Stealth, países que compraram o F35 iriam reclamar publicamente.

Seria vexame.

Antoniokings

E melhor caça tem de, pelo menos, voar sem problemas, ter pouca manutenção e não estourar o orçamento.
O que não é, claramente, o caso do F-35

Marcelo M

Pelo que representa a Suiça em termos geopolíticos, a função da aeronave de caça deve ser promordialmente de itnerceptação. Não tenho dúvidas quanto à enorme vantagem do F35 sobre os demais na função de ataque, mas na interceptação ele seria tão superior assim para justificar o incremento dos custos operacionais? Mesmo a versão A tem ainda significativas limitações quanto à manutenção de velocidades supersônicas.

Antunes 1980

” Antunes 1980 – Visitante – 12 dias atrás”

“Se for igual a mídia daqui, quase em sua totalidade tendenciosa. Pode saber que vai dar F/A-18 Super Hornet ou F-35A.”

Segundo jornal, caça Rafale lidera na concorrência da Suíça – Poder Aéreo – Aviação Militar, Indústria Aeronáutica e de Defesa (aereo.jor.br)

Inimigo do Estado

Os suíços estão é malucos para comprar esta banheira que a própria U.S. Navy chamou de limitado. Eu pegava o Rafale sem pestanejar.

Ivan Aparecido Herrera Rocha

Verdade um dos melhores 4,5 geração, e já muitos do gabinete querem um caça europeu, seria o ideal.

Andre

Os suíços, os israelense, os coreanos, os japoneses, os ingleses, os italianos,….

Inimigo do Estado

Todos os países que você citou são puxadinhos dos EUA, Japão é praticamente ocupado militarmente, Israel é parasita do povo americano, Inglaterra outro quintal desde a primeira guerra mundial, nada de anormal eles adquirirem. Mas veja que a decadente Inglaterra já trabalha no seu 6G próprio.

Camargoer

Olá Inimigo. Creio que o determinante nem será a proximidade política ou ideológica da Suíça com os EUA, mas o contexto de operação dos aviões e das necessidade táticas e teóricas da força aérea suíça. A pergunta seria se a Suíça precisa de características furtivas. Eu acredito que não precisam. Por outro lado, o F35 pode apresentar outras características (como capacidade de processamento de informação, desempenho dos sensores, etc) que seja superior ao dos concorrentes. Creio que a Suíça tomará uma decisão soberana na qual a pressão política e econômica dos EUA irão definir a escolha. Sobre a Inglaterra gostaria… Read more »

JuggerBR

Nada como ser podre de rico e escolher meramente por capacidade da aeronave, sem se preocupar com os custos da brincadeira…

Luís Henrique

Ocorre que o F-35 é caro de operar, mas em termos de custo de aquisição, não deve ficar muito diferente das demais propostas. Afinal, estamos falando de Eurofighter, Rafale e Super Hornet block 3. Não tem nenhum caça barato nessa shortlist.
Acho, muito provável que o mais caro seja o Eurofighter e o Rafale o 2o mais caro.

Jacinto

O custo de aquisição do F-35A (que é o oferecido) para a USAF está na casa dos US$ 80 milhões, o que significa que se s EUA quiserem mesmo, eles têm como fazer um bom preço pelos caças.

EduardoSP

Nada mais equivocado. Na concorrência anterior, para substituição do F-5, que depois foi cancelada após um referendo, venceu o F-39.

Na época os suíços foram vem claros ao dizer que a escolha não havia se baseado nas capacidades, embora o F-39 cumprisse os requisitos, mas nos custos de aquisição e operação.

Paulo

Normal, devem querer o melhor caça.

Antoniokings

É que os suíços sabem que nunca vão precisar usar, né?
Se for usar em lugar ‘quente’, como operam Egito, Índia e etc. estão indo de Rafale e Su-35.

Camargoer

Olá AntonioK. Concordo com você. Seria um erro comparar o teatro de operação da Suíça com o de países envolvidos em combate, como você mencionou. É preciso considerar o contexto de cada país para avaliar suas necessidades e prioridades. Por exemplo, o F35 desempenha um papel em Israel que é muito diferente daquele desempenhado pelos caças na Suíça. Quase todo mundo considera o Su35 um excelente avião de combate, mas parece que ele também seria inadequado para as necessidades da Suíça. Acho que este debate foi bastante profundo durante o FX2, no qual o F18 e Rafale disputaram com o… Read more »

Willber Rodrigues

Tinha esquecido que o Gripen não tava na disputa suíça…

Camargoer

Olá Wilber. O mais engraçado disso tudo é que o F39E seria a melhor opção para a Suiça.

