Uma tormenta com ventos que atingiram até 100 quilômetros por hora e acompanhada de granizo, causou a queda de árvores, destruiu aviões e resultou em diversos estragos em Pirassununga, situada a 70 km de São Carlos, no dia 26 de outubro.

Na Academia da Força Aérea (AFA), os ventos destruíram os hangares que abrigavam as aeronaves de treinamento T-27M Tucano.

Segundo informações divulgadas nas redes sociais, sete T-27 foram danificados e as aeronaves FAB1312, FAB1368 e FAB1443 não voltarão mais a voar.

Subscribe
Notify of
guest

242 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ozires

Completo absurdo!!!

Ramon Grigio

Sem comentários. Não temos estrutura para manter os meios em segurança nem em tempo de paz (contra uma simples chuva/ventania).

Usamos postes muito maiores para passar uma simples rede de baixa tensão no sítio…

Camargoer.

Caro. Foi uma forte tempestade localizada. Uma estrutura de concreto pré-fabricada suporta com folga a pressão de uma simples chuva/ventania. É preciso uma enorme pressão para colapsar uma estrutura destas.

RPiletti

Camargoer. via de regra era p/ ter suportado este vento. É a maltida mania de orçar tudo pela mais “barato”.
E essa estrutura aí das imagens não precisa de uma pressão assim tão forte para entrar em colapso, faltou um fator de segurança mais coerente com o valor das aeronaves.

Rinaldo Nery

As rajadas atingiram 65 kt (117 km/h). Foi um tornado.

Gabriel Engler

Rinaldo, qual a fonte dessa informação?

Rinaldo Nery

O medidor de vento da torre do setor oeste. Eu recebi a imagem. Mandei p Galante. Aliás, acho que essas fotos são as que mandei p ele.

Corsário-DF

Rinaldo, essas fotos são suas? Repare bem na foto da tempestade em si. É gota de água na lente, alguma sujeira, ou realmente tem algo estranho na posição 11 e 12 horas? Dois círculos no meio da formação. No mínimo estranho.

Rinaldo Nery

Não tirei a foto. Só recebi.

USS Independece

Também observei esses dois objetos atípicos na foto. Para amantes d ufologia já dá motivo para uma boa conversa.

Camargoer.

É o rosto do Lord Voldemort

L G1

Mestre, parece que está tempestade foi coisa de ET. Outras possibilidades e que são armas dos EUA, Rússia e China que consegue produzir ventos, tempestades, terremoto, etc. Já vi isso em alguns sites. Será?

Camargoer.

Ainda acho que é coisa do Voldemort. Se fosse arma da Russia teriam usado contra a Ucrânia. Se fosse dos EUA, teriam usado contra a Síria. Se fosse da China, teriam usado contra Taiwan.

Se fosse ET, seria em Varginha.

João Augusto

Tem alguma escola lá perto pra ele tentar dominar? Essa é a tara do Voldemort.

Camargoer.

Temos que ver as mágicas que são ensinadas aos cadetes da AFA.

Joao

Prezado
As aeronaves ficam sempre amarradas ou alguém de serviço amarra ao ser alertado do vento?

Rinaldo Nery

Normalmente ficam amarradas só após o termino dos vôos.

Fernando "Nunão" De Martini

RPiletti, Tudo indica que foi uma tempestade atípica. Esses hangatetes suportaram tempestades ao longo de décadas, mas aparentemente não foram feitos para aguentar um temporal da magnitude sofrida ontem. Ou algum “efeito dominó” aconteceu. O que não muda em nada a necessidade da FAB aprender com isso e rever o projeto, reconstruir ou reforçar os hangaretes de todas as suas bases. Com as mudanças climáticas as tempestades extremas estão se tornando mais frequentes, com intensidade muito maior do que décadas atrás, quando esse projeto de hangarete foi feito. E outra coisa: em casos assim, em que se prevê um evento… Read more »

RPiletti

Nunão, basicamente, as velocidades de vento consideradas no BR são estas:

https://pt.linkedin.com/pulse/entenda-isopletas-da-nbr-6123-e-saiba-como-elas-afetam-zacchi

Trabalho com estruturas metálicas (civis) há uns 20 anos e até hoje eu não sei explicar como algumas estruturas não entram em colapso, concreto pré-fabricado segue a mesma lógica. Como nunca ocorreu, o pensamento é que nunca irá ocorrer e lá se vão os fatores de segurança e as NBRs.
Neste caso dos T-27 eu jamais assinaria a ART desta estrutura que está sendo utilizada. Com o perdão das palavras, isso aí é estrutura para usar em aviário e não sobre uma aeronave de milhões.

Camargoer.

Olá RP. Verdade. Riso. Se a gente prestar atenção na cidade, começa a perceber que existem umas obras de arte que merecem uma tese de doutorado em engenharia estrutural.. riso. O problema é o evento improvável que extrapola qualquer previsibilidade. Lembro de uma ponte em S.Paulo, sobre o rio Pinheiros, bem antiga que precisava ser demolida para construir um viaduto novo. A ponte suportou a primeira carga de demolição e depois suportou a segunda carga de demolição. Tiveram que derrubar na picareta. O concreto continua ganhando resistência enquanto envelhece. Algumas estruturas antigas hoje superam qualquer fator de segurança de projeto.… Read more »

Palpiteiro

Me parece que o requisito desta estrutura e de algo para o pessoal não trabalhar no sou ou no sereno. Se chover vai molhar e em previsão de chuva forte que é comum no verão, tem que deslocar a aeronave para uma posição segura. Melhor ancorada ao tempo que embaixo deste tipo de estrutura. Já existem outras casos.

Palpiteiro

Sol

Rinaldo Nery

Nisso eu concordo.

ricardo taer

Concordo plenamente com RPiletti e acrescento mais, esses hangaretes da FAB são uma piada.

BK117

“Acho que já temos evidências suficientes que esses eventos têm se tornado mais frequentes no Brasil, e especialmente em áreas onde eram raríssimos”

Caro Nunão, mês passado caiu um pé-d’água aqui em BH que chegou a derrubar um hangar da Pampulha. E olhe que o vento “só” chegou a 43Km/h. Os vídeos são impressionantes.
Hangar do Aeroporto da Pampulha desaba com chuva forte – Gerais – Estado de Minas

Matheus R

Como diria aquele jargão militar: explica mas não justifica.

Fernando "Nunão" De Martini

Não sou nem militar nem adepto de jargões, então não sei onde se aplica seu comentário.

Injustificável será, isso sim, se não levarem essa lição em conta para rever procedimentos e reprojetar / reformar / substituir hangaretes.

Matheus R

O que eu quis dizer é que independentemente de ser um fato atípico, calamitoso, que nunca tinha acontecido, ainda assim alguém responderá e provavelmente será responsabilizado por isso.

João Augusto

Seu otimismo é impressionante.

Rinaldo Nery

A abertura de sindicância é obrigatória quando há dano a material da Fazenda Nacional (hangaretes e aviões). E toda sindicãncia chega à uma conclusão.

ricardo taer

Substituir os hangaretes, com urgência.

