Home Aviação de Ataque KAI FA-50: Argentina perto de assinar contrato de compra de 12 jatos

KAI FA-50: Argentina perto de assinar contrato de compra de 12 jatos

9140
141
KAI FA-50
KAI FA-50

Uma fonte sênior da Força Aérea Argentina confirmou que o KAI FA-50 foi de fato selecionado como caça interino, com a aprovação do governo em breve.

Muito tem sido publicado recentemente sobre a provável compra argentina dos Lead-In Fighter Trainers KAI FA-50.

Seriam 12 aeronaves FA-50 com 2 delas gratuitas, incluindo um simulador de voo, peças de reposição, suporte técnico e treinamento por cerca de 500 milhões de dólares.

Esta é a proposta final feita pela Coreia do Sul, considerando os requisitos da Força Aérea Argentina e as possibilidades financeiras reais.

O jornal Ambito informou que 4 dessas aeronaves seriam montadas na Fábrica Argentina de Aviones (FAdeA), mas a informação não foi confirmada. A assinatura depende agora do ministro da Defesa Aguad.

KAI FA-50
KAI FA-50

NOTA DO EDITOR: Segundo o renomado jornalista argentino Santiago Rivas, a proposta prevê 12 aeronaves e não 8 como informamos anteriormente e a produção local na Argentina de algumas aeronaves não está incluída. O preço unitário poderá chegar a US$ 50 milhões.

Subscribe
Notify of
guest
141 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Samuca cobre
Samuca cobre
11 meses atrás

Caramba, cada hora os Hermanos anunciam uma provável compra de uma provável aeronave… kkkkk isso já está ficando engraçado !!!! Mas na verdade é triste, porque eles acabam não comprando nada…

Denis
Denis
11 meses atrás

Vamos marcar quadrilha, gente: “-Lá vem a chuva!”
“- É mentira!!”

Denis
Denis
Reply to  Denis
11 meses atrás

Mas, brincadeiras à parte, será bom para os dois países.

Ulisses
Ulisses
11 meses atrás

Alguém saberia dizer se há algum míssel BVR integrado à aeronave?

Paulo César
Paulo César
Reply to  Ulisses
11 meses atrás

Nada de BVR até o momento e armas, por enquanto, só as que os hermanos já possuem em seu inventário.

Diego
Diego
Reply to  Ulisses
11 meses atrás

Pela foto não, mas dado que o derby pode ser utilizado no F-5, tenho esperanças que também possa nesse caça, tomara que consigam realmente completar essa aquisição.
Creio que se desistissem de vez das Malvinas dicaria tudo mais fácil

Will
Will
Reply to  Diego
11 meses atrás

Assim como a china desistiu de Taiwan, o Japão das Ilhas Senkaku a Russia da Crimeia, e se a Ilhas fossem disputadas entre Brasil e Reino Unido o Brasil desistiria.

Gil
Gil
Reply to  Will
11 meses atrás

As Falkland nunca foram argentina. Elas estão em mãos britanicas desde antes de existir Argentina como tal, só que eles acham que é deles por uma questão de proximidade, por essa regra de tres o sul do Brasil tambem deveria de ser argentino, em algum momento parte desse territorio foi deles e alguns deles ainda recordam isso, devolvamos todo o Br que sobrepasse a linha de Tordesilhas se vamos por essa linha exdruxula. Argentina esta ferrada militarmente, que bom. Menos um problema para UK, Chile e o mesmo Brasil. E recordem a Argentina não perdeu a guerra das Malvinas, apenas… Read more »

Sandro
Sandro
Reply to  Gil
11 meses atrás

Correto Gil, as ilhas tiveram seu primeiro desembarque em 1690 com o capitão John Strong. Essa ilha foi disputada por alguns anos por Inglaterra, França e Espanha, sendo que ambas a abandonaram, reconhecendo a soberania das ilhas pertencente a Inglaterra. A Argentina entrou nessa briga em função das ilhas estarem dentro de seu limite de 500 milhas maritimas. Sendo que esse limite foi criado pela ONU.

Kemen
Kemen
Reply to  Diego
11 meses atrás

Diego, a Argentina nunca vai desistir das Malvinas, para eles é uma esperança nacional.

Kemen
Kemen
Reply to  Ulisses
11 meses atrás

Ulisses, existe a integração do AIM-120, mas não sei se vão comprar o FA-50, se vão comprar com que integração, se vão comprar o missil e se os EEUU nesse caso iriam vender. É muito se… não acha?

