Exército dos EUA seleciona o Bell V-280 Valor para substituir os helicópteros Black Hawk e Apache

Bell V-280 Valor

O Exército dos EUA vai substituir os helicópteros Black Hawk e Apache pelo V-280 Valor com o maior contrato dos últimos 40 anos.

Além do contrato de US$ 1,3 bilhão com a Bell Textron, fabricante do fabricante do V-280, US$ 7 bilhões serão investidos no processo de engenharia e no lançamento da produção em baixa cadência.

Se todos os requisitos forem atendidos, o custo do programa será de US$ 70 bilhões. A Bell venceu dois rivais pelo contrato – Sikorsky e Boeing com o desenvolvimento conjunto do Defiant X.

O Sikorsky-Boeing SB-1 DEFIANT™

O V-280 Valor é uma aeronave conversível que está sendo desenvolvida como parte do programa Joint Multi-Role Technology Demonstrator. Fez seu voo inaugural em 2017.

A velocidade máxima de cruzeiro da aeronave é de 520 km/h. O Bell V-280 Valor substituirá os 2.000 helicópteros Black Hawk e 1.200 Apache até 2030.

Conceito de painel de instrumentos de tela única para o V-280 Valor.
Subscribe
Notify of
guest

105 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Leo Barreiro

Fico imaginando como deve ser a versão armada, por que para substituir o Apache… O bicho deve ser bom!

Nelson Junior

Verdade, pelo menos muito mais veloz que o APACHE ele vai ser, quanto a manobrabilidade, daí já tenho minhas dúvidas

Plinio Jr

Na teoria será mais veloz , maior alcance e maior capacidade de transporte de armas … Mas tem que ver a agilidade em campo de batalha se será a mesma

Gerson Carvalho

Vai ser um grande alvo!!

Adriano Madureira

Eu acho que o Sikorsky Raider poderia ser uma opção para o lugar do apache…

É uma aeronave de alta velocidade, com uma atitude nivelada, enquanto um helicóptero normal tem que apontar o nariz para baixo para acelerar para a frente. 

voou a mais de 200 nós – além do requisito de velocidade de 180 nós do Exército e muito além das velocidades máximas dos helicópteros convencionais.

comment image

comment image?auto=webp&auto=webp&optimize=high&quality=70&width=1440

comment image?auto=webp&optimize=high&quality=70&width=1920

Walsh

Na realidade essa concorrência americana sempre me pareceu meio sem sentido, substituir duas aeronaves com perfis tão diferentes quanto o Black Hawk e o Apache por um aparelho só, sempre me pareceu algo meio esquizofrênico.
Mesmo o Raider me parece meio grande demais, é como colocar uma minivan pra ocupar o lugar de carro de corrida… hahahaha.

Walsh

Sinceramente apesar de todas as suas qualidades, não consigo ver o V-280 como um substituto do Apache, ele parece um caminhão perto do esbelto Apache.

paulop

De fato uma aposta interessante. Vale lembrar que o conceito dessa aeronave já é utilizado nos V-22 Osprey do USMC, também da Bell. Tomara que dê certo. Gostaria muito de ver helicópteros Bell em uso nas nossas FA. Uma unidade fabril no Brasil seria muito interessante.
Abraço

Machado

Esquece isso cara. Parece que vc não entende muito de geopolítica. Pro EUA o Brasil não é um aliado. Pelo contrário, somos concorrência. Aqui só material de segunda categoria e ainda com colheira. Não podemos fazer nada com equipamento. Não viu o caso da modernização doa F5 mesmo sendo uma aeronave antiga os caras criam entraves de tudo quanto é jeito pra gente. Não deveríamos querer mais nada norte americano. A não ser que continuemos vassalos e não objetivamos a independência e soberania como outros países tipo Rússia, China, Irã, Índia.

Thiago A.

Tu pareces entender ainda menos.

Paulo

Rússia importa componentes de Míssil,de tanque via contrabando todos já vimos Chips americanos em armas Rússas os melhor ai nessa lista sua é só a china mesmo.

Fábio Mayer

Outro neurótico que acha que os EUA têm inveja do Brasil…

Arthur

Essa é a tendência? Aviões e helicópteros pavorosamente feios? Produtos caros, excessivamente sofisticados e visualmente desagradável. Nem por isso são originais: o Defiant é uma releitura século 21 do Cheyenne. E olha que o Cheyenne não era ruim, mas já era caro. Que saudades do Phanton e do Tomcat; junto com o F-15 e F-16, são o suprasumo do que a América desaprendeu a projetar: linhas agressivas, associadas com beleza e eficiência.

