quarta-feira, dezembro 1, 2021

Gripen para o Brasil

Brasil assina contrato para aquisição de 36 caças Gripen NG

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

i1410276024556260

Primeira aeronave deverá ser entregue em 2019. O contrato prevê ainda o treinamento de pilotos e mecânicos, apoio logístico e a transferência de tecnologia

A Força Aérea Brasileira assinou com a empresa sueca SAAB o contrato para aquisição de 36 aviões de caça Gripen NG. A primeira aeronave deverá ser entregue em 2019, e a última em 2024. A assinatura aconteceu nesta sexta-feira (24/10), nas instalações da COPAC (anexo ao prédio do Comando da Aeronáutica, em Brasília – DF).

O contrato envolve o treinamento de pilotos e mecânicos brasileiros na Suécia, apoio logístico e a transferência de tecnologia para indústrias brasileiras. O investimento total será de aproximadamente 13 bilhões de Reais.

“Nós iremos transferir tecnologia e a capacidade de projetar e construir caças”, afirmou Hakan Buskhe, presidente da SAAB. A Embraer irá assumir um papel de liderança na fabricação local dos aviões, mas haverá também a participação de outras empresas brasileiras, como a AEL, Akaer, Atech e SBTA. “Vai ser um salto, não apenas para a Embraer, mas para a nossa indústria em geral”, completou o Tenente-Brigadeiro do Ar Alvani Adão da Silva, Diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial.

O Brasil também participará do desenvolvimento do Gripen NG e será responsável pelo desenvolvimento da versão para dois pilotos. A encomenda brasileira envolve 28 unidades monoplaces (para um piloto) e 8 biplaces (para dois tripulantes).

O desenvolvimento e produção do Gripen NG possibilitará ainda a geração de milhares de empregos diretos e indiretos no país.

De acordo com o Brigadeiro do Ar José Augusto Crepaldi Affonso, presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), a assinatura ocorreu após dez meses de intensas negociações contratuais. “Nós atualizamos a proposta. Trouxemos os requisitos para um cenário mais moderno”, explicou.

As negociações foram iniciadas depois do anúncio do Gripen NG como vencedor da concorrência chamada de Projeto F-X2, realizado no dia 18 de dezembro de 2013. “Naquele primeiro momento a gente já estabeleceu um cronograma para a assinatura do contrato”, conta o Brigadeiro Crepaldi. A previsão era assinar antes do fim do ano. A assinatura na semana do Dia do Aviador (comemorado em 23 de outubro) também foi motivo de comemoração. “É muito simbólico para nós”.

O Gripen NG foi selecionado após análises de aspectos operacionais, técnicos, logísticos, de custos e de transferência de tecnologia. O relatório elaborado pela COPAC teve 33 mil páginas e incluiu análises das indústrias, dos projetos e de uma equipe formada por pilotos, engenheiros, oficiais de logística e de outras especialidades.

gripen-e-dew

Marco tecnológico
A Suécia opera versões mais antigas do caça Gripen desde 1997 e já fez exportações para República Tcheca, Hungria, África do Sul, Tailândia e para a escola de piloto de testes do Reino Unido. Mas o Gripen NG, por enquanto, será recebido somente pela Suécia e pelo Brasil.

A aeronave incorpora tecnologias como o radar Raven ES-05, capaz de identificar alvos aéreos ou de superfície a um ângulo de 100 graus da sua antena, um sensor de busca infravermelho e datalink, que possibilita a troca de informações entre caças sem o uso de rádio. Quando entrar em serviço na FAB, o Gripen NG também será o único caça do Hemisfério Sul capaz de voar a velocidades supersônicas por longas distâncias, o chamado supercruzeiro.

“Há mais de 18 anos nós esperamos por esse momento. E com certeza vai inaugurar uma nova era operacional para a aviação de caça no Brasil”, disse o Tenente-Brigadeiro do Ar Alvani.

As 36 aeronaves multimissão serão utilizadas pela Força Aérea Brasileira em atividades de defesa aérea, policiamento do espaço aéreo, ataque e reconhecimento. A primeira unidade aérea a receber o novo modelo deverá ser o 1° Grupo de Defesa Aérea, com sede em Anápolis (GO). O Esquadrão está sem aeronaves desde dezembro de 2013, quando foram aposentados os caças Mirage 2000. Atualmente, a defesa aeroespacial brasileira é realizada por jatos F-5EM.

