Home Aviação de Ataque Caças F-35A da USAF operam no Oriente Médio pela primeira vez

Caças F-35A da USAF operam no Oriente Médio pela primeira vez

3048
46
Lockheed Martin F-35A Lightning II
Lockheed Martin F-35A Lightning II

A variante F-35A da Força Aérea dos EUA foi oficialmente desdobrada no Oriente Médio.

O Air Forces Central Command anunciou segunda-feira que os caças F-35 de quinta geração da 388ª e 419ª Fighters Wings na Base Aérea de Hill, em Utah, se posicionaram na Base Aérea de Al Dhafra, nos Emirados Árabes Unidos, para vigiar a região.

É a primeira vez que os F-35 da USAF são enviados para o Oriente Médio.

“Estamos adicionando um sistema de armas de ponta ao nosso arsenal que aumenta significativamente a capacidade da coalizão”, disse o tenente-general Joseph T. Guastella, comandante do AFCENT, no comunicado. “A fusão de sensores e a capacidade de sobrevivência que esta aeronave proporciona à força combinada aumentarão a segurança e a estabilidade em todo o teatro e deterão os agressores.”

“O F-35A oferece ao nosso país domínio aéreo em qualquer ameaça”, acrescentou o general da Força Aérea, general David Goldfein. “Quando se trata de ter um ‘quarterback’ para a força conjunta da coalizão, o interoperável F-35A é claramente a aeronave para o papel de liderança.”

FONTE: military.com

Subscribe
Notify of
guest
46 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto
Roberto
1 ano atrás

Bom dia,
Pesquisei na internet e não consegui encontrar o alcance do radar Raven do Gripen NG.
Ele tem o mesmo alcance que seus concorrentes ( Rafale, F6 , Su 35 etc ) ?
Obrigado

Roberto
Roberto
Reply to  Roberto
1 ano atrás

F16 *

Chris
Chris
Reply to  Roberto
1 ano atrás

Pelo que li por aí… Parece que o do F16V é melhor (O mesmo do F-35).

JPC3
JPC3
Reply to  Chris
1 ano atrás

O radar do F-16V usa algumas tecnologias do F-35, porém não é o mesmo e não possui as mesmas capacidades.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Roberto
1 ano atrás

Tá aí uma informação militar sensível que os fabricantes não saem por aí divulgando aos quatro ventos na internet… O que se acha de informação são apenas especulações..

Denis
Denis
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Também penso assim. Qual a vantagem de sair dizendo a real capacidade do radar?

JPC3
JPC3
Reply to  Roberto
1 ano atrás

Mesmo que ache tem grandes chances de ser um número falso.

E dificilmente vai ter o mesmo alcance do Su-35 que, embora seja menos avançado, é muito maior.

Fligth_Falcon
Fligth_Falcon
Reply to  Roberto
1 ano atrás

Considerando a guerra centrada em redes hoje, creio que uma aeronave com radar com grande alcance não faça tanta diferença, ainda mais se considerarmos a utilização de AWACS em grandes forças.

PauloSollo
1 ano atrás

Gradualmente a aeronave vai se estabilizando operacionalmente, seus sistemas e softwares vão sendo afinados e os problemas corrigidos, algo absolutamente esperado num projeto tão inovador que lança tecnologias jamais utilizadas antes. Não há dúvidas de que se tornará o Rei dos céus e prevalecerá assim por longa data, num patamar superior a qualquer concorrente, por mais que isto desagrade aos birrentos detratores. Inclusive não param de surgir novos países interessados em adquiri-lo.

André Macedo
André Macedo
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

O F-22 também foi cheio de inovações e não deu metade da dor de cabeça, F-35 pra mim é um exemplo de tentar fazer tudo e não ser bom em nada, não é um caça ruim, mas não vale o preço, até uns meses atrás precisava usar para-raio, sem falar nas aparentes falhas do projeto, não vejo como normal o número de acidentes com ele…

JPC3
JPC3
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Quem disse que não é bom em nada, amigo?

Então porque o Gripen ou F-15 tem ênfase em superioridade aérea significa que eles não são bons em missões de ataque?

