Home Aviação de Ataque Canadá vai lançar uma nova concorrência de caças no próximo mês

Canadá vai lançar uma nova concorrência de caças no próximo mês

22652
140
Saab Gripen E
Saab Gripen E será oferecido ao Canadá

Tentativas de substituir os CF-18 de 30 anos de idade começaram em 2010, mas foram atoladas na política

Por Murray Brewster – CBC News do Canadá

A competição politicamente dominada para substituir a envelhecida frota de caças do Canadá será disparada no final de maio, quando o governo federal divulgará uma longa e esperada licitação.

Há quatro empresas na disputa: a Saab da Suécia, a Airbus Defence and Space da Grã-Bretanha e as americanas Boeing e Lockheed Martin.

Uma vez que o pedido de propostas for liberado, os fabricantes terão até o final do ano para apresentar ofertas, informaram fontes ligadas à defesa e à indústria.

O antigo governo conservador iniciou o esforço para substituir os CF-18 de três décadas em 2010, uma tentativa que foi abatida em uma disputa sobre a maneira como o caça F-35 foi selecionado.

O programa ficou atolado na política quando os liberais prometeram durante a campanha eleitoral de 2015 não comprar o jato furtivo. Uma decisão final terá agora que esperar até depois da eleição deste outono.

F-35

A concorrência ocorre um momento de renovada rivalidade geopolítica entre o Ocidente e a Rússia e a China, sendo que o chefe da Força Aérea Sueca disse que seus caças estão mais ocupados do que nunca.

O major-general Mats Helgesson disse que a Suécia, que tem uma longa história de ser um país neutro e não-alinhado, descobriu nos últimos anos que seu espaço aéreo era violado com mais frequência por aviões de guerra russos e da OTAN.

Isso exigiu um estado de prontidão para os esquadrões de caças Gripen do país.

“Quando olhamos para as nossas fronteiras, especialmente sobre o Mar Báltico, podemos ver um aumento da atividade, não apenas da Rússia, mas também da OTAN”, disse Helgesson à CBC News em uma entrevista.

“Nós vemos exercícios. Vemos o treinamento diário e também vemos a coleta de informações de uma maneira que não víamos há muitos anos.”

A Força Aérea Sueca é aproximadamente do mesmo tamanho que a Força Aérea Real Canadense. A Suécia produziu o Gripen, jato que passou por várias atualizações e modelos desde que foi introduzido, em meados dos anos 90.

A Saab AB, sediada em Estocolmo, pretende oferecer a última versão – a versão E – como substituta da atual frota de CF-18 do Canadá.

Saab Gripen

As melhorias de projeto da aeronave, disse Helgesson, são um resultado direto do que os militares e os engenheiros do país enxergam do que está sendo desenvolvido na Rússia.

“Não é nenhum segredo que precisamos ser capazes de nos equiparar não apenas com a Rússia, mas também com outras aeronaves de alto desempenho no futuro”, disse ele, apontando para o caça russo Su-30, o mais moderno Su-35 (designado pela OTAN como “Flanker”) e o furtivo Su-57.

Houve um debate político e acadêmico rigoroso sobre se o Canadá deveria escolher um modelo da década de 1990, como o Gripen, ou o recém-lançado caça furtivo Lockheed Martin F-35.

A noção de que caças furtivos são necessários para conflitos com países como a Rússia – países que possuem sistemas avançados de defesa aérea  – foi parcialmente descartada pela Agência de Pesquisa de Defesa da Suécia em um relatório recente.

As armas anti-acesso/negação de área da Rússia (conhecidas como A2/AD) não são tão boas, disse o relatório divulgado no mês passado, que analisou o uso de tais sistemas no conflito na Síria.

“Nos últimos anos, muito tem se falado das novas capacidades da Rússia e do impacto que elas podem ter na capacidade dos Estados membros da OTAN de reforçar ou defender os países bálticos vulneráveis ​​em caso de crise ou guerra”, disse o relatório.

“Em uma análise mais detalhada, no entanto, as capacidades da Rússia não são tão assustadoras, especialmente se contramedidas em potencial forem consideradas.”

O Gripen é destinado a operações em ambientes hostis, como a região ártica da Suécia, acrescentou Helgesson.

CF-18

“Estamos operando a partir de bases dispersas”, disse ele. “Usamos rodovias e pequenos campos de pouso espalhados por toda a Suécia em lugares remotos, distantes. E a operação logística é muito pequena.”

O Ártico é, naturalmente, uma área importante de operação para a Força Aérea Sueca e com bases distantes exigiu que a força se tornasse criativa com relação ao armazenamento de combustível, munição e outros suprimentos.

Os CF-18 do Canadá ocasionalmente operam a partir de bases avançadas no Norte, mas esses desdobramentos são pouco frequentes em comparação com a atividade de rotina dos suecos, observaram especialistas no passado.

Como o Canadá, disse Helgesson, a Suécia acaba de começar a reinvestir na defesa.

Espera-se que a competição entre os fabricantes do setor de caças a jato do Canadá seja intensa.

