Home Sistemas de Armas Quanto custará o Rafale para o contribuinte brasileiro?

Quanto custará o Rafale para o contribuinte brasileiro?

756
75

Em 2006, o Rafale era 10 vezes mais caro de voar que o F-5

vinheta-destaque-aereoComo já foi amplamente divulgado, os preços dos concorrentes do Programa F-X2 não podem ser revelados, até que o vencedor seja definido. Mas informações disponíveis em algumas fontes podem nos ajudar a estimar com alguma precisão o preço unitário dos caças, com base em contratos firmados anteriormente e de conhecimento público.

O Rafale, favorito do governo brasileiro e considerado o mais caro dos três concorrentes, tem números impressionantes.

Segundo documento da Assemblée Nationale de 2007, o custo unitário do Rafale seria:

  • 52,8 milhões de Euros para o Rafale C
  • €56,6 milhões pelo Rafale B
  • €60,8 milhões pelo Rafale M

Por inferência, cada Rafale C custaria em torno de R$ 132 milhões a unidade (com Euro  à cotação de R$2,50). Para adquirir 36 aeronaves, o Brasil pagaria em torno de R$ 4,8 bilhões, sem incluir armamentos e transferência de tecnologia, o que certamente elevará o valor final.

Outro documento do Senado Francês estima o custo total de desenvolvimento do Rafale, em 2008, de €39,6 bilhões (R$ 99 bilhões). O custo unitário do Rafale é apresentado variando entre €64 e €70 milhões a unidade (R$ 160 e R$ 175 milhões), dependendo da versão.

Do custo total de pesquisa e desenvolvimento (P & D), 25% foi pago pelas indústrias (Dassault/Thales/Snecma) e 75% pelo Estado Francês (leia-se, contribuinte francês).

Mais um documento da Assemblée Nationale revela que o custo operacional do Rafale é de 12 a 13% superior ao do Mirage 2000, o que é considerado um bom número, já que o Rafale é bimotor e mais sofisticado.

O custo da hora de voo do Rafale M, em 2006, era de € 35.000 (R$ 87.500) e espera-se reduzir esse custo para € 12.000 (R$ 30.000). Como comparação, temos o custo da hora de voo do F-5 usado pela FAB, segundo o EMAER, que era de US$ 4.251,21 (R$ 7.400) em 2006.

Como se pode verificar, a eventual aquisição do Rafale para a FAB demandará recursos bastante elevados e que estão bem fora da realidade da Força. Se o Governo vier mesmo a optar pelo caça francês, terá de aumentar sensivelmente o aporte de recursos para a FAB nos próximos anos, para que os aviões tenham um nível de operacionalidade adequado.

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
75 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MOKITI
MOKITI
11 anos atrás

Se a frança transferir mesmo grande parte do conhecimento do Rafale para o Brasil como prometido pelo governo da frança,vejo como uma grande oportunidade pois estariamos adquirindo conhecimento e tecnologia do segundo melhor caça do Ocidente,quanto gastariamos para adquirir as tecnologias prometidas,e depois teriamos que gastar na fabricação,acho um excelente négocio,o grippen tb é uma oportunidade boa mas ai entra as possíveis restrições americanos,não sou antiamericano apenas tenho o pé atras com ele,se em 2008 eles n~~ao quiseram passar informações sobre o F-5,porque passariam informações completas do F18,será que dentro dessas informações não teria uma bomba Lógica na parte de… Read more »

athalyba
11 anos atrás

O custo mencionado da aeronave (média R$ 140 milhas) deve incluir a famosa TT, blz … O pacote de conhecimentos a ser absorvido por instituições e empresas ao longo dos próximos 15 anos vale o preço pago, sem dúvida nenhuma. Tem muita coisa embutido nesse preço … Falta agora mensurar o custo dos armamentos e sua integração no vetor. Sobre a verba para a força manter o caça: essa é uma luta pós resultado. Mas não creio que que a FAB passe penúria maior do que passa hoje por causa do Rafale. Pelo menos, não muita (rs) Talvez seja o… Read more »

rodrigo avelar
rodrigo avelar
11 anos atrás

o RAFALE é o melhor caça dos 3, não tem perigos de restrições americanas, não tem perigo do avião durar muito tempo pra ser feito pq ele já existe, pode operar no A-12 logo haveria uma integração da FAB com a MB, e a França é a nossa maior parceira; com tudo isso não vejo o pq vcs não querem o RAFALE. A é o preço? é o que se deve pagar por um bom equipamento.