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  Kemen
11 meses atrás

Kemen, desculpa me meter aqui na conversa hehehehehe, mas acho que, provavelmente, os EUA podem vir a fornecer aos argentinos um pacote de armas. Provavelmente, mísseis AIM-9 sidewinder de uma versão mais “basica” e talvez até os AIM-120 (também em versão mais pelada, claro!).

Se a aeronave não estiver já integrada aos armamentos israelenses, acho mais fácil que eles recorram ao Tio Sam msm!

Forte abraço, bom dia! 🙂

Kemen
Kemen
Reply to  Tamandaré
11 meses atrás

Sim Tamandaré, é possivel sem dúvida.
Abração.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Ulisses
11 meses atrás

Vao comprar esses aviões somente para interceptar aeronaves civis, não vai ter nenhuma capacidade de combate.

Joao Argolo
Joao Argolo
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Mas lembre-se do que aprontaram com o Pucará, bem inferior.

Bosco
Bosco
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Augusto,
Então os F-5 da FAB não servem pra nada porque todas as características do FA-50 são melhores do que as dele.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bosco
11 meses atrás

Mas não é? Kkkkk
Eu so quis dizer que não devem se procurar com combate por agora.
Eles n tem inimigos, a não ser que queiram caçar

J R
J R
Reply to  Bosco
11 meses atrás

O F-5M é superior a do FA-50. Em armas só os Phyton 4/5 já dão conta desses aviões em uma disputa, fora o Derby. Tem data-link, HMD, capacidade REVO. Menos pessoal, menos…

Sandro
Sandro
Reply to  Ulisses
11 meses atrás

Para a Argentina não vai vir nada de misseis, a não ser bombas burras. Será um péssimo negocio, a aeronave vira toda capada, por ter tecnologias Americanas e Europeias, tudo em função da Inglaterra. A unica maneira da Argentina se armar adequadamente para combate nos dias atuais e com tecnologias de Russia e China do contrário e só para manter as aparências.

J R
J R
Reply to  Sandro
11 meses atrás

O único embarco que a Argentina sofre é dela mesmo ($$$), não nada que a impressa este avião de vir com toda (nem é tanta) tenologia que ele tenha.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Sandro
11 meses atrás

A Argentina tem o mesmo status com os EUA de aliado preferencial que o Brasil.

J R
J R
Reply to  Ulisses
11 meses atrás

o radar é israelense, então é bem provável que toda gama de mísseis deles já esteja integrada.

Gustavo
Gustavo
Reply to  J R
11 meses atrás

O AIM-120 está em homologação no FA-50. O radar é de fato o elta/2032 mas podem muito bem substituí-lo por um aesa. (ex. Elta 2052, que inclusive “cabe” no Tejas)

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Ulisses
11 meses atrás

Os atuais FA-50 operam como aeronaves de ataque leve, apenas com mísseis de defesa e curto alcance como o AIM-9. Porém existe planos de novos Blocks para contarem com melhorias no radar (maior alcance) e uso de mísseis ar-ar BVR como o AIM-120. Como será o FA-50 argentino ainda é cedo para dizer. Poderá ser equipado com Elta EL/M 2032 e sem mísseis BVR, poderá vir com o mesmo radar melhorado e com mísseis BVR tipo I-Derby ou até o americano AIM-120 e possivelmente poderá vir até com radar AESA Elta 2052 e mísseis BVR. Depende o que a Argentina… Read more »

Sargento Pincel
Sargento Pincel
11 meses atrás

Excelente aeronave, muito bem adequada ao tamanho e orçamento da força aérea hermana…

Bryan
Bryan
Reply to  Sargento Pincel
11 meses atrás

Não sou especialista em Força Aérea Argentina, mas, na minha humilde opinião, penso que, se é para pensar apenas na questão de tamanho e orçamento, seria melhor os argentinos inundarem as bases aéreas de Pampa III. É mais barato e tão efetivo quanto. É claro que há uma distância tecnológica entre o argentino e o sulcoreano, mas nada que os israelenses não pudessem supri-la. Além disso, a Argentina perdeu uma grande oportunidade de comprar os novos KFIR (inclusive reza a lenda de que viriam equipados com radares AESA e muitos pythons) e ampliar o leque de aprendizado e conhecimento, levando… Read more »

Sargento Pincel
Sargento Pincel
Reply to  Bryan
11 meses atrás

A argentina esta quebrada, os Peronistas deixaram o país em moratória… Macri ao poucos esta colocando as coisas no eixo… Adquirir estas aeronaves de treinamento avançado vai ser cobrir um lacuna vazia e deixar a força aérea doutrinada e treinada para novas aquisições num futuro… EXCELENTE ESCOLHA.