A Lockheed Martin novamente lançará seu caça furtivo F-35. A Boeing está na fila para oferecer o Super Hornet – uma versão maior e mais avançada do F-18. A Airbus Military planeja oferecer seu Eurofighter Typhoon.

FONTE: CBC News

140
Deixe um comentário

avatar
43 Comment threads
97 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
75 Comment authors
Vitor SilvafilipePatricioLRRLuiz Floriano Alves Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Adivinha quem vai ganhar? Adivinha…

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

F-35 na cabeça. O restante é “noivinha” pra embelezar o desfile, ou seja, validar uma escolha que foi feita há muito tempo.

Leandrokubiack
Visitante
Leandrokubiack

Estranho a França não estar na disputa com Rafale.

Tiago
Visitante
Tiago

Eles estiveram, mas resolveram se retirar da concorrência.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Melhor assim, menos um peso morto na concorrência

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

A força aérea canadense vai escolher o F-35 mas ai o Justin Biber (Justin Trudeau) de lá vai ficar dando pulinhos histéricos de novo

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Entre os 3 caças fica obvio que o Melhor é o F-35
Mas como o canada opera CF-18, acho que a melhor escolha seria Evoluir para o F-18 Super Hornet

João Souza
Visitante
João Souza

O cara é o Primeiro-Ministro. Os “pulinhos” dele valem mais que os da força aérea.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Politico dando opinião sobre equipamentos militares/economia/ciência e etc… não vale de nada, eles raramente entendem de algo.

Renato
Visitante
Renato

O Canadá é um país imenso e não irá confiar sua defesa aérea a um aviãozinho como o Gripen.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

se fosse esse o caso, o gripem nem estaria na competição

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Eu sendo o Canadá, já compraria algum cala Europeu, assim de um avião americano e ficaria com algum Europeu. Mas acredito que vá sair F-35 ou F-18!

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

Caro Renato.

O Brasil – e sua imensidão – “errou” ao escolher o Gripen? Penso que não. Aliás, “muito pelo contrário”, dada em grande parte pela a extrema flexibilidade e facilidade do Gripen de operar desdobrado em estradas e com logística mínima (nível 1 Caminhão).

Elton
Visitante
Elton

Errou sim !comprou um imenso e caro curso de ensinar engenheiro da Embraer a fazer partes de avião de caça e um projeto muito limitado para ser usado nos próximos 40 anos .os canadenses não vão cair no papo furado de TOT da SAAB.

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

Não se aproveita absolutamente NADA do que você falou.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

O Gripen é um bom caça mas só é um excelente caça se vc for POBRE!

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Exatamente Carlos Gallani, nós mesmos escolhmos o Gripen pelo custo menor de monomotor, não porque era um super avião, foi uma opção de menor custo.
Agora o fã clube quer o tornar um caça superior aos bimotores da mesma geração.
F-16 e Gripen são opções de baixo custo, quem conpra sabe que está comprando algo mais limitado.

Wellington
Visitante
Wellington

Seguindo sua lógica, quanto mais motores melhor o conjunto? O F-35 tem que me único motor. E aí? O que vale é toda tecnologia embarcada. Veja o F-16i Sufa de Israel, é um F-16 concebido para ser o melhor no que foi proposto.

LRR
Visitante
LRR

Exatamente…
se for assim então é melhor encomendar 75 F-15C da Boeing não acha?….
imagine um conflito de 4 SU 35 x 7 F 15 C …
na melhor das hipóteses seria 3 x 1 a favor do Super Flanker…

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Acredito que pesou bastante, na escolha pela FAB, o fato de o Gripen ter sido projetado desde o início como um caça de manutenção simples e capaz de operar em lugares com miníma infraestrutura. Na Suécia, bases dispersas em rodovias, para evitar o primeiro impacto de um ataque russo, no Brasil, bases longínquas com restrições na infraestrutura, em especial pelo número reduzido de aviões em um território tão amplo. É, acredito, o único caça de nova geração com essa característica. Já para o Canadá eu não sei se esse é um ponto tão importante…

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Adriano. Pelo que lembro, pesou a favor do Gripen seu preço de aquisição e custo de operação baixo, mas principalmente a possibilidade da FAB participar do desenvolvimento do código-fonte. Em relação ao desempenho das aeronaves oferecidas no FX2, todas atendiam as necessidades da FAB. Não creio que a FAB considere a estratégia de operar estradas como fundamental em sua doutrina.

João Souza
Visitante
João Souza

Não é caça de pobre. Um zero Km custa uns 70 milhões de doletas…

kaleu
Visitante
kaleu

O Gripen encara qualquer banheirona de dois motores, e VENCE, na minha opinião a melhor escolha para o Canadá

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

A matéria não menciona mas suponho que seja o NG que esta na disputa.

Emanuel
Visitante
Emanuel

A materia menciona sim, trata-se do gripen E

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Nilton. O Gripen NG é agora chamado de Gripen E (monoplace) e F (biplace).

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Grato pela informação.

