domingo, maio 9, 2021

Gripen para o Brasil

Futuro brilhante para o Gripen, na visão da Saab e na opinião do Poder Aéreo

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

IMG_0412

vinheta-destaque-aereoMostramos a seguir os slides da apresentação feita no último sábado por Hans Rosén da Saab, sobre o futuro do mercado de caças e as expectativas promissoras de vendas do Gripen.

O caça sueco não foi projetado incialmente para exportação, mas suas características o tornam um vencedor no mercado internacional de caças: baixo custo de aquisição e operação, facilidade de manutenção e total compatibilidade com armas da OTAN.

O F/A-18E/F e o Rafale também foram projetados primariamente para as forças de seus países, mas como nasceram de requisitos operacionais navais, são bimotores, maiores e mais caros. Para a maioria dos países, seu custo é proibitivo.

Devido ao envelhecimento dos caças de 3a. geração, existe uma janela de oportunidade entre 2010 e 2025 para o fornecimento de pelo menos 2.500 caças.

A entrada do Brasil como parceiro da Suécia neste mercado seria bastante oportuna. Os outros concorrentes do F-X2 não terão as mesmas chances de sucesso de exportações.

IMG_0389

IMG_0391

LEIA TAMBÉM:

- Advertisement -

76 Comments

Subscribe
Notify of
guest
76 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

A verdade é a seguinte: excetuando-se EUA, Rússia, China e, talvez, França, a partir de 2020, quem não for de F-35, T-50 (?), algum lixo chinês, ou ficar no retrofit de velharias, irá de Gripen.

Porque? Simples: é o “bom e barato”. Como foi o F-5 pro ocidente, ou o MiG-21 pro oriente no cenário da Guerra Fria.

E caras, se a SAAB ganhar só 30% do que ela projeta, já é caça pra caramba.

Sds.

ZE

Só para completar, o MMRCA (o F-X2 indiano) tem como um dos seus principais REQUISITOS, o ME-NOR PRE-ÇO.

Assim sendo, digam adeus ao Rafale no MMRCA.

[ ]s

Roberto F Santana

Caro Alexandre,
Duas humildes sugestões que penso, apoiam o Destaque.
O texto que sugeri no post passado.
Vale a tradução.

E abrir um debate sobre a mais nova aquisição da Venezuela (Su-35).
É isso? Ou cheguei atrasado?
Já foi comentado?

Antonio M

E se a SAAB obtiver encomendas do Gripen Naval por Índia e Brasil, aí o mercado pega fogo!!!

ZE

Roberto F Santana disse:
17 de junho de 2010 às 12:16

Caro Roberto, eu não diria atrasado, mas equivocado.

NÃO existe nenhuma compra, por parte da Venezuela, de SU-35.

Junto com a Argentina, a Venezuela tem a maior possibilidade de quebrar, assim dando calote em seus credores internacionais.

O CDS da Venezuela está nas alturas.

O que existe é uma linha de crédito russa que, para ser exercitada, a Venezuela deverá dar garantias, porém ela não as têm.

[ ]s

Wilson Giordani de Souza

Observar no slide intitulado “american/asian opportunities”, no bloco referente ao Brasil: “Presidential Decision June 2010 (?)”. Assim, com “?” mesmo.

Roberto F Santana

Obrigado, ZE.
Mas se confirmar, vou passar a chamar Hugo Chaves de senhor Hugo Chaves.

Fernando "Nunão" De Martini

Mais uma matéria de puro marketing da Saab, tsc tsc.

(achei por bem ser o primeiro a escrever isso – justamente porque é isso mesmo que está em discussão na matéria – o marketing da Saab para o Gripen, suas possibilidades, o acerto ou não dessas projeções etc)

CAL

Alguém tem os desenhos dos projetos do ng e do c/d para colocar lado a lado, assim poderiamos ver as diferenças de dimensão entre eles.

Fernando "Nunão" De Martini

CAL, as dimensões externas da fuselagem são as mesmas.
Mudou a posição do trem de pouso, que antes recolhia para a fuselagem, agora para carenagens na junção asa / fuselagem.

Essas duas imagens podem ajudar, mas vou procurar por outras publicadas por aqui:

http://taiwanbbs.org/main/uploads/ng_jas39_01_5463.jpg

https://www.aerospaceweb.org/aircraft/fighter/gripen/gripen_schem_01.jpg

grifo

Mais uma matéria de puro marketing da Saab, tsc tsc.

E nem a Suécia aposta no modelo, não existe NG apenas Demo, o radar só fica pronto em 2050, o governo já decidiu e só falta anunciar.

