sábado, abril 17, 2021

Gripen para o Brasil

Que falta que o Buffalo faz…

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

dhc_buffalo-foto-poderaereo

vinheta-clippingPara receber reclamações trabalhistas e prestar outros esclarecimentos sobre cidadania a comunidades de difícil acesso na região de fronteira do Acre com o Peru, na Amazônia, o Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (RO/AC) realizou, desde o dia 5, a chamada etapa de “atermação” do Programa de Varas Itinerantes nos municípios acreanos de Santa Rosa do Purus, Jordão, Marechal Thaumaturgo e Porto Valter, com encerramento no dia 8.

Em Santa Rosa, os reclamantes foram atendidos na Câmara de Vereadores, em Jordão no Cartório da comarca local, e em Marechal Thaumaturgo e Porto Valter nos Centros Integrados da Cidadania, cedidos pelo Tribunal de Justiça do Acre.

Como nessa época do ano o acesso por estrada e barcos de pequeno porte é ainda mais difícil, a Diretoria Geral de Coordenação Judiciária do Tribunal decidiu contratar por meio de licitação pública um avião bimotor para o transporte da equipe. Os aviões de pequeno porte, depois da aposentadoria do Búfalo da Força Aérea Brasileira (Fab), são os únicos modelos capazes de pousar em pistas pequenas e sem asfalto.

Desenvolvidas desde 2002, na jurisdição dos Estados de Rondônia e Acre, é a primeira vez, depois de utilizar por vários anos unidades móveis para prestar atendimento às pessoas que moram nessas comunidades, que foi adotado o transporte aéreo.

O TRT de Rondônia e Acre é um dos três regionais instalados na Amazônia a prestar atendimento aos habitantes da área territorial menos povoada do País, com cerca de 25 milhões de pessoas, mas, ao mesmo tempo, com maior grau de dificuldades de acesso à justiça em comparação com outras regiões brasileiras atendidas por estradas asfaltadas e bons aeroportos.

FONTE: Folhablu / FOTO: Poder Aéreo

- Advertisement -

6 Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RodrigoBR

A robustez da aeronave está no próprio nome – > BÚFFALO!!! Uma aeronave fantástica. O problema dela é que ficou obsoleta e seu projeto foi abandonado. Suportou 30 ou 40 anos de trabalho duro na humidade, calor e péssimas pistas de pouso nos estados amazônicos. Eu já fui passageiro dessa magnífica aeronave: um vôo de Manaus-AM à Belém-PA com escala em Santarém-PA. Era uma aeronave do famoso CAN(Correio Aéreo Nacional) operado pela FAB. Para que todos tenham dimensão da importância do CAN, no meu vôo havia muitas pessoas pobres, entre elas um mendigo. Havia muita carga e mal cabiam as… Read more »

Alexandre

Rodrigo

Lamentável é vc levar a sério o fato de eu ter colocado um vídeo sobre o acidente do Caribou, precursor do Búfalo,como se isso fosse desmerecer o avião. O objetivo era mostrar como um avião com capacidades excelentes quando voado fora de seu envelope pode resultar em tragédia. Seja mais maduro e racional. Para aqueles que não se sentem ofendidos com coisas como esta, aqui vai a imagem do C 130 pousando em um porta-aviões.

Alexandre
Jonas Rafael

Não tinha mais comentários nesse post não? Se ele não tem equivalente é realmente uma pena ver uma aeronave dessas sair de linha. Será que se juntassem com a Austrália e o Canadá mesmo assim não teria mercado suficiente?

Challenger

Rodrigo

Concordo com vc, uma fantastica aeronave, sem par; mas ficou no passado, quando o bicho pegar e precisar-mos de um “Jipão” pau pra toda obra lembraremos do C-115 Buffalo.

Seria uma boa aeronave pra Marinha tmb, para transporte leve sem depender da FAB.

Caio

O Caravan não dava conta do recado não? Não tem a capacidade de carga dos Buffalo, mas pra transporte de autoridades acho que serve não?

PS: Onde tá o link com o acidente? Fiquei curioso.

Saudações

Combates Aéreos

Como o F-35 está aprimorando suas habilidades de ‘dogfight’ no Japão?

Por Valerie Insinna KADENA AIR BASE, Japão e WASHINGTON - O F-35 recebeu artilharia pesada dos críticos pela falta de...
- Advertisement -
- Advertisement -