Abraços a todos e feliz ano novo

MarceloRJ
MarceloRJ
11 anos atrás

Se quisermos adquirir e aprender a fazer o melhor caça da 4,5 gerações, existe um preço para isso e não poderemos nos basear pelo que temos hj. Este será o preço da evolução, ou continuaremos na mediocridade de hj achando que estamos arrebentando.
Feliz 2010 para todos

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Estes números são desanimadores. No final das contas o FX2 apresenta três candidatos que não cumprem a contento os requisitos do Programa. F18 E/F – Super Hornet – Principal vetor da USNavy, porém com sérias dúvidas sobre acesso a sua tecnologia. Depende do humor do Senado Americano. Se fosse compra de prateleira seria o ideal. Tipo dispare e esqueça. A Boeing fala TT necessária e o COPAC fala em transferência de tecnologia irrestrita. SAAB Gripen NG Brasil – Custo de operação menor de todos, pois as características do projeto são de uma plataforma menor de combate. Custo do Upgrade do… Read more »

Klevston Kvowster
11 anos atrás

Estamos pensando no futuro,não adianta nada adquirirmos um Gripen, que é uma salada e poderá ter sua tecnologia embargada no futuro, ainda mais é um caça que está no papel, precisamos pensar no futuro e também no agora, o quanto mais tivermos um ótimo equipamento em nossa Força Aérea é melhor, não adianta ficarmos esperando ser atacados por alguém, para tomarmos nossas medidas, numa real guerra, temos que estar preparados, todo mundo está de olho no Pre-Sal, e para isto temos que agir mais rapidamente, O Gripen seria uma aposta duvidosa, para muito longe, o F 18 Super Hornet é… Read more »

Leigo
Leigo
11 anos atrás

Se o governo não aumentar, consideravelmente, o aporte da aeronáutica, o Rafale vai se transformar em uma bela rainha do hangar.

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Infelizmente, eu estou apostando no cancelamento do FX2, não agora em Janeiro. O que pode acontecer é o FX2 ser ganho pelo Rafale, os termos do contrato serem negociados durante o ano de 2010 e por falta de recursos ser cancelado na seqüência, mas assim o Lula e o Jobim não teriam um revés no ano eleitoral. A decisão pelo cancelamento seria do próximo Governo, com o Lula fez com o FX1. O risco é enorme de ocorrer esta seqüência de fatos. A justificativa oficial seria algum problema no contrato, ou coisa e tal. Assim sendo a FAB se encaminharia… Read more »

Flanker
Flanker
11 anos atrás

http://www.impostometro.com.br/

Antes gastar em Defesa do que deixar os corruptos fazerem a festa.

MOKITI
MOKITI
11 anos atrás

Gente esses custos do Rfale vão diminuir quando haver uma maior nacionalização de seus componetes,a começar pelo custo da mão de obra envolvida na manutenção,o Rafale é a melhor compra,só não seria se houvesse o Sukkoi 35mb,SUkkoi 47 Berkut oi ainda o lendário F-22.

