Home Aviação Militar FOTOS: B-17 com cópias da bomba voadora alemã V-1

FOTOS: B-17 com cópias da bomba voadora alemã V-1

3835
85

Na imagem acima, um bombardeiro B-17 Flying Fortress em teste com duas bombas voadoras JB-2, cópia da V-1 alemã que ficou famosa pelos ataques à Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial.

A Republic-Ford JB-2, também conhecido como KGW e LTV-N-2 Loon, foi desenvolvida em 1944 e planejada para ser usada na invasão do Japão pelos Estados Unidos (Operação Queda), mas a JB-2 nunca foi usada em combate.

Foi o mais bem-sucedido dos projetos de Bombas a Jato das Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos (JB-1 a JB-10) durante a Segunda Guerra Mundial.

Após a guerra, a JB-2 desempenhou um papel significativo no desenvolvimento de sistemas de mísseis táticos superfície a superfície mais avançados, como o MGM-1 Matador e, posteriormente, o MGM-13 Mace.

JB-2 sendo lançada por um Boeing B-17 durante o teste da arma em Eglin Field, 1944

Uma JB-2 sendo inspecionada pelo pessoal da USAAF em Wendover AAF, 1944
A Loon sendo lançada do submarino USS Cusk em 1951

Subscribe
Notify of
guest
85 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
André Bueno
André Bueno
17 dias atrás

Desconhecia esse fato. E é mais uma “contribuição” germânica aos aliados.

sub urbano
sub urbano
Reply to  André Bueno
17 dias atrás

Sim, no livro De Bello Gallico, creio que hoje é leitura obrigatoria na AMAN. Julio Cesar cita os Suebis ou “Suevos”. Eram altos, fortes e loiros, diferentes dos legionários romanos. Diferentes dos gauleses também. Cesar cita que os gauleses do norte (hoje Belgica), os mais bárbaros dos gauleses, eram mais “civilizados” que os germânicos. Seus deuses eram ainda mais sanguinários e obscuros. Quando Cesar invadiu a Galia, eles já haviam cruzado o Reno e colonizado uma parte da região. Parece que os alemães já tinham interesse na França mesmo antes de ambos os países existirem rs

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  André Bueno
17 dias atrás

Os alemães estavam muito a frente dos aliados em muitos aspectos, o fuzil de assalto Sturmgewehr 44 e o Submarino alemão Tipo XXIpor exemplo, serviram de base e modelo para todos as armas do tipo no pós guerra. Mas nas tecnologias dos foguetes, realmente se não fossem os alemães hoje provavelmente, não teríamos os mesmos níveis de hoje…

nonato
nonato
Reply to  Karl Bonfim
16 dias atrás

Estavam a frente e foram derrotados.
Tinham mísseis e foram derrotados.
Tinham submarinos, e foram afundados.
De nada adianta ter armas “modernas” e perder a guerra…

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  nonato
16 dias atrás

Perderam a guerra devido a más decisões estratégicas e em cair em um guerra prolongada sem uma indústria forte para manter a linha de suprimentos. Foi o mesmo com o Japão.
Os EUA se tornaram o que são hoje graças a segunda guerra mundial, os concorrentes indústriais europeus e japoneses foram arrasados e sua indústria ficou intacta, apliada e com um vasto mercado para sí.

Last edited 16 dias atrás by Cristiano de Aquino Campos
Caio
Caio
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
16 dias atrás

Os EUA de hoje começaram desde a primeira guerra Mundial.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  nonato
16 dias atrás

tao superficial quanto o gemido de uma garota de programa que esta ali soh por grana

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  nonato
16 dias atrás

“De nada adianta ter armas “modernas” e perder a guerra…”

Recomendo leitura e estudo profundo sobre a II Guerra Mundial. Não apenas no aspecto bélico, mas sim com os aspectos geopolíticos e econômicos dos Países protagonistas Pode parecer incrível, mas uma guerra não se ganha apenas tendo as melhores armas.

Marcelo M
Marcelo M
Reply to  Ricardo Bigliazzi
13 dias atrás

Basta notar que os Sherman eram suficientes para derrotar os Tiger e Panther na Normandia e além. E por um simples motivo: eram produzidos em maiores números.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  nonato
16 dias atrás

Foram decisões política e estratégicas que levaram as potências do Eixo a perder a guerra. Graças à Deus. Senão estaríamos vendo acontecer o que é descrito na séria “The man High Castle” da Amazon Prime e mundo seria muito mais cruel!

