terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

Gripen NG: FAB assina contrato de manutenção

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Gripen NG com seis mísseis e duas bombas - foto 2 Saab

A Saab deverá prestar os serviços entre 2021 e 2026, com o apoio direto de empresas brasileiras

A Força Aérea Brasileira e a empresa Saab assinaram nesta quinta-feira (18/12) o contrato de apoio logístico para a frota de 36 aeronaves Gripen NG, no valor de 548.465.036,26 de coroas suecas (SEK). Este valor está incluído na ratificação de despesa, publicada no Diário Oficial da União nº 207, de 27 de outubro de 2014.

O acordo inclui serviços de manutenção e suporte técnico especializado para as aeronaves, seus componentes internos e equipamentos de manutenção. A Saab deverá prestar os serviços entre 2021 e 2026, com o apoio direto de empresas brasileiras.

“Esse contrato torna segura a solução de apoio logístico do Gripen NG para o Brasil. Também representa parte importante do comprometimento da Saab em entregar o sistema Gripen NG à Força Aérea Brasileira”, diz Ulf Nilsson, Diretor de Unidade de Negócios da SAAB.

De acordo com o Brigadeiro do Ar José Augusto Crepaldi Affonso, presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), o cronograma de eventos contratuais está correndo dentro da normalidade processual, conforme explanado em Audiência Pública, na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, no dia 9 de dezembro deste ano. “Dando prosseguimento às ações administrativas, encontra-se em fase final de negociação o contrato de aquisição de armamento”, explica.

Gripen decolando - foto Saab

FONTE: FAB (Agência Força Aérea)

FOTOS: Saab (em caráter meramente ilustrativo)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

32 Comments

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joner

Boa notícia, e que venha logo o contrato para os Gripens temporarios, e por que não torcer para que sejam 12 unidades :)….

“encontra-se em fase final de negociação o contrato de aquisição de armamento”.

Esse armamento é o caça, ou trata-se dos mísseis e bombas?

Sds.

cristiano.gr

Meio caro esse contrato!

E meio fora de época, me parece também.

Serão R$ 1.050.856,14 por caça/ano, apenas para prestar manutenção, e deve ser somente a mão de obra mesmo, com peças totalmente à parte. Em 5 anos são R$ 5.254.280,70 por caça.

cristiano.gr

Entre 2021 e 2026 esses caças estarão cheirando a novo, sendo que o primeiro só chega em 2019. Com a quantidade de horas de voo da FAB é possível nesse período do contrato manter os últimos Gripens recebidos ainda com o “plástico dos bancos” e os “adesivos de OK no para-brisas” kkkkkk… tem que rir pra não chorar.

Nick

Tomara que inclua misseis BVR AIM-120D e se possível os RBS15, além dos Taurus KEPD.

[]’s

Juliano Lisboa

Cristiano.gr

Leia esta parte da notícia:

” O acordo inclui serviços de manutenção e suporte técnico especializado para as aeronaves, seus componentes internos e equipamentos de manutenção.”

Victor Matheus

Caro Joner
Acho que este trecho que você citou está falando sobre os armamentos que serão usados no Gripen.

Caro Nick
Acho que os AIM-120D serão essenciais para vir junto com o Gripen. Já o RBS15 e Taurus são mais difíceis, mas não custa sonhar. E também por que não o Meteor, rsrsrs!
Abraços!

Victor Matheus

Já que estamos falando de armas, alguém aí tem alguma ideia de quais bombas poderiam ser adquiridas pro Gripen?
As SDBs estariam entre as opções?

juarezmartinez

E dele contrato adicional para o NG, vamos ver aonde a conta vai para. O que era para ser um contrato enxuto e pragmático está virando um Petrolão, este país é uma piada.

Grande abraço

Juliano Lisboa

Caro Juarez, esse contrato já está incluso no valor de 5,4 bilhões. Na verdade são 3 contratos inclusos: aviões, manutenção e armamento. O brigadeiro Crepaldi informou isso na audiência na câmara no dia 09/12.

joseboscojr

Nick e Victor,
Acho difícil o AIM-120D fazer parte do pacote. Mais fácil o Meteor e o RBS-15.
Já quanto a mísseis cruise (ALCM), só se for para fazer doutrina, o que seria numa quantidade absolutamente medíocre.
Esse tipo de arma ainda não faz sentido em nosso TO, e para que seja efetiva se faz necessário uma grande quantidade, coisa que não podemos nos dar ao luxo de ter.

Victor Matheus

Caro Bosco
E qual seria o motivo do AIM-120D não fazer parte do pacote. Eu me lembro de ter lido algo dizendo que provavelmente os americanos iriam aprovar a venda deste míssil junto com o Gripen (posso estar enganado). Ou você estaria se referindo à versão “D” do míssil, sendo mais provável a venda da versão “C”???
Bem de qualquer forma se vierem os Meteor ficarei ainda mais feliz.
Abraços!

joseboscojr

Victor,
É! Me refiro à versão “D”. A “C” com certeza pode ser adquirida pelo Brasil e deverá estar integrada aos NGs.
Quanto ao “D”,também posso estar equivocado dado que só começaremos a receber os NGs em 2020 e até lá já estará disponível para exportação.
Por enquanto eu acho que ainda não está.
Um abraço.

joseboscojr

E Victor,
Quanto às bombas, eu chuto que iremos operar as Lizards, guiadas à laser, e as SMKB, nacionais, guiadas por GPS.

Victor Matheus

A tah, obrigado novamente pela ajuda caro Bosco. Eu não sabia sobre as condições da versão “D”
Abraços!