Camargoer
Visitante
Camargoer

O Canada adquiriu uma frota de CF-18 composta de monoplaces e biplaces. Talvez isso aconteça novamente caso escolham o Gripen.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Eu penso que não seria problema o Canada operar tanto o F-35 como Gripen E, grana e capacidade operacional isso eles possuem e complementaria suas capacidades de ataque e defesa.

Mauricio R.
Visitante

Somente que se encomendarem o biplace, não será da Embraer.
O acordo de divisão de mercado não envolve a América do Norte.

kaleu
Visitante
kaleu

O biplace está sendo desenvolvido pela Embraer

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Eu olho esse comentário com um negativo e penso: que tipo de doença leva alguém a negativar um comentário puramente informativo cuja informação está indiscutivelmente correta?

Ricardo da Silva
Visitante
Ricardo da Silva

Fernando Turatti,
“Haters Carentes”, se sentem bem fazendo o mal ! As vezes, xingam apenas para serem xingados de volta, gostam de receber atenção mesmo que seja motivada pela raiva.
Ou seja: são doentes.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Tenho chamado isso de “República da Chutocracia”, em oposição ao que seria a “Republica da Meritocracia”.

Amarildo Fajardo
Visitante
Amarildo Fajardo

Estava pensando justamente isso.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Colegas. Já comentei em outros momentos que Gostar/Desgostar é uma manifestação emocional, que dispensa justificativa. Concordar/Discordar é uma ação sustentada por um argumento (que pode estar certo ou errado) que permite o debate racional.

André Macedo
Visitante
André Macedo

Seu comentário tem 2 deslikes, a área de comentários desse site está quase um G1 da vida…

Humberto
Visitante
Humberto

Coloquei esta mesma dúvida em um post do Bosco e quem negativou não teve a coragem de responder o porque. Não vejo qq problema em alguém não concordar com a sua opinião, pois estamos em um forum, onde se discute, mas se esconder no anonimato para negativar, chega a ser covardia intelectual.

Marcio Cosentino
Visitante
Marcio Cosentino

Eu gostaria que fosse possível ver quem der positivo e negativo nos comentários. Pois está realmente um processo doentio de “negativos”até em simples perguntas.

LRR
Visitante
LRR

Gripen NG = Gripen E

Leonardo
Visitante
Leonardo

Brasil país gigante também satisfeito com 36 gripem ng

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

O problema não é o avião, mas a quantidade. Brasil deveria ter hoje uns 200 caças como esse!

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

se tivessemos a verba pra 200 gripens, o ideal mesmo seria o tão falado hi-low.

Wagner Figueiredo
Visitante
Wagner Figueiredo

Bom..por mim uns 80 a 100 gripens e uns 36 F15 ( novo ou pode ser do deserto, o bichão vindo Ta bão demais)

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

108 Gripen e mais 48 Tempest, sonhar não custa nada kkkk

André Zanatti
Visitante
André Zanatti

Já que é pra sonhar que tal 60 Gripens e 40 SU-57 😀

737-800RJ
Visitante
737-800RJ

108 Gripens já estaria de bom tamanho, pois conseguiríamos dotar todas as regiões do país com esquadrões.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Exatamente. Manteria os custos em conta devido a cadeia logística unificada, daria pra ter 9 esquadrões de caça espalhados pelo país e tudo isso sendo em parte considerável fabricada no Brasil.
Para os perigos possíveis de chegar até nosso país, seria bastante honesta a quantidade.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Eu concordo, mas acho engraçado o número 108. Acho que significa 6 esquadrões de 18 aviões, mas 6 x 16 = 96 também já estaria bom. O 108 virou uma lenda…e é muito pouco provável, dado o encarecimento progressivo das novas gerações de caças. Não dá pra substituir os F-5, A-1 e Mirages em uma relação 1:1 com os Gripens. (vixe… isso vai irritar muita gente… deixem ai os deslikes…kkkkk).

AlexByrth
Visitante
AlexByrth

Ou 340 Spitfires e 150 BF-109G-6

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Se é Pra sonhar vamos la:

75 gripens ( nordeste, sudeste e sul)
25 F-15SA (centro-oeste)
25 A1-M (Norte)

Humberto
Visitante
Humberto

Temos que esperar a FAB operar o caça para termos uma ideia melhor sobre as qualidades do novo vetor, pode ser bom ou ruim, nem sempre o que é ótimo para a Suecia, pode ser bom para o Brasil. Quanto a quantidade, 36 é pouco mesmo (vendo a quantidade de vetores que a FAB possui), mesmo que o Gripen seja muito mais sofisticado (ou seja, poder fazer mais por menos) e ser zerado (em tese, maior disponibilidade) a dimensão do pais é gigantesco MAS por outro lado, tem que ver a real necessidade de defesa. Não vejo que seja realista,… Read more »

Patricio
Visitante
Patricio

O negocio é ter essa quantidade de cacas e com o tempo ir canibalizando um no outro.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

A SAAB e a Suécia que me desculpe, mas considerando-se que o Canadá fica ao lado dos EUA, que é um país da OTAN, que é um país fortemente alinhado aos EUA e que o Tio Sam vai usar TODO o seu poder político, dificilmente outra empresa que não seja a Boeing ou, principalmente, a LM, irá ganhar isso.
Tá mais pra um jogo de cartas marcadas.