Henrique

“Essa é a tendência? Aviões e helicópteros pavorosamente feios? Produtos caros, excessivamente sofisticados e visualmente desagradável.”

bem vindo ao presente…

santiago

cenário de atuação define a guinada, se contar todas as guerras/batalhas onde os eua estiveram envolvidos não faz sentido um tomcat, que por sinal não faria muito sentido hoje.
Pelo jeito terá uma versão armada, então pode por na conta que vai substituir os a10 também como apoio aereo aproximado.

Teropode

Faz sentido uma versão para substituir o A10 , talvez isto explicaria a desistência da USAF em utilizar turbohelices nesta função, o Valor ta apto a isto , por questões estéticas meu favorito era o Defiant x , mas o VALOR parece ser menos complexo para manter e operar , além de ser mais rápido e mais econômico por causa do deslocamento como avião convencional. Torço para o Defiant conseguir o contrato para ESCOLTA , a Belo concorre com um produto semelhante ai Comanche.

Rafael

Te convido a fazer a atualização monetária dos valores envolvidos no programa de desenvolvimento e nos projetos de atualização do F-14. Depois comparar com alguns projetos atuais.

Rafael Santos

Pelo jeito você quer que contrate a Pininfarina ou a Giugiaro para ajudar a desenvolver produtos militares.

Clésio Luiz

kkk. Pois é, como se equipamento militar tivesse alguma obrigação com estética. Cada um sem noção que aparece…

Maurício.

O Arthur só deu a opinião dele, o bicho é feio mesmo, não tem nada de mais em achar uma aeronave feia, e nem precisava contratar “Pininfarina” ou a “Giugiaro”, era só contratar o seu rival da Sikorsky-Boeing, que não minha opinião, esteticamente é mais bonito.

Sikorsky-Boeing-SB-1-Defiant-698x420.jpg
Nelson

 Marcel Dassault: ‘Ce qui est beau vole bien (If it is beautiful, it will fly well)’.

Walsh

Isso é um equipamento militar, não é um carro esporte, beleza é irrelevante.

Nonato

É feio mesmo.

Nonato

O apache é uma espaçonave.

leonidas

Bem como leigo entendo que o rival preterido seria um alvo bem menos fácil de acertar.
A envergadura do vencedor o torna algo bem difícil de não ser notado e acredito que aumenta bastante a chances de acerto para o fogo inimigo de terra…

bjj

Pensei nisso também. Ele deve ter um volume total umas 3 vezes maior que o Apache, e a diferença de velocidade não é tanta assim para compensar. Voando baixo será um alvo fácil

Bruno Vinícius

Acho que a pergunta que precisa ser feita aqui é o quão relevante a ameaça de small arms é para os helicópteros num mundo em que MANPADS estão em uso generalizado. Inclusive, os EUA estão armando os Apache com o Spike NLOS para mantê-los mais distantes do front, pois, do contrário, sua capacidade de sobrevivência poderia ser insuficiente.

Bruno Vinícius

Não é absurdamente maior do que um Blackhawk

FjUHMbqWAAkjU3f.jpg
EduardoSP

Aparelho significativamente maior do que o Black Hawk. Ponto negativo em operações perto do solo, pois se torna um alvo maior, além de reduzir o acesso a áreas com obstáculos verticais.
Outro ponto, a US Navy vai ter de buscar outro aparelho para substituir os Sea Hawk, pois isso aí só cabe em hangar de porta-aviões, não em destróiers e fragatas.

Hcosta

Nem em hangar de PA deve caber…

As asas e as hélices não dobram como no Osprey.

Henrique

“Nem em hangar de PA deve caber…”

acho que o USAmry não se importa com isso kkkk

Wellington

A escolha foi do exército, não da marinha.

Rafael

O Future Vertical Lift ainda vai longe, provavelmente outra empresa com outro conceito será escolhida em outro subprojeto, seja para substituir os Kiowa ou os Chinook.

A família Black Hawk estará por aí por muitos anos ainda, são milhares.

Henrique

Chinook ainda vai continuar próximo do modelo atual, é mais provável que ele siga nessa linha.
.
comment image
.
https://combatreform.org/futurechinook.jpg
.
ou talvez até um Turboprop, mas próximo ainda do atual
.
comment image
.
.
mas realmente esse aqui ficaria topkkkkkkkkk.
.
comment image

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Rafael

Tendo rampa traseira…

Clésio Luiz

O comprimento da fuselagem é o mesmo do Blackhawk. O diâmetro com os rotores girando é de 5 metros a mais no V-280, não vejo grande diferença aí em operações de pouso.