Willber Rodrigues

Depende…
Economicamente falando, seria o Gripen.
Mas em questão de geopolítica e vizinhança, seria o Rafale.
Mas se os suícos quiserem “algo a mais” com o Tio Sam, FH ou F-35.

Camargoer

Olá Wilber. Temos dois cenários possíveis, um no qual a Suíça é um país agressor e outro no qual ela é agredida. Acho que podemos nos restringir apenas no cenário no qual a Suíça é agredida. Também é improvável que qualquer país que faça fronteira com a Suíças (França, Itália, Alemanha, Austria…) inicie uma guerra contra a Suíça. Talvez durante o contexto da Guerra-Fria havia o risco de uma guerra entre as duas Alemanhas na vizinhança, mas felizmente isso foi superado. O fim da URSS também reduziu o risco da Suiça ser envolvida em uma guerra europeia. Portanto, o principal… Read more »

Willber Rodrigues

Concordo.
E é por isso que eu apostaria no Rafale ( principalmente ) ou no SH, já que o Gripen esta fora da disputa.
A menos que…
O Tio Sam resolva favorecer o F-35 na disputa, em detrimento do SH, com parcelamento generosos e um bom pacote de armas e manutenção inclusas, via FMS

Camargoer

Olá Wilber. Eu ainda não sei avaliar quais seriam as vantagens econômicas para a Suiça adquirir os caças via FMS, já que isso implicaria no pagamento direto governo-governo sem compensação comercial. A Suiça tem praticamente US$ 1 trilhão em reservas internacionais, portanto pouca dependência de moeda estrangeira. Isso significa que eles têm vantagens econômicas como compradores maiores do que as vantagens oferecidas pelos vendedores. É muito mais razoável imaginar que a Suiça coloque as condições comerciais e financeira como pressão para realizar a compra do que o contrário. Acredito que o pacote de manutenção será uma variável importante.

Jacinto

Ele estava na disputa original em 2014 e havia sido selecionado pelo governo, mas submeteram a aquisição à votação popular e a maioria dos votantes preferiu não os adquirir.

Willber Rodrigues

Sim, eu lembro desse ocorrido…que azar pro Gripen.

Jacinto

E acho que foi azar mesmo. Foi na esteira da crise grega de 2014 um período economicamente difícil (para os padrões suíços), com queda do PIB, etc.. Se tivesse sido em outro momento acho que teria emplacado.

Teropode

Uns F35 prá chamar de seu , certamente o comando não quer perder o bonde da história , se tem grana prá comprar uma Ferrari e usá-la na roça , tudo bem , eu faria o mesmo , mas continuo achando o RAFALE a melhor opção .

Guilherme Lins

só não compra o F-35 se não houver dinheiro para a brincadeira ou se o governo americano vetar, pois sem dúvidas é o melhor caça, disparado, que existe no mercado.

Antoniokings
Teropode

Não banque o espertinho , todos sabem que a redução ” pretendida” se dará por questões práticas e não por incapacidade , os caras estão com 2 sexta geração na forma , precisam arrumar espaço para eles trabalharem , além do mais ,1250 unidades de F35 só é pouco na cabeça de distraídos ideologicos 😂😂😂😂😂 .

Guilherme Gabriel Lins

Eu vou tentar novamente debater com o senhor. A matéria que o senhor mandou ai fala que os planos originais de compra podem não ser cumpridos, mas em nenhum momento fala que isso se deve a algum defeito do caça, já ouviu falar em cortes de orçamento na defesa devido a crises financeiras? pois bem, isso não é só uma prática brasileira. E na própria matéria fala que a Coréia do Sul planeja aumentar suas compras iniciais previstas. O fato é que o F-35 é o único caça de 5º geração disponível, o su-57 não está pronto ( falta apenas… Read more »

Jagdverband#44

uiii
essa doeu

Paulo

Não perde teu tempo tentando explicar o óbvio, tem gente aqui que é muito cabeça fechada e gosta de ser do contra.

Antoniokings

Em tempo, não custa lembrar:
a) Que em tempos de orçamento curto, corta-se primeiro o que é desnecessário;
b) Todos sabemos os motivos de alguns países comprarem armamento americano, no esquema ‘venda casada’, ou seja, vc compra as armas e ganha a proteção americana. Muito comum com Coreia, Japão e países do O.M;
e finalmente,
c) se os próprios militares americanos consideram o falhanço que foi o F-35, não seremos nós que iremos discordar.

Jagdverband#44

Por que o J-20 e o SU-57 não estão no páreo?

Anselmo da Costa Andrad

Eles são “do mal”!🤷‍♂️

Fernando C. Vidoto

j20 não liberado pra exportação.

SU57 projeto em desenvolvimento.