Mauricio R.
Visitante

O Canadá atual é incrivelmente crítico ao F-35. Dentro da OTAN depois da Itália somente os franceses, por razões mais que óbvias, são os maiores críticos da encrenca alada norte americana.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Concordo!

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Mesmo que o F 35 não leve essa, é provavel que o Super Hornet vença.
O peso político vai pensar MUITO nessa disputa, e os suecos que me desculpem, mas entre eles e o Tio Sam, quem tem mais peso político e econômico junto ao Canadá?

Vitor Silva
Visitante
Vitor Silva

E A Alemanha também não opera nem vai operar tão sedo os F-35, decidiram modernizar os aviões tornado, por que podem transportar armas nucleares, será que não haveria outra saída.

LRR
Visitante
LRR

Exatamente…
vai ser briga de cachorro grande…
o chororo da Boeing da LM estar ganhando tudo e ela nada…. como EUA é logo ali não me surpreenderia se o F18 SH ganhase lá

Gustavo
Visitante
Gustavo

Pois é, meses atrás falei da discussão de amigos que moram hoje no Canadá, por lá o Gripen E é visto com a solução ideal.
Eu acredito que eles provavelmente ficarão entre o Gripen E e o Rafale.
tudo pode acontecer, até o F-35 pode voltar para o jogo, mas no momento, quem está forte por lá, é o Gripen.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Gustavo, tenho muitos amigos Canadenses e espero que em breve também eu esteja por lá. Aficcionados por aviação também, e eles também torcem ou pelo Gripen ou pelo F-35, mesmo que o Super Hornet também tenha bastante força por lá devido ao fato de utilizarem os CF-18. Não vejo nenhum futuro para Typhoons ou Rafales.

Celso
Visitante
Celso

Boa sorte entao, ta demorando pra ir.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Obg Celso! Tá demorando mesmo, mas juntar dinheiro por aqui é brabo, mas pelo menos a papelada parece que vai correr tranquilo 🙂

Patricio
Visitante
Patricio

Fala ingles ou frances?

Sidy
Visitante
Sidy

O Rafale não está na disputa.

nonato
Visitante
nonato

Não será lançada uma nova concorrência próximo mês?
Não começa tudo do zero?

Sidy
Visitante
Sidy
Gustavo
Visitante
Gustavo

Nessa próxima, ainda não está confirmado. Inclusive na reportagem que você menciona, diz que isso pode ser confirmado hoje, quarta-Feira. Aí sim, podemos bater o martelo que a Dassault se retira da concorrência.

Sidy
Visitante
Sidy

O “hoje” da reportagem era em novembro de 2018. No mesmo mês houve o anúncio oficial da desistência da Dassault.

Mercenário
Visitante
Mercenário

Gustavo,

Como ficarão com o Rafale se a Dassault, segundo a notícia, sequer está na disputa?!

Beserra(FN)
Visitante
Beserra(FN)

A noticia está incompleta, nos sites gringos o Rafale C também está na disputa. A noticia tomou como base a concorrência de 2010 onde o Gripen ainda era o C e Dassault não participou.

Tiago
Visitante
Tiago

Vendas de material militar nunca são baseadas só em critérios técnicos. Entre os militares canadenses realmente o Gripen faz muito sucesso, mas dificilmente ele leva essa. O peso de ser vizinho dos EUA e fazer parte do NORAD é muito grande. E, como a Boeing conseguiu fazer uma lambança comercial/diplomática com a Bombardier, acredito que quem leva essa será o F-35, com o Typhoon ficando em segundo (ele é de certa maneira uma escolha doméstica) ficando o F/A-18 e Gripen correndo por fora.

Elton
Visitante
Elton

E verdade se fosse ,teríamos escolhido o F18E ou Rafale que são caças pesados e com longo alcance e não um projeto que só os suecos e nos que vão usar e que é só promessa até agora

Mr. White
Visitante
Mr. White

Gustavo, Moro no Canada tambem, visito forum de discussao militar e o Gripen nao esta tao definido assim. Muitos militares de alto escalao, nao gostam da ideia de aviao monoturbina e o gripen por ser de pequeno porte, nao daria “conta” de todos os tipos de cenarios e empreitadas que aqui participam ou que sejam desdobrados pra fora. Estamos muito proximos da Russia, tanto pelo Artico quanto pelo Alaska. EUA ja disseram que o Canada precisa se virar para proteger o pais tanto de ameacas aereas quanto navais e terrestres. O que vejo por aqui e, muitos gostam da ideia… Read more »

nonato
Visitante
nonato

Qual o mesmo tipo de trabalho realizado nos EUA?
Também acho interessante esse mix.
Já que gostam tanto de biturbinas… Que tenham o F 18.
E o F 35 pelas características stealth.