Cristiano GR
Cristiano GR
Reply to  Karl Bonfim
16 dias atrás

Interessante que os alemães desenvolveram a tecnologia dos foguetes que possibilitou, mais tarde, a ida dos americanos à Lua, mas suas tropas eram alvos fáceis do foguetes russos Katyusha e não possuiam nada igual no campo de batalha.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Cristiano GR
16 dias atrás

Sobre os beligerantes, todos possuiam algo que se sobressaia sobre os outros…o problema eh que os alemaes nao possuiam ~algo~..e sim, muitos tipos de armas que eram diferenciadas. Independente de perderem ou nao, de outros possuirem algo a mais ou nao…eles eram extremamente competentes no desenvolvimento de armas…

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Paulo Lahr
16 dias atrás

Discordo. Eram extremamente ineficientes. O caso é que a indústria bélica alemã era bastante criativa, e até muitas vezes por causa das necessidades da Guerra se viram compelidos à inovarem.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Leandro Costa
16 dias atrás

Eu sei que vc disse a tyua opiniao e ao mesmo tempo mudou ela na mesma resposta, mas….Por favor, discorra sobre a ineficiencia deles. Para poder intender o teu ponto de vista.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Paulo Lahr
16 dias atrás

Claro, mas não mudei de opinião não. Quando falei ‘Os Alemães’ inferi que era todo o aparato do Estado Alemão durante a Segunda Guerra Mundial. Quando especifiquei sobre sua indústria bélica, foi exatamente para diferenciar entre ambos. Todo o sistema de governo nazista era extremamente ineficiente, devido à problemas que vemos hoje (por incrível que pareça em bem menor grau) em diversos países, inclusive o Brasil. Há uma tentativa sempre de ‘agradar o chefe’ e manter círculos internos de poder, e eventualmente tudo ia acabar nas mãos de Hitler. Se ele ficava feliz, ia para frente. Se ele ficava chateado,… Read more »

André Amorim Mondelo
André Amorim Mondelo
Reply to  Leandro Costa
14 dias atrás

Leandro Costa o mesmo aconteceu com desenvolvimento do Messerschmitt Me 262. Os projetistas alemãs apresentaram o avião para o Hitler, mas o mesmo queria que não fosse apenas interceptador, mas que fosse um caça bombardeio. O resultado e que os alemães tinham um caça revolucionário pronto, mas por causa das mudanças de projeto tiveram que adiar em um ano a produção em massa, um ano que teria feito umabaita diferença na guerra área na frente Ocidental.

Caio
Caio
Reply to  Cristiano GR
15 dias atrás

Realmente as v1 eram enormes e destruidoras,.mas pra sorte dos ingleses foram poucas lançadas,agora, imagina a chuva de pequenos foguetes sobre os soldados.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Caio
15 dias atrás

Os alemães conhecessem essa sensação por causa dos Katyusha soviéticos.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Karl Bonfim
16 dias atrás

Amigao….eu ia citar o Ak-47 e o Guppy…mas vc ja fez um belo trabalho…rs

André Bueno
André Bueno
Reply to  André Bueno
17 dias atrás

Grato Roberto e Karl.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  André Bueno
16 dias atrás

Então não e coisa de Chines fazer tecnologia reversa, copiar projetos de outros países e etc.

Pedro
Pedro
Reply to  André Bueno
14 dias atrás

Boa tarde. Não foi contribuição Germânica nenhuma, foi espólio de guerra e roubo de tecnologia para fins de superioridade nacional mesmo, igual como os Chineses estão usando hoje, só que por meio de usos de hackers e não soldados.