André Macedo
André Macedo
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Não quis dizer que ele é ruim como um caça de superioridade aérea ou de ataque, mas ele não tem como executar missões se não consegue se manter voando…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Esse avião é muito frágil. Vai derreter no deserto e viver retocando a maquiagem.

JPC3
JPC3
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Não vê como normal os acidentes dele? Mas pesquisou sobre os acidentes dos outros?

Denis
Denis
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Concordo. Põe cinco “deslikes” pra mim também, galera.

JPC3
JPC3
Reply to  Denis
1 ano atrás

Aviação não é futebol ou religião.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Eu acho legal quando as pessoas pensão que assuntos “exatos” podem ser levados de acordo com a opinião delas. “Ai minha opinião é de que o homem nunca foi a lua” “ain minha opinião é de que tal” legal sua opinião. parabéns, mas acontece que nas Ciências exatas não existe opinião, existe certo ou errado, e aviação apesar de muitos não gostarem a aviação é uma junção de varias ciências exatas.

Quando se esta falando de sensores (oque não leva em nada a consideração do fator humano) a opinião de alguém não vale de nada diante do fato.

André Macedo
André Macedo
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

O que eu quis dizer é que se pegar a lista de acidentes dos F-22 basicamente encontra-se erros humanos e problemas como ingestão de pássaros e outros objetos pela turbina, em 2002 por exemplo a turbina engoliu um mergulhão de 38 kg e o motor continuou funcionando, nunca pegou fogo em pleno voo como o F-35 em 2016 por erros básicos como curto circuito causado por fiação perto demais das linhas hidráulicas, não exige um para-raio específico, e só pra completar: Quantas vezes o F-22 foi groundeado mesmo? Os fatos são os mesmos, mas sempre haverão visões diferentes sobre o… Read more »

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

as capacidades do F-35 vai muito alem do que “uma plataforma stealth de misséis BVR” tem vários sites com matérias mais técnicas que dão uma olhada a fundo sobre todas as capacidades dele.

marcus
marcus
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Se vier equipado com torpedos Fotonicos e Canhões laser, sou obrigado a concordar, que só uma nave rapina Klingon poderá dete-lo.

Salim
Salim
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Lembre, F22 e somente para USA, se sabe pouco dos acidentes ou incidentes no desenvolvimento, inclusive só soubemos da existência do mesmo, quando já estava pronto e ativo. O F35 tem vários paises operando e fornecedores no mundo compartilhando informações e experiencias no desenvolvimento do mesmo. Da uma percepção de fragilidade, porem olhando o histórico deste projeto e complexidade dos desafios tecnicos, acredito que o resultado e muito bom, tendo atingido metas e resultados superiores a outros projetos equivalentes.

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Comparar o 22 com o 35 é comparar laranja com maçã. Alguns sistemas e obviamente o fato de ambos ser G5.
São projetos com características construtivas e capacidades completamente diferentes.
Como exemplo (dentre outros), a propulsão do 35 é completamente diferente do 22 e de qualquer outro anterior.

André Macedo
André Macedo
Reply to  Jagderband#44
1 ano atrás

Não estou comparando no quesito técnico, estou comparando com a performance e resultados mostrados, entendo a complexidade do sistema, mas minha opinião é que NÃO vale a pena, o F-35 é sim bem diferente do F-22, mas não muda o fato de ser inferior.

marcus
marcus
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

O ideal seria construir novos F22 atualizando a tecnologia embarcada.
O F22 já é um projeto maduro.

PauloSollo
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Muita falácia rapaz. É chato ter que ficar repetindo as mesmas coisas ate porque não altera o comportamento compulsivo de muitos que partem para a depreciação baseados em informações rasas, achismos e birrinhas. Nunca houve um projeto de aeronave, principalmente de caça, que não tivesse apresentado problemas, muitas vezes graves, mas que foram sanados e o projeto se tornou um vencedor. Inúmeros são os exemplos. No caso do F-35, o surgimento de problemas é mais numeroso pelo fato de ser um vetor que inaugura tecnologias jamais usadas antes, portanto tem-se que lidar com desafios jamais confrontados antes, o que tem… Read more »

marcus
marcus
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Quais são as tecnologias já mais utilizadas antes?