Mr. White
Visitante
Mr. White

Oi Nonato, Os EUA atuam no exterior na linha de frente do campo de batalha, em todas as vias possiveis (aereo, terrestre e naval). O Canada sempre foi o pais de apoio logistico, medico e numa eventual necessidade, desdobra seus Growlers para combate cibernetico. Quando o Canada enfrentou terroristas liderando uma frente do campo de batalha, criticos e defensores da constituicao cairam em cima do Premier da Defesa, demorou pra se explicar e acabou se enrolando. O mesmo trabalho quando me referi, esta direcionado as missoes de dominio aereo, muito frequentemente treinados por aqui. Apenas ter os F-35 nao seria… Read more »

Andre
Visitante
Andre

O que indica que um país é de primeiro mundo, estando entre os 25 maiores IDHs do mundo: os grupos políticos são divididos entre conservadores e liberais.

Nenhum idiota falando em comunismos, fascismo, socialismos e outras idiotices do sec XX.

“Em uma análise mais próxima, no entanto, as capacidades da Rússia não são tão assustadoras, especialmente se contramedidas em potencial forem consideradas.”

Não precisa ser nenhum gênio para ver isso. Basta analisar o desempenho em campo de batalha dos últimos 50 anos dos equipamentos soviéticos…

Humberto
Visitante
Humberto

Andre, mesmo no Canadá, grupos como Tea Party tem uma grande influencia, não é porque tem um ótimo IDH, que é desenvolvido que não exista gente maluca.
Na Alemanha, França, grupos simpáticos da extrema direita (os tais neo fascistas) estão cada dia mais ativos e saindo do armário e sendo eleitos.
Ahh extrema esquerda tb está ai vivo..
Ou seja, existe muito idiota ainda.. Não se iluda.
Abraços

André
Visitante
André

Humberto, não me iludo e concordo com você, idiotas existem em todos os lugares e parece que eles estão se reproduzindo mais rápido que os não idiotas. No primeiro muito, esses grupos são minorias, e eles defendem ideias fascistas mas eles tem uma representatividade muito pequena, da mesma forma que os grupos socialistas/comunistas. O PT da Nova Zelândia foi o partido responsável pelas privatizações e redução dos ativos do estado. Nos países que deram certo, vão ter partidos de extrema esquerda e direita, mas nenhum deles chega perto do alcançar o poder defendendo a estatização da economia, como foi feito… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro André. A ascensão fascista que está ocorrendo está relacionada ao afrouxamento da defesa dos direitos humanos por meio do desmonte do Estado de Bem-estar em benefício do capital financeiro. Para que os direitos aos quais Estado de Bem-estar era organizado (como saúde, educação, segurança, etc) possam ser tratados como serviços/mercadorias em uma economia de mercado, é preciso que a sociedade substitua a ética humanista e solidária por uma visão individualista e excludente. A consequência é o enfraquecimento da democracia por sua ineficiência econômica e o reforço das ideias fascistas como justificativa econômica.

pangloss
Visitante
pangloss

O Irã vai oferecer o Qaher-313?

TeoB
Visitante
TeoB

Ouvi dizer que a proposta do Irã contempla a transferência de tecnologia stealth, ansioso pra ver…

Tiago
Visitante
Tiago

Duvido muito. Tecnologia de ponta assim normalmente é pra uso doméstico. Provavelmente vão fazer uma versão menos potente e menos poderosa do Qaher pra exportação. Posso até imaginar: 60cm de comprimento, 45 de envergadura, pra ficar mais fácil de vender pra países com orçamento mais modesto. Fuselagem de papelão e plástico, materiais que não refletem ondas de radar. Canopy de plexiglass termo moldado (como já usado no próprio Qaher). Pilotado remotamente, pra não expor a vida de pilotos a riscos desnecessários… Enfim, uma verdadeira maravilha tecnológica!

Roberto Medeiros
Visitante
Roberto Medeiros

Rindo até agora dos comentários.
Vcs são muito criativos.

Wellington
Visitante
Wellington

Parece que estão adicionando uma terceira turbina no aparelho, o Canadá pira!

Pedro Rocha
Visitante
Pedro Rocha

Olá senhores! Todos sabem que sou entusiasta e grande fã do Su 35, porem hoje pensando menos como entusiasta e um pouco mais em estrategia de defesa, acho sinceramente que o F-39 E e F é a melhor escolha em 4,5 geração! Explico: Acho a tática operacional da Força Aérea Sueca mais eficiente e principalmente mais efetiva para países que têm baixos orçamentos militares mas com complexos problemas de defesa. No inicio sempre achei o número de 36 células muito abaixo do tamanho do nosso território porem visualizando que o F-39 não simplesmente um novo caça multirole e sim um… Read more »

Elton
Visitante
Elton

A força aérea sueca NUNCA foi usada em combate então dizer que o sistema deles funciona e bem temerário até porque treino e exercicio e uma coisa operar sob as adversidades do combate e outra totalmente diferente e um detalhe :A tática e estratégia deles eram e sempre foram que suas forças sobrevivensem até os CSG da USN chegassem para enfrentar a força aérea soviética e não em uma luta até o último caça

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Honestamente, esses 36 gripens só seriam o bastante literalmente no cenário America do Sul, contudo, se formos olhar por esse lado, literalmente os F-5BR, tirando sua pífia autonomia de voo, já seriam mais do que o suficiente.
A questão é: queremos ser comparados a Argentina que tem como principal caça o A-4(que sequer voa) ou com os países que gastam o que a gente gasta em defesa?