Pronto, já economizamos o trabalho para os rafaletes.

Fernando "Nunão" De Martini

Eheheh, Grifo, a intenção não foi exatamente essa, de economizar o trabalho alheio (estou só tirando uma onda com a guerra de torcidas que costuma rolar aqui…)

Na real, o que sugiro é justamente sair dessa argumentação e discutir essas projeções do marketing, que na opinião do Blog fazem sentido em muitos aspectos, como projeções.

Fernando "Nunão" De Martini

CAL, complementando as ilustrações anteriores com uma que saiu aqui no Blog, mostrando a configuração do trem de pouso do NG e a nova disposição de pilones, numa asa que aparentemente já projeta as modificações que serão incorporadas:

http://www.aereo.jor.br/2010/04/08/carta-da-ciesp-aberta-a-nacao/

ZE

Roberto, No ano passado (2009), o PIB da Venezuela CAIU 3%. Esse ano (2010), o PIB deles deverá CAIR outros 4,8%. A inflação decolou (o SU-35, não. Mas a INFLAÇÃO, sim). Ela deve chegar à 20%. Como você deve saber, a inflação devora o poder de compra da população, criando agitação social. Se eu fosse o DITADOR Chávez, antes de comprar qualquer coisa (até porque ele não tem dinheiro, nem garantias para dar aos Russos), eu trataria de colocar a economia do país em ordem. OBS: não se preocupe, não. Você não vai chamar o Chávez de Senhor, mas sim… Read more »

Antonio M

E essa configuração do trem de pouso do NG para dentro de carenagens nas asas, influencia positiva/negativamente na instalação do gancho em sua eventual versão naval ?

Hornet

Quem não for de F-35, Rafale e Typhoon (quase toda a Europa, exceto a Suécia, e mais o Brasil que vai de Rafale e a maioria dos países árabes, que se dividem entre equipamentos franceses, do consórcio do Typhoon e americanos), de SU-35/T-50 (Russia, India, Venezuela, alguns países que tradicionalmente usam equipamentos russos, tanto na Ásia como na África, países alinhados com este bloco), quem não for de caças chineses (como a própria China, por exemplo, o que não é pouca coisa), quem não for aliado estratégico dos EUA (tipo Israel, Austrália, Japão etc.), quem não se interessar pelos F-15… Read more »

Roberto F Santana

ZE,
Eu disse senhor e não Senhor, este só Deus.
De fato é um ditador.Mas um nação que obriga seus cidadãos a votar, não fica longe.
Essas loucuras às vezes acontecem justamente num quadro social que você bem apresentou.
Quer rir um pouco? veja isso:

http://www.youtube.com/watch?v=nqtsVncJ1mQ

Repare no audio inicial.

Alexandre Galante

Hornet, ok, qual o futuro de exportações do Rafale? Quantos países operam o Rafale além da França? Quantas concorrências já venceu?

Qual o brilhante potencial de exportação do Rafale para a América do Sul, Ásia e África?

Só não vê quem não quer…

Guilherme Poggio

Este estudo de mercado da Saab lembra muito o estudo que a Embraer fez para avaliar as possibilidades do KC-390. Existe um número “x” de aviões espalhados por “y” países e que serão substituídos em “n” anos. E da mesma forma que o C-130 (na sua versão mais atualizada) continua ganhando mercado no seu nicho, nada impede que o F-16 (na sua versão modernizada) continue também. O maior rival do Gripen NG poderá ser o F-16 block qualquer coisa. PS: Na minha opinião o primeiro cliente de Rafale, não será nem Brasil nem Índia, mas sim algum país do Oriente… Read more »

Hornet

Galante,

vejo como sendo da mesma ordem do NG. Nada de brilhante. Se conseguir vender para um ou dois países já será muito. Com a vantagem que o Rafale já é operado pela França e será pelo Brasil.

Rafale 2 X 0 NG…

Placar real do momento.

abração

João

Precisamos do FX2 pra participar do desenvolvimento do Gripen? O FX2 já era (não sai mais esse ano)!

Roberto F Santana

Voltando ao tópico:
Críticas:
A Saab tomando em conta todos os países ,exemplo América Latina e Caribe, já derrapa na primeira curva.
Qual é a probabilidade do Suriname comprar o Gripen?
Segundo Quadro:
Mercado acessível entre 2010 e 2025?
O que o Mig-15,Mig-17,Mig-19 estão fazendo aí?

volto…

Alexandre Galante

Hahaha, Hornet:

Gripen 5 x 0 Rafale.

