Home Aviação de Caça Compra de 36 caças Gripen: extrato de dispensa de licitação publicado no...

Compra de 36 caças Gripen: extrato de dispensa de licitação publicado no DOU

525
15

Gripen NG com seis mísseis e duas bombas - foto 3 Saab

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA AEROESPACIAL

COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA AERONAVE DE COMBATE

EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 2/2014

Nº Processo: 67701.013100/2008-35. Objeto: Aquisição de 28 (vinte e oito) aeronaves de caça multiemprego monoposto e 8 (oito) aeronaves de caça multiemprego biposto, Apoio Logístico Inicial e Simuladores de Voo; e Suporte logístico Contratado associado à aquisição de 28 (vinte e oito) aeronaves de caça multiemprego monoposto e 8 (oito) aeronaves de caça multiemprego biposto.

Autoridade Solicitante: Brig Ar José Augusto Crepaldi Affonso.

Autoridade Ratificadora: Ten Brig Ar Juniti Saito.

Contratada: SAAB AB.

Justificativa: Aquisição de recursos bélicos aéreos.

Valor: SEK39.882.335.471,65 (trinta e nove bilhões, oitocentos e oitenta e dois milhões, trezentos e trinta e cinco mil e quatrocentos e setenta e um coroas suecas e sessenta e cinco centavos).

Amparo Legal: Inciso IX do art. 24 , da Lei nº 8.666/93, c/c Inciso I do art 1º, do Dec. 2.295/97

FONTE: Diário Oficial da União (DOU), edição de 27/10/2014, seção 3, página 17  – clique no link para acessar a página original.

FOTO: Saab (em caráter meramente ilustrativo)

15
Deixe um comentário

avatar
15 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
Leonardo Pessoa DiasFranco Ferreirajairo boppre sobrinhoAugustoeduardo pereira Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Augusto
Visitante
Augusto

A vantagem de preço que o Gripen tinha, desapareceu.

O contrato ficou 1 bilhão de dólares mais caro. Repito: UM BILHÃO DE DÓLARES mais caro!

Nautilus
Visitante
Nautilus

Desapareceu não. Para quanto você acha que iria as propostas da Boeing e da Dassault? Ou você acha que só o Gripen é afetado pelas leis da Economia?

Augusto
Visitante
Augusto

Fernando “Nunão” De Martini 27 de outubro de 2014 at 10:45 # “(…) a própria FAB, em nota de hoje, afirmou que ao longo das negociações feitas neste ano os requisitos foram atualizados”. Nunão, houve um aumento de mais de 1/4 do preço previsto inicialmente. Aliás, o fator preço foi uma das grandes vantagens propaladas quando do anúncio da escolha do Gripen. Isso não é atualização e certamente não é correção de valores, isso é um aumento aviltante, que precisa ser explicado nos mínimos detalhes. Vou repetir: mais de 25% de aumento! Isso não existe em nenhuma negociação vantajosa para… Read more »

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Duvido que um bimotor como o Rafale fique mais barato principalmente de operar. E ja sabemos que comprar apenas não é operar.

E também, vide o Mirage III no Brasil cuja modernização se tornou inviável devido aos custos, comprovado pelo preço que a Índia pagou na modernização de seus Mirage 2000 ….

Mauricio Silva
Visitante
Mauricio Silva

Contratos e especificações são coisas dinâmicas até serem assinados. E aumentos da ordem de 30% do valor são normais, devido a mudanças e atualizações de especificações. Se tudo está bem descrito e justificado, não há por que temer.
Fico pensando nos programas de modernização do A-1 e dos F-5 “jordanianos”. Será que vale a pena seguir em frente com eles?
SDS.

Vader
Visitante
Active Member

Desolée. C’est fini le monde de las Rafalechetes…

🙂

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

Comprar e operar são coisas diferentes. SH e Rafale continuam masi caros de operar do que o Gripen. E nos outros dois não participaríamos em nada no projeto da aeronave nem teríamos acesso tão bom na integração de armamentos.

Fora que o Gripen tem muito mai chances de continuar vendendo (e nós participando dessas vendas como subcontratados) do que os outros bimotores.

O Gripen NG é a escolha sensata. O volume da FAB, como o F-5 é agora. Depois poderemos comprar uma quantidade menor de caças de 5ª geração para servir de ponta de lança da FAB.

eduardo pereira
Visitante
Member
eduardo pereira

Parabens à Fab e a todos os que trabalharam neste projeto F…..tao exaustivo (principalmente pra nós aficcionados por aviação), e que venhão os Grifos !!!

Obs. esperar que após anos de negociação os preços ,independente de acertos tecnologicos, fossem os mesmos é muita inocencia.

Sds.

jairo boppre sobrinho
Visitante
jairo boppre sobrinho

Srs
Tb nao podemos esquecer as variações(para cima) do câmbio.
Abs

Augusto
Visitante
Augusto

eduardo pereira
27 de outubro de 2014 at 13:21 #

“esperar que após anos de negociação os preços ,independente de acertos tecnologicos, fossem os mesmos é muita inocencia.”

Mas não era promessa da SAAB o valor de 4,5 bilhões de dólares e pagamento da primeira parcela quando da entrega da última aeronave?

jairo boppre sobrinho
Visitante
jairo boppre sobrinho

Srs
Quando me refiro a variação de cambio, digo apenas se o aumento for em reais, ou coroas suecas – claro, se o aumento for em dólares não tem sentido, dai é aumento mesmo.
Abs

Franco Ferreira
Visitante
Member
Franco Ferreira

Senhores; Há dezoito anos a FAB vem fazendo sucessivas licitações para adquirir, no mercado internacional, aeronaves de combate e material associado em quantidade julgada necessária pelos estudiosos do Estado-Maior. Faz uns poucos anos criou uma “Comissão Coordenadora do Programa do Avião de Combate”. Em se tratando das aeronaves MRCA, nestas quase duas décadas, pelo menos três vezes, fizeram e estenderam as licitações até o limite permitido pela Resolução 655/TCU Plenário de dezembro de 1995. O DOU de hoje publica o post de Nunão. É um extrato de dispensa de licitação, com o preço aviltado em 1 bilhão de dólares. O… Read more »

Franco Ferreira
Visitante
Member
Franco Ferreira

O Processo mencionado no extrato (67701.013100/2008-35) está extinto desde 2013, nos termos da Resolução 655- TCU-Plenário de dezembro de 1995.

Leonardo Pessoa Dias
Visitante
Leonardo Pessoa Dias

Pessoal, não existe versão para este fato. Pensar que este incremento de 25% é por um motivo escuso deixa claro o nível baixo de confiança no governo, mas é uma coisa legal e simples do comércio internacional. Todo contrato quando é assinado possui uma cláusula de reajuste anual, para compensar coisas como inflação e custos de produção, calculados por uma fórmula alimentada por tabelas geradas pela FGV (no caso de ser no Brasil. Não sei se esse contrato é assinado lá, daí a entidade que emite estes números certamente é outra). E todo contrato também possui uma cláusula temporal, que… Read more »