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Vixe! Até o Blog passou a ver a Defesa como custo e não investimento! Que coisa! Onde chegamos, hein?!!! O FX2, assim como os subs etc., são investimentos em tecnologia e em soberania. E depois também tem outra: quem pensa em não gastar mais do que gasta hoje em Defesa, então é melhor desistir de querer investir em equipamentos sofisticados. Apenas acho que o orçamento futuro das FAs precisa ser aumentado de forma planejada e gradativa, e de acordo com os equipamentos que usa. A MB, por exemplo, terá um gasto maior do que tem hoje com o sub nuc,… Read more »

Klevston Kvowster
11 anos atrás

MOKITI
Você tem razão! Eu fico pensando o seguinte: o que seria melhor? Os custos de um dos melhores caças existentes no mundo de hoje (Rafale)ou termos que pagar mais caro por um país atacasse o nosso Brasil, temos que prevenir é melhor do que remediar, é melhor ser previdente do que pagar para ver depois. Um país destruido vai ficar o resto da vida chorando uma independência.Então prevenir é melhor e isso tem que ser o mais rápido possível.Rafale já….

FelipeTP
FelipeTP
11 anos atrás

Estaremos dando o pulo do gato. Enquanto a Índia compra 280 Su-30 com construção local e certa transferência de tecnologia, o FX-2 será a nossa salvação com apenas 36 aeronaves inicias e sem garantia de novas compras!

Viva!

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

Com qualquer um dos tres caças, o custo de manutenção para FAB será muito superior aos do F5 E/F. O custo de manutenção dos F5-M são muito superiores aos dos sem moderninação. A Aeroeletrônica é contratada só para manutenção da parte eletrônica. Antes, pela simplicidade das aeronaves, não tinha esses custos. Imagina só uma aeronave nova, com motores e sistemas de última geração, quanto será esse custo. Quanto aos custos do Gripen, que ninguem sabe oficialmente, até a FAB e outros possíveis operadores já não acreditam que são os divulgados. outro fato importante é que isso só vai começar a… Read more »

Vplemes
Vplemes
11 anos atrás

Amigos, pelo andar da carruagem, eu creio que só existem duas hipóteses atualmente. Ou dá rafale, ou o governo empurra a decisão para o próximo governo. E por que isso? Acredito que a decisão politica a favor do rafale já tenha sido tomada, mas a questão do preço do pacote e do valor da hora voada, mais a falta de interesse da Dassault em ToT “irrestrita” estão emperrando o andar da carruagem. O preço de R$ 140.000.000 falado na reportagem, se refere ao valor “seco”, sem pacote de armamentos, sem peças de reposição, sem “ToT”, sem um monte de coisas.… Read more »

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Robson Br, aproveitando o gancho de seu comentário: esse revanchismo está mais na mídia (imprensa, ou como queira chamar) que na realidade. Revanchismo por parte de quem? Não dá pra entender isso. O atual governo, a começar pelo presidente e pela candidata a presidente, está cheio de pessoas que combateram a ditadura militar. E pelo o que me consta, foi o governo democrático (pós-ditadura) que mais investiu nas FAs e que criou um norte a ser seguido, com a END. E por parte dos militares, é mais ou menos como vc falou: os que fizeram parte da ditadura ou já… Read more »

MOKITI
MOKITI
11 anos atrás

Eu vejo o seguinte na oferta francesa,posso até estar enganado,hoje o mundo caminha para a bipolaridade,igual nos moldes do fim da segunda guerra,é só ver as declarações do próprio Obama em relaçao a China,o que a França quer é ser uma terceira via junto com o Brasil a Bipolariade entre Estados Unidos e China,Nenhum se o Brasil souber aproveitar e se realmente as relações internacionais se caminharem para a bipolaridade o brasil pode através da frança construir uma aliança com os princiais países europeus outro país da europa que começa a ensaiar uma aproximação tímida mais forte é a Inglaterra,tímida… Read more »

jc
jc
11 anos atrás

Do Radar Online: Entrou areia grossa na bilionária compra dos 36 caças Rafale, produzidos pela França. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, tem dito aos mais próximos que o comando da Aeronáutica se decidiu pelos caças suecos, fabricados pela Gripen – recusando-se, assim, a chancelar o negócio com os franceses, como deseja Lula. Nessas conversas, Jobim admite que, quando deixar o ministério, em abril, nenhuma solução terá sido dada. Observar a mancada da troca de SAAB para Gripen. Po, eu quero eh o F18…mas ainda acho q os ex terroristas e sindicalistas darao um jeito de comprar o Rafale, nao… Read more »

MichelLineker
MichelLineker
11 anos atrás

Se 36 Rafales forem caro demais pro BRASIL o certo é fazer igual a nova zelandia.Ou não vamos ser uma grande economia?