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

O SU-57 chegou antes, especificamente na Síria.

JPC3
JPC3
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

O Su-57 fez alguns testes e ficou poucos dias, é muito diferente.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

o Su-57 não foi empregado para operações na síria, ele só fez uns voos de teste o F-35 está sendo implementado lá, é outros 500.

se for pra brincar de aviãozinho de quinta geração chegou antes do outro da pra dizer que o F-22 montou casa lá.

Andre
Andre
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Será que a Russia vai desdobrar quantos dos seus 12 encomendados? Se ela mandar 4 para lá já será 30% de toda sua frota encomendada de Su57.

Isso se vai desdobrar algum lá né, se não foi só um passeio no parque.

teropode
Reply to  Andre
1 ano atrás

O SU57 é tão bom que os russos só precisam de 12 para neutralizar 1200 F35 americanos.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  teropode
1 ano atrás

Um problema, os próprios russos não sabem que precisam de apenas doze.

Peter nine nine
Peter nine nine
1 ano atrás

Máquina

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 ano atrás

Qualquer questionamento sobre a capacidade do F-35 é muito mais uma questão de ego do que qualquer outra coisa! Colocar o SU-57 na mesma categoria do F-22 ou do F-35 só demonstra um total desconhecimento do tema, outro dia compararam com o (incrível) F-15, um caça (maravilhoso) que está chegando nos CINQUENTA anos de idade!
Só vejo birra de adultos…

Edison Castro Durval
Edison Castro Durval
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

Caro Carlos, se o F35 está sendo colocado na linha de frente do Combate e o mesmo irá substituir todos os demais caças de quarta geração e posteriormente o F22 (se não houver um novo desenvolvimento de caça de superioridade aérea de 6 geração), devemos sim fazer comparações.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Edison Castro Durval
1 ano atrás

Vc não pegou o teor do meu comentário!

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 ano atrás

A quantidade deve ser segredo com medo de ser pego pelas costas.
Sem choro sem mimimi.

JPC3
JPC3
Reply to  Nilton L Junior
1 ano atrás

Calma amigo, muita calma. O F-35 tem um sistema de visão infravermelha com cobertura de 360° sem igual no mundo.

Não precisa se preocupar.

Munhoz
Munhoz
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Interessante, fiquei pensando agora o porque os outros 3 F 35 não usaram esta capacidade para rastrear o piloto do caça que caiu no Japão ou se usaram não foi divulgado !

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

O F-35 que caiu estava retornando a base. ai entra a questão de “os sensores estavam ligados?” até onde eu sei eles são focados em rastrear uma aeronave então se ele caiu no mar logo a perda de sinal acontece e eles viram sensores inúteis para esse tipo de busca

JPC3
JPC3
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

Sabe que é uma boa pergunta.

Não sei a que distância estavam, se estavam operando juntos certamente tinham contato uns com os outros e deveriam saber a posição de cada um pelos links. Não precisaria do DAS, embora eu acredite e que ele poderia ser útil.

Munhoz
Munhoz
Reply to  JPC3
1 ano atrás

É exatamente com o DAS que eles poderiam rastrear o piloto do caça que caiu !

Pode ser que já estavam no limite de combustível, mas aí poderia entrar um reabastecimento no ar, acredito que 3 F 35 com o DAS é mais do muita equipe de busca !

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Não duvido da capacidade do F-35, alias é um absurdo quem duvide, acho que ele tem problemas que não eram para existir, tipo trem pouso que quebra.

Jeferson zanato
Jeferson zanato
1 ano atrás

Trabalho com remapeamento de injeção eletrônica e ciclo Otto … E já vejo infinitas formas de algo dar errado com ou sem culpa humana, me pego a imaginar quão grande é a margem de falhas possíveis em um f35… Sou apenas um admirador da trilogia e fico horas lendo matérias e comentários …sou civil mas aqui descobri quão importante é um país investir em defesa…

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Só de curiosidade, Israel divulgou que usou o míssil supersônico Rampage num ataque recente na Síria.

Thiago Telles
Thiago Telles
1 ano atrás

Acho a incidência de relâmpagos no oriente médio seja menor q nos demais teatros de op do f35. Teatro menos hostil.