Home Aviação de Ataque F-35: Reino Unido pode comprar apenas metade dos caças planejados

F-35: Reino Unido pode comprar apenas metade dos caças planejados

1940
30
F-35B da RAF

O Reino Unido pode adquirir apenas metade dos 138 caças F-35B Lightning II que o país planejou comprar durante o programa, de acordo com o The Times.

Fontes próximas à revisão da defesa do governo do Reino Unido foram citadas pela publicação como tendo dito que os planos são “improváveis ​​de serem cumpridos”.

A variante de decolagem curta e aterrissagem vertical do F-35 está sendo comprada para a Royal Air Force (RAF) e a Royal Navy.

Os jatos irão operar nos porta-aviões da classe “Queen Elizabeth” da Marinha Real.
O Reino Unido adquirirá 48 jatos no valor total de £ 9,1 bilhões até o final de 2025.

Em maio deste ano, os senadores republicanos dos Estados Unidos estavam tentando impedir o estacionamento de 48 caças F-35 Lightning II Joint Strike Fighter no Reino Unido.

Paralelamente, a Coreia planejou aumentar o número de caças F-35 stealth que quer adquirir, relatou o jornal Korea JoongAng Daily citando fontes militares.

A Coreia irá adquirir 40 jatos F-35, construídos pela Lockheed Martin, por cerca de KRW8 trilhões (US$ 6,7 bilhões).

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Glasquis7
1 mês atrás

É, na atual conjuntura, todos pensam em poupar, ainda mais se pensarmos que eles já investem no Tempest. Com certeza estarão poupando pra investir no próximo caça.
A gente aqui na América Latina, fica sonhando com um F35 pra 2035 enquanto eles já pensam na substituição desse vetor.

Assim de distantes estamos.

Kemen
Kemen
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

Quem esta sonhando com o F-35, a FAB?
Enorme problema de manutenção, despesas operacionais e correções sem fim, para quem sonha com o F-35, ponha uma maquete na mesa, junto com outros stealth, bonito é, mas…

Teropde
Teropde
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

O covid travou a economia , além disso terão que gastar com pacotes sociais , portanto é normal que reduzam o ritmo das aquisições .

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

F35 na FAB para 2035? Desde quando? Quem disse?

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

Complicada a vida dos Ingleses, Brexit e pandemia atrapalhando o planejamento das forças armadas. Se um dia eles já foram o Império Britânico de sol a sol, hoje lutam pra ser a quarta força do planeta. Isso se a Índia já não os passou.

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Acho que a França está na frente deles!

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

4a força? Depende de quem analisa. Para mim a 4a força é a Índia, sem nenhuma sombra de dúvidas. Isso em poder militar total, incluindo todas as forças, dinheiro, soldados, etc. Se for analisar especificamente caso a caso, cada força de forma separada, armas de forma separada, ai fica bem complicado para estabelecer uma posição. No site globalfirepower eles colocam o Reino Unido em 8o lugar. 1) EUA 2) Rússia 3) China 4) India 5) Japão 6) Coreia do Sul 7) França 8) Reino Unido Mas claro que cada um enxerga de uma forma. Eu vejo o Reino Unido como… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Andei lendo que pretendem organizar uma força pan européia, não sei até onde isso poderia chegar e se chegaria, algo a se considerar num futuro.
O R.U. não é mais a quarta força militar em números hoje, poderia ser em destreza, especialização, etc o que lhe daria um bom “handicap”, mas todo velho politico ingles fleumatico tem em sua memória o período do grande Império Britanico, mas é assim, uns se vão e outros chegam, a historia do mundo é uma prova.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Kemen
1 mês atrás

A força paneuropeia e um projeto da união europeia da qual o Reino Unido saiu. Quando ela acontecer, duvido eles fazerem parte sem voltar a união.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Precisam de dinheiro para o caça de 6ª geração, no mundo pós pandemia muita coisa planejada vai sofrer alterações por conta de grana menor!

Andre
Andre
1 mês atrás

Os ingleses estão certos. Não têm nenhum conflito provável sobre seus céus e em caso de guerra mundial vão se apoiar na industria norte americana, como fizeram na segunda guerra. O Brasil tem seguido esse mesmo caminho, se mantendo preparado para o teatro de operações em que está inserido. Sem pensar que a vida é um grande vídeo game e que precisamos do F35 para nos defender do Irã ou da China…

Enquanto isso, a Coréia deve estar bastante preocupada com a China e seu feudo ao norte e por isso corre atrás do melhor avião disponível no mercado.