Marcos10
Marcos10
17 dias atrás

As V1 foram os primeiros mísseis de cruzeiro.
Sem contar uma variedade de mísseis, inclusive as x4 que não se tornaram operacionais.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Marcos10
17 dias atrás

Os primeiros equipamentos de visão noturna foram montados em Panthers, e no Sturmgewehr. Já no final a guerra, os aliados não conseguiam entender como os tanques alemães conseguiam ser tão certeiros em noites escuras e sem lua, causando imensas perdas aliadas. Os primeiros a lançar mísseis guiados ar-ar foram os pilotos da Luftwaffe. E por falar em aviões, o F-86 e MiG 15, que se enfrentaram na Coréia, eram praticamente modelos alemães. A tecnologia que colocou o primeiro homem na Lua completamente alemã. E se consideramos o tamanho da Alemanha, os recursos que possuem, e como estava o país no… Read more »

Last edited 17 dias atrás by Joao Moita Jr
Madmax
Madmax
Reply to  Joao Moita Jr
16 dias atrás

Mas falharam miseravelmente numa série de tecnologias chave como radar, criptografia e bomba atômica.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Madmax
16 dias atrás

Carto Mad. A questão da bomba atômica é mais complicada. Os EUA recrutaram os melhores cientistas do mundo para trabalhar no projeto Manhattan. Foram construídas diversas unidades de pesquisa. A Alemanha não teria condições de desenvolver a bomba atômica sozinha estando em guerra. As demandas de engenharia, recursos, processamento de minérios… lembrando que a estabilidade econômica dentro da Alemanha foi mantida por meio da transferência de recursos materiais dos países ocupados.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Madmax
16 dias atrás

Não falharam exatamente no radar, mas adotaram a tecnologia tardiamente. O problema com a criptografia dos alemães (Enigma) foi a falta de disciplina dos usuários que facilitava a decodificação, e não problema do sistema em si que era confiável.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Leandro Costa
15 dias atrás

Estamos esquecendo de mencionar aqui o traidor alemão Wilhelm Canaris, que passou a guerra inteira provendo informação aos britânicos, inclusive entregando os agentes da sua própria Abwehr nos Estados Unidos.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Joao Moita Jr
15 dias atrás

É, Canaris ajudou no que pode, até a GESTAPO alcançar ele. Seus assessores mais próximos ajudavam, claro. Salvo engano, Canaris foi um dos grandes responsáveis pela permanência da neutralidade da Espanha.

Marcos10
Marcos10
17 dias atrás

Duas coisas aí eram importantes: o motor, relativamente eficiente para época, de baixo custo, permitindo ser descartável e o sistema de giroscópios.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
17 dias atrás

Ue, eu pensei que os EUA, não copiassem nada de ninguém, apenas a China, estranho né..

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Heinz Guderian
17 dias atrás

Obviamente eles não gostam de admitir, mas quando o negócio é bom, copiam na cara dura. Tanto com produtos de fora quanto de dentro do próprio país. Fazem uma maquiagem leve para dizer que é novo e revolucionário e lançam o produto. Qualquer um que tenha estudado um mínimo de qualquer tipo de indústria americana sabe disso. Automóveis, eletrônicos, medicamentos, you name it. A Apple mesmo se tornou trilionária fazendo exatamente isso. Depois vem na cara dura chamar os japoneses de “uma nação de copiadores”. Mas com isso não quero dizer que não há inovação por lá, longe disso, já… Read more »

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Heinz Guderian
17 dias atrás

Ia dizer o mesmo.

Também estou chocado.

Hugo do Amaral
Hugo do Amaral
Reply to  Heinz Guderian
16 dias atrás

Leia sobre a copia e processo da Mauser sobre a Springfield em 1903 pela copia descarada do Mauser 1898. Sendo a empresa americana obrigada a pagar em valores da epoca U$ 200.000,00 de indenização.

Andre
Andre
Reply to  Heinz Guderian
16 dias atrás

Não são apenas os Chineses não. Os soviéticos copiaram o B29 e chamaram de Tu4 e o Sidewinder e chamaram de K-13.

Apesar do outro colega ter citado o Mig15 como sendo uma cópia das tecnologias alemãs, na verdade foi o motor do Mig9 que utilizou um motor copiado dos nazistas.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
17 dias atrás

Eu conhecia a contribuição dos cientistas alemães no pós guerra, mas desconhecia essa cópia das V-1, devem ter sido feitas com base em V-1’s capturadas que sofreram engenharia reversa.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Fabio Araujo
17 dias atrás

Tudo que os alemães desenvolveram foram levados pelos países aliados.
Os americanos utilizaram como base para o desenvolvimento de seus motores a jato as Jumo, os franceses as BMW. Os submarinos tipo XXI foram disputados a tapa. Os EUA ficaram com dois, a Inglaterra e Rússia, com um cada. Os franceses para não ficarem sem, descobriram onde os alemães tinham afundado um e com mergulhadores fecharam as válvulas, bombearam a água e trouxeram para um dique, onde foi recuperado e operou até 1967.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Marcos10
17 dias atrás

