terça-feira, outubro 19, 2021

Gripen para o Brasil

Emirados e Saab assinam contrato para AEW

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Saab 340 AEW

Contrato inclui duas aeronaves Saab 340 AEW equipadas com radar Erieye

Nesta terça-feira, 17 de novembro, a Saab assinou um contrato para a venda de um sistema de vigilância aérea com os Emirados Árabes Unidos. O contrato é cotado em 1,5 bilhões de coroas suecas (1,5 bi SEK, o que equivale a aproximadamente 220 milhões de dólares ou 375 milhões de reais). Além de duas aeronaves Saab 340 AEW (Airborne Early Warning – Alerta Aéreo Avançado) equipadas com radar Erieye, equipamentos de solo, serviços de apoio e logística também estão incluídos.

Segundo a empresa, as discussões com os EAU a respeito de sistemas de vigilância aérea tomaram vários anos. O radar Erieye, utilizando como plataforma a aeronave Saab 340, equipa a Força Aérea Sueca e também já foi vendido para a Tailândia. Para o Paquistão, o sistema foi vendido prevendo a instalação em aeronaves Saab 2000. Brasil, México e Grécia operam o sistema a partir de aeronaves da família Embraer 145.

Empresa também informou o primeiro voo de um Saab 340 AEW da Tailândia

Thai_Gripen_Saab_340_AEW_45 - foto saab 

Na foto acima, o Saab 340 AEW encomendado pela Tailândia faz seu voo inaugural  junto ao primeiro caça Gripen da Royal Thai Air Force (Real Força Aérea Tailandesa), em 13 de novembro. O voo foi realizado a partir de Linköping, na Suécia.

O voo, de pouco mais de duas horas, serviu para testar os sistemas básicos da aeronave. A encomenda tailandesa de 2008, feita num acordo governo a governo, foi de um sistema completo de aeronaves /comando e controle, compreendendo seis caças Gripen C/D (incluindo equipamentos e serviços associados) uma aeronave Saab 340 AEW equipada com radar Erieye radar e data links, uma aeronave Saab 340 para funções de transporte e treinamento, além de um sistema de comando e controle com data links.

FONTE / IMAGENS: Saab

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

12 Comments

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Francisco AMX

E quem dizia que a EMBRAER não concorre com SAAB? 🙂 e pelo jeito está perdendo neste “produto”!

Felipe Cps

Chicão: se vc reparar bem, a aeronave da SAAB é um turbohélice, ao passo que a da Embraer (EMB-145) é um turbojato. Realizam funções semelhantes, mas não idênticas. E sempre lembrando que o radar do R-99 é sueco (Ericsson). Inclusive acho que isso já foi objeto de um post no Naval, e a maioria concordou que não faziam as mesmas funções.

É como vocês francófilos dizem da comparação do Airbus com o KC-390: são semelhantes, não iguais.

Abs.

Francisco AMX

Felipe, é obvio que são diferentes! mas concorrem! e sobre o Radar ser Sueco Ericsson, esta empresa fornece radares para todo o mundo. O fato é que SAAB e EMBRAER tem produtos diferentes que concorrem acirradamente! isso é fato! quem compra um não compra o outro! apesar de terem desempenhos diferentes, fazem a mesma função! simples não 🙂

abraço bro!

Felipe Cps

Simples? Você que está dizendo Chicão. Negadinha lá no Naval não achou tão simples assim. No mais, o amigo não falou nada do Airbus e do KC-390. Competição por competição…

Abs.

Robson Br

As vezes da a impressão que muitos acham que a Embraer acredita em papai noel. Muitos falam por ela e dizem que ela prefere isso ou aquilo.

A realidade é bem diferente. Ela pode estar na frente integrando sistemas modernos, mas tem uma turma de concorrentes furando o olho dela.

Depois muitos vem dizendo ainda que a opinião da Embraer é que essa ou aquela parceria é a melhor.

veja esse caso e o caso dos treinadores americanos.

temos que fazer uma parceria com independência.

Robson Br

GALANTE:
NÃO CONSIGUO LOGAR NO TERRESTRE E NAVAL. VOCE TEM QUE LIBERAR?