Ronaldo
Ronaldo
11 anos atrás

Fico feliz que o blog abriu os comentarios para os não-membros, acho que vai enriquecer o debate. E quanto aos custo, é o preço do progresso, pergunte aos russos quanto ja gastaram desde de que fizerão o 1° avião ate os vetores ultra-modernos de hoje, e aos EUA, França…etc. Perguntem tambem quanto não gastaram pra desenvolver armas nucleares, foguetes…etc. Entendam, estamos numa corrida de 100 metros e começaremos a 200 metros atras da linha de largada, por falta de visão que tinhamos no passado. Se acham caro o preço de um vetor desses, não veremos a cor de um caça… Read more »

MarceloRJ
MarceloRJ
11 anos atrás

O que seria mais barato de se manter:

Fusca 82

ou

Volvo XC60 – 2010 ?

Tai a diferença.

Se quer ter algo top, pague por isso.

Happy new years!

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Hornet e Pessoal, a grande sacada do FX2 está mesmo na capacitação técnica dos Centros de Pesquisa e Indústrias Aeroespaciais Nacionais. E o contrato com a empresa ganhadora do FX2 deve estabelecer critérios de acompanhamento da evolução destas transferências, metas, multas para atraso, e um objetivo claro no final do processo. Lembro que a Embraer é uma indústria privada hoje, com capital na Bovespa e Wall Street, portanto alguma contra partida deve ser cobrada pelo Governo a estas indústrias e Centro de Pesquisas. Chega desta história de pesquisa a fundo perdido no País. Se não for para ter este ganho… Read more »

Nick
Nick
11 anos atrás

Na minha visão, Qualquer dos 3 caças darão algum poder de dissuação a nivel regional, mas não nessas quantidades. Como bem colocou o Wolfpack ae em cima, todos os tres tem prós e contras. E sinceramente os três estarão obsoletos ou melhor dizendo, defasados tecnologicamente com a entrada massiva de caças de quinta geração a partir de 2020-25. Acharia melhor agora um caça tampão para operar até 2025, e ao mesmo tempo o desenvovimento em conjunto com alguma industria/pais de um projeto de 5ª geração. Poderia ser a Suecia/Saab com um Gripen NG Sthealt(perdoem se não estiver escrito corretamente), o… Read more »

RodrigoBR
RodrigoBR
11 anos atrás

A questão não é quanta custa… As questões são: 1) Quando a aeronave decolar em um conflito ela vai vai ser capaz de vencer??? 2) A aeronave vai gerar DISSUASÃO??? 3) A aeronave escolhida vai gerar absorção/geração de tecnologia nacional que poderá ser aproveitada até em outras áreas, até mesmo na esfera civil??? 4) A aeronave escolhida vai gerar a tão sonhada “Padronização” entre a FAB e a MB??? Mesma escola básica de pilotos, mecânicos, técnicos, peças de reposição, ARMAMENTOS(inclusive integração com arm. nacionais com TT), EMPRESAS FORNECEDORAS DE PEÇAS E SERVIÇOS(de preferência nacionais), etc que gerarão GRANDE ECONOMIA para… Read more »