Todos os países buscam ter acesso a tecnologias de outros especialmente numa guerra. Por exemplo, a Alemanha ao invadir a Holanda além de aproveitar a tecnologia de ponta da Phillips se apropriou de uma invenção que mudaria a guerra submarina e que muitos acreditam que foram os alemães que criaram: o Snorkel.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Marcos10
17 dias atrás

Após a Guerra houve uma corrida para a captura de todas as tecnologias alemãs e os cientistas que as criaram, e não só alemãs, os americanos capturaram os maiores submarinos já construídos os submarinos japoneses porta-aviões e quando Stalin pediu acesso para os soviéticos os estudarem os americanos, que já os tinham estudados, os afundaram para que os soviéticos não tivessem acesso a eles. Mas nesse caso das V-1’s durante a guerra e foi fruto de espionagem e reengenharia.

MÁRIO FILHO
MÁRIO FILHO
Reply to  Marcos10
17 dias atrás

Os americanos não copiaram , eles levaram os cientistas alemães para os eeuu .ex : Wernher Von Braun .

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Fabio Araujo
17 dias atrás

Aqui perto de casa, na Point Mugu Naval Air Weapons Station aonde trabalhei um tempo, tem um V1 rocket espetado. É um museu ao ar livre muito bacana, mostrando a evolução da tecnologia de foguetes da USN e USAF. O começo da evolução, que tem muitos modelos até o Tomahawk, começa justamente com o
V-1 espetado ali.

https://www.air-and-space.com/Pt%20Mugu%20Missile%20Park.htm

LucianoSR71
LucianoSR71
17 dias atrás

O interessante nesse caso é que ao contrario do que aconteceu c/ muitas tecnologias alemãs esse programa começou ainda em 1944, antes mesmo de serem lançadas contra a Inglaterra, não foi um espolio conseguido após a derrota. Basearam-se em fotos, informações de espionagem e depois c/ partes recuperadas dos ataques aos ingleses.
Tem um video no YT, não vou colocar o link p/ o comentario não ficar retido, é só procurar: Republic-Ford JB-2 Loon (1944)

Luiz Antonio
Luiz Antonio
17 dias atrás

Os alemães eram tão bons na arte da guerra e seus armamentos tão eficazes que….Perderam duas guerras. Fantástico.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Luiz Antonio
17 dias atrás

Perderam porque esgotaram seus recursos, principalmente humanos.
E é nisso que residira a vantagem da China em uma hipotética guerra convencional generalizada.
Recursos humanos infindáveis.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Antoniokings
17 dias atrás

Os alemães tiveram sorte ainda por não levarem duas bombas A no lombo. Saiu barato.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Antoniokings
17 dias atrás

1º quem não tem recursos não entra em guerra com ninguém.
2º Se voce não sabe, atualmente (e já faz tempo) exércitos imensos são apenas alvos maiores para armamentos nucleares (primeiro dos armamentos táticos e depois os estratégicos) A MAD tem garantido que a 3ª Guerra Mundial não aconteça, portanto, a “hipotética guerra convencional generalizada” nem chegaria a ocorrer.

Last edited 17 dias atrás by Luiz Antonio
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Luiz Antonio
17 dias atrás

Os alemães acreditavam que o avanço rápido faria os aliados sentarem na mesa para negociar. O próprio Hitler não acreditava que a França e a Inglaterra tomariam as dores da Polônia, por isso essa visão de que Hitler queria dominar o mundo era patética, afinal a logística de guerra alemã se demonstrou falha em diversos pontos, como a falta de ferrovias e outros veículos motorizados. Quem quer guerra tem que ter recursos para tal, não se entra numa guerra sem ter bala na agulha. Assisti um documentário não lembro onde, que mostra essa escassez de recursos da Alemanha nazista, boa… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Luiz Antonio
16 dias atrás

Escrevi que seria em uma guerra convencional em larga escala.
Preste atenção!

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Antoniokings
16 dias atrás

exatamente isso a que me referi. Preste Atenção

Jacinto
Jacinto
Reply to  Antoniokings
15 dias atrás

Nenhum recurso é infindável, muito menos os humanos. Só um genocida pensa dessa forma.