Bryan
Bryan
Reply to  Sargento Pincel
11 meses atrás

Em termos de capacidade, custo operacional e logística, os israelenses são mais efetivos do que os sulcoreanos. Se é para ter mais uma aeronave de treinamento avançado, seria redundante quando eles têm o Pampa III. Conforme eu disse, não sou especialista, mas creio que é uma compra de desespero, pois o mercado para a Argentina nesse setor está embargado há muito tempo.

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
11 meses atrás

Apenas 8?
Diziam ser 12, aí passou para 10 e agora 8… Uma pena a situação dos hermanos.
Porém, melhor do que nada.

Kemen
Kemen
Reply to  Douglas Rodrigues
11 meses atrás

Só 8? Seria para manter alguns pilotos treinados em vôo supersonico, como força aérea e pensando na manutenção e operacionalidade, nem os 8 estariam sempre disponíveis.

Observador.
Observador.
Reply to  Douglas Rodrigues
11 meses atrás

Tomara que consigam comprar. Não é muito bom para o Brasil que um pais vizinho fique desprotegido. Gostaria que os países Sul Americanos fossem amistosos e se juntassem em um pacto de proteção mutua parecido com o que acontece na Europa com a Otan, porque isso nos deixaria menos suscetíveis aos desmandos e imposições das grandes potencias. Como sabiamente foi dito certa vez, “Se um reino estiver dividido contra si mesmo, não poderá subsistir”. Isto também pode ser aplicado para os continentes nos dias de hoje.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Observador.
11 meses atrás

Hahahaha Hahahaha

Observador
Observador
Reply to  Luiz Galvão
11 meses atrás

Gostaria de saber qual a graça. Creio que ou alguns entenderam errado o que eu disse, ou faltou raciocínio na interpretação. Não me lembro de ter contado piada.

Observador
Observador
Reply to  Luiz Galvão
11 meses atrás

Vamos tentar exclarecer algumas coisas. País vizinho vulnerável em conflito, gera êxodo de refugiados em massa, gastos em missoes e estado de alerta das nossas tropas de fronteira, etc. Sobre a relação com os países vizinhos eu disse que, “GOSTARIA” sei que há diferenças, políticas, culturais, ideológicas, etc, que impossibilitam. Mas seria bom o Brasil ter parceiros de armas que, cumprissem metas de gasto e estruturação de defesa, etc. No caso da Argentina por exemplo, a Inglaterra teria ponderado mais os riscos e gastos, se na época das Malvinas por exemplo, houvesse uma defesa Sul Americana, bem equipada (mesmo que… Read more »

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Observador
11 meses atrás

Primeiro eu tbm “gostaria” de muita coisa, segundo a América do Sul é uma salada de fruta e ninguém confia em ninguém pra falar a verdade é pra sacramentar a inocência do seu desejo, a Argentina não tinha “Casus belli” e se seu desejo fosse real, arrastaria um continente inteiro para uma guerra no mínimo idiota.

Observador.
Observador.
Reply to  Carlos Gallani
11 meses atrás

Como eu disse no comentário anterior, eu sei da salada de fruta. O caso é que infelizmente, isso acontece aqui e no continente africano. Você mexe num véspero se atacar outras partes do planeta. Sobre arrastar o continente inteiro para guerra idiota, numa aliança militar, as ações são deliberadas pelo grupo, que avalia a viabilidade ou não, mas a dissuasão já é algo a ser levado em consideração.

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
11 meses atrás

Quem será entregue primeiro? O Kai argentino ou o Gripen brasileiro? Por enquanto ambos países não tem nada, apenas sucatas…

Tutu
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
11 meses atrás

O nosso já tem contrato assinado.

Johnny
Johnny
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
11 meses atrás

Além do contrato, o protótipo brasileiro está prestes a voar, já no caso dos hermanos…

Gustavo
Gustavo
11 meses atrás

Tomara que de certo. Porque se bobear, logo eles não terão nem os A-4 voando direito.