Robsonmkt
Visitante

O Canadá é um dos 5 olhos, um pool de países anglo-saxões aliados do qual os EUA é o principal país e também o maior parceiro comercial do Canadá, além de única fronteira do Canadá. Levando isto em consideração, creio que dificilmente o avião a ser escolhido pelo Canadá não será norte-americano.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Levando em consideração esta lógica, meu amigo, o Canadá teria ido de M1A1 Abrams e não de Leopard 1A5 e agora 2A4.

Concordo que o peso geopolítico dos “cinco irmãos” faz pesar a favor, mas levando em consideração este ponto, o Typhoon também se beneficiaria.

Grande abraço!!! 😉

Pedro
Visitante
Pedro

O vencedor dependerá das eleições no Canada. Se os Liberais forem despachados (como muitos indicam) e os conservadores voltarem ao poder para colocar a casa em ordem, certamente sera um avião dos EUA o escolhido. Pode até ser o F-35, ou o F-18E, ou quem sabe, um F-15 mais moderno. Lembrem que o Canada é em uma rota transpolar, uma muralha ou um corredor para se chegar aos EUA! Se os liberais ganharem, vão continuar com o F-18 até os mesmos estarem caindo aos pedaços, pois o $$ será usado em dar vida mansa a “imigrantes tadinhos oprimidos pelo homem… Read more »

carvalho2008
Membro
Famed Member

Vai dar Gripen ou Rafale

Se fosse F35, já teria ocorrido a tempos….

Como os Canadenses sempre foram comedidos e econômicos, as maiores chances são do Gripen E

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

É bom lembrar que o Canadá ainda é parceiro do programa F-35, mesmo tendo declinado de comprá-lo na época. O sentimento em relação à aeronave pode ter mudado simplesmente pelo fato de que caiu o preço unitário. Boa parcela da sociedade pode enxergar a aquisição do F-35 como um retorno do investimento feito pela indústria Canadense no projeto do que é conhecido como o maior projeto aeronáutico de Defesa no Mundo. E por ainda ser um parceiro do programa, ainda existe a possibilidade de facilidades de pagamento, etc. Essa visão Canadense é interessante porque remontaria à década de 1950 com… Read more »

Sidy
Visitante
Sidy

O Rafale não está na lista…

Mauricio R.
Visitante

Que bom, como esses canadenses são sortudos. Estão livres da gambiarra francesa. Tchau “Le Jaca”!!!!

TeoB
Visitante
TeoB

Seria muito bom mesmo para nós o Gripen E ganhar… aumentaria a escala de produção e poderíamos vender as famosas telas… fora outros benefícios.
sinceramente estou na torcida pelo Gripen!!!

Humberto
Visitante
Humberto

Exato, aumenta a escala e com isto, os custos por hora para a FAB tendem a diminuir.Creio que o Biplace seja o nosso (entendo como Estado) maior ganho, tem a minha torcida também, apesar de achar que não tenha muitas chances, nem é porque não é americano e sim, porque a Suécia não é OTAN. Particularmente acredito que os Canadenses irão com os F-35, dentro de alguns anos, será uma avião com menos problemas e totalmente operacional, inclusive sendo utilizado dentro da Otan e de quebra do seu maior parceiro comercial. Situação difícil para a Boeing MAS com a venda… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Humberto. O preço do primeiro lote de F39 da FAB não seria afetado pelo ganho de escala. Talvez, o preço de um segundo lote possa ter preços menores. Ganhos de escala serão absorvidos como lucro da SAAB,

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

O Canadá escolher qualquer caça que não seja americano? Sei…
Boa sorte, SAAB…

Mauro
Visitante
Mauro

O Gripen já é o grande campeão.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Considerando que serão apenas 30 unidades acredito que o Rafale F4 seria o ideal para contrapor os Sukhois russos, mas tendo em vista a dificuldade politica que eles tem para fazer esta aquisição acho que pode dar Gripen E.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Eu acho muito difícil os norte-americanos não levarem essa. Mas incomparavelmente o Gripen seria a escolha ideal para os canadenses pelo desenvolvimento que a Suécia esta tendo com os Russos, porém, todavia…

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
André Sávio Craveiro Bueno

Canadá e EUA formam o NORAD – North American Aerospace Defense Command

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

De um lado temos o melhor caça disponível e do outro temos o de melhor custo/benefício. Disputa difícil para a Saab, porque o lobby americano ali será imenso.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Essa é a ótica, apenas somo que os custos do F-35 tem caído da mesma forma que sua operacionalidade tem aumentado… cada dia que passa o F-35 se torna mais atraente!

Cristiano
Visitante
Cristiano

Eu até torço pelo gripen mais.. pela parceria comercial e militar com os EUA já sabemos quem ganha, o gripen seria uma boa opção mais entre países parceiros de longa data a opção fica para segundo plano.