Vplemes
Vplemes
11 anos atrás

O Lula e o Jobim só não bateram o martelo a favor do rafale pelos seguintes motivos: 01- O Marido da Carlinha prometeu ToT “irrestrita” e preço mais baixo. Mas a Dassault, e os outros participantes do consórcio que controi o rafale não estão interessados em baixar preço e transferir sua tecnologia a preço de banana. 02 – A FAB não quer nem ouvir falar de produtos franceses. Ela já esta para lá de escaldada com o pós-venda, e os preços de upgrades dos equipamentos franceses. Ela prefere, em 1º lugar o gripen, e em 2º lugar o F/A 18.… Read more »

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

O problema Rodrigo BR é que esta dissuasão não virá somente como o resultado do FX2, os SNB da Marinha e ou os Guaranis do EB, é um conjunto muito mais amplo que passa pelo profissionalismo nas três forças, solução do problema crônico de pensão e reserva nas Três Forças e por ai vai. Fizemos o END, mas ainda não existe um pensamento comum convergente das três Forças, algo desenvolvimentista. O FX2, os Guaranis e o SNB são no meu ponto de vista algo muito puntual.
Abs

André Castro
André Castro
11 anos atrás

Uma coisa é certa , independentemente da escolha vamos passar o ano inteiro vendo o governo sendo bombardeado pela mídia e pelos partidos de oposição ,sobre a escolha muitos questionando se foi a escolha correta dizendo que W era melhor que X e vice versa ,ainda mais em ano eleitoral ,sabe se que em muitos países compra de equipamentos militares influenciam nas eleições ,só esperar para ver qual vai ser a escolha do Brasil e suas possíveis conseqüências. Sobre o impacto no orçamento da FAB se o Rafale for o escolhido , dinheiro ( orçamento do ano que vem +-… Read more »

Flanker
Flanker
11 anos atrás

Por qual motivo os Sukhoi foramd esclassificados?

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Wolfpack, pois é meu amigo. Aí é que está a questão toda e que pelo visto muitos (incluindo a imprensa que, ou não entende porque é burra, ou se finge de morta ou sei lá) não entendem: o FX2 é investimento em tecnologia. Basicamente isso. Ou se faz esse investimento direito ou não se faz. Não adianta ficar com esse papo que tal caça é mais barato, o outro é isso ou aquilo. Quem apresenta uma garantia mínima que a TT poderá se dar ao longo dos próximos 10-15 anos sem interrupção e sem as variações de homores do Congresso… Read more »

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Flanker em 31 dez, 2009 às 15:42

a posição oficial da FAB é: não se predispôs a trasnferir tecnologia.

essa é a posição oficial da FAB. Mas sei lá…

abraços

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Robson Br,

na minha opinição vc traçou muito bem os pontos que importam no FX2. Especialmente a questão da TT, nacionalização e padronização dos meios (o que inclui a MB, no futuro), além do importante aspecto geopolítico, de parceria mesmo (entre países).

é isso aí.

abração

FelipeTP
FelipeTP
11 anos atrás

Será que a desclassificação russa não foi justamente para não por o Rafale em cheque-mate? (diferente de muitos que acham que foi pressão política americana)

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Wolfpack, só pra concluir meu raciocínio: se o FX2 não for assinado neste governo, não sai nunca mais. E aí meu amigo, a FAB terá que se virar com o que tem por muito tempo. Pois mesmo que o próximo (ou próximos) governo(s) resolvam reabrir o “FX” (qualquer número), vai mais um século e pra tomar a decisão, mais um século (isso se tomar, pois na gestão anterior ficamos mais de 6 anos na embromation do FX e não se decidiu nada). Então eu vejo assim: é agora ou nunca. Ou se decide essa geringonça agora, ou então a FAB… Read more »

Vplemes
Vplemes
11 anos atrás

Fico vendo alguns dos colegas falando de transferencia de tecnologia, de fabricação de caças no Brasil e coisas do gênero. Gostaria de ser tão otimista como vocês, mas infelizmente sou muito pé no chão para isso. Não consigo imaginar uma empresa como a Dassault, depois de gastar quase duas décadas e vários bilhões de euros no desenvolvimento de um caça (sem contar nos outros parceiros do consórcio: Thales, Snecma, etc…), e sem mais nem menos resolverem transferir toda a tecnologia desenvolvida a duras penas, para um país como o Brasil. Principalmente quando se lembra que a quantidade de vetores a… Read more »

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Vplemes

eu poderia retomar toda a discussão que se fez sobre TT, mas iria demorar muito.