Gripen-NG-3-view-RGB

Gripen C/D
Após a assinatura da aquisição dos novos Gripen NG, prosseguem as negociações da FAB com a Força Aérea da Suécia para a cessão temporária de caças Gripen nas versões C/D. As aeronaves, usadas, são menos avançadas que o Gripen NG, mas já superam os F-5EM atualmente em uso. O plano seria utilizar os Gripen C/D até o recebimento das aeronaves novas.

FONTE: FAB

- Advertisement -

13 Comments

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Juliano Lisboa

Enfim assinado. Que venham logo, estou com a câmera preparada pra fotografar assim que pousarem aqui em Anápolis.

Nick

Finalmenteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!!!!!!!! HSAUSHAUHSAUHSUAHSUAHSUAHSASUH!!!!!!!!!!!! CHEGA DE FX-2!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

BORA FX-3!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! SHAUHSUHAUHSUHAUHAUHSUH!!!!!!!!!!!!!!!!

ALELUIA IRMÃOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

:):):D

[]’s

ps. acabo de ver o anúncio no Bom Dia Brasil! 🙂

wwolf22

Ue, os SH da Australia não possuem a tal da velocidade de supercruzeiro ????

Graças a Deus assinaram….
Uma duvida, sera que o motor do biplace sera o mesmo do mono ??

Fernando "Nunão" De Martini

“wwolf22 em 27/10/2014 as 7:32
Uma duvida, sera que o motor do biplace sera o mesmo do mono ??”

wwolf22, ter motores diferentes entre monoposto e biposto é algo que não ocorre na imensa maioria dos caças no mundo, muito menos nos da FAB, é algo que iria contra todo o histórico do próprio Gripen, contra todas os esforços de padronização e logística, além do que nunca houve qualquer sinalização nesse sentido.

Então minha resposta é que o motor do monoposto e do biposto será o mesmo.

eparro

Uma boa notícia para variar e para nos animar. Já não era sem tempo. 2019 tá logo alí.

Edgar

Com início das entregas prevista para 2019, valem mesmo a pena os C/D? Levando-se em conta 1 ano de negociações, mais 1 ano de preparação dos caças, mais 1 ano de treinamento, só os teríamos operacionais lá pra 2018.

A propósito, deveria ter comprado ações da SAAB na sexta…

http://markets.ft.com/research/Markets/Tearsheets/Summary?s=SAAB%20B:STO

Solskhaer

UFA, que novela foi essa! Lembro-me que foi através do Programa FX que fiquei sabendo desse fórum e desde então foram intensas discursões acalouradas e tal, ofensas, pauladas, apertos de mão e por ai vai…. pronto acalmamos e qual será agora os intensos debates?????
Que ótimo, pena que até a primeira entrega ainda tenha alguns anos, que venha então o tampão C.

wwolf22

a informação de que o Gripen NG eh o único no hemisfério sul a ter a capacidade “supercruzeiro” procede ????

Phacsantos

wwolf22

Procede.

Os F-18 da Austrália não tem essa capacidade!

wwolf22

grato Nunao

jairo boppre sobrinho

Srs
Impressionante que a assinatura foi antes da definição da eleição(escrevo sem nenhum cunho politico) – creio que demonstra(esquecendo a indefinição de mais de 10 anos) que finalmente alguma maturidade e importância foi dada a defesa – e que(esperamos) os próximos anos serão melhores para a mesma.

Abs a todos

Gilberto Rezende

Assinado ANTES mas só foi divulgado DEPOIS…

Apesar da FAB ter apostado na mudança preferiu assinar antes em segredo por segurança…

Justin Case

Amigos,

Parabéns à FAB por essa importante conquista.
Parabéns também à SAAB e à COPAC por conseguirem negociar e preparar contrato de tal complexidade em apenas dez meses.
Vamos torcer para que os recursos sejam disponibilizados sem cortes, e assim possamos receber nossos Gripens a partir de 2019.
Abraços,

Justin

Últimas Notícias

Atech levará tecnologia brasileira a eventos internacionais de Defesa e Segurança

Reconhecida como uma 'System House' brasileira, a empresa estará presente na EDEX e  ExpoDefensa 2021 A Atech, empresa do Grupo...
- Advertisement -
- Advertisement -