Seaman Real
Visitante
Seaman Real

Tá escrito lá em cima para quem quiser ver…a capacidade da Rússia não é essa coca-cola toda…no máxima uma baré-cola…mas que a propaganda é boa, é.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Propaganda pra vender o próprio peixe que não é stealth, eu sempre desconfio de informação russas mas o sistema de defesa “S” parece bem sólido, ou não colocaria um Gripen perto de um S-400 de jeito nenhum, haja fé na eletrônica dele!

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Ainda acredito no improvável, Eurofighter Thyphoon.
Gripen E não tem o peso necessário, Boeing pisou na bola e F-35 é caro demais.
Segundo amigos que moram lá, a Alemanha e Inglaterra estão fazendo um lobby fortíssimo junto ao governo Canadense.

Bardini
Visitante
Bardini

Penso que os caras não vão ter grana pra bancar o F-35… Fecharam um pacote monstruoso para 15 Type-26, sendo que estava sendo um parto tocar o projeto do NApLog deles. E ainda tem os submarinos para trocar, coisa que vai ser ainda mais caro que as Type-26.
.
Super Hornet seria algo razoável para os caras. Mas o Gripen poderia surpreender.

Munhoz
Visitante
Munhoz

Eles gostam de bimotor devido ao clima, devem estar esperando alguma coisa stealth bimotor do Japão ou Europeu!

Bardini
Visitante
Bardini

Quantos Gripens caíram na Suécia, operando em condições tão severas quanto?

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Tem ganso canadense voando na Suécia? Vários F-18 já engoliram um ganso e voltaram monomotor,

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Pode listar pelo menos alguns desse vários acidentes envolvendo o F-18 com os gansos canadenses? Porque eu não achei nenhum. No Brasil temos urubus e não vejo quedas de caças por conta deles.

Weliton Moutinho
Visitante
Weliton Moutinho

Vejo países de menor econômica e de menor tamanho comprando F35 , porque o Brasil não comprar esses aviões ou até mesmo os F15 ou F22 ???

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Weliton. Considerando o custo do FX-2 (US$ 5 bilhões), teria sido possível comprar uma frota de F15 ou até mesmo adquirir o Rafale ou o F18. O custo de operação de um caça mais caro poderia ser compensado com uma frota menor. Contudo, esses países menores que você mencionou geralmente realizam compras de prateleira. Poucos são os que dispõem (ou dispunham) de infraestrutura industrial para fabricação local. Além disso, a FAB teve acesso ao código fonte do F39E/F mas talvez não teria os códigos do F35, F15 etc. O F22 é exclusivo da USAF.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

O F-35 é a solução para o futuro projetando poder e o Gripen/F-18 é a solução do presente cuidando das fronteiras, os dois têm vantagens e desvantagens, se o Canadá escolher o F-35 então sabemos que há algum pessimismo em relação a paz mundial…

Junior
Visitante
Junior

A concorrência serve para barganhar um preço melhor

Lucker
Visitante
Lucker

Os suecos tem esperança mas no fim vai dar F35.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Tradução:

“Iterações” ou atualizações ?

SH 18 na cabeça.

Halley
Visitante
Halley

Para mim irão de Super Hornet e futuramente complementarão a frota com F-35. Substituir toda a caça com F-35 é antieconômico

Junior Boas
Visitante

Vocês são cegos ou hipócritas não é possível. Vocês teriam a coragem de comprar um caça que ao sair do chão é certo de fato ter o risco de queda.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Se é aeronave, já tem risco de queda. Se é aeronave militar, tem mais risco de queda. Se é aeronave militar de alta performance, o risco aumenta ainda mais. Se é tecnologia nova, aumenta mais ainda. E mesmo assim…. é segura, e seu uso constante assegura cada vez mais segurança. E é assim para toda nova aeronave…

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

1) F-35.
2) Eurofighter (Airbus)
3) se a Boeing pedir perdão e dar uma folga para a Bombardier, Super Hornet.

Mauricio R.
Visitante

A Boeing não tem que pedir perdão e nem dar folga pra Bombardier.
Ela já foi enquadrada pela autoridade do governo dos EUA.
E de quebra nos livrou do monstro, aka “divisão de aviões comerciais” da Embraer.
Pena que o governo Bolsonaro não teve aptidão e nem visão política pra aproveitar o presente e ocupar o espaço deixado vago.
Agora já foi.

Helio Eduardo
Visitante
Helio Eduardo

Se o fator de decisão dependesse apenas do binômio custo x capacidade, o Gripen E teria ótimas chances na Força Aérea do Canadá. Contudo, o fator político certamente contará, e muito. E o fato de o Canadá integrar o NORAD será um dos pilares dessa decisão. Só enxergo uma chance para um caça de fora dos EUA: se a opção for por um mix de F-35 e outra plataforma que, então, seria politicamente interessante (e barato) ser o Gripen. Não faço, no entanto, a menor ideia dos custos, estou divagando com base no raciocínio simplista de que 36 F-35 e… Read more »

Alessandro
Visitante
Alessandro

Na minha opinião os canadenses sempre quiseram o F-35 tanto é que estão no projeto, mas a realidade é que eles não tem dinheiro para manter, o custo da hora de voo e logística é o mais caro de todos e acredito que ficarão mais para o futuro, e estão amarrados com outro compromissos caríssimo como as type26

acho que a briga será entre F-18 e Gripens, se os canadenses for escolher pelo custo beneficio e guerra eletrônica no estado da arte é Gripen na cabeça, mas se for por motivações políticas (que acho que será) é F-18 sem pestanejar.