Mayuan

Ok mas mesmo que estivessem plenamente disponíveis, algum de vocês visualiza a Suíça operando caças russos ou especialmente chineses?

Fernando C. Vidoto

rs sem chances !

Pais ocidental.

Last edited 1 mês atrás by Fernando C. Vidoto
Claudino

e o su35?

Fernando C. Vidoto

O SU35 e uma boa, excelente caça. Ai entra o valor geopolítico atrelado na hora da compra. *Se a Suíça desejar uma aproximação com a Rússia.

(Aqui no aéreo já falaram em F35 e Rafale – honestamente, deve ser um desses 2 mesmo.)

Att.

Antoniokings

Suíços não costumam comprar armas russas ou chinesas.
Eles têm uma espécie de ‘simbiose’ com os países ocidentais e seus milionários.

Flanker

Não existe dinheiro de milionários chineses e russos guardado na Suíça????

Jagdverband#44

Aos negativadores, informo:
IMO: ironic mode on

Mayuan

Negativadores negativarão. Abstrai que é muito melhor.

Marcelo-SP

É a escolha lógica! A Suíça não fará outra concorrência de caças em menos de 30 anos. O melhor é pegar o caça mais atualizado e que vai continuar sendo atualizado por mais tempo, já que será a maior frota dos EUA e aliados durante esse período.

Nick

Para a Suiça eu penso que o F-39 Gripen E seria o ideal. Um caça de baixo custo operacional, e alta disponibilidade, já que eles se preocupam tanto com custos, Se for de F-35 terá a vantagem de o mais avançado sem dúvidas, mas operar um 5ª geração não é barato. Até mesmo os EUA já vislubram uso dos 5ª com 4.5 ou drones.

Rodrigo Martins Ferreira

Não analisem as necessidades de hoje, vejam o futuro..

O futuro é Stealth e com possibilidade de ser ou não tripulado. O resto é conversa para boi dormir.

Camargoer

Caro Rodrigo. Eu concordo com você quanto à importância do uso de aviões não tripulados, com maior capacidade furtiva e maior desempenho (velocidade, aceleração, etc) sem as limitações do piloto, os aviões não-tripulados se tornaram uma iimportante arma para missões de ataque e distantes, como nas operações globais dos EUA. No caso de defesa aérea e interceptação em tempos de paz ou de neutralidade, como parece ser o contexto suíço, a presença do piloto pode ser importante para evitar enganos que agravariam a situação. Ao longo dos anos, ocorreram abates que envolveram erros, mas foram muito mais casos nos quais… Read more »

Adriano RA

Bem… ao menos por agora voltaram a trabalhar a noite… porque a Força Aérea Suíça tinha virado uma piada.
https://ukdefencejournal.org.uk/swiss-air-force-to-move-to-24-hour-availability/

Teropode

Cercados de clientes , por que perder o sono ?

Vendéen

O árbitro suíço ainda não apitou o fim da partida lol.
O Sr. Biden fez uma intervenção totalmente normal (que faz parte das atribuições de um chefe de Estado) para tentar convencer a Suíça a escolher um avião americano.
Resumindo, este é um jogo justo.
“before-meeting-m-poutine-in-geneve-the-president-biden-vante-le-f-35-et-le-f-a-18”
suíçahttp: //www.opex360.com/2021/06/16/avant-de-rencontrer-m-poutine-a-geneve-le-president-biden-vante-le-f-35-et-le-fa- 18 sh-na-suíça /

Um ponto de vista suíço sobre o F-35.
https://www.swissinfo.ch/fre/avions-de-combat–le-f-35–une-option-risquée-pour-la-suisse-/46536376
Como sou um pouco chauvinista.lol
Em relação ao Rafale oferecido à Suíça:
https://blogs.letemps.ch/pascal-kuemmerling/2019/05/21/air2030-essais-du-rafale/

Kemen

A Suiça entrou no clube do RED BULL AIR RACE WORLD SERIES. A avaliação do caça é visual durante vôos e manobras, assim o público pode eleger o que melhor lhes agradar aos olhos, as especificações sigilosas e detalhadas não valem. Pelo precedente anterior na escolha de um caça, deu para desconfiar de como é feita atualmente a escolha de um caça para a defesa aérea naquele pais. Bom… vejamos, a Suiça apesar de ser um pais europeu e terem ocorrido duas guerras mundiais naquele continente, nunca teve que se preocupar com invasões, ai esta o detalhe. Esta faltando um… Read more »

Camargoer

Caro Kemen. O referendo foi sobre a aquisição de novos caças para a sua força aérea. A escolha do modelo sempre foi uma prerrogativa do governo. O risco do sarcasmo seria algum colega menos avisado confundir o objetivo do referendo e repetir o erro.