Satyricon

Nunão, concordo, e vou mais além: é necessário uma mudança de atitude. A USAF tem por costume deslocar suas aeronaves de bases em caso de suspeita de eventos climáticos extremos. É óbvio que não é infalível, mas é altamente eficaz. Lembremos que a FAB possui todo um sistema de meteorologia, espalhado por todo o território brasileiro (todo aeródromo tem), para a emissão dos report meteorológicos e Notams. “Em tese” essa estrutura poderia emitir esses alertas, A AFA está repleta de cadetes aptos a deslocarem essas aeronaves em voo para zonas mais seguras. Assim, apenas as aeronaves fora de condições de… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Só pra complementar: os hangaretes de Anápolis são totalmente diferentes desses que caíram na AFA.

De todo modo, valeria a pena a FAB inspecionar e fazer um novo estudo sobre a resistência dos hangaretes da BAAN a um evento atípico como o que ocorreu na AFA.

Rinaldo Nery

NOTAM não tem nada a ver com meteorologia.

Rinaldo Nery

Os cadetes não estão aptos a deslocar solo pra nenhum lugar. Nem cartão de vôo por instrumentos possuem.

Marcelo M

Fico pensando se fosse um Gripen. Passando a noite nessa base. O prejuízo não seria suportável.

Santamariense

Não necessariamente. Os hangaretes da BASM, anos atrás suportaram, sem perder uma telha sequer, ventos com rajadas de 141 km/h. E observe que os outros hangaretes da AFA permaneceram em pé.

RPiletti

Prezado, alguns ficaram no lugar e outros não cumpriram a função, logo, não servem. Sei que usam muito este modelo de estrutura, mas quando a ação da natureza atua sobre ele, o resultado é este da reportagem.

Santamariense

Como eu falei, esse tipo de estrutura já aguentou ventos maiores aqui em SM e ficou em perfeito estado. E nem os EUA usa HAS para todas suas aeronaves. Tem ventos e tempestades que são “imparáveis” mesmo.

Ribeiro

A estrutura é calculada para um vento de norma, naquela região, para até 35 m/s. A tempestade de ontem chegou bem próximo ao limite estrutural. Porém não é apenas ação vento que incide sobre qualquer elemento estrutural, o tempo também. Estruturas precisam de manutenção periódica e será que aquelas estruturas, galpões atirantados, receberam manutenção nos últimos 5 anos?

Camargoer.

Olá R. Eu não sei. Este tipo de estrutura é comum em todas as cidades aqui da região. Posto de gasolina são ainda mais frágeis.

Em SC é mais comum este tipo de tempestade. Temo que o interior de SP está passando por uma mudança no regime de chuvas.

Salomon

Prezado confrade, minha opinião (tenho alguma base técnica) é que ainda se trata de bloqueio atmosférico. Estou rodeado de catastrofistas, aos quais recomendo verem as séries históricas. Esperemos mais um pouco, os “rios voadores” estão querendo se formar na Amazônia. Obrigado.

sagaz

Certamente terá um buffet com cerimônia para a inauguração da nova estrutura a ser criada. Certo que terá banda, jatinhos para trazer as autoridades que ficarão obviamente acomodadas nos melhores hotéis da região.

Camargoer.

Tenho visto muitos problemas aqui na região em torno destas tempestades localizadas ao londo dos dois últimos meses. Ocorreram alguns acidentes graves nas rodovias da região, inclusive ontem na qual 4 pessoas morreram.

Os hospitais (públicos e privados) estão abarrotados de pessoas, de todas as idades, que estão sofrendo efeitos da elevadas temperatura. Ainda não temos dados sobre as mortes nestes meses. Em dois ou três meses, será possível consultar o DataSUS para ver e comparar com os anos anteriores.

Não há motivo para piada.

Joao

Qual o histórico de ventos assim ali?
Tente convencer a CJU a autorizar uma licitação de milhões muito bem respaldada.
Não é nada nada fácil.
Agora, vão analisar com boa vontade

glasquis7

É muito fácil criticar mas, a coisa foi feia mesmo:

https://www.omovimento.com.br/2023/10/video-temporal-causa-alagamento-na.html

Até alagou a Rodovia.

O único curioso é que apenas a linha de angaretes que fica do lado da pista caiu e caíram todos, enquanto que a que está logo depois aguentou.

Joao

Qual o histórico de ventos assim ali?
Tente convencer a CJU a autorizar uma licitação de milhões muito bem respaldada.
Não é nada nada fácil.
Agora, vão analisar com boa vontade.

Carlos

Incompetentes – agora vão ver como Eles arrumam ,essas M……

Tem que acontecer pra mudar a atitude e doutrina ,

Darth Vader

Que fase hein…

Alex Faulhaber

Muito triste 🙁

Camargoer.

Olá Colegas. Ontem choveu bastante em S,Carlos, contudo sem ventos fortes. No início de outubro, teve uma grande tempestade em torno de Rio Claro também, aqui perto. Este tipo de tempestade ocorre ocasionalmente na região entre outubro e março. Contudo, este ano tem sido excepcionalmente recorrente.

O que parece afetar a sua intensidade é que são eventos bem localizados. Em S.Carlos tem acontecido de ter uma tempestade em uma região da cidade e ficar tudo seco na outra região.

Recruta Zero

Nessas horas faz falta um HAS .

Camargoer.

Oi. O quê é um HAS?

Recruta Zero

E a sigla para abrigo reforçado para aeronaves em português, modelo de hangar muito utilizado durante a guerra fria na Europa e oriente médio,tem estruturas de concreto armado e portas reforçadas feitas para aguentar impactos de munições próximas e ondas de choque de grandes explosões.

Camargoer.

Obrigado

Gelson

Bom dia, Camargoer!
HAS = Hardened Aircraft Shelter
Quem é previdente investe e usa….quem não é…

Camargoer.

Antes, as aeronaves ficavam expostas ao sol e á chuva nos pátios. Os hangaretes foram adotados pela FAB em praticamente todas as bases. Protegem tanto a aeronave quanto as equipes de apoio durante a operação das aeronaves. Perceba que a segunda linha de hangareres suportou a pressão. Parece que o problema é daquele tipo de fenômento localizado. No caso dos HAS, acho que o contexto é outro. Lembro que os F15 (ou tornados.. não lembro mais) de alerta 24h na Alemanha Ocidental eram mantidos em prédios simples, porque na estratégia de defesa, esperava-se que estas aeronaves já estariam voando em… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“ A pergunta é se ocorreu uma mudança no regime de chuvas e ventos que requer um reforço ou se este foi um evento tão raro que será improvável que ser repita.” Acho que já temos evidências suficientes que esses eventos têm se tornado mais frequentes no Brasil, e especialmente em áreas onde eram raríssimos. Então a probabilidade de acontecer de novo deve ter crescido. Acredito que seja o momento de rever o projeto dos hangaretes, em todas as suas bases. Eles funcionaram bem ao longo de décadas, mas podem não resistir em eventos desse tipo (tempestade atípica, ciclone extratropical… Read more »

Camargoer.

