sexta-feira, dezembro 3, 2021

Gripen para o Brasil

Suécia e Reino Unido assinam acordo de desenvolvimento de capacidades futuras de aeronaves de combate

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Conceito do caça Tempest
Conceito do caça Tempest

Em 18 de julho, o Ministro da Defesa da Suécia Peter Hultqvist e a Secretária de Estado da Defesa do Reino Unido, Penny Mordaunt, assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) em Londres concordando em examinar as possibilidades de desenvolvimento conjunto de futuras capacidades de aeronaves de combate e sistemas de aeronaves.

O MoU é o ponto de partida para os países analisarem as condições para uma cooperação mais profunda no desenvolvimento de futuras capacidades de aeronaves de combate, incluindo o desenvolvimento futuro do JAS 39 Gripen.

O memorando de entendimento não implica compromissos de longo prazo entre os países, mas destina-se a permitir posições futuras. Também não impede que os países se envolvam em estudos e análises similares com outros parceiros.

O contrato terá vigência de dez anos, o que é considerado suficiente para realizar as atividades acima. Se e quando a Suécia decidir iniciar totalmente um projeto bilateral de desenvolvimento e aquisição, acordos adicionais, mais detalhados, precisarão ser assinados.

O atual sistema de aeronaves de combate da Suécia, o JAS 39 Gripen, será a espinha dorsal das capacidades das aeronaves de combate suecas no futuro previsível. Esta colaboração oferece a oportunidade de inserir tecnologias avançadas no JAS 39 Gripen.

Saab JAS39C Gripen

FONTE: Ministério da Defesa da Suécia

- Advertisement -

24 Comments

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
TJLopes

Começando a sonhar com o Tempest na FAB em 3, 2, 1…

TJLopes

2040 é logo ali 😛

Contudo a triste realidade é que é bem mais provável que em 2040 estejamos discutindo a compra de um lote de Gripen usados da Suécia.

Denis

Nem tanto ao inferno. Por que usados da Suécia?

ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR

Com a velocidade da computação hoje e as possibilidades da computação quântica, isso é tão longe que talvez não faça mais sentido ter caças nesses moldes atuais em uma força aérea.

Carlito

Do ponto de vista estratégico, faria todo o sentido planejar a aquisição de novos caças para pouco mais de vinte anos. O problema é que no Brasil o termo “estratégico” não faz sentido algum. Como já disseram, é bem provável que até lá a FAB esteja negociando um lote de Gripens usados com a Suécia…

Observador.

Vamos torcer que no Brasil aconteça um milagre econômico. Aí talvez possamos fazer parte deste projeto e outros. Parece que a integração com o Gripen será boa, devido a participação da Saab.

João Moro

Vamos sim! Com uma forte economia, poderemos fazer investimentos deste porte. Espero que o Brasil possa participar e adquirir futuramente um avião de 5ª geração e aproximar-se das demais potências.

Entusiasta Militar

Podemos ter no futuro novas tecnologias saidas desse entendimento que poderão ser empregadas futuramente no Gripen ou ate no futuro um caça de 5º geração voando aqui no Brasil

Leandro. O

Kkk seguindo a linha de raciocínio e como sonhar não paga nada. Seria interessante o mix Hi-lo. MAS pra não dizer impossível é difícil. Muito difícil da galera ver o Tempest nas cores da FAB nos próximos 20/30 anos…

Denis

Hi-lo para a FAB? O Gripen é um omnirole (multitarefa), já porque a FAB não quer hi-lo, e sim um único avião para tudo.

Defensor da liberdade

No Brasil em 2040….

Observador.

Alguns sites dizem que esta aeronave será de 5ª, outros de 6ª geração, será que virá com tantas inovações ao ponto de ser classificada como 6ª geração? Uma coisa é certa, os parceiros envolvidos no projeto, já demostraram potencial para inovações no passado.

Willber Rodrigues

Show de bola esses infográficos

Denis

Gráfico legal, cara. Muito bom mesmo.

MGNVS

DSC
Infograficos excelentes!
Obrigado por compartilhar.

Gabriel BR

Até lá muita água vai passar por debaixo da ponte…estarão discutindo o FX3 em 2040…

Mateus Lobo

No momento estou mais interessado nas atualizações que podem vir para os próximos lotes do Gripen do que com a compra do Tempest. Um F-414 EPE e um radar AESA da Ericsson baseado no PS-05/A mk5 utilizando transistores de nitreto de gálio e capacidade de jamming.

JT8D

Os suecos sempre projetaram os caças mais bonitos. Os ingleses tem uma certa tradição em projetar aviões esquisitos. Vamos ver o que vai sair disso

Wellington Góes

Bicho feio!!! Rsrsrsrs

Denis

Aposto com quem quiser como, caso saia, vai ser o ser o melhor 5aG de todos os tempos, pelo menos no quesito custo-benefício (porque os suecos são soda, em redução de custo). E olha que sou um fanboy do F-22…

Denis

Cara, cada vez que vejo o Gripen, lembro da frase do Comandante Saito: impõe respeito. Gosto do bichinho porque ele não tem firulas, nem farofa; é exatamente o que a propaganda diz. Não promete mundos e fundos, mas também não deixa a desejar naquilo que se propõe a fazer.

Roberto Dias

Na minha opinião eu acredito que ainda não há tecnologias suficientes para se criar um caça puro de 6a geração, acho que no máximo será a 5.5, com exceção da ausência da deriva, que parece já ser uma unanimidade. Isso porque o que se fala que será a 6a geração atualmente nada mais é do que o acréscimo de tecnologias em um avião de 5a geração. Agora é claro que ainda pode existir muita coisa sigilosa em curso, como o hipercruise, por exemplo, o resto é basicamente sensores e eletrônica. Porém acho que uma coisa tem ser muito melhorada: a… Read more »

Rafael

Talvez a FAB possa um dia operar esse novo caça,lembrando que na década de 1970 ao mesmo tempo que a RN incorporava as Type 21 a MB também encomendava as MK10 que são uma variação da versão britânica,vai que no futuro algo parecido pode acontecer com a FAB no caso do tempest .

Últimas Notícias

Do ’14-Bis ao 14-X’ – a história por trás da Operação Cruzeiro

O projeto 14-X foi batizado desta forma em homenagem ao centenário, em 2006, do primeiro voo do 14-Bis A história...
- Advertisement -
- Advertisement -