João Souza
João Souza
Reply to  Gustavo
11 meses atrás

Eles não tem os A4 voando direito . Um ou dois so estão voando…

Mauro
Mauro
11 meses atrás

Ótima notícia, que bom que será fabricado pela sua fabricante de aeronaves Fadea, isso irá fortalecer ainda mais sua indústria aero espacial, vislumbro que poderá exportar a vários outros países, provavelmente o Chile seja um usuário deste belo avião, que poderá ser utilizado como treinador avançado pela FACh. Os engenheiros aeronáuticos argentinos através da Fadea certamente irão adaptar o FA-50 fabricado localmente como treinador emulado para se tornar um F16V, futuro caça do Chile. isso ajudará Fadea a se tornar um player global da indústria aeronáutica mundial e apta a receber e fabricar também o Gripen, aos moldes do contrato… Read more »

Johnny
Johnny
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Foi ironia ou você não sabe que o gripen tem peças de origem britânica?

Flanker
Flanker
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Barbaridade!! Respeito sua opinião, mas parece que você não está muito informado sobre a situação atual argentina….viagem, viagem,……

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Não viaja

Frederico
Frederico
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Mauro, gostaria de saber o que você está usando..É forte.. Nas horas de lazer deve ser bom!!

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
11 meses atrás

Existiria alguma possibilidade de veto americano por causa do motor F-404 por pressão inglesa?

Não é o caça ideal para defesa aérea mas… é o que temos para o momento!!

J R
J R
Reply to  Marcelo Andrade
11 meses atrás

por que veto?

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Marcelo Andrade
11 meses atrás

Não acredito nessa possibilidade não. É uma aeronave que simplesmente não ameaça, nem de longe, a supremacia aérea na área das Falklands e o ‘recente’ histórico de compras de aeronaves americanas (A-4AR) bem como equipamentos usados por eles (AIM-9L, salvo engano)… não vejo problema com isso não.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Leandro Costa
11 meses atrás

Leandro, mas os argentinos só aceitaram os A-4 porque foi a única aeronave que os americanos aceitaram em vender para os argentinos, os argentinos se não me engano até sondaram outras aeronaves mas foi negado, o próprio radar do A-4 é um radar capado de F-16, na época os ingleses presionaram os americanos, e o que sobrou foi o A-4AR.
Numa matéria antiga da RFA, o piloto Silvio Potengy foi para a Argentina voar no A-4, lembro que ele gostou do desempenho do radar da aeronave, mesmo sendo uma versão capada do F-16.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Marcelo Andrade
11 meses atrás

nenhum poq o Macri não é doido, a Argentina tá na pindaíba econômica, pior que o Brasil, os Typhoon nas Falklands dão uma surra nesses aviões fácil, então é difícil a não ser que a Argentina financie o Irã por exemplo, ou Coreia do Norte.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Marcelo Andrade
11 meses atrás

Não é um caça, é um treinador com plus.

Silva
Silva
11 meses atrás

Esse fa-50 é melhor que um caça de 3 geração?

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Silva
11 meses atrás

Melhor que o F-5M

ANDERSON DA COSTA MUNIZ
ANDERSON DA COSTA MUNIZ
Reply to  Mateus Lobo
11 meses atrás

Acho que o F-5M está no páreo. Disput acirrada.

J R
J R
Reply to  Mateus Lobo
11 meses atrás

Jamais, para o FA-50 ficar igual ao F-5M tem receber muito recheio eletrônico.

Glasquis 7
11 meses atrás

Me perdoem pelo pessimismo mas…
Tem cheiro de fake essa notícia.
Não pelas fontes mas a situação da Argentina está cada dia pior e comprar esses caças, agora, próximo das eleições, sei não.

Chevalier
Chevalier
Reply to  Glasquis 7
11 meses atrás

Os argentinos são orgulhosos. Acho que Macri deve ganhar uns pontos com os milicos e capaz de ainda ganhar uns pontos com o povo também, já que isso daria um alento e uma renovação à sua quase extinta força aérea.

Nilton Reis Jr
Nilton Reis Jr
Reply to  Chevalier
11 meses atrás

Acredito, em complemento ao seu comentário, que se trata de um anúncio eleitoreiro. Talvez o empurrão do FMI não seja suficiente….