Olá Nunão. Temo que você tenha razão sobre a mudança no regime climático. Uma possibilidade é que temos agora um registro mais apurado e modelos de previsão do tempo mais sofisticados que nas décadas passadas.

Talvez as duas coisas juntas. Uma mudança do regime climático associado e um registro mais apurado e modelos de previsão de tempo mais sofisticados

De qualquer modo, é um problema real que demandará uma revisão tanto na FAB quanto nas normas de construção de muitas cidades

João Fernando

Amigo Camargo, lembrei que minha avó tinha uma fazenda de café na região de Campinas, isso a mais de 100 anos. Certa vez ela comentou de rajadas de vento aí. Então, podem ter existido, mas nao documentado.

Camargoer.

Olá João. Pé-de-vento é coisa de Saci. Riso. Acredito que estes eventos sempre ocorreram, mas a dúvida é sobre a frequência. A minha primeira impressão é que estão acontecendo com maior frequência. Temos três possibilidades. 1 a frequência é a mesma, mas os registros antigos são incompletos. 2 aumentou a frequência em razão dos mudanças geográficas (aumento das cidades) e por causa do El Nino. 3. Efeitos das mudanças climáticas Pode ser também a combinação de todos estes efeitos juntos. Quando um problema tem duas soluções, a combinação das soluções também é uma solução. Não se pode aguardar torcendo para… Read more »

Palpiteiro

Sim. E neste caso é uma escola, vai chegar tempestade recolhe. Em atividade de prontidão e alerta. Tem que investir em estrutura melhor.

Fernando "Nunão" De Martini

Ainda assim, acredito ser preciso rever o projeto de todos os hangaretes da FAB, pois os últimos anos indicam que as mudanças climáticas vão prosseguir e eventos como esse serão mais frequentes. Nem sempre haverá tempo de recolher todos os aviões a um hangar todas as aeronaves da linha de voo, ainda mais no caso da AFA, em que as aeronaves são numerosas e há muitas saídas diárias para as missões de treinamento. Pelo que ouvi dizer, havia Super Tucanos (provavelmente do EDA) poucas horas antes sob os hangaretes, e felizmente no caso destes já tinham sido recolhidos ao hangar… Read more »

adriano Madureira

Melhor queimar uma grana em algo garantido e seguro do que ficar confiando em uma estrutura que não é tão confiável mais…

comment image

Deveria ser algo ao menos desse nível para proteger os Gripens que não sairam barato…

comment image

A Typhoon in a Hardened Aircraft Shelter, RAF Lossiemouth. 

Sensato

Ah sim. Faz todo sentido construir estruturas de 4 milhões de dólares para proteger Tucanos…

adriano Madureira

não filhão, para proteger Gripens…

Marcelo Andrade

Bicho, HAS? Ali é uma Academia ,não é uma Base Operacional de Defesa Aérea!!!!! kkkkkk

Jorgemateus77

Em 2018 na própria AFA aconteceu algo idêntico
Uma tempestade danificou hangaretes do 2° EIA
Dessa vez parece q foi mais grave
Todos hangaretes frontais do setor whisky foram danificados
Os mesmos foram construídos por volta de 2000

Funcionário da Petrobras

Imagina um estrago dessa natureza com o Gripen, afinal, eles poderiam estar nestes hangaretes no lugar dos T-27.

RPiletti

400mi na aeronave e 1mi p/ o hangarete é muito. P/ acabar…

Henrique

depois dessa é melhor a FAB adotar o protocolo com o Gripen: vai chover, esvazia a base

antes pagar 5k dólares em hora de voo do que perder o avião por asnice

Manoel

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Rinaldo Nery

As tajadas atingiram 65 kt (117 km/h). Em 7 anos que servi em Anápolis nada chegou nem próximo disso. Foi um tornado.

Jorgemateus77

Amigo em 2018 houve uma tempestade assim no 2° EIA danificando hangaretes. Em 5 anos a AFA ñ fortaleceu as estrutura. Isso tem um.nome: incompetência

Rinaldo Nery

Ele falou de Anápolis? Ou li errado? Eu sei o que acontece na AFA. Vou lá todo ano. Minha esposa é de Pirassununga

Alfredo Araujo

Capitão…
O caso ai, não seria deslocar as aeronaves para outros aeródromos ?
Deixando claro… é uma pergunta… Não conheço de meteorologia o suficiente para saber se é possível determinar com certeza, e a devida antecedência, a força e localização de uma tempestade dessas…

Rinaldo Nery

Não há tempo útil p isso. Imagina se forem 30 aviões. Serão necessários 30 pilotos disponíveis e um aeroporto que comporte os 30 aviões. Não é “decolagem defensiva”.

Camargoer.

Creio que o regime de chuvas de Anápolis é diferente do regime aqui no interior de SP. Não lembro deste tipo de evento climático no centro oeste. Em SC a gente sabe que é comum. Parece que está se tornando comum no interior de SP também.

Manoel

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Camargoer.

Olá Manoel. O problema é a ocorrência de tempestades localizadas. Tem sido comum estes eventos em SC, onda há uma região de choque entre as massas polares e as massas quentes vidas da Amazônia. A pergunta é se esta zona se deslocou para SP, se ela foi ampliada ou se estas tempestades que estão ocorrendo no interior de SP são eventos excepcionais relacionados com o El Nino, por exemplo. Eu não sei.

Adriano RA

O aquecimento do planeta levará à intensificação desse tipo de fenômeno climático. Melhor todos nós nos preparamos.

Camargoer.

Olá Adriano. Eu concordo que estamos passando por um momento de transição climática. Isso é um fato. A pergunta é saber se estes eventos climáticos em outubro de 2023 estão relacionados com as mudanças climáticas, se é uma consequência do El Nino (outra situação atípica) ou se as duas coisas estão acontecendo juntas.

Estes dois meses (setembro e outubro de 2023) estão efetivamente atípicos. Muito quente e com tempestades localizadas.

Teremos que ficar atentos.

Na dúvida, é melhor considerar que são estes eventos climáticos serão mais frequentes.

Rinaldo Nery

Exato.

Paulo

Campinas já teve coisa muito pior há uns 5 anos… E é normal ventos fortíssimos por aqui, e nem estamos longe da AFA.

L G1

Misericórdia. Que prejuízo gigantesco. Tem que fazer hangar de concreto.

Camargoer.

Olá LG. Os hangaretes são de concreto. A pergunta que se deve fazer é se eles devem ser dimensionados para cargas maiores.

Eu não sei se este evento é raro o suficiente para estimar que será improvável que ocorra nos próximo anos ou décadas, ou se é preciso revisar os critérios climáticos da região e passar a dimensionar as estruturas para suportar forças mais intensas.

Pedro

O clima cada vez esta pior. Pelo investimento nos aviões acho que tem que pensar em estruturas mais fortes….ainda mais que são militares

L G1

Mas essas telhas são muito frágeis. Uma ventania e levanta tudo e caí em cima dos aviões . Esse telhado aí no máximo serve para proteger do sol. Se vier chuva a recomendação é saí de baixo. Muito perigoso o vento levantar esse telhado.