Andre
Andre
Reply to  Luiz Antonio
16 dias atrás

Pois é Luiz, nas tecnologias que realmente foram determinantes para a vitória aliada, como radares, comunicações, bombardeiros pesados e a mais determinante de todas, a bomba atômica, eles estavam bem atrás.

Mas essas ai não pouco significativas no vídeo game…

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Andre
15 dias atrás

Ao meu parecer o que decidiu a guerra Contra a Alemanha foi a capacidade incrível de Stálin produzir números mirabolantes de tanques T-34/85. Lendo Hitlers War de David Irving, escrito depois de vários anos exaustivos nos arquivos soviéticos, aliados e alemães, li que muitas vezes a Wehrmacht destruiu milhares de tanques T-34/85, e o OKW e Hitler então ficavam confidentes de que as reservas do inimigo haviam acabado, só para encontrarem milhares dos mesmos tanques novos em folha no front. Isso durou até os últimos dias da guerra. Tanto assim que quando ocorreu o D Day, os alemães já estavam… Read more »

Last edited 15 dias atrás by Joao Moita Jr
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Joao Moita Jr
13 dias atrás

João, para começar o OKW subestimou em muito o número de blindados dos soviéticos já antes da invasão. Ficaram assustados com a performance dos T-34/76 e dos KV-1/2. Esses últimos, os alemães nem tinham armamento anti-tanque para enfrentá-los, sendo necessário esperar que ficassem sem munição, imobilizá-los ou trazer um 88 para a linha de frente para acabar com eles. Ao contrário do mito popular, não foi o T-34 que inaugurou a era da ‘sloped armor,’ fazendo com que o Panther se baseasse nele. Os alemães sabiam das vantagens de blindagem assim desde antes da guerra, mas preferiram manter o espaço… Read more »

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
17 dias atrás

Se os Hitler tivesse esperado o amurecimento dessas tecnologias, teria muito mais sucesso em sua fracassada empreitada contra a URSS e Inglaterra.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Vinicius Momesso
17 dias atrás

Os outros países também tinham seus avanços tecnológicos. O que se teve foi uma corrida. Ganhou que tinha maior capacidade industrial.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Vinicius Momesso
17 dias atrás

Caro Vinicius. A II Guerra tem muitos mitos e algumas coisas pouco discutidas. A primeira questão é o Acordo de Munique, no qual a Inglaterra e França concordam em ceder territórios da Checoslováquia. Isso prejudicou a capacidade de defesa da Checoslováquia e sinalizou para a URSS que não haveria qualquer esforço em conter a Alemanha em caso de invasão (o que deu origem ao acordo de não-agressão). O objetivo claro da Alemanha sempre foi invadir a região ocidental da URSS para ocupar as áreas férteis e campos de petróleo. A Alemanha tinha 23 divisões quando invadiu a Polônia, enquanto que… Read more »

Sequim
Sequim
Reply to  Camaergoer
17 dias atrás

Professor, vejo que vc também leu o recente artigo do Putin.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Sequim
17 dias atrás

Olá Sequim. De fato, mas não apenas. Os livros do Evans, Fest, Shirer e Mein Kampf também discutem o objetivo de derrotar a URSS e ocupar o “espaço vital”.

Matheus S.
Matheus S.
Reply to  Camaergoer
17 dias atrás

Concordo, a SGM tem muitos mitos e precisamente há a necessidade de rever certos fatos contados nos livros. O “Acordo de Munique” foi um desastre. Mas foi uma consequência direta, se não inevitável, de um Tratado de Versalhes que havia consignado 3,5 milhões de alemães dos Sudetos(alemães da região do norte da Tchecoslováquia que queriam estar sob domínio alemão) ao domínio dos tchecos, contra sua vontade e em violação do princípio da autodeterminação. A Grã-Bretanha assim como os tchecos não tiveram muito o que fazer, e os britânicos cederam o território, porque não tinha o que fazer naquele momento, a… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Matheus S.
17 dias atrás