Diener
Diener
Reply to  Andre
1 mês atrás

F-35 na FAB? Melhor não! Caro em tudo (valor unitário, manutenção, hora de vôo), além de tornar de quem o compra um refém de tecnologia estrangeira. Sou mais construírem o Harpia que foi desenhado pelo Jacubão, que embora possa até ficar mais caro que comprar F-35, mas garante domínio nacional sobre a tecnologia stealth.

Andre
Andre
Reply to  Diener
1 mês atrás

Diener, talvez vc não tenha lido o meu comentário com calma e atenção…

Diener
Diener
Reply to  Andre
1 mês atrás

Ah sim, Andre, agora que vi. Peço desculpas!

Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Mistura de crise econômica com problemas no projeto.

Argos
Argos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Acho engraçado como te negativam, mesmo em um comentário totalmente coerente e sem idealismo (dessa vez)!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

É o grande império britânico…

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 mês atrás

É esse país aí que vai financiar o desenvolvimento de um caça de 6ª geração sozinho, sem ajuda dos franceses e alemães? “Táh Serto”.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

São a 5 economia mundial.
Então Russos, conseguem financiar e eles não?? Coreanos e Turcos estão na corrida também, embora a Coreia diga que o seu caça será da geração 4.5g, sendo economias menores que a Britânica, então a Turca, bem menor.
E não estão sozinhos, participam para já, a Itália e a Suécia, sendo a economia Italiana também, uma das maiores do mundo.

Mercenário
Mercenário
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

Clésio,

A matéria talvez esteja incompleta.

Eles justamente estão pensando em limitar a aquisição a 70 F-35B para investir em atualizações do Eurofighter e no projeto Tempest.

Os alemães têm dinheiro, mas atrapalham muito as vendas do Eurofighter. Barraram uma nova venda para Arabia Saudita, por exemplo.

SPQR
SPQR
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

Esse país aí tira onda em qualquer comparação com o seu…

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Xiiiii

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

quem tem juízo ta correndo do bug

Vilela
Vilela
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

e da conta de hora de vôo…

carvalho2008
carvalho2008
1 mês atrás

A questão é….

  • Como isto afeta o ciclo operacional dos CVFs?

Haverá falta de F35B? Os aviões da RAF não fariam falta?

Se não tiver problema ok…mas se existirem cenarios em que as unidades da RAF poderiam ser complementos as navais…a coisa complica….

É por isto que insisto no Stobar….mesmo em detrimento ao STOVL. Depender de um unico tipo de avião é arriscado e deixa o projeto todo inflexivel.

bjj
bjj
1 mês atrás

Ingleses: 48 F-35 por 9,1 bilhões de euros = 189 milhões de euros cada.

Sul Coreanos: 40 F-35 por 6,7 bilhões de dólares = 167 milhões de dólares cada.

E tinha gente achando que poderíamos pagar pouco mais de 70 milhões de dólares em cada unidade. Isso é para os americanos com seus infinitos lotes e logística e treinamento já estabelecidos. Qualquer um que for introduzir esse avião do zero pagará os olhos da cara.

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  bjj
1 mês atrás

Amigo, eles não estão a adquirir só os caças. Por fim note que sempre foi dito que o F35 é caro, principalmente neste seu início de carreira. Eu presumo, que o contrato, como muitos do tipo, inclui potenciais armamentos, peças, eventualmente infraestrutura, aplicação de doutrina e método, etc.. Tudo isto se torna ainda mais caro quando se falando do Reino Unido que, pelo seu papel nacional, bilateral, internacional nas organizações a que pertence, tende a ter menos oportunidades e formas de cortar ali e acolá. Com o tempo, na medida que mais e mais operadores passam por esse processo, este… Read more »

bjj
bjj
Reply to  Peter nine-nine
1 mês atrás

Peter

Deixei subintendido no meu comentário que o preço maior é justamente porque não se compra apenas o avião, mas sim um “pacote” inteiro que faz o preço subir bastante. Talvez não tenha me expressado direito.

Fiz esse comentário justamente porque, quando saiu a notícia do F-35 a 77 milhões de dólares, tinha gente acreditando (e aluns insistem até hoje), que poderíamos pagar esse valor por unidade e tê-los operacionais aqui. A realidade mostra que, considerando todos os custos para adquirir ecolocá-lo em operação de forma eficiente, o valor por unidade pode chegar a mais de cem milhões a mais.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 mês atrás

É a crise ou é porque ñ compensa!?!

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

Sinceramente… Se o Reino Unido comprar o suficiente para Royal Navy equipar o Elizabeth Queen NAeL já estará de bom tamanho!