Recruta Zero

Oi,meu comentário ficou retido.

Não há nenhum comentário seu retido.

“8 – Eventualmente, os comentários podem ser bloqueados pelo filtro automático do site ou pelo sistema Antispam. Caso seu comentário não seja publicado de imediato, aguarde até que um editor do site o veja na lista de comentários bloqueados e analise sua liberação. Comentários com links são mais propensos a bloqueios automáticos.”

Recruta Zero

Obrigado pelo esclarecimento.

Clésio Luiz

Não deveria, mas acontece:

comment image

Clésio Luiz

comment image

Santamariense

Clésio, não diz isso! Isso daí é fake, tu não sabe que somente no Brasil é que isso acontece? Em nenhum outro lugar do mundo aeronaves são atingidas pelas forças da natureza. Hehehehe

Henrique

aham, só que lá os caras pedem um F22 e colocam dinheiro pra pegar 2-5 F35aA ou C…

aqui a gente perde 7 aviões e só deus sabe se vai ter reposição dos aviões ou dos “hangares” ou se algum giniu vai falar pra diminuir a turma,… se não tiver piloto pra treinar não precisa repor os aviões (não duvide pq aqui é brasil)

Santamariense

7 aeronaves? Pelo texto, foram 3 aeronaves com perda total. E tem como repor as mesmas sem grandes gastos, pois há células em estoque e oscsistemas da modernização podem ser retirados das aeronaves danificadas e colocados nas “novas”.

Manoel

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Fernando "Nunão" De Martini

Acho que você está confundindo hangar com hangarete.

A AFA tem hangares maiores para abrigo e manutenção.

Esses que desabaram são hangaretes para abrigar apenas do sol e da chuva aeronaves que estão na linha de voo para as missões do dia.

Ainda assim, é evidente que a FAB precisa aprender a lição e o projeto desses hangaretes precisa ser revisto, tanto para a construção de novos quanto reforma / reforço de antigos. Aí só engenheiros pra dizer o que fazer.

Santamariense

Para todos que estão reclamando: Isso ocorre no mundo todo. Todas as Forças Aéreas utilizam tipos semelhantes de hangaretes. Nem os EUA têm HAS para todas suas aeronaves. Acontece, é um desastre natural. Tem forças da natureza, como ventos nesse caso, que estrutura alguma resiste. Ok, três aeronaves perdidas, uma lástima. Mas, tem várias células de T-27 estocadas. Retira 3 do estoque, retira os equipamentos dessas danificadas, atualiza e substitui. Toca o barco.

Pedro

E o dinheiro investidos nesses tucanos perdidos? E o tempo de treinamento perdido? Será que pelo investimento em cada aeronave, não valia investir em estruturas mais fortes? Imagine em caso de guerra.

Camargoer.

Pedro. É muito difícil tomar uma decisão no presente considerando a incerteza do futuro. Como eventos climáticos são incertos, pode ser que nunca ocorresse um problema e a gente nunca discutiria isso. Acho que não dá para dizer que a FAB errou ao adotar os hangaretes até este evento. Agora talvez seja o momento de repensar esta solução, pelo menos nas bases no sul e sudeste. Em Natal, por exemplo, que usam este tipo de hangarete, creio que o regime climático não demanda nada mais resistente que isso. Em Anápolis parece que também é o suficiente, segundo o RInaldo que… Read more »

Pedro

Concordo, dizer que errou não, mas poderiam aproveitar a oportunidade para repensar.

Santamariense

Ok, então o que você sugere? Aliás, todos que estão criticando, sugerem o que? Sugestões de engenheiros que também comentam aqui. Vamos propor, ao invés de só criticar.

Paulo

Sugiro uma simples ordem, em caso de tempestade remover as aeronaves. Nem engenheiro precisa ser.

Santamariense

Isso, bela ideia….Remover para onde? Quantas aeronaves? 20…30? Tem pilotos disponíveis, em tempo hábil, para levar essas aeronaves para outro lugar? Ora, meu caro…

Rodrigo LD

Quantas aeronaves eram “M” (modernizadas)? Existe maneira de repor as perdas, uma vez que a aeronave não é mais produzida? Acredito que possa ter havido falha do pessoal da “meteoro”, sendo que na dúvida sobre a intesnsidade dos ventos, as aeronaves deveriam ter sido (no mínimo) retiradas do pátio para hangares de armazenagem maiores (caso existam). Abraço, camaradas.

Fernando "Nunão" De Martini

as aeronaves deveriam ter sido (no mínimo) retiradas do pátio para hangares de armazenagem maiores (caso existam).”

Existem.

Palpiteiro

Então. O problema é que trabalhar dá trabalho.

Saturno

Fala aí quanto tempo de svç na AFA vc tem pra falar com tanta propriedade?

Fernando "Nunão" De Martini

Trabalha-se bastante por lá.

Já foi à AFA alguma vez pra conferir?

Santamariense

As 3 que tiveram perda total eram M. Tem várias células estocadas. Tira os equipamentos dessas destruídas, instala nas que estão estocadas e pronto.

Palpiteiro

Não seria melhor parar de produzir cachaça e iogurte nesta unidade militar e investir em infraestrutura para a atividade fim?

Saturno

Vc se refere à Fazenda de Aeronáutica de Pirassunuga? Aquela que sustentou a alimentação dos Cadetes e boa parte do efetivo durante a pandemia, pra que o seu país não ficasse um ano sem formar oficiais? É essa que vc queria que parasse as atividades?
Vamos nos informar melhor antes de sair criticando por aí pessoal.

Palpiteiro

Está mesmo. Precisa ter foco. Vender o alambique e investir na atividade fim. Tem pessoal para produzir iogurte e não tem para guardar o avião. As empresas pagam vale refeição e eliminam pessoal de infra de refeitório. Sim tem que focar na atividade fim. Arrenda essa fazenda e faz os hangares

Santamariense

Quais hangares você propõe? Quanto se arrecadaria com o arrendamento da fazenda (olha que não sou à favor dessa fazenda…Força Aérea com fazenda é, no mínimo, exótico) e quanto os hangaretes, do modelo que vc propõe, custariam?

L G1

A FAB tem uma fazenda? E quem trabalha lá? Não pode ser pessoal da FAB imagino. Devem ser terceirizados.

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, tem uma fazenda. Mas do jeito que comentam, parece que um dia deu 5 minutos de inspiração num brigadeiro que resolveu: “Vamos comprar uma fazenda”. Não é isso. A origem está resumida abaixo. A área completa da AFA, que inclui a fazenda, é uma desapropriação do Governo do Estado de SP repassada ao Governo Federal para implantação de uma nova Escola de Aeronáutica na década de 1940, no lugar do Campo dos Afonsos. Mas só foi realmente implantada 30 anos depois. Nesse meio-tempo entre a FAB ter tomado posse do terreno e a efetiva implantação da AFA em parte… Read more »

Palpiteiro

Prezado, na sua opinião você acha que isso é ter foco na missão institucional? Qual a dotação orçamentária anual da fazenda? Quanto gasta com pessoal? Não faz mais sentido o ministério da agricultura tocar a fazenda e o ministério da defesa cuidar de defesa?