Vader

Hehehe, Galante, é que você não é um “insider” e não tá sabendo da coisa toda: o Zimbábue anunciou recentemente que vai adquirir 150 Rafale F3. Assim igualmente o Paraguai, com 80 unidades, o Uruguai com 100, e Los Hermanos com 200. E nem te falo, mas Mianmar vai comprar uns 200 F3, mais uns 35 M, pra equipar seu novíssimo NAe…

Tudo isso porque ele é muito “balato”… 🙂

ZE

Ainda melhor, Roberto.

Assim, você continuará chamando D’us de Senhor e o Chávez de DITADOR.

Se eles não abrirem o olho já, logo eles não terão nem dinheiro para a manutenção de suas Forças Armadas (incluindo os Sukhoi que possuem).

Ainda melhor.

[ ]s

Hornet

Em tempo: vejo mais possiblidades da SAAB exportar caças C/D que NG. países que já compraram o Gripen são países geograficamente pequenos, não precisam tanto de maior autonomia, que seria o “trunfo” do NG. Basta fazer como a Suécia está fazendo, modernizar a eletrônica do C/D que se tem um caça eficaz e sem precisar entrar em risco com o desenvolvimento do NG. O NG, na minha opinião, foi um tiro no próprio pé que a SAAB deu. O momento de se desenvolver caças de 4,5 geração já passou. A questão agora é melhorar os 4,5 geração que já existem… Read more »

Alexandre Galante

Hornet, vc tá por fora do NG. A Suécia precisa dele.

Tiro no pé é o Brasil comprar o Rafale.

Roberto F Santana

Break para o humor,
Vocês já viram o Bob Hoover no KC-10?

http://www.airliners.net/photo/USA—Air/McDonnell-Douglas-KC-10A/1724855/L/

grifo

Eu veria como mercado potencial qualquer nação não totalmente alinhada com EUA ou Rússia que queira um caça multirole bbb (bom, bonito e barato). Isto vai desde antigos clientes russos de Mig 21/23 como Índia e países da Europa oriental, a países ocidentais que não tenham bala na agulha ou inclinação política para entrar no F-35, como Brasil, África do Sul, México ou Argentina. São os atuais clientes de F-5 ou Mirage III. Também acho que o maior concorrente do Gripen NG é o F-16, de primeira ou segunda mão. Vamos ver muita gente simplesmente modernizando células existentes com nova… Read more »

ZE

Por falar em engraçado, o que mais me matou de rir por parte da Dassault, foi que eles se comprometeram a colocar em contrato que o Brasil teria o mercado da América Latina para o Rafale. Pô, qual é o país rico, com grande população que irá comprar o Rafale na América Latina. Só tem país pequeno, pobre, ou endividado na América Latina. Se nem o Brasil tem condições de comprar o Rafale, quem dirá o Haiti, Bolívia, Honduras, Suriname, Guatemala, Panamá… Outra coisa engraçada, iríamos “exportar” CKDs (kits vindo da França) para esses países da América Latina. É o… Read more »

ZE

Eu realmente me divirto nesse blog.

[ ]s

Alexandre Galante

Zé, pois é, essa do Brasil exportar o Rafale para a América Latina foi o fim da picada. Talvez o Paraguai queira…

Guilherme Poggio

Hornet escreveu:

Rafale 2 X 0 NG…

Placar real do momento.

Hornet, sendo honesto o placar está 0x0. Nem a Força Aérea da França está usando o F3 com AESA e nem a Força Aérea da Suécia está usando o NG.

Ou se você preferir está 1×1, pois ambas se comprometeram a comprar os respectivos aviões.

Também pode optar pelo placar 5×1 comparando todos os usuários de Gripen com todos os usuários de Rafale.

Ou seja, fica por conta do freguês. Cada um escolhe a sua comparação. Se é laranja com abacaxi, uva com limão, etc.

Abraços

Ivan

Grifo, Realmente o grande concorrente dos Gripen é os F-16. Mas em ordem inversa, primeiro os usados MLU e em seguida os novos. Ao menos é o que se esperava. A previsão é que iria sobrar FighterFalcon usado quando o F-35 Lightning II entrasse em operação. Contudo, com o atraso do programa JSF, há a possibilidade dos operadores de F-16 necessitarem dos mesmos até o osso. Um detalhe apenas. Nossa ótica é pelos caças ocidentais. Mas o mundo está globalizado, mudou muito. Talvez tenhamos que desviar um pouco o olhar para o oriente, com J-10, JF-17 e outros, talvez menos… Read more »

Roberto F Santana

Gostaria de saber de Alexandre Galante se,
durante a apresentação alguém questionou os números, comfrontou os dados com a crise atual na Europa,etc.
Houve alguma
ponderação nesse sentido?
Ou seja, tinha algum chato lá?

