Home Aviação de Ataque USAF: Quatro empresas ganham contratos para construir o drone Skyborg

USAF: Quatro empresas ganham contratos para construir o drone Skyborg

2712
30

WRIGHT-PATTERSON AFB, Ohio — O Centro de Gerenciamento do Ciclo de Vida da Força Aérea dos EUA (AFLCMC) adjudicou vários contratos de entrega indefinida/quantidade indefinida (IDIQ) à Boeing Co., à General Atomics Aeronautical Systems Inc., à Kratos Unmanned Aerial Systems, Inc. e Northrop Grumman Systems Corp.

Esses contratos iniciais estabelecerão um pool de fornecedores que continuará a competir por até US$ 400 milhões em pedidos de entrega subsequentes em apoio ao Skyborg Vanguard Program.

O objetivo do Skyborg Vanguard Program é integrar a tecnologia de veículos aéreos não tripulados (UAV) “atritáveis” com características autônomas e sistemas de missões abertas para permitir a formação de equipes tripuladas e não tripuladas. Isso fornecerá uma capacidade revolucionária para o combatente.

A atrativa linha de esforço de UAV concedida por este contrato fornecerá a base sobre a qual a Força Aérea dos EUA pode construir um sistema ‘best of breed’ autônomo aéreo que se adapta, orienta e decide na velocidade da máquina para uma ampla variedade de conjuntos de missões cada vez mais complexos.

“Como os sistemas autônomos podem suportar missões muito árduas ou perigosas para aeronaves tripuladas, o Skyborg pode aumentar significativamente a capacidade e ser um multiplicador de forças da USAF”, disse Brig. Gen. Dale White, Oficial Executivo do Programa de Caças e Aeronaves Avançadas, que, juntamente com o Brig. Gen. Heather Pringle, comandante do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea (AFRL), serve como a liderança do programa Skyborg. “Temos a oportunidade de transformar nossas capacidades de combate e mudar a maneira como lutamos e a maneira como empregamos o poder aéreo”.

XQ-58A Valkyrie

O Skyborg é um dos três programas de vanguarda identificados no final do ano passado como parte da iniciativa de Ciência e Tecnologia da Força Aérea (C&T) 2030. Esses esforços de desenvolvimento de capacidade da USAF de alta prioridade vêm com um compromisso de oferecer recursos revolucionários para transformar as operações da USAF para a força futura.

“As tecnologias de autonomia no portfólio do Skyborg vão desde algoritmos simples de play-book até a tomada avançada de decisões da equipe e incluirão oportunidades na plataforma para tecnologias de inteligência artificial (IA)”, disse Pringle. “Esse esforço fornecerá uma arquitetura de referência fundamental do governo para uma família de UAS em camadas, autônoma e de arquitetura aberta”.

Os Vanguards também estão introduzindo uma nova parceria inicial entre o AFLCMC e o AFRL devido à necessidade de identificar rapidamente a tecnologia de ponta e fazer a transição diretamente para as mãos do combatente.

“A maior vantagem tecnológica não vale nada se o combatente não puder usá-la no campo de batalha. Isso torna a parceria entre o AFRL e AFLCMC tão vital para este programa. Não podemos permitir que lombadas burocráticas interfiram no nosso mandato de entrega ”, afirmou White.

FONTE: U.S. Air Force

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JuggerBR
JuggerBR
16 dias atrás

Plataforma aérea carregadora de armas, um enxame destes sobrecarrega qualquer defesa aérea.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  JuggerBR
16 dias atrás

Essa é a tendência, um exame de drones ao redor de caças tripulados fazendo todo tipo de tarefas, atacando alvos pré´designados e de oportunidade, dando cobertura, guerra eletrônica, reabastecendo etc. Eu acredito piamente que Israel já utiliza essa tática com os seus VANT’s (mais ou menos de forma parecida), deve ser por isso que eles conseguem driblar as defesas sírias.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Karl Bonfim
16 dias atrás

Exatamente.
E começam a aparecer algumas armas russas desenvolvidas para combater esse tipo de ataque: Enxame de drones.
A cada medida, sempre haverá uma contra-medida;

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
16 dias atrás

O nome da arma russa é ‘Silok’.
Foi testada com êxito no início desse mês.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Antoniokings
15 dias atrás

Ja viu algum teste dos russos e chineses que o resultado divulgado seja diferente de sucesso ?

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

Caro Antonio…

Não sei se vc percebe… Mas esse seu esquerdismo… Causa o efeito contrário do que vc deseja… As pessoas ficam é com mais raiva ainda de Russia, China, etc… Tamanho o seu exagero.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  JuggerBR
16 dias atrás

eles já usam, o Harop, os Pantsir S foram vítimas deles, mas esse bicho aí de cima é muito mais avançado que um Harop.

Jacinto
Jacinto
Reply to  JuggerBR
14 dias atrás

Não sobrecarrega também os próprios controladores? Se não houver controlador seria necessário um alto grau de automação ou inteligência artificial…

Teropode
Reply to  Jacinto
11 dias atrás

Pois há , se assim não fosse não haveria porque utilizá-los .