Fernando "Nunão" De Martini

Na minha opinião a existência e gestão dessa fazenda tem impacto zero na existência ou não de verbas para hangaretes.

“ Qual a dotação orçamentária anual da fazenda?”

Pesquise você mesmo, já que está curioso a respeito.

Palpiteiro

Isso mesmo. E toca com pessoal militar, intendência, oficial veterinário, etc. Planta cana tem vaca, tira leite, fábrica de iogurte e alambique que faz cachaça. Você pode achar vídeos na internet. Muito legal a fazenda. Eu acho que tem que vender as vacas, arrecadar os canaviais e investir na atividade foco. Caso contrário não dá pra defender que falta dinheiro. Pode transferir para a Embrapa ou alguma universidade com curso de agronomia.

Palpiteiro

Qual o custo de manter a fazenda sendo operada por militares? O restante dos brasileiros se quiserem tomar iogurte tem que comprar no mercado. Unidade militar pra produção de cachaça?

Fernando "Nunão" De Martini

O restante dos brasileiros se quiserem tomar iogurte tem que comprar no mercado.”

A Fazenda da Aeronáutica tem loja. Podem comprar lá também.

L G1

Rsrs. O preço lá deve ser mais barato. O custo de produção da fazenda da FAB deve ser o mais baixo do Brasil. Todos os dias vemos coisas aqui de caí o queixo. Se contar para o povão ninguém vai acreditar. Vão falar que é pegadinha do malandro.

Palpiteiro

E os funcionários da loja também são do ministério da defesa? Teve orçamento para construir uma loja?

Fernando "Nunão" De Martini

Vai lá, compre seu iogurte e pergunte. Se não puder, entre em contato no horário de expediente e pergunte por telefone: https://www.fab.mil.br/organizacoes/mostra/376/FAZENDA%20DA%20AERONÁUTICA%20DE%20PIRASSUNUNGA Segundo o site da prefeitura de Pirassununga, você também pode agendar uma visita para conhecer. Seguem mais informações: “ FAYS – Fazenda da Aeronáutica: Subordinada diretamente ao comando da Academia da Força Aérea, possui 3600 hectares, dos quais 3.108 hectares de áreas produtivas (1430 hectares de culturas anuais e perenes, 217 hectares para exploração animal e 1461 hectares arrendados para soja e cana-de-açúcar, possui usina de beneficiamento e industrialização de leite e de beneficiamento de arroz e de… Read more »

Rinaldo Nery

A área da fazenda (8 mil ha) é arrendada para plantações, e o dinheiro revertido p FAB. Alguma vez na tua vida vc pisou na AFA?

Last edited 8 meses atrás by Rinaldo Nery
Saturno

Meu caro, conheço as estruturas de lá e boa parte do pessoal que lá trabalha. Pode ter certeza que se houvesse como prever essa intensidade de evento climático, mais medidas teriam sido tomadas; mas acredite se quiser, ainda existem coisas imprevisíveis no mundo, por melhores que sejam os modelos matemáticos, especialmente quando se fala de forças naturais. Todas as aeronaves em linha de voo da AFA são no padrão “Mike” atualmente (modernizadas); uma das vantagens da modernização, inclusive, é a modularidade de vários equipamentos, o que facilita um pouco a proposta do Santamariense, de reaplicar o que for possível salvar… Read more »

V. P.

Todas. A pintura seria uma conversão posterior, porém todas as aeronaves operacionais já estavam modernizadas.

Kommander

Primeiro o roubo das metralhadoras, agora as estruturas frágeis… Mais uma vergonhas para as FAs.

Rinaldo Nery

Ó, meu Deus…

L G1

Rsrs.kkk

Marcelo Andrade

Acho que vergonha paras FFAA é ter que proteger esse _________que só reclama !

EDITADO. MANTENHA O RESPEITO.

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

José de Souza

Analisando as fotos percebe-se que houve um arrancamento de baixo para cima, provavelmente os ventos intensos, com mudança frequente de direção, mas com ventos preponderantemente horizontais e ascendentes, causaram um “efeito vela” nas telhas metálicas. Vejam como o sistema estrutural pilares-vigas está intacto, mas as telhas retorcidas. Uma das estruturas foi arrancada do chão e causou um efeito dominó nas outras. O hangarete que ficou de pé também está sem algumas telhas, provavelmente foi “protegido” pelo que colapsou. O vento e a chuva pontual e intensos de ontem no Rio também causou estragos atípicos. Não tem jeito, os eventos extremos… Read more »

Pedro

Tudo bem que foi uma tempestade bem atípica, mas uma construção militar deveria se focar em aguentar bombas, tempestades então..

Santamariense

Qual país tem estruturas “que aguentem bombas” para guardar todas suas aeronaves? Me cite um que seja…

Palpiteiro

Não é questão de aguentar bomba. Mesmo hangares em condições atípica caem. A questão que a estrutura utilizada é muita frágil. Agora se o ativo é caroa, a exemplo de um gripen, a gestão de risco deve indicar a solução e o procedimento

Rinaldo Nery

Bombas na AFA? De quem?

Joao

Se os EUA invadir a Amazônia…. Eles vão bombardear a AFA….

Rodrigues

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Santamariense

Sério? Hehehehe…meu Deus, o pessoal viaja, barbaridade!

Marcelo Andrade

kkkkkk tenho 56 anos, e ouço isso desde que nasci! kkkkk

Rodrigues

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Rinaldo Nery

Nossa… Essa foi fo**… Cada uma que leio aqui… Vão decolar de onde p atingir Pirassununga e matar os Cadetes?

Paulo

Qualquer porta aviões serve

L G1

Mas podem lançar mísseis de cruzeiro do mar. Rsrs.

Luiz Carlos - Pará de Minas

Uai, porta aviões estacionado em Ubatuba… Fica pertinho

Isso.

Porta-aviões estacionado em Ubatuba.

Precisa fazer a baliza direitinho nesse estacionamento.

Se não vai bater o para-choques do navio na Ilha Anchieta.

Rinaldo Nery

Com T-27 equipados c sirene e boca de tubarão?

Saturno

Meu caro, a instituição é militar sim, mas é de Formação Militar; em última análise, é comparável a uma escola ou faculdade. E nenhuma construção no planeta é 100% à prova de bombas, há munições específicas para destruir bunkers (as chamadas bunker-busters), por exemplo. E aquilo que for muito difícil destruir pelo ar, sempre pode ser atacado por tropas especiais (FE, Comandos, etc), então não dá pra fazer essa comparação simplista. O que ocorreu foi um fenômeno natural EXTREMO, paciência. Não foi uma tempestade como as inúmeras que essa mesma estrutura já suportou em décadas de existência.