Alexandre Galante

Roberto, tinha muitos chatos. Sim, tudo isso foi levantado. Mas a Saab está confiante, já que conseguiu 4 clientes de exportação, desde que começou a concorrer com o avião.

Antonio M

Defensores do Rafale, falando mal da venda de outros caças?!!?!?

Isso aqui está ficando surreal !! rsrsrsrsr!!!

ZE

Há um outro meio de ver o placar Gripen NG X Rafale. O Gripen NG tem 50% de comunalidade com o Gripen C/D. Este já tem mais de 225 aeronaves produzidas. Deste modo, o Gripen NG já nasce com ESCALA. O motor do Gripen NG é o F-414 (o mesmo que equipa o Super Hornet e o Growler), com mais de 1.000 exemplares já construídos. No ano chave para o F-X2 (ano de 2015), haverá 539 Super Hornet e Growler (todos usando o mesmo motor do Gripen NG, o F-414). Nesse mesmo ano, SÓ 1 (UM) RAFALE SERÁ CONSTRUÍDO !!!!!!!… Read more »

Ivan

Guilherme Poggio, Para comparar tem que ter radar AESA, HMD e Datalink. Não vou cobrar supercruise em homenagem aos amigos rafalemaníacos… O placar então é 0 x 0 mesmo. Contudo, lembro aos incautos que duas empresas americanas já venderam aeronaves com radar AESA, HMD, Datalink e Supercruise (mesmo que marginal). Quais: 1ª) Lockheed/Martin F-16 E/F Desert Falcon; com 01 gol; 2ª) Boeing F-18 E/F Super Hornet. com 02 tentos marcados. Sou gripeiro, mas reconheço o avanço tecnológico americano… Então como ficaria o placar? Rafale ……………….. 0; Gripen ………………. 0; Desert Falcon …….. 1; Super Hornet ……… 2. Abç, Ivan, o… Read more »

ZE

Galante, você perguntou qual dos 2 caças passaram no teste em Leh ?

[ ]s

ZE

Quero dizer, os dois que passaram (dentre os 6 caças).

Roberto F Santana

Amigo Hornet,
Gostaria de saber qual é linha que divide o 4.0 e o 4.5 (geração).
Dá uma olhada nisso:
http://www.lockheedmartin.com/products/f16/f16in/index.html

F-16IN 4ª geração, honesto ? Ou merecia uma promoção?

Ivan

ZE,

Ou vc escreve muito rápido ou já tem os arquivos de texto prontos para usar Ctrl C e Ctrl V… Putz, que velociade.

Já estou até decorando os números.

Mas o melhor é que vc tem razão…

Grande abraço,
Ivan.

Ivan

Bosco,

Cadê vc?

Levantei a bola para o seu Super Hornet, agora vc precisa aparecer para o jogo…

Abç,
Ivan.

Alexandre Galante

Sim Zé, mas não souberam com certeza. Mas provavelmente os que passaram foram o F-18 e o Gripen NG.

Ivan

Galante,

E o F-16 IN ?
Certamente tem potência suficiente.

Ivan.

Alexandre Galante

Ivan, também, é verdade. Mas chuto os que têm o mesmo motor…rs

ZE

Muito obrigado, Ivan.

Eu até já escrevi um grande post direcionado a você (faz uns 2 meses) !!!

Era sobre a crise econômica: Option Arms, Alt-A, quantitative easing…

Como você bem sabe, eu não tenho 3 nicks.

[ ]s

ZE

off topic:

Sugestão de leitura. Estou acabando o novo livro do Roubini

Crisis Economics: A crash course in the future of finance.

Creio que já tem em Português.

[ ]s

ZE

Alexandre Galante disse:
17 de junho de 2010 às 14:16

“Zé, pois é, essa do Brasil exportar o Rafale para a América Latina foi o fim da picada. Talvez o Paraguai queira…”

O Paraguai….

Ihhhhh !!!!

Galante, agora você me deixou com medo, com muito medo.

[ ]s

Roberto F Santana

Ele está falando do Rafale 1/48 da Revell.

Reportagens especiais

Caça Saab JAS 39E Gripen: sistemas de guerra eletrônica e radar AESA

O programa Gripen NG que formará a base para a futura família de caças JAS 39E/F que entrará em...
- Advertisement -
- Advertisement -