Vou responder de outro modo pra vc: a Dassault não tem muitas alternativas. Ou vende o Rafale para nós, da forma como estamos negociando, ou então seus diretores terão muito o que explicar para os acionistas da empresa.

Como é que vcs deixaram a empresa falir? Vcs estavam louco!!! O que custava vender os caças ao Brasil e lucrar depois na Índia, nos EAU e no Kuwait? Bando de burros!…hehe

abraços

Flanker
Flanker
11 anos atrás

Pois é Vplemes, brasileiro gosta das coisas muito fáceis (modo de falar, não estou generalizando). Os caras tiveram o trabalho de desenvolver a tecnologia toda e construir o avião, agora o Brasil cogita a possibilidade de comprar 36 vetores (Nossa! Quanta aeronave!) e quer que a tecnologia seja transferida de brinde.

bulldog
bulldog
11 anos atrás

Feliz 2010 para todos do blog!

lembrem-se que a própria Dassault afirmou que o 36º Rafale já teria 50% de componentes brasileiros…logo ESSE 36º caça e outros antes dele, progressivamente, não custará (ão) R$ 132 milhões. Esse é o preço do primeiros feitos na França, certo? E a hora de voo mostrada é do Rafale M (os navais custam mais mesmo em h/voo) duvido que uma aeronave 50% nacional tenha R$ 87.000 de hora/voo.

abço!

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Flanker,

é como eu disse ao amigo Vplemes, existiu toda uma discussão no blog sobre TT, não sei se vc acompanhou.

Acho que não acompanhou, pois se tivesse acomapnhado saberia que a TT não vem de brinde. E saberia que numa parceria como estamos propondo, os dois lados saem ganhando, pois a idéia é desenvolver ainda mais o Rafale depois, em conjunto. Entre outras coisas mais, que não vem ao caso retomar aqui. A Dassault não é uma instituição de caridade e nem o Brasil é um parceiro dispensável do ponto de vista de negócios ($$$).

forte abraço

A-Bomb
A-Bomb
11 anos atrás

Estou começando a achar que infelizmente o F-X2 ja era. Se o governo optar pelos caros Rafinhas vai dar munição a oposição. Vai ser difícil explicar , principalmente ao povão, o porque da escolha de um caça tão mais caro que os outros dois concorrentes. Alem disso se a decisão da FAB não for favorável ao caça frances vai ficar mais difícil ainda a explicação. Enquanto isso mais ao norte o maluco do ditador Venezuelano Chaves esta comprando material bélico superior ao nosso. Mesmo os Su-30 deles sendo “capados” e de segunda mão (estavam em estoque apodrecendo na Rússia)ainda assim… Read more »

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Boa Noite!
Um pequena colocação.
A grande maioria quer ter Ferrari com custo de fusca.
Fica difícil
Abraço

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

A política de Estado (longo prazo) tem que estar separada da política de governo (curto prazo).

Jorge
Jorge
11 anos atrás

Lucas Calabrio em 31 dez, 2009 às 18:03

E o que vamos fazer com ameaças a curto prazo como Venezuela?

kaleu
kaleu
11 anos atrás

olá amigos,

Se fosse somente custo do equipamento seria fácil digerir o RAFA, problema maior é o custo dos misseis (os mais caros do planeta), de manutenção a mais cara e menos eficiente, o custo hora/vôo (proibitiva) … porém, na minha visão o maior problema serão os custos de integração com nossos EWs, os demais vetores (F-5, A-1 e A-4) o futuro sistema de radares link-BR, além dos armamentos de nosso inventário … Edouard Guillaud deixou claro que o preço do Rafale dependerá das modificações / integrações q

kaleu
kaleu
11 anos atrás

Desculpem … continuando …

Edouard Guillaud deixou claro que o preço do Rafale dependerá das modificações / integrações que a FAB exigirá … considerando a baixissima comunalidade do Rafale com tudo que temos operando no Brasil (exceção Mirages) os custos dessa integração serão inimagináveis …

