domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

Torre de novo aeroporto de Natal terá sistemas de gestão da Indra

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Aeroporto São Gonçalo do Amarante - ilustração via Blog do Planalto

Empresa informou a assinatura de um contrato, com o Consórcio Construtor Engeport, para fornecer sistemas de gestão automatizada da torre de controle do aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Em nota, a Indra informou que foi escolhida pela Concessionária Inframérica, através de Concorrência conduzida pelo Consórcio Construtor Engeport, para fornecer sistemas de gestão automatizada da torre de controle do novo aeroporto. O consórcio é responsável pela construção do novo aeroporto internacional de carga e de passageiros na cidade de São Gonçalo do Amarante, região metropolitana de Natal.

O contrato, que converge com o processo de modernização dos aeroportos brasileiros, inclui o fornecimento de cinco sistemas: Estação Integrada de VHS, Sistema de Comunicação de Voz, Sistema Integrado de Torre de Controle, Sistema de Gerenciamento de Torre de Controle e Sistema de Gravação e Reprodução de Áudio.

O projeto incorporará as mais modernas funcionalidades dedicadas à automação das rotinas operacionais típicas de torres de controle, seguindo os mais rígidos padrões internacionais de eficiência e confiabilidade. Ainda segundo a nota, os sistemas da Indra que serão implantados no aeroporto de Natal encontram-se instalados nas torres de controle de alguns dos mais modernos aeroportos do mundo. A empresa é uma das principais multinacionais de consultoria e tecnologia da Europa e América Latina.

Segundo o diretor de Air Traffic Management (ATM) e Aeroportos da Indra no Brasil, Sérgio Martins, trata-se do primeiro projeto da empresa no país para fornecimento deste tipo de solução, área em que a empresa vem conquistando importantes clientes nas últimas décadas. Em 2011 a Indra concluiu a venda de dois radares móveis para a Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA). “Investimos para atender à crescente demanda de modernização aeroportuária que o Brasil tem atualmente, principalmente impulsionado pelos grandes eventos esportivos previstos nos próximos anos”, completa.

O aeroporto de São Gonçalo do Amarante tem previsão de inauguração em Abril 2014, em tempo para a Copa do Mundo. Terá capacidade para atender aproximadamente 6,2 milhões de passageiros quando concluído, se tornando assim o quarto maior hub brasileiro, e o primeiro empreendimento deste porte totalmente administrado pela iniciativa privada.

Pista de São Gonçalo do Amarante -- aeroporto de Natal foto 2 Infraero

Liderança em Gestão de Tráfego Aéreo na América Latina

A Indra fornece sistemas de gestão de tráfego aéreo em todo o mundo, com mais de 3.000 instalações em mais de 140 países. Na América Latina a companhia trabalha há mais de 15 anos fornecendo centros de controle no Uruguai, radares e simuladores de torre. A Indra também mantém uma longa colaboração na Colômbia na modernização de seus sistemas de gestão de tráfego aéreo.

A empresa também informou que trabalha em um ambicioso projeto de modernização tecnológica no Perú e nos aeroportos internacionais argentinos de Ezeiza, em Buenos Aires, e Córdoba. Nesta última cidade equipou o Centro de Instrução, Aperfeiçoamento e Testes para Controladores Aéreos com sistemas de treinamento. Além disso, sua tecnologia gerencia o espaço aéreo dos países da América Central, Guatemala, Belize, Honduras, El Salvador, Costa Rica, Nicarágua, entre outros países da região.

Sobre a Indra

Presente no Brasil desde 1996, a Indra é uma das principais companhias de consultoria e tecnologia do país, sendo também uma das principais multinacionais de consultoria e tecnologia da Europa e América Latina. No Brasil, a empresa conta atualmente com uma equipe de mais de 7.500 profissionais e uma ampla cobertura geográfica através de escritórios distribuídos nos principais estados brasileiros.

A multinacional possui uma oferta diferenciada de soluções e serviços de alto valor agregado que atendem os setores financeiro, energia e utilities, telecomunicações, administração pública e saúde, indústria, transporte e tráfego e segurança e defesa.  Mais de 550 milhões de euros foram investidos pela Indra em P&D nos últimos três anos, cifra que a situa entre as primeiras companhias europeias de seu setor por investimento. Com vendas de aproximadamente 3 bilhões de euros, cerca de 60% das receitas procedem do mercado internacional. Conta com 42.000 profissionais e clientes em 128 países.

DIVULGAÇÃO: CDN

IMAGENS: (obras nas pistas do aeroporto São Gonçalo do Amarante, e ilustração do terminal, em caráter meramente ilustrativo): Infraero e Blog do Planalto

- Advertisement -

5 Comments

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fighting Falcon

Quando será que vão disponbilizar nos demais terminais?
Infraamerica está aqui em Brasília e o aeroporto está um canteiro de obras. Deve ficar muito bom.
Podiam colocar mais voos internacionais saindo daqui, só temos 5!

Guilherme Poggio

Caro Fighting Falcon

Imagino que o número de voos internacionais em Brasília não seja maior pela falta de demanda.

jcsleao

Poggio,
Pela localização de Brasília, o aeroporto poderia ser um hub para vôos internacionais, como já para domésticos (também poderia melhorar). Quem sabe para vôos destinados à América do Norte, Central/Caribe e a parte norte da América do Sul. Com isto poderiam desafogar um pouco Guarulhos/Cumbica.

Guilherme Poggio

Caro jcsleao

Desafogar Guarulhos é sempre uma ótima ideia. Mas insisto na minha pergunta. Será que há demanda para estes voos em Brasília, mesmo que o aeroporto vire um hub?

O que eu vejo é muito voo doméstico sendo feito do Norte/Nordeste para o Sudeste, onde o passageiro troca por um voo internacional e segue para Estados Unidos/Europa. Faria muito mais sentido colocar um hub mais a norte, como no nordeste.

jcsleao

Poggio,
Você tem razão. Este hub no nordeste poderia ser exatamente o aeroporto de S G Amarante do post acima. Mas ainda acho que Brasília poderia contribuir reunindo vôos do Centro-Oeste e mesmo do Sudeste que hoje se concentram em GRU.

Reportagens especiais

Baixa assinatura visual, num trabalho com a nossa assinatura de qualidade

Camuflagem do novo helicóptero da Polícia Militar do Paraná foi criada por Alexandre Galante, editor da revista 'Forças de...
- Advertisement -
- Advertisement -