BK117

Que prejú, ein? Espero que ninguém tenha se ferido.
Imagino que haja células não modernizadas que possam receber os equipamentos daquelas que foram atingidas, de forma a não comprometer o ensino, não é?
Passado o susto, é uma oportunidade de aprendizado. Melhorar tanto as estruturas que protegem as aeronaves, quanto os procedimentos frente à possibilidade de chuva forte, para reduzir danos em ocorrência futura.

Saturno

Pelo menos um comentário sensato!
Óbvio que há lições a serem aprendidas para o futuro, mas o pessoal tá criticando como se fossem os donos da verdade absoluta.
Pelo que ouvi, graças a Deus, apenas danos materiais.
Muito provável ter sobrado aeronaves não danificadas, que estivessem nosnhangares de manutenção, por exemplo. A AFA tem bem mais T-27M do que só as da foto, então a atividade aérea não deve demorar muito pra ser retomada. E as alternativas pra repor o “plantel” com ctza serão consideradas, inclusive a hipótese de retomar células ainda não modernizadas

Maurício.

Credo! Que baita estrago.😳 Mas, as forças da natureza não brincam em serviço. Nesse caso não dá para criticar a FAB, afinal, esses desastres também acontecem em país de primeiro mundo.

https://www.aereo.jor.br/2011/03/12/terremoto-e-tsunami-no-japao/

https://www.aereo.jor.br/2011/03/12/japao-efeitos-do-tsunami-sobre-a-base-de-tsushima/

Santamariense

Pois é…mas, querem HAS para todas as aeronaves da FAB.

Palpiteiro

A maioria dos pedreiros sabe porque se perde telhado. É devido ao mesmo fenômeno que permite o avião voar. Essa estrutura é para proteger do sol e do sereno. Normalmente aeroclube tem aonde guardar os aviões.

Fernando "Nunão" De Martini

Para guardar e fazer manutenção há hangares.

Os hangaretes são só pra proteger os aviões da linha de voo, que são aeronaves prontas para realizar as missões do dia (ou do dia seguinte) ou que acabaram de voltar delas.

Santamariense

Exato. A BASM tem 23 hangaretes. Durante a semana os A-1, H-60 e C-98 ocupam esses hangaretes antes e após suas missões. Mas, se formos lá no domingo, por exemplo, esses hangaretes estão todos vazios, com as aeronaves todas guardadas no hangar do Grupo Logístico e no hangar do esquadrão Pantera. Os UAV Hermes 450 e 900 do esquadrão Horus tem um amplo hangar, próprio e exclusivo.

Marcelo Tatsch

E já aconteceu algo parecido, em menor escala que o caso da AFA, lá na BASM. Não teve um tempo atrás uma tempestade que danificou um Caravan, e um A-1? Saiu até nos jornais. Me lembro ter lido também que tempestades já arrastaram da posição um ATR da Azul por lá e, tombaram um monomotor no pátio do aeroporto civil.

Akauã

Rapaz.. o vento foi tão forte que entortou o prédio na 5º foto!!!

Brincadeiras a parte, poderia ter uma estrutura um pouco mais forte ne?!

Bardini

E perdemos mais aeronaves para um temporal. Não é a primeira vez e não será a última… . O ocorrido não é culpa de tempestade, é culpa da FAB. Existe um histórico deste eventos. . Nós necessitamos de hangaretes de linha de voo que tenham a capacidade de proteger as aeronaves da ação de temporais. . Temos várias empresas no Brasil com capacidade de projetar um hagarete padrão para a força, de estrutura metálica e com capacidade de receber portas que poderiam ser automatizadas, sendo seu fechamento realizado em uma cadeia de decisão e ação de poucos minutos. . Exemplo… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Bardini
Salomon

Ah não…

Marcelo

São forças armadas despreparadas até para prever uma tempestade… estão lá a mais de 60 anos… as coberturas deveriam
sobreviver a temporais.. tem eng… tem especialistas em previsão do tempo… onde estavam todos esses profissionais???

Rinaldo Nery

No café.

Marcelo Andrade

kkkkkkk, só assim mesmo!!!! O Brasil é o país dos”ixpecialixtas”!

Palpiteiro

Parece que não tem pessoal para fazer o trabalho

Rinaldo Nery

Não. Faltou você lá. Aliás, teu nick é bem oportuno. Veste como uma luva. Porque de conhecimento você não tem nada.

Palpiteiro

Eu estaria a disposição para a colaborar. Primeiro eu simplesmente escrevi que trabalhar dá trabalho. Me informaram que o pessoal de lá é bom de trampo. Fico feliz e orgulhoso em saber. Se o pessoal é bom e não conseguiu fazer a tempo eu escrevi que então deve ter faltado gente. Certamente não sou dono da razão, somente um palpiteiro, mas sei o que é análise de risco, fmea, harzop. O certo é que alguém assumiu o risco.

Rinaldo Nery

Estaria po** nenhuma.

Palpiteiro

A causa de um acidente é classificada em: imprudência, imperícia, negligência ou caso fortuito. A minha opinião é que não foi caso fortuito. Você pode ter outra opinião.

L G1

Palpiteira eu acho que você não ia dá conta do serviço não. Rsrs .

L G1

Calma comandante. Calma. Muita calma nessas horas.Rsrs.

Rinaldo Nery

Não tenho paciência com ______ metido a especialista.

EDITADO

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Matheus

Com exceção de um, parece que todos os outros são recuperáveis.
Menos mal.

FernandoEMB

Pergunta… a tempestade se formou sem aviso algum? Haveria tempo para se recolher as aeronaves para dentro dos hangares principais? Isso não seria um procedimento que deveria existir em caso de alerta de tempestade pesada?
Eu aqui recebo pelo celular um alerta sempre que há risco de tempestade.
Na maioria dos casos vão recolher as aeronaves e vai cair uma chuva forte sem maiores problemas, mas isso tudo seria evitado. Sei lá, só perguntando…

Camargoer.

Olá Fernando. Temos recebido alertas da defesa civil sobre tempestades com certa antecedência, mas não tem sido possível evitar estes eventos localizados.

A gente recebe um informe que vai ter uma tempestade, ventos e tudo mais, mas não dá para saber se em algum local da cidade vai ter um destes eventos extremos. Não há como prever isso.

O problema é estes pontos bem localizados.

Carlos Campos

Sirva de aprendizado em não colocar o Gripen em situação igual

V. P.

Foi completamente atípico. Como ex-militar desta unidade posso dizer que a Academia passa recorrentemente por chuvas fortes, porém nada como isso. É de doer na alma os danos causados por este evento.

Camargoer.

Olá VP. O que precisamos ficar atentos é se estes eventos serão recorrentes daqui prá frente. Temo que sim.

JCuritiba

Esses eventos estão cada vez mais comuns. Perder a cobertura dessas chapas metálicas até seria esperado dentro da magnitude dos ventos.
Agora, um colapso total (como parece nas fotos) das estruturas de concreto, que ainda estava escoradas umas nas outras foi demais. Imagino que a FAB deva acionar o responsável técnico, afinal, alguém assinou essa ART.
Óbvio, o profissional não tem como arcar com os prejuizos, mas não pode ficar por isso mesmo.