Carvalho2008
Carvalho2008
16 dias atrás

O bagageiro do F22 e F35….

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
16 dias atrás

Uma das empresas se chama SkyNet…

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Joao Moita Jr
16 dias atrás

prenúncio?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Joao Moita Jr
16 dias atrás

Meeeeedoooo! hahahah

Antoniokings
Antoniokings
16 dias atrás

EUA atrasados em mais uma área.

Andre
Andre
Reply to  Antoniokings
16 dias atrás

atrasados em relação a quem? Só se for ao império galático. Quem está atrasado 40 anos é a antiga potência que não dominou a tecnologia stealth ainda, ficando atrás até da China.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Antoniokings
16 dias atrás

Essa vez você está certo AntonioKings!!!

Os Cylons já desenvolveram e usam o autônomo aéreo que se adapta, orienta e decide como agir.

Inclusive na série (baseada em fatos reais) Battlestar Galactica, é possível verificar seu uso no campo de batalha.
Tenho que reconhecer, essa vez você está coberto de razão, os americanos estão atrás dos Cyolons.

Parabéns.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Não estão tão atrás, assim.
Afinal, o País todo está indo para o espaço.
Sideral.
SDS

Eduardo
Eduardo
Reply to  Antoniokings
16 dias atrás

Tu és o melhor comentarista do fórum! A cada comentário teu, me ponho a rir imensamente. Parabéns, continue assim, não procure um psiquiatra nunca pois, se assim o fizer, acabará com a alegria dos que este sítio frequentam.

Nei
Nei
Reply to  Eduardo
16 dias atrás

Há anos, não sai um comentário decente de ANTONIOKINGS. TCHAU xings, vaza!

jagderband#44
jagderband#44
Reply to  Eduardo
16 dias atrás

O cara é especialista em comentários “no sense”, nos quais somente ele acredita.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  jagderband#44
16 dias atrás

Chora!
E só acompanhe os acontecimentos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  jagderband#44
16 dias atrás

Talvez, vc seja mais otimista que os americanos, visto que pesquisa publicada hoje pela Associated Press mostra que 80% dos americanos acham que o País está indo na direção errada.
Eu, particularmente, também acho, só que também considero que é tarde demais para mudar de rumo.
Sorry!

https://www.marketwatch.com/story/eight-in-10-americans-say-the-country-is-heading-in-the-wrong-direction-new-poll-shows-2020-07-27?cx_testId=48&cx_testVariant=cx_1&cx_artPos=1&mod=home-page-cx&cx_method=click#cxrecs_s

Pedro Bó
Pedro Bó
16 dias atrás

Com as plataformas aéreas cada vez mais caras, o futuro serão esses enxames de drones.

rfeng
rfeng
16 dias atrás

Entendo esta abordagem apenas como uma passagem para os sistemas de drone autônomos com IA, senão não vejo vantagem de se propor um caça comandando um monte de drones se você pode obliterar um alvo com um monte de misseis que já existem.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  rfeng
16 dias atrás

A questão hoje é que esse enxame não pode ser comandado á distância, por causa da tecnologia não suficientemente desenvolvida, hoje precisa de um piloto de olho no que está acontecendo, no futuro, não.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
16 dias atrás

Ditando as regras para as próximas décadas… liguem os linotipos… ops… as copiadoras!!!

Vilela
Vilela
16 dias atrás

Sinceramente sou muito mais o estilo simples, despojado e eficiente dos aviões da II WW… Eram, em grande parte, aviões fáceis de pilotar, fáceis e rápidos de construir, difíceis de derrubar… Hoje tudo é computador, piloto quando tem não faz muita coisa sem o computador… Se hackear (o que não seria muito difícil, vide drone capturado pelo Irã há alguns anos) pode colocar uma grande FA em má situação. Por outro lado o espaço que piloto e suporte de vida ocupam dão lugar a carga paga e autonomia… Não gosto nem de carro muito tecnológico… Iagina uma força aérea confiar… Read more »

Edison Castro Durval
Edison Castro Durval
16 dias atrás

Parei de ler na parte que explica que a plataforma será provida de armas e pode ser autônoma.
Me parece que Battlestar Galactica não foi vista por esse pessoal de fardas.
Espero que não dê M……

nonato
nonato
15 dias atrás

De onde esses drones sairão?
Como sincronizar o deslocamento da base ao teatro de operação?
Os caças e os drones terão a mesma velocidade?
Porque precisam chegar juntos ao teatro de operações.
Quem vai na frente?
Isso tudo depende do tamanho desses drones.
Se serão de tamanho próximo ao de caças, transportando vários mísseis e bombas, ou se serão menores para reduzir o RCS e poderem ser feitos e atuarem em grandes quantidades.

Jacinto
Jacinto
14 dias atrás

A cada dia que passa, o piloto precisa fazer mais coisas. Agora, além de controlar a própria aeronave, ele precisará controlar outra… eu não tenho certeza de que este acúmulo de funções não acabará por sobrecarregar o piloto. Para termos uma idéia, os UCAV´s, em geral, são controlados remotamente por duas pessoas. Um único piloto conseguirá pilotar o próprio avião e ainda controlar um drone?