Quanto a uso naval, se a USN quiser, obviamente será desenvolvido uma versão “dobrável”, tal qual tiveram que fazer com o Blackhawk.

Last edited 1 mês atrás by Clésio Luiz
Bruno Vinícius

A Bell já propôs uma versão naval. A fuselagem seria um pouco mais curta e as asas iriam dobrar de maneira semelhante às do V-22. Ou seja, está longe de ser impossível. E ainda possuiria a vantagem de colocar novamente uma aeronave ASW de asa fixa na ala aérea dos porta-aviões.

SAS_2016_Bell_unveils_naval_variant_of_its_V_280_next_gen_tiltrotor_aircraft_640_003.jpg
Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Rafael

As notícias são de um processo de desenvolvimento, prototipagem e uma campanha de testes irretocável por parte da Bell. A empresa entregou milhares de horas de voo em diversas situações desafiadoras.

Espera-se do Valor uma revolução da doutrina com suas capacidades únicas. Além do enorme raio de ação, uma menor “pegada logística” é esperada. Menor e mais distante do inimigo. Para se ter uma noção, segue uma estimativa – conservadora – do raio de combate dele a partir de territórios/bases do Reino Unido:

E3A8FC42-5429-4A12-A5FD-98BB711CD711.jpeg
Hcosta

Ainda não tenho a certeza se vai substituir todos os helicópteros.

Mas não existe outro programa para substituir os Apache? O 360 Invictus da Bell?
Ou vão separar a função de escolta armada da de ataque e reconhecimento?

Grozelha Vitaminada Milani

Tudo começou com o Bell UH-1 Iroquois … Depois vieram o Sikorsky Black Hawk … Agora volta para Bell com o V-280 … A pergunta: será que a Marinha vai ter sua versão embarcada? Ou o tamanho do V-280 é muito grande para operar embarcado?

Bruno Vinícius

A Bell propôs uma versão naval alguns anos atrás. Agora que o USArmy escolheu ele, veremos se a USN vai embarcar na ideia.

SAS_2016_Bell_unveils_naval_variant_of_its_V_280_next_gen_tiltrotor_aircraft_640_003.jpg
Clésio Luiz

Deu o que eu esperava. O programa de testes do V-280 fluiu perfeitamente e ainda excedeu as estimativas. O concorrente começou atrasado afundado em problemas, e ainda apresentou desempenho inferior.

Mas o que sempre me incomodou no Defiant foi o mal aproveitamento de espaço da fuselagem. Enquanto o Bell V-280 tem praticamente a fuselagem inteira disponível, o SB-1 praticamente só aproveita um terço do comprimento da fuselagem para passageiros/carga. Muito ineficiente.

comment image

Peter Nine Nine

Tenho as minhas dúvidas quanto a escolha. Ainda assim, acho que vão acabar a dar seguimento aos dois. Defiant e Valor.

Maurício.

Se eu não me engano, o V-22 osprey tem uma das horas de vôo mais caras entre as aeronaves americanas, se esse V-280 tiver uma hora de vôo tão cara quanto, não vai ser fácil substituir toda a frota de Blackhawk por ele. Agora, falando em aparência, na minha opinião o Blackhawk é um dos helicópteros mais bonitos que existem, já esse aí meu Deus, que coisinha feia, mas, beleza é só um detalhe em uma aeronave de guerra.

Leandro Costa

Olha aí!!!! Concordamos 100% em alguma coisa! Heheheheheh

Mas eu sinceramente adoraria ver alguns Osprey nas cores do EB e da FAB operando na Amazônia. Acho uma aeronave ideal para aquele teatro de operações. Mas é aquele negócio, sonhar ainda não paga imposto, já que nem precisa colocar na ponta do lápis para saber que é absolutamente fora dos padrõe$ operacionai$ Brasileiros.

Maurício.

“Olha aí!!!! Concordamos 100% em alguma coisa! Heheheheheh”

Putz! Leandro, não me deixa preocupado, eu e você concordando em algo? 😂😂😂

Agora, falando sério, esse negócio de sonhar com equipamentos tops no Brasil, eu já deixei de sonhar há muito tempo, o que vier é lucro.😂

Leandro Costa

Estamos na mesma nesse caso também. Não tem muito jeito mesmo hehehehe

Henrique

a FAB com Blackhawk ‘antigaço’ de não sei quantos anos ainda operado… nunca que vai ter Ospery lá

bruno

Surpresa. Imaginei que o design mais tradicional iria prevalecer.