José de Souza

Salvo engano, não há estruturas de concreto nas fotos, somente estrutura de aço.

Fernando "Nunão" De Martini

Se estão falando dos hangaretes da AFA, até onde sei os pilares e vigas são aqueles bem tradicionais de concreto com vergalhões internos, pré-fabricados.

As estruturas metálicas vistas nas fotos são as que mantém as telhas juntas.

De qualquer forma, nunca atentei para esse detalhe especificamente, mesmo já tendo ficado por horas sob esses hangaretes diversas vezes, em mais de uma base aérea.

JCuritiba

Exatamente, inclusive estava olhando fotos da última vez que estive lá, são daqueles que vc encontra nas “boas casas do ramo”. Por isso penso que a FAB deve acionar o fabricante/fornecedor.

Fernando "Nunão" De Martini

Pelo que me parece (apenas chute, observando as fotos) os pilares não quebraram.

Aparentemente foram arrancados do piso.

Mas estou só chutando.

Camargoer.

Olá Nunão. Há duas possibilidades, Uma situação de baixa pressão sobre os hangeretes que teria removido as telhas (que são mais frágeis que os pilares), levando-as para longe. São aquelas situações mais comuns de “destelhamento”. A outra possibilidade seria uma situação de alta pressão sobre os hangeretes, que esmagariam os os telhados, colapsando a estrutura no local.

Aposto 1$kichute na baixa pressão e 2$kichutes na alta pressão.

JCuritiba

Olhe melhor amigo, são estruturas em concreto pré-moldado com alma de vergalhão.

Rinaldo Nery

Me veio uma dúvida à mente: São Roque, salvo melhor juízo, tem um radar meteorológico que visualizaria a tempestade. Se estava funcionando, resta saber se tem alcance até Pirassununga, e se o DTCEA-YS observou as imagens disponibilizadas por ele. Se não possui esse alcance (acho que possui), fica a motivação pra instalar um na AFA.

Camargoer.

Olá Rinaldo. O radar de São Roque é do Inmet. Em Bauru também tem um outro radar da Unesp, além de outro em Presidente Prudente. Geralmente, a previsão do tempo é obtida combinando todas estas informações, junto com as estações meteorológicas. Com certeza, Pirassununga deve ter uma ou algumas estações. Talvez o modelo climático usado pelo Inmet e pelo INPE estejam defasados em relação ás mudanças climáticas recentes. O que sei é que estes dois institutos possuem modelos diferentes, que são sempre confrontados e aperfeiçoados. Os eventos climáticos que não foram previstos são inseridos no modelo, que vai ficando cada… Read more »

L G1

E só acompanhar no clima tempo. Tem previsão chuvas e ventos de 1 dia, 5 dias, 10 dias e 15 dias. Aqui na roça eu olho todos os dias é bem simples.

Camargoer.

Olá LG. Vamos lá…. a previsão feita pelo Inmet e pelo Inpe nos dá uma excelente estimativa de temperatura, volume de precipitação, horário de chuvas… mas é incapaz de prever eventos localizados como o que ocorreu na AFA. A previsão do tempo é uma estimativa média em determinada área e em um determinado intervalo de tempo. Ao contrário de simples, este tipo de previsão é complexa, depende de milhares de inputs, depende de um modelo matemático complexo e de um supercomputador (ou alguns supercomputadores). Este modelo é uma simplificação da Natureza, a qual tem um grau de incerteza elevado. Este… Read more »

L G1

Aqui na roça nós acompanhamos o tempo todos os dias no jornal da TV, também acompanhamos o tempo no site clima tempo, e também levantamos todos os dias 4 horas da manhã para trabalhar, tirar leite, cuidar dos animais, e olhamos para o céu para verificar o tempo. E lógico que também tem os meses de agosto a abril que tomamos cuidado chuvas e ventos. E também verificamos as fases da Lua crescente, minguante,etc. Se verificarmos que ocorrerá uma chuva, tempestade, ventos, etc, aí prendemos os animais para proteger.

Camargoer.

Caro LG. Parabéns pelo empenho e dedicação rural.

No caso de um evento extremo e localizado, caso ele ocorra sobre o curral, as vacas vão sair voado feito uma cena de cinema.

L G1

Kkkkkk. Doutor Nunao você está cada dia ficando melhor. Igual vinho francês. Kkkkkk.

L G1

Mas tirando as brincadeiras graças a Deus que não houve vítimas. Esses tucanos já estão velhos é só substituir. O governo federal tem muito dinheiro sobrando.E é lógico a FAB terá que aprender para evitar que um mal maior aconteça. Segue o jogo.

Rinaldo Nery

A linha de produção foi fechada há décadas.

L G1

Comandante, o Santamariense falou que existe tucanos estocados é só retirar dos aviões que sofreram sinistro e colocar nos aviões estocados. Mas infelizmente acho que isso não irá acontecer. Vão continuar com o que sobrou. Segue o jogo.

Rinaldo Nery

Em Lagoa Santa há mais T-27. Eu fui lá e vi.

Luiz Carlos - Pará de Minas

Em uma ” rua” paralela a um dos hangares de manutenção, no pama Ls
vi + ou – umas 12 células no tempo. ( sem aviônicos e motor) . O problema é que foi feito um reparo no disco voador 1 diantes a queda em Varginha MG.
Isso não vem ao caso.
Mas de t27 eles entendem, mais que afa.

Camargoer.
L G1

Kkkk

Santamariense

Vou te dar um exemplo: o evento climático que causou as inundações nas cidades do no vale do rio Taquari, aqui no RS, no mês de setembro passado, não foram previstas pelo Inmet, INPE, etc. Havia previsão de chuva forte, mas não há sistema que preveja aquela quantidade absurda de chuva em tão pouco tempo e em uma área tão concentrada. Foi algo que se formou muito rapidamente. O mesmo acontece com ventos fortes, que podem ocorrer de forma imprevisível. Microexplosão é um fenômeno que pode ter sido o causador dessa tempestade em Pirassununga e é um evento totalmente imprevisível.

L G1

Santamariense, gosto muito de vc meu amigo. É lógico que estou brincando. Aqui na roça quando tem uma tempestade e um Deus nos acuda. Graças a Deus que não houve vítimas. Equipamentos o governo federal tem muito dinheiro dos nossos impostos. Vida que segue. E aproveitar o aprendizado.

Santamariense

Abraço, meu caro.

Rinaldo Nery

É costume nosso, sim. As aeronaves são amarradas no pernoite, após o encerramento dos vôos.

Rinaldo Nery

Não.

Luiz Carlos - Pará de Minas

Não. Vão fadigar as dobradiças do canopy

Rinaldo Nery

Amigo, o motor fica no nariz. O ar quente do escapamento entraria na cabine. É questãode lógica. Não são as dobradiças. 2.339:00 h de A/T-27. Sem sirene nem boca de tubarão!