Victor Filipe
Victor Filipe
11 meses atrás

Os argentinos sofreram para pagar os Texan. não acho que eles tenham grana para bancar o FA-50

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Victor Filipe
11 meses atrás

Justamente. Cheira mais á promessa eleitoral

Gabriel
Gabriel
11 meses atrás

Excelente para a Argentina e melhor ainda para o Brasil, que vai ter uma Força Aérea superior por mais uns 30 anos.
Ainda que, se fosse apenas pela minha vontade, a Argentina deveria sobreviver apenas com os “excelentes” Pampa e Pucara.
Toda desgraça para quem só é aliado ou parceiro do Brasil quando está na m.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Gabriel
11 meses atrás

Para a realidade da América do Sul é uma boa opção. Se integram misseis de alcance além do visual, mais ainda. Os Coreanos estão de olho no mercado e devem propor um preço favorável. Principalmente sem TT, o que encarece sobremaneira qualquer transação.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Gabriel
11 meses atrás

pior que é VDD nada de KC pra eles até agora.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Gabriel
11 meses atrás

Quanto rancor.
O que os argentinos fizeram contra o Brasil para vc ter tanta raiva.?

Mercenário
Mercenário
Reply to  EduardoSP
11 meses atrás

Você conhece a relação histórica entre os argentinos e brasileiros na fronteira sul?!
Parece desconhecer.
Não são amigos, são concorrentes.

Gabriel
Gabriel
Reply to  EduardoSP
11 meses atrás

Estuda um pouco a história da América do Sul meu camarada.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Gabriel
11 meses atrás

Boa! Por mim,oque os argies nem tivessem força aérea.

Valter Sales
Valter Sales
Reply to  Marcos Cooper
11 meses atrás

Eles não tem…

Ricardo Neto
Ricardo Neto
11 meses atrás

O KAI F-50 é um LIFT. Resolve o problema da Argentina ter um jato militar com alguma capacidade, mas nada demais. Acho que com os 400 milhões eles poderiam comprar uma dúzia de F-16 usados com MLU. Mas, como em tudo que se fala de Argentina, pode acontecer a compra ou não. As eleições serão em 27 de outubro, se o Macri ganhar é uma coisa, se ele perder a história poderá ser outra completamente diferente.

Pedro E.
Pedro E.
Reply to  Ricardo Neto
11 meses atrás

Se ele perder podemos crer em um Sukhoi?

Tutu
Reply to  Pedro E.
11 meses atrás

A força aérea argentina deixou claro que não planeja operar aeronaves bi-motoras a reação, isso exclui os Sukhoi.

Tutu
Reply to  Tutu
11 meses atrás

Talvez o JF-17 fossem um opção, porém seria a contra gosto da força aérea, tendo em vista que foi a própria faa que selecionou o FA-50.

Nostra
Nostra
Reply to  Tutu
11 meses atrás

It was not selected since it did not meet the Argentinian air staff requirements

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Pedro E.
11 meses atrás

Se ele perder podemos crer em um Sukhoi?

—–

Você pode. Mas apenas em um caso. Se o tio Putin apresentar a Argentina com um esquadrão de SU-27 e um conjunto de peças sobressalentes e armas. Mas isso não vai acontecer. Putin é muito ganancioso.

Tutu
Reply to  Evgeniy (RF).
11 meses atrás

Segundo a Argentina, dois motores são o dobro de tempo no chão.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Evgeniy (RF).
11 meses atrás

Você pode,parte ll:
Se Tio Putin der os aviões e dinheiro para manutenção! Kkkk

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  Pedro E.
11 meses atrás

Se ele perder para o kirchnerismo, a FAA vai voar apenas com planadores.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Pedro E.
11 meses atrás

Sukhoi na Argentina??? Rindo até 2057! Kkkkkkkkkk

Abcdário
Abcdário
11 meses atrás

Vejamos as garantias comerciais.