Ponto para o Gripen, que nascerá no Brasil já integrado a tudo que temos.

abc
kaleu

sky dive
sky dive
11 anos atrás

Não seria mais interessante a FAB comprar um tapa buraco, talvez até o SH umas 24 ou 30 unidades já q é um avião comprovadamente testado em combate com uma manutenção um pouco mais barata e abrir mão da transferencia de tecnologia, entrar num desenvolvimento de uma caça de 5 geração como por exemplo com a russia q já vem fazendo, mas a verdade é a seguinte tamos ferrados os unicos q tem experiencia sao USA e RUSSIA muitos nao querem ficar nas mãos dos americanos e a RUSSIA tem aquele velho problema de manutenção e suporte, alguem pode me… Read more »

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Prezado Jorge
A Venezuela não é esse bicho todo que a grande mídia teima em faze-la.
Feliz Ano Novo pra todos
Abraço

RodrigoBR
RodrigoBR
11 anos atrás

Jorge e A-Bomb,

Vcs estão preocupados com a Bolívia e a Venezuela?

Eles não tem capacidade nem de enfrentar uma guerra com a atual situação de nossas forças armadas!

Eles são como aqueles cachorros Pinchers(está certo?), latem, latem, mas na hora do vamos ver, correm! 😀

A Venezuela praticamente vive do Petróleo. Se nossa força aérea reduzir a capacidade deles de produção, eles “quebram”. Destruindo algumas plataformas de petróleo e refinarias a Venezuela jah era…

Justin Case
Justin Case
11 anos atrás

Kaleu, duas observações sobre seus comentários recentes: 1. A integração de sensores e armamentos do inventário brasileiro é requisito do RFP. Assim sendo, todos devem ter ofertado e tudo deve estar incluído no preço final. 2. A FAB não é um ou outro personagem que quer ou prefere aviões. A FAB precisa de um vetor para cumprir sua missão. O Schetinni, que você considerou ser um representante da vontade da FAB, sempre esteve ligado à área de desenvolvimento e, por muito tempo, trabalhou na EMBRAER, onde foi chefe da equipe de ensaio. Outros estão mais ligados à área operacional, outros… Read more »

Vplemes
Vplemes
11 anos atrás

Hornet, eu acompanhei a discussão sobre TT. E como seria de esperar ela ficou inconclusa, afinal, como tudo que diz respeito a este FX-2 estamos mais congecturando do que que qualquer outra coisa. Afinal não tivemos ainda acesso a nenhuma das propostas, tudo que temos são conversa de vendedor. Mas o meu ponto continua sendo que, a Dassault não depende do Brasil para sobreviver. Se ela abrir as pernas para o Brasil por causa de 36 caças, imagina o que os indianos, os árabes e demais possiveis clientes não vão pedir?! Com certeza a TT não vem de graça, mas… Read more »

A-Bomb
A-Bomb
11 anos atrás

Caro RodrigoBR Da Bolívia não da para ter medo mesmo pois é a mesma situação do Paraguai. 100% de dependência do Brasil. Basta fechar as fronteiras e o Evo prantador de Cocaína cai em menos de uma semana. Paraguai em menos que isso. Venezuela da um certo incomodo. Embora o que eles estão comprando esta muito longe do que a Rússia tem a oferecer de melhor pelo menos esta chegando rapidamente. Enquanto isso no Brasil….. Prova da nossa Lentidão e o F-X2. Até agora nada. E ja ficou para o ano que vem. E pior pode ser cancelado. Se não… Read more »