Luiz Carlos - Pará de Minas

Indícios de incompetência mesmo.

rob70

A minha pergunta (como leigo é claro!) é simples:

Tem SEGURO???
Se tiver apólice de seguro que cubram os danos e prejuízos, menos mal!

Não venham me dizer que não há seguro para aquelas instalações!

Rinaldo Nery

NENHUMA instalação militar tem seguro.

rob70

Se não tem uma apólice de seguro é porque não se contratou tal serviço; mas, nada impede que instalações públicas, sejam civis ou militares, tenham seguro. Fica muito genérico dizer que nenhuma instalação militar tem seguro. É questão de política de cada órgão, cabendo a administração militar planejar previamente ou não a contratação desse serviço. Existem várias modalidades e tipos de seguros para as mais diversas situações e com diversos tipos de cobertura. Instalações e Equipamentos podem ter SEGURO sim, independente da finalidade que se destinam (uso civil ou militar), o que difere são as coberturas. No caso presente, se… Read more »

Rinaldo Nery

As instalações militares NÃO TÊM SEGURO. NENHUMA, no Brasil. Se pode ou deve é outra história.

rob70

Continuo meu pensamento que “faltou” planejamento à organização militar, no caso a AFA; se, eventualmente não existir “seguro” para àquelas instalações. Qualquer SEGURO por óbvio funciona diferente em “tempos de paz” e “tempos de guerra”. “Pearl Harbor” estava em tempo de guerra, noutra época; não serve de parâmetro para a situação presente . (se haviam coberturas de seguro, não sei, pode ser que sim ou não). Existem SIM companhias seguradoras que têm coberturas específicas para situações adversas: em áreas de conflitos ou sujeitas a extremo perigo. À exemplo, se vê na marinha mercante: do contrário, não haveria trânsito de navios… Read more »

adriano Madureira

Fico pensando se tivesse sido os Gripen… Está na hora da FAB fazer estruturas de vergonha para as aeronaves, estruturas mais modernas e que possam suportar tais coisas…

No caso dos Gripen construiriam hangares de concreto !

comment image

As vezes é melhor gastar um “pouco” de dinheiro em uma estrutura segura, para que depois não se lamentem caso aconteça um sinistro em aeronaves de valor considerável…

comment image

comment image

comment image

Santamariense

Coloca no Google Maps Miramar MCAS e veja quantas aeronaves operam lá e me diz se há hangares e HAS para sequer metade delas. Procura também por Tyndall AFB, uma das bases de F-22 e T-38 da USAF. Tem hangaretes, mas cadê os HAS? E procura também pelos estragos que o furacão Michael provocou nessa base em 2018. Enfim, tirem suas próprias conclusões…

adriano Madureira

Deixar os Gripen em Hangares ao invés de hangaretes seria muito mais seguros, esses da foto são na BAAN, a estrutura de concreto parece boa, acho que a única mudança poderia ser um reforço no teto,pondo um material mais resistente e de qualidade.

comment image

comment image

comment image

comment image

Santamariense

Esse hangar onde aparece o mockup do Gripen é o hangar de manutenção da BAAN.

adriano Madureira

sim, uma boa estrutura, como eu disse, acho que apenas um reforço no teto, usando material mais resistente, já seria algo mais para a segurança de aeronaves.

Paulo

Só consigo imaginar Grippens e F5 nesses hangaretes….

SGT MAX WOLF FILHO

Se só o vento faz esse estrago imagina se fosse um ataque inimigo em alguns horas não teríamos mais Força Aérea.

Camargoer.

Olá SGT. Há alguns anos, um B2 dos EUA ficou exposto a uma chuva na base de Guam. No dia seguinte, foi preciso recalibrar os sensores, mas como eles estavam saturados com a água da chuva, eles perderam a calibração após estarem secos. Isso provocou um acidente na decolagem com a perda do avião.

Se a chuva na noite anterior fez este estrago, imagina se fosse um ataque inimigo em algumas horas.

Ander

Gaste milhões para fazer retrofit nos tucanos e contrata a serralheria da esquina pra fazer a cobertura, imagina se fossem os Gripens ou mesmo F5, lembrando q esse tipo de estrutura é usado em todas as bases.

Demolidor

Até a garagem da minha casa tem uma estrutura muito melhor, é barato fazer algo melhor que estes hangaretes usando concreto e ferro e que suportaria este vento, eu não colocaria meu carro nunca embaixo destes hangaretes imagina colocar um T-27 que deve custar alguns milhões de reais.

Marcelo Andrade

Eita, que pena! Foi um vento absurdo! Vai começar a viralatisse de plantão! La vem os “Especialistas de poltrona”!

Ander

Mantém da forma que está e aguarde os próximos ventos, lembrando que um único Gripen custa mais de 100 milhões de reais, quanto custa uma estrutura decente e bem projetada? Não precisa ser especialista, basta ter dois neurônios.

Camargoer.

Caro. Cada F39 custa em torno de meio bilhão de reais.

Santamariense

Um Gripen custa mais de 100 milhões….de dólares!

Abner

Não poderei ter realocado as aeronaves para outra base ?

Fernando "Nunão" De Martini

Há três grandes hangares de manutenção na AFA para os T-27 dos voos de instrução e para os A-29 da Esquadrilha da Fumaca, ao lado dessas duas linhas de hangaretes (e mais três do outro lado das instalações, para os T-25) não precisaria voar os aviões para outro lugar, bastaria organizar rapidamente o espaço e abrigar nos hangares existentes. O que provavelmente não se previu é que a tempestade e ventos tivessem essa força exatamente naquele local. Enfim, há muitas lições para a FAB aprender. Sugiro, de qualquer forma, que leia os outros 200 e tantos comentários desta matéria, pois… Read more »

Capa Preta

Já vi ponto de ônibus mais resistente que estas porcarias de estruturas que a FAB utiliza.
Mas fazer um bom custa dinheiro, e dinheiro nas faas brasileiras são para os “adidos” ( boca livre) dos oficiais.

Last edited 8 meses atrás by Capa Preta
Marcelo Tatsch

A Força Aérea Argentina usa grandes hangares de manutenção e suas aeronaves ( A-4, Pampa e antes os Mirage), só saem para o vôo do dia. Após são recolhidas. Acredito que a FAB já adote esse sistema em Canoas e Santa Maria ultimamente. No Sudeste e Sul, onde há muitas formações de tempestades e ventos com rajadas fortíssimas esses protocolos de recolhimento de aeronaves provavelmente serão adotados. Em Santa Maria já aconteceu algo parecido em menor escala que danificou um Caravan e A-1 há um tempo atrás. Os hangaretes não chegaram a tombar. No pátio do aeroporto civil até um… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Marcelo Tatsch
Um Simples Brasileiro

Prejuizão. Esse tipo de aeronave não deveria estar melhor acondicionada do que hangares comuns, mesmo sendo aviões de instruções?! Agora mais do que nunca, acho que pelo menos para os gripens, o Brasil deveria construir uns hangares reforçados, de preferência com alguns subterrâneos, ou ao menos alguns daqueles modulares já prontos, que a própria SAAB é uma das fabricantes.