Marcos
Marcos
11 meses atrás

No fórum argentino zm já estão “discutindo” as modificações que serão feitas na Fadea

Sonda para REVO
Motor igual o do Gripen NG
Radar AESA
Exocet (não pode faltar)

A lista inclui até míssil de cruzeiro

Zeca
Zeca
Reply to  Marcos
11 meses atrás

hahaha estarão prontos pra peitar os ingleses novamente.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Radar Aesa? mas qual cabe ali naquele biquinho? motor atual já ta bom na minha opinião, missil de cruzeiro? kkkkkkkkkkkkkkkkk

Roberto Medeiros
Roberto Medeiros
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Cara, esses Hermanos são muito doidos.
Primeiro querem transformar um submarino convencional em Nuclear.
Depois dizem q estreitamento de relações sobre submarinos é transferência 0800 de uma flotilha de submarinos.
Agora querem transformar um lift em caça multimissão e ainda colocar para transportar míssil de cruzeiro????
Mal tem dinheiro para comer angú à baiana e falam em chateaubriand de filé mignon???

Zeca
Zeca
Reply to  Roberto Medeiros
11 meses atrás

Quer ficar muito rico? Ache um jeito de comprar um argentino pelo preço que ele vale e venda pelo preço que ele acha que vai. Eles podem não ter nada, mas a marra continua intacta.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Único item “urgente” na lista dos hermanos seria um radar AESA e a sonda REVO.
o 404 da conta desse avião com folga, não precisaria de um novo motor.

ednardo curisco
ednardo curisco
Reply to  Marcos
11 meses atrás

tadinhos. muita ansiedade acumulada.

Frederico
Frederico
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Sério?!?!! Então eles não têm conhecimento nenhum de armamento militar, aviação de caça… O revo, talvez, bem talvez fosse possível; um motor igual ao Gripen NG simplesmente não voa, nem cabe na estrutura do lift; radar AESA por mais tecnológico que seja, e a tendência a miniaturização, mas um radar desse requer um espaço adequado para o mesmo e os equipamentos suplementares; míssil de cruzeiro, esse não preciso comentar…

Edison Castro Durval
Edison Castro Durval
11 meses atrás

“Seriam 8 aeronaves com duas delas gratuitas”

Gratuitas!?!?
Isso no Exziste !!!!

JT8D
JT8D
Reply to  Edison Castro Durval
11 meses atrás

Pague seis e leve oito. Parece fim de feira

FsM
FsM
Reply to  Edison Castro Durval
11 meses atrás

12 aeronaves, cara o povo não sabe ler?

JT8D
JT8D
Reply to  FsM
11 meses atrás

A matéria foi alterada. O texto (e o título) inicial falava de 8 aviões

Bosco
Bosco
11 meses atrás

Isso lá é nome de avião: KAI.
Cruz credo!!
Eu já tinha achado que um Fa-50 argentino tinha caído.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  Bosco
11 meses atrás

Uai Porque!?!?
Tá ótimo para as condições da Argentina!

Torama
Torama
Reply to  Sérgio Luís
11 meses atrás

A piada (muito boa, por sinal) é com o verbo “cair”.

Johnny
Johnny
Reply to  Bosco
11 meses atrás

Mas que injustiça. Tem tanto piloto brasileiro chamado “Caio”…

Nelson Lima
Nelson Lima
11 meses atrás

Que moleza!

Sérgio Luís
Sérgio Luís
11 meses atrás

Melhor que nada!

colombelli
colombelli
11 meses atrás

bizú: recebam a vista se não…….

Jorge Augusto
Jorge Augusto
11 meses atrás

Silvio: Só acredito?

Plateia: VENDO

Johnny
Johnny
11 meses atrás

Tava aqui pensando, se os argentinos comprassem de fato todos os aviões que testam, teriam uma força aérea mais diversificada em vetores que a da Índia.

Robsonmkt
Robsonmkt
11 meses atrás

50 milhões de dólares por um LIFT que embora atual e supersônico, tem poucas armas integradas e ainda há dúvidas se entre elas há mísseis BVR.
Se este é o preço que se paga por um avião com essas – limitadas – configurações, imagine por um Gripen E ou um Rafale.

cesar silva
11 meses atrás

vê pra crê que dessa vez sair

Jeff
Jeff
11 meses atrás

Colem um FAL em cada asa e se joguem nas Malvinas novamente. 🙂

teropode
11 meses atrás

Desta vez a compra sai , entendo a preocupação e a torcida contra dos brasiguaios, se a Argentina acertar o passo e evitar ser governada por bolivariano nos próximos 16 anos eles retornarão a posição de liderança aqui na AS.

JT8D
JT8D
Reply to  teropode
11 meses atrás

E qual a sua opinião sobre o Papai Noel?