Lyw

Se houvesse uma casa de apostas aqui no Aéreo, eu apostaria na escolha do Meteor como principal míssil BVR em detrimento de qualquer versão do AMRAAN. Haja vistas a aproximação do Brasil com a MBDA e a integração já acertada deste míssil no Gripen NG.

Lyw

Além é claro do fator político, a compra dos Harpoon precisou de audiência pra dar explicações a político.

Com o desempenho notável no meteor e sua integração praticamente efetivada no Gripen NG, acredito que a FAB escolherá sem pestanejar.

Oganza

Se o Meteor vier, e é um “se” bem grande, será em uma quantidade irrisória tb… será uns 20 a 24 mísseis e olhe lá… e deverá equipar o apenas GDA e olhe lá e ficarão estocados ad eternum para vermos em fotos apenas as versões de testes e olhe lá. O que iremos ver serão os Pythons IV (e com sorte o V) nas pontas das asas de nossos Gripens e talvez os A-Darters, se estiverem prontos e operacionais até lá, e isso tb é um “se” bem grande. Nossos BVRs serão os Derbys e agradeçam aos céus por… Read more »

juarezmartinez

“Juliano Lisboa 19 de dezembro de 2014 at 17:31 # Caro Juarez, esse contrato já está incluso no valor de 5,4 bilhões. Na verdade são 3 contratos inclusos: aviões, manutenção e armamento. O brigadeiro Crepaldi informou isso na audiência na câmara no dia 09/12.” Caro Juliano! Eu não assisti a entrevista do Brig Crepaldi, mas o farei, estranho muito porque este contrato estar dentro da publicação da minuta do escopo do contrato global e quando acontece um piublicação “solteira” no DOU implica em uma contratação em separado. Quanto ao armamento aí tem uma desinformação enorme, pois ele não é feito… Read more »

juarezmartinez

Nunao eu não quetionei, apenas chei a fórmula adotada, mas quanto ao armamento ele está restrito a arma de tubo, por enquanto.

Grande abraço

Ivan

Victor Matheus, (19 de dezembro de 2014 às 12:13) “Já que estamos falando de armas, alguém aí tem alguma ideia de quais bombas poderiam ser adquiridas pro Gripen? As armas do Gripen NG já foi bastante discutido no AEREO. Esta foi uma matéria deste ano: http://www.aereo.jor.br/2014/08/16/gripen-ng-as-configuracoes-de-armas/ Quanto ao AIM-120 qualquerletra depende apenas dos ianques concordarem em vender, o que acredito que não é e não será problema, a menos que Brasília enfie o pé na jaca e faça muita besteira. O projeto Gripen, qualquer versão, foi pensado de raiz para usar armas de várias procedências. Mísseis BVR já integrados aos… Read more »

Ivan
joseboscojr

É dito que o Meteor tem alcance de 100 km e o AIM-120D tem alcance de 160 km (algumas fontes citam 180 km). Como seria possível ao míssil americano ter maior alcance que o míssil europeu, que usa um motor “aspirado” com tempo de queima muito maior que a do míssil americano? Provavelmente isso ocorre porque o míssil europeu foi planejado para ter um NEZ 3 x maior que a dos Amraams iniciais (A e B), e o método escolhido foi o de aumentar o tempo de queima usando a tecnologia do motor foguete sólido com ducto (tipo de um… Read more »

Victor Matheus

Vlw Ivan.
É que eu não tinha nenhuma idéia de quais bombas poderiam vir pro Brasil junto aos Gripens. E obrigado pela imagem do arsenal do NG, eu só tinha visto as armas do C/D. Embora eu ache que estejam faltando alguns equipos.
Abraços!

Marcos

A verdade é que o projeto do Gripen está bastante atrasado.
Em 2007 a Embraer anunciou o projeto do C-390, ainda naquela versão derivada dos E-Jets. No ano seguinte a Saab apresentou o protótipo de Gripen NG, uma aeronave já existente e que receberia um upgrade. Bom… o KC-390 já está ai, irá fazer seu primeiro voo o mais tardar no início do ano que vem, com previsão de entrega para meados de 2016. O Gripen continua somente como um demonstrador de tecnologia, sem existir ainda um protótipo.

Vader

Marcos, o protótipo já existe, só não foi apresentado ainda. O porquê, Odin sabe…

Marcos

O protótipo do Gripen E:
🙂

https://www.youtube.com/watch?v=86ser2LyuHg

cristiano.gr

Juliano Lisboa
19 de dezembro de 2014 at 11:14 #

Mas barbaridade, tchê!

Manutenção = reparos e consertos com uso das mãos e ferramentas e máquinas.

Suporte técnico especializado = informação e orientação com técnicos e engenheiros especialistas na aeronave.

Componentes internos = componentes internos somente do cockpit, será?

Equipamentos de manutenção = ferramentas e máquinas para prestar a manutenção.

Continuo achando caro, sabichão.

Mauricio R.

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Prato cheio p/ quem adora retrofitar avião antigo:

(http://www.janes.com/article/47288/saudi-arabia-offers-surplus-f-5s-for-sale)

Nautilus

Desistam de Taurus KEPD 350 no pacote de armas. A Suécia é signatária do MCTR e não pode vender a países que não possuam mísseis de cruzeiro armas que ultrapassem 300 km de alcance e/ou 500 kg de explosivo.
RBS 15 já é uma possibilidade.

Últimas Notícias

Chile quer comprar aeronaves britânicas E-3D Sentry ‘AWACS’ aposentadas

Uma fonte disse ao UK Defense Journal que o Chile está procurando comprar “mais de uma” aeronave E-3D aposentada...
- Advertisement -
- Advertisement -