Olá Matheus. Concordo com você. Muitas das causas (existem várias) da II Guerra foram consequência do Tratado de Versalhes. Acho sempre importante lembrar que Keynes, que fazia parte da delegação inglesa, abandonou a conferência e escreveu um livro denunciando os problemas. Aliás, a origem da Guerra do Vietnan também esta no fato da independência da Indochina francesa ter sido ignorada em Versalhes.Também concordo com você que o tratado de não-agressão foi um modo da URSS ganhar tempo para organizar o exército vermelho (devido os expurgos de Stalin). O objetivo da Alemanha era ocupar as terras férteis da URSS e derrotar… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Matheus S.
16 dias atrás

Olá Matheus. Obrigado pela sugestão. Vou “me ganhar” como dia dos pais.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Camaergoer
15 dias atrás

Camargoer – antes de comprar o livro e dar dinheiro a seu autor, eu sugeriria ler sobre a biografia dele. O cara é considerado racista, homófobo, negador do holocausto e com laços com os momentos supremacistas do EUA …

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Jacinto
14 dias atrás

Olá Jacinto. Obrigado pelo alerta. Geralmente, as recomendações dos colegas são boas (li excelentes livros recomendados aqui). como por exemplo os livros do Evans. Vou ver isso agora e daqui a pouco eu completo o comentário. Obrigado mais uma vez.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Jacinto
14 dias atrás

Olá Jacinto. Você tem razão. Outros autores conservadores, como o Scruton podem ser uma boa leitura mesmo para aqueles que têm uma visão mais progressista. O Pat Buchanan não. Vou tentar encontrar o “PDF” do livro (ou pedir para algum aluno encontrar para mim, eles são ótimos para isso). Obrigado pelo alerta. Sobre o Evans, li recentemente um livro dele que serve como “quarto volume da trilogia sobre nazismo” chamado “O terceiro Reich na história e na memória”. Para quem leu os 3 primeiros, acho que este quarto volume vai ser legal” (já cancelei a compra do livro do Pat… Read more »

Dr. Mundico
Dr. Mundico
Reply to  Camaergoer
17 dias atrás

Concordo com sua análise e acrescento que a pior coisa que o Japão fez foi bombardear Pearl Harbor, “terceirizando” mais um inimigo (os EUA) para a Alemanha.
Roosevelt vinha recusando entrar na guerra, até mesmo diante dos insistentes pedidos de um desesperado Churchill.
Tenho certeza que Hitler nunca aprovou a ação dos militares japoneses ao jogar o país numa aventura.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Dr. Mundico
17 dias atrás

Olá Mundico. O Japão já tinha vencido a Russia (Czarista) empregando um ataque sem declaração de guerra. Isso precisa ser levado em conta para entender o ataque á Pearl Habor. Roosevelt não tinha apoio interno para entrar na guerra. O ataque japonês por um lado e a decisão alemã de afundar navios mesmo de países neutros deram os motivos para os EUA entrarem na guerra. Acho importante lembrar que foram o Brasil também declarou guerra devido o afundamento de navios brasileiros.

Dr. Mundico
Dr. Mundico
Reply to  Camaergoer
17 dias atrás

Realmente, o congresso americano colocou barreiras para admitir os EUA na guerra, mas acabou cedendo. Os EUA também negociaram a cessão de bases britânicas no Caribe em troca de ajuda bélica americana.
Mas se não me engano, foi a Alemanha que declarou guerra aos EUA e não o contrário, como a maioria pensa. Posso estar enganado, porém..

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Dr. Mundico
16 dias atrás

Sim, foi a Alemanha que declarou Guerra aos EUA. Haviam tratativas dentro da lei de Empréstimo e Arrendamento dos EUA para com a Inglaterra antes disso. Venda de material bélico, cessão de bases, e até transferência de navios, etc. Ocorreu o mesmo com a França, mas ela aproveitou muito pouco antes de finalmente tombar ante à avalanche Alemã. Essa lei acabou dando o fôlego necessário à indústria bélica Americana, para que pudessem criar o ‘Arsenal da Democracia.’ Roosevelt sabia que os EUA iriam acabar entrando na Guerra de alguma forma. Ajudar os ingleses parecia algo natural, sem os quais, qualquer… Read more »

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Vinicius Momesso
17 dias atrás

Aliais Hitler,era a arma mais importante que os aliados tiveram na guerra.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Renato de Mello Machado
16 dias atrás