Alessandro
Visitante
Alessandro

Rafale parece que está fora da concorrência né? Fizeram muito bem os franceses, não que o caça seja ruim, pois é um excelente caça e está entre os melhores do mundo, mas o seu maior problema são os custos que são próximos de um caça de 5ª geração, é muito mais sensato escolher o F-35 em comparação ao Rafale devidos aos custos do segundo.

Sidy
Visitante
Sidy

A decisão da Dassault de desistir da concorrência está associada ao fato da França não ser membro da rede de compartilhamento de dados Five Eyes, a qual inclui EUA, GB, Austrália, Nova Zelandia e Canadá e tem requisitos extremamente específicos para seus equipamentos, os quais a Dassault entendeu que talvez não conseguisse (ou não tivesse interesse) em atender.

Nem
Visitante
Nem

Elton, o Gripen certamente atendeu a todos os critérios técnicos fixados pela Copac. No papel, falando no mundo do super trunfo, a “melhor aeronave” para combate ar-ar (BVR) era o SH, já que o radar era o melhor. Agora, adianta ter o melhor radar e o tio Samuel não liberar o AIM-120D ? ou liberar com restrições, de frequências, algoritmos etc etc etc ? A minha dúvida sobre o Gripen é outra. Sendo a versão atual E (não finalizada) outra estrutura em relação a versão C, poderá ele operar satisfatoriamente no ambiente amazônico, por exemplo, de grande calor e umidade… Read more »

Delfim
Visitante
Delfim

Tradicionalmente os caças canadenses, Canuck, Voodoo, Hornet, até o natimorto Arrow, são bimotores. Possuem desempenho bruto e capacidade de armas superior.
.
Não há tanta necessidade de ser stealth para missões de interceptação de bombardeiros russos.
.
30 aeronaves não dão espaço para desdobramentos no exterior.
.
Somando tudo isso e compromissos com o fornecimento americano e o NORAD, aposto no F-18SH.

Sidy
Visitante
Sidy

“Tradicionalmente os caças canadenses, Canuck, Voodoo, Hornet, até o natimorto Arrow, são bimotores. Possuem desempenho bruto e capacidade de armas superior.”

Mas eles utilizavam o F-104 antes do F-18 – portanto, um monomotor.

kaleu
Visitante
kaleu

Gripen é o favorito para vencer, há forte movimento de sitios especializados nesse sentido :
http://bestfighter4canada.blogspot.com/p/the-saab-gripen-does-not-even-seem.html
http://www.canadiandefencereview.com/Featured_content?blog/110
https://www.skiesmag.com/news/saab-positions-gripen-e-canadas-next-generation-fighter/

Além disso a Saab escolheu um modelo da Bombardier para seu GlobalEye AEW&C:

https://saab.com/air/airborne-solutions/airborne-surveillance/globaleye/

Eu apostaria no Gripen como melhor custo e alta performance

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Vai de Super Hornet!

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Na minha opinião, o mais provável é dar Typhoon, o que não seria tão ruim ao Gripen, que poderia compor uma solução Hi-Low ao Canadá, caso eles não fiquem com tantos Typhoons e assim completar a frota com um caça mais em conta.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Qualquer compra de caça para quem tem possibilidade de guerra será de um modelo furtivo. Geração 5+. Não tem mais sentido caças de geração inferior. Basta ver o que os países lideres fazem: Japão, Coréia do Sul, UK, Itália, etc…todos de F-35.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

É né?! Então tá!

Celso
Visitante
Celso

Li todos os comentários, tem comentário engraçado, como Dassault , F22, SU35, Pucara e etc.
Só não concordo quando falam em hi-low, colocando o gripen ng como low, a Saab não é novata no negócio, são vizinhos do calo americano, quanto ao fato, de não ter ganso canadense na Suécia, o que pode fazer com que o Canadá compre caça bimotor, tem que se levar em conta, o RCS do ganso, que é pouco menor que do gripen ng, que aliás, só perde para os caças de 5 geração

filipe
Visitante
filipe

Vai dar F-35, o Gripen não é concorrente para o F-35, os Gripens são bons na relação custo benefício , tem uma hora de voo mais barata em relação aos F-35, sendo a sua única vantagem, mas o Canada mantêm uma tradição muito forte com os EUA, naturalmente ou vai de F-35 ou de F-18SH, o Canadá é um território continental, o que exige caças bi-turbinas , ai a chance do F-18SH e do Thyphoon , na corridas estão 2 mono-motores (F-35 e Gripen) contra dois bi-motores (F-18SH e Thyphoon), acho que devido ao avanço tecnológico o F-35 é de… Read more »