Bosco
Bosco
Reply to  JT8D
11 meses atrás

O Papai Noel tá preso…

Antunes Neto
Antunes Neto
11 meses atrás

se os dois de graça forem células dos estoques koreanos, seria uma oportunidade muito boa de ter algo realmente de prateleira até a chegada dos novos.

groosp
groosp
11 meses atrás

Deviam ter comprado um L-15 ou JL-9 se quisessem um supersônico. Se os argentinos não desistirem das Malvinas, devem se conformar com sistemas chineses ou russos.

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
11 meses atrás

1 – Só acredito vendo.
2 – SE acontecer, manutenção, treinamento e armamentos estarão inclusos nesses US$ 50 milhões por unidade?

ednardo curisco
ednardo curisco
Reply to  Gonçalo Jr.
11 meses atrás

esse é o preço de prateleira com alguma, mas pouca, assistência.

Bardini
Bardini
11 meses atrás

É sempre bom lembrar que nosso glorioso e “eficiente” EB já mantém BILHÕES de reais sendo rasgados todos os anos na estrutura “muito bem pensada” do Sul do Brasil, para conter toda essa monstruosa ameaça que a potência argentina representa. Então, meus caros, não se preocupem! Estamos seguros!

PauloOsk
PauloOsk
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Eu tava pensando nisso hoje, nao faz mais sentido transferir a 5 bda Cv Bld mais pro centro do pais? Eles devem saber o que tao fazendo. haha

Zeca
Zeca
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Existe a ideia de desativar/transferir algumas unidades do sul, mas o patrimonialismo torna tudo mais lento.

Mercenário
Mercenário
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Bardini,

A Argentina, embora atravesse momento econômico difícil, é o país que teria condições de rivalizar com o Brasil na América do Sul, embora sempre um nível abaixo em termos de população e potencial econômico.

Não é porque há um governo ditatorial na Venezuela que nossos potenciais problemas se limitam ao norte do país.

Aliás, se pensarmos apenas em ameaça efetiva e não ameaça futura e potencial, podemos poupar dinheiro e reduzir drasticamente as forças armadas, já que o Brasil não possui inimigos.

Antunes 1980
Antunes 1980
11 meses atrás

Para quem um dia já teve a melhor força aérea da América do Sul. Vejo como uma excelente oportunidade para a Argentina.
Para a realidade do continente, já faz pelo menos uma graça contra os uruguaios, bolivianos e paraguaios. (que operam planadores e réplicas do 14 Bis).

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
11 meses atrás

É o tipo de coisa que eu só acredito vendo. Acordo assinado, primeira parcela caindo na conta em dia e primeira aeronave entregue. Afinal, é dos Argentinos que estamos falando.
Bom….ou é isso, ou JF-17 em troca de carne ou grãos. Espero que os Argentimos consigam mesmo esses caças. O que vier pra eles é lucro.

Nostra
Nostra
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Jf17 was the cheaper option on per unit cost price , but it didn’t qualify the air staff requirements.

Marcelo Machado
Marcelo Machado
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

O Brasil nos anos 50 trocou os Meteors pro algodão com os britânicos… não vale rir deles agora não!

ALEXANDRE
ALEXANDRE
11 meses atrás

Espero que seja concluída a compra e depois façam novo pedido com mais 12

Luís Henrique
Luís Henrique
11 meses atrás

1) o FA-50 Não é LIFT, o TA-50 é o LIFT. O FA-50 é um Caça Leve. 2) o FA-50 compete com o JF-17 sino/paquistanês e com o Tejas indiano. 3) a Coreia do Sul pretende melhorar o radar do FA-50 e integrar mísseis BVR. 4) o jf-17 block 3 já está em produção com radar AESA, portanto é possível sim que os FA-50 argentinos já sejam entregues em 2023 em diante com um radar AESA, muito provavelmente o israelense Elta 2052. É um caça leve de baixo custo, mas não é essa porcaria toda que alguns pensam. É muito… Read more »

Zeca
Zeca
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Caça leve é o Gripen, esse aí está mais pra peso pulga.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Exatamente, FA significa fighter e attacker. Ele é supersônico sim, chega a mach 1.5, tem alcance de 1851 km, carrega AIM-120 e vários tipos de bombas. Isso é melhor do que o F-5…

Nostra
Nostra
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Interestingly indian deal with Israel on elta 2052 radar includes a clause that requires indian grant of permission before release to another country.

ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
11 meses atrás

Ainda torço por 12 gripens na Argentina, 6 no Uruguai, 6 no Paraguai, 24 no Chile, 24 na Colômbia, etc..

ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
Reply to  ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
11 meses atrás

E jogar toda essa bagaceira de resto de avião velho no lixo

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
11 meses atrás

Dessa sua lista, os únicos que talvez´´ pudessem adquirir e manter o Gripen são a Colômbia e Chile.
O resto? Esqueça.

Fabio Mayer
Fabio Mayer
11 meses atrás

O FA-50 é superior ao F5-M do Brasil e ao F5-III do Chile. Para quem não tem mais aviação de caça, serve, é um respiro, provavelmente um recomeço. Se eles adquirirem lotes adicionais, digamos, chegarem a 46, terão uma força de caças melhor que a atualmente existente no Brasil. É recorrente aqui no blog que, cada vez que a Argentina adquire armamento, se fale que querem reconquistar as Falklands. Talvez nos delírios kirchneristas isso até se justificasse, já que eles viviam falando em “hastear a bandeira argentina” nas ilhas, chegando a comemorar que isso foi feito em um cemitério onde… Read more »

Max2019
Max2019
Reply to  Fabio Mayer
11 meses atrás

Sem dúvida, o comentário mais lúcido desta lista.

Flanker
Flanker
11 meses atrás

Falta a confirmação da compra e da versão adquirida, pois essa aeronave possui, no mínimo, 3 versões:
T-50 – só de treinamento avançado, LIFT
TA-50 – Treinamento e ataque
FA-50 – ataque e caça leve
Na matéria do PA, no título fala em FA-50, mas no infográfico aparece o TA-50. Externamente são praticamente idênticas, mas possuem alguns sistemas diferentes, o que torna o FA-50 a versão mais capaz para missões operacionais de combate.

Cristiano Salles
Cristiano Salles
11 meses atrás

Não curto muito os Argentinos, apesar de ter namorado uma moça muito gente boa Argentina, não é inegável a competição que à entre entre eles e nós, em sermos conhecidos como players regionais mundiais… Más torço por eles, assim como torço por todos os países da América do Sul e Latina, pois neste mundo globalizado, dependemos uns dos outros…, se eles estão ruins é menos carros e produtos sendo vendidos na região…, deixando nossas empresa e deles, com capacidade ociosa…, e muito desemprego… A mentalidade latina nossa e de todos da América do Sul e Latina, atrapalham muito o desenvolvimento… Read more »

Cristiano Salles
Cristiano Salles
11 meses atrás

Melhor nossos gripens treinarem com aviões ou caças que dê para nossos pilotos progredirem em experiências de combate…, do que treinarmos com Dragonflyers rsss

Plinio Jr
Plinio Jr
11 meses atrás

Caso isto ocorra, é o que os argentinos podem no momento, isto vai muito além da aquisição, tem manutenção entre outras coisas…a intenção é vigilância em parte do território argentino no contexto civil frente a aeronaves em voos irregulares…….

Maurício.
Maurício.
Reply to  BILL27
11 meses atrás

BILL27, pelo visto a Coreia do Sul engoliu o isca russa, no mais, só o eterno amor entre sul coreanos e japoneses.

Wilton Santos
Wilton Santos
11 meses atrás

Péssima escolha. Não passam de alvos aéreos para os F-16s chilenos e Gripen NG brasileiros!

Daniel
Daniel
11 meses atrás

Visto do alto parece um F-16.
Sei não, seria melhor se tivessem ido de JF-17.

tulio762
tulio762
11 meses atrás

As forças armadas da Argentina vivem de doação e venda de bazar, uma pena mesmo.

Valter Sales
Valter Sales
11 meses atrás

Bom para os hermanos. Estou realmente torcendo para dar certo. Mas cada vez que me lembro que eles tiveram dificuldades para comprar um pequeno lote de turbo-hélices de treinamento anos atrás…

MSB
MSB
Reply to  Valter Sales
11 meses atrás

E mesmo na compra dos tais turbo-hélices, houve atraso nos pagamentos das parcelas e um quase calote ..!!

Tomcat
Tomcat
11 meses atrás

Só acreditarei quando as rodas tocarem o solo Argentino. E, mesmo assim, vou acompanhar o pagamento dos boletos