ZE

Acabei de ler a Revista Força Aérea. A matéria sobre o F-X2 está bem escrita pelo Carlos lorch, apesar de alguns pequenos erros. Por exemplo, ele diz que desde 2001, já foram entregues cerca de 120 Rafale. O certo seria: Desde 2000 foram entregues cerca de 75 Rafale. Mencionou também que o Rafale e o Gripen NG estão fazendo parte da concorrência na Suíça, quando esta já foi oficialmente suspensa (e talvez haja uma moratória até 2020, se o plebiscito for aprovado). Outro erro foi considerar o Rafale como candidato na Grécia. Os gregos não cancelaram a sua concorrência, porém… Read more »

Francisco AMX

Felipe, simples sobre concorrerem! não sobre suas capacidades! quem compra um não compra o outro, e se um não existisse seria o outro! isso que falo! 🙂 Mas se puder me falar sobre as principais diferenças dos 2, que o pessoal do Naval falou, sou todo “olhos”! 🙂 Sobre o KC-390 e o Airbus… sabe pq eu não falo? pq não sei quase nada sobre eles!:) e eu nunca falei sobre estes 2, nunca dei pitaco sobre! 🙂 falha minha, mas ainda não me deu “tesão” para conhecer o puco que se sabe do KC-390,,, hora dessa eu me dedico!… Read more »

Francisco AMX

ZE, o post aqui é sobre Saab 340! 🙂 rsrsrsrs

brincaderinha velho!

Aliás, tenho apreciado seus comentários, apesar de não concordar na maioria das vezes, pela lisura e, quando parece que tu vai perder a linha, tu te segura! bacana! 🙂

Abraço

Ivan

Chicão, He he he! Vc venceu a SAAB é concorrente da Embraer. Falando sério. Todo mundo é concorrente de todo mundo. A luta é pelo orçamento. Money, cara. Então um determinado país (cliente) precisa de uma solução de defesa aérea, todos os fabricantes de soluções daquela necessidade vão procurar mostrar que sua solução é a mais adequada, procurando implementá-la (venda). A solução SAAB 340 AEW tem menos recursos que a Embraer Emb 145 AEW&C, pois, apesar de utilizar basicamente o mesmo radar, o sueco/sueco cumpre função apenas AEW (Alerta Aéreo Antecipado) e o brasileiro/sueco é um AEW&C (Alerta Aéreo Antecipado… Read more »

Ivan

OPS,

Cometi um engano.

Quando escrevi que SOLUÇÃO SAAB 340 AEW tem menos recursos que a Embraer Emb 145 AEW&C, deveria ter escrito o AVIÃO ou AERONAVE.
Estava comparando as aeronaves, que tem capacidades diferentes, já que a SOLUÇÃO sueca deixa o controle e controladores em terra e a SOLUÇÃO brasileira opta por embarcar os controladores na aeronave.
Necessidades e meios diferentes resultam em soluções diferentes.
Pessoalmente acho a solução nacional mais flexível, até mesmo para os Emirados, mas os nórdicos souberam vender seu ‘peixe’.

Abç,
Ivan.

ZE

Francisco AMX em 19 nov, 2009 às 10:15

“ZE, o post aqui é sobre Saab 340! rsrsrsrs

brincaderinha velho!

Aliás, tenho apreciado seus comentários, apesar de não concordar na maioria das vezes, pela lisura e, quando parece que tu vai perder a linha, tu te segura! bacana!

Abraço”

Obrigado pela consideração, Francisco.

Alguns concordam com os meus posts, outros tantos, nem por isso.

Tento colocar opiniões um pouco diferentes das que costumeiramente vemos aqui no blog.

Sempre que posso, falo das questões econômicas, pois tudo depende delas: A defesa, o estado de prontidão, adestramento… de nosssas forças).

[],s

Últimas Notícias

FAB realiza enlaces de dados entre aeronaves usando o LINK-BR2 pela primeira vez

Os voos foram realizados durante a execução da Operação Íris, como foi denominada a segunda fase de ensaios de...
- Advertisement -
- Advertisement -