Uma coisa que pouco se comentar é que Hitler era um “drogado” … dependente químico mesmo, por isso várias de suas decisões foram equivocadas, Por exemplo no chamado dia D , quando os generais alemães ficara esperando o Führer acordar para deslocar as divisões reservas e contra atacar…. Hitler foi acordar só perto da meio dia…. (porque avia recebido de seu médico pessoal na noite anterior um coquetel de drogas e analgésicos… sem os quais ele não conseguia mais dormir… Eles (os generais) tinham medo de tomar decisões sem consultar Hitler, assim a invasão se consolidou bem debaixo dos olhos… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Rodrigo Maçolla
16 dias atrás

Considere também os movimentos de distração por parte dos aliados em Calais, que levou os alemães a concentrarem suas divisões panzer por lá. Estes movimentos incluíam maquetes de navios, blindados, aviões lançando toneladas de papel alumínio para interferir nos radares, aviões lançando bonecos como se fossem paraquedistas, dando a impressão de que os aliados desembarcariam mesmo em Calais. Por mais que Rommel tivesse o aval de Hitler logo cedo, ainda demorariam muito para chegar na Normandia.

Plinio Jr
Plinio Jr
17 dias atrás

Imagino o quanto de tripulações os alemães teriam preservado e o estrago que poderiam impor aos aliados se tivessem um bombardeiro estratégico em parceria com uso destas armas …poderiam atacar seus alvos a grande distância sem se expor a radares e defesas aéreas da época como canhões e caças….

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Plinio Jr
17 dias atrás

…Se….

nonato
nonato
Reply to  Plinio Jr
16 dias atrás

Você lamenta os alemães não terem mísseis mais cedo, né.
Mesmo tendo usado vários contra Londres…

Foxtrot
Foxtrot
17 dias atrás

Kkkk e tem gente aqui que crítica a China.
Veremos o que dirão agora !

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Foxtrot
17 dias atrás

Na natureza, nada se cria. Tudo se copia.
kkkkk

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Antoniokings
17 dias atrás

Lava a égua,hoje é seu dia

Sérgio Luís
Sérgio Luís
17 dias atrás

Bisavô do tomahawk!

Dr. Mundico
Dr. Mundico
17 dias atrás

Acho que foi Henry Kissinger quem disse que “o alemão faz qualquer sistema funcionar, por pior que seja”.
Falou isso diante dos números da economia da então Alemanha Oriental, que sempre apresentou as melhores taxas de crescimento do Pacto de Varsóvia.
Se bem que lá pelo início dos anos 70 a economia de todos os países da cortina de ferro já estava dando sinais de exaustão e estagnação.

Cristiano GR
Cristiano GR
16 dias atrás

Os alemães tinham mais tecnologia e, no início do combate, armamento melhor. Perderam a guerra, para sorte nossa, porque hitler, em seus devaneios e megalomania, resolveu fazer a guerra na Europa, na Rússia e na África ao mesmo tempo.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Cristiano GR
16 dias atrás

Olá Cristiano. Muito do armamento alemão era pior. Por exemplo, os primeiros Panzer eram inferiores aos tanques pesados franceses. Os motores aeronáuticos eram melhores. As pistolas Luger (lindas) mas apresentavam problemas mecânicos. Os alemães testaram vários equipamentos em combate durante a Guerra Espanhola, aproveitando para corrigir erros de projeto. Os tanques T34 soviéticos eram superiores. Hitler (e o alto comando alemão) acreditava que a raça ariana era superior, e isso traria uma vantagem militar. Uma tolice. De fato, os alemães abriram muitas frentes e desperdiçaram muitos recursos. Hitler enviou tropas para o norte da África para apoiar os italianos (não… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Cristiano GR
16 dias atrás

Acho que só o Bf-109 era superior a qualquer outro avião aliado, de resto tanques e navios eram inferiores aos aliados. O negócio era doutrina mesmo, o sincronismo de movimento entre cavalaria blindada, infantaria, artilharia e apoio aéreo aproximado, superou as velhas táticas da primeira guerra mundial, que ainda estava impregnadas na mente da maioria das potências européias.

silvio ricardo valenzi
silvio ricardo valenzi
16 dias atrás

Americanos sendo chineses, que ironia…

Mgtow
Mgtow
11 dias atrás

EUA se aproveitou dos espólios da alemanha em termos de tecnologia espacial para serem o que são hoje. Mas quem copia é a China né?