Control

Srs O F35 é um avião de ataque que pode operar como um caça (considerando aí uma definição mais purista, onde caças são aviões destinados a abater outros aviões e aviões de ataque são bombardeiros leves com boa capacidade de manobra e que eventualmente podem enfrentar um caça). Ou seja, não foi, a priori, pensado para a função de caça e menos ainda de caça interceptador, visto ser relativamente lento (dizem Mach 1.4). É bom lembrar que a Suíça é pequena, o que exige um tempo rápido de reação onde os caças precisam decolar, subir e acelerar para conseguirem, a… Read more »

Camargoer

Olá Control. Concordo com você. No contexto da Suíça, a capacidade furtiva teria pouco vantagem sobre os demais concorrentes. O FMS é um acordo governo-governo, sem compensações econômicas. Ele só é vantajoso para aquisição de excedente de material militar dos EUA ou para financiar países com baixas reservas cambiais. Com as devidas diferenças, a licitação da Suíça se parece com o FX2 no qual nem o FMS nem o desempenho furtivo fez diferença, já que a FAB colocou como requisito o acesso ao código-fonte e a existência de compensação comercial, algo que o F35 não podia oferecer.

Control

Jovem Ignorabimus Se o F35 usar seu radar para obter uma solução de tiro, estará revelando sua presença, antes mesmo de lançar o seu míssil e vai alertar o inimigo. Um ponto muitas vezes esquecido sobre os aviões furtivos é que ele não podem emitir RF para não revelarem sua presença. Uma varredura de radar delata a presença de seu emissor. No caso, o F35 tinha que lançar o míssil baseado em dados vindo da rede de radares de defesa aérea da Suiça ou de um outro avião. Mas isto também pode ser feito por um Rafale ou um Eurofighter.… Read more »

Camargoer

Caro Ig; Supondo que um avião militar agressor entre no espaço aéreo da Suíça durante um período de paz. Ele terá vindo de algum lugar. Poderá ser um avião de um país vizinho (Alemanha, Itália, França…) ou de um país distante (EUA, China, Rússia, Espanha…). Se for um vizinho, a força aérea da Suíça o terá detectado pelo sistema de defesa aérea, que determinará a interceptação. No caso de um avião militar vindo de um país distante, ele terá sido detectado antes por pelos países vizinhos e até interceptado pelos caças franceses, alemães, italianos… De qualquer modo, não haverá surpresa.… Read more »

Control

Jovem Ignorabimus Com LPI ou não o F35 será detectado (não a sua posição, mas a direção em que está em relação ao avião inimigo), pois os sensores para detecção de sinais de RF e suítes de EW para integrar dados de sensores também estão disponíveis para os aviões concorrentes. Um avião furtivo será furtivo enquanto não emitir nenhum sinal de RF, tanto que um dos maiores cuidados tomados nos F117 foi blindar todos os seus equipamentos eletrônicos para evitar que emitissem sinais eletromagnéticos. Quanto a operação em rede, hoje ela é, praticamente, uma das características mais procuradas e propagandeadas… Read more »

Salomon

Que grande oportunidade para o Brasil.

Fernando C. Vidoto

hehehe, quem sabe um dia

Talvez façamos nosso próprio stealth com a tecnologia adquirida do Gripen.

Rodrigo Martins Ferreira

O Saito falou que era demais para o Brasil.

Vendéen

Aqui está porque o F-35 não é uma necessidade para um país como a Suíça lol.
Esta é uma visão otimista de um oficial general francês em relação às futuras capacidades evolutivas do Rafale (a versão F5). Evoluções que irão, obviamente, beneficiar os potenciais compradores do Rafale.
Providenciou que ………. que esses são bons como talvez sejam os suíços se não escolherem o F-35 ou outros aviões lol.
“De acordo com o General Parisot, o Rafale F5 será ‘equipado com um número impressionante de capacidades'”
http://www.opex360.com/2021/06/22/selon-le-general-parisot-le-rafale-f5-sera-dote-dun-nombre-impressionnant-de-capacites/

Maurício.

Engraçado, na matéria que falava da preferência pelo Rafale alguns criticaram as fontes, agora que o F-35 é o preferido, ninguém questiona as três fontes não identificadas.
No mais, essa novela mexicana ainda vai longe.

Rinaldo Nery

O alerta DA deles vai passar a funcionar 24/7 com o F-35? Ou só durante o expediente?

Adriano RA

Caro Rinaldo, parece-me que voltou a ser 24/7 em janeiro deste ano.

Últimas Notícias

Aeronave P-3AM Orion completa 10 anos de incorporação à FAB

A data marcou a modernização da Aviação de Patrulha, pois o modelo possibilitou a detecção, localização, identificação e, até...
- Advertisement -
- Advertisement -