Emmanuel

(…)O Bell V-280 Valor substituirá os 2.000 helicópteros Black Hawk e 1.200 Apache até 2030.
Já estou vendo muito FMS dessas belezinhas no futuro para o EB. É a grande oportunidade que nossas forças esperavam para dar aquela equipada com material de primeira mesmo sendo de segunda mão.
Claro, se a economia melhorar nos próximos anos.


rafa

PT vai vetar a compra. A não ser que tenha um pingo no cafezinho deles.

Emmanuel

Respeito sua opinião mas eu discordo em parte. discordo no veto e concordo com o pingo no cafezinho.
Não gosto de Lula e nem queria ele como presidente, mas acredito que tio Biden vai dar uma colher de chá num futuro FMS. Parcelas generosas e sem veto de material, só para frear uma possível aproximação com a China.
Se nossas forças armadas forem espertas, souberem conversar com jeitinho, todo mundo sai ganhando.

EduardoSP

Sempre pinga no cafezinho de alguém, sempre.
Compra de armamento sempre foi lugar de corrupção brava.

Last edited 1 mês atrás by EduardoSP
LucianoSR71

7 de Dezembro de 1941 – a partir daí o mundo não veria mais o Zero como um mero algarismo!

Leandro Costa

.

2-Carrier_shokaku.jpg
LucianoSR71

Amigo Leandro, como amante de História especialmente da 2ªGM, não dá p/ deixar passar a data em branco, concorda?
Em relação ao Zero, já viu que grande semelhança ele tem c/ o Gloster F.5/34https://www.google.com/url?sa=i&url=https%3A%2F%2Fen.wikipedia.org%2Fwiki%2FGloster_F.5%2F34&psig=AOvVaw09h9AbXMmrrscbLdej6v4d&ust=1670521727080000&source=images&cd=vfe&ved=2ahUKEwi46qnCiOj7AhXLtJUCHX6sApEQjRx6BAgAEAo

Leandro Costa

Luciano, não conhecia o F.5/34 não! Obrigado por chamar a atenção dele. Visualmente as semelhanças são impressionantes. Vou dar uma lida à respeito dele. Os ingleses contribuíram muito para o avanço aeronáutico do Japão no período entre-guerras, inclusive com modelos e motores fabricados sob licensa. A minha dúvida é se ele foi um desenvolvimento paralelo ao A6M, fruto de raízes semelhantes de desenvolvimento ou se houve inspiração de um pelo outro. Por mais que a gente possa dizer que P-26 e A5M sejam super semelhantes, no caso desses dois específicos acredito que seja mais uma questão de tendência da época… Read more »

LucianoSR71

Essa britânica ajuda era oficial até a ser suspensa por pressões americanas e continuou por espionagem principalmente por intermédio do ex-oficial Lord Sempill. O motor Nakajima Sakae do Zero era uma mistura de tecnologias inglesas e americanas.
Outra história interessante é de como o protótipo do Douglas DC-4E foi vendido ao Japão em 1939 e seria a base do Bombardeiro Nakajima G5N.

LucianoSR71
LucianoSR71

Tentei colocar um video do YT, mas ficou retido, então procure por: The Gloster F.5/34: Almost the British Zero?

Leandro Costa

Do Ed Nash… por que não estou surpreso? Hehehehhe

De alguma forma, perdi esse video. Obrigado, Luciano! 🙂

Marcelo

Imagino custo de hora de voo e a logistica de manutenção desse transforme !!!

Angelo

Feioso, mas tecnologicamente…deve ser um belo passo à frente…

Angelo

Pergunta: consegue voar só com uma das helices???

Henrique

Se tiver na posição pra frente ele deve de voar como um avião normal… ruim que quando tocar o solo pode ser que a pá se quebre

Angelo

Valeu.

koppa

Sim, a transmissão de um motor pode fornecer potência aos dois rotores, esse sistema já existe no V-22. A capacidade vertical some, mas ainda assim a aeronave pode voar como uma aeronave de asa fixa

Angelo

Valeu.

Tallguiese

Tenho certeza que há espaço para o Defiant também em algum lugar! E outro produto top!
Podemos sonhar só um pouquinho com o V-280 no atlântico?

Last edited 1 mês atrás by Tallguiese
Tiago

Sempre ouvi dizer que o V22 Osprey é uma aeronave de controle difícil e manutenção cara, por isso fiquei surpreso com a intenção de substituir a frota de Apache e Black Hawk por Bell V-280 !!!

Last edited 1 mês atrás by Tiago
Tomcat4,4

Poisé como que esta dupla perdeu pro V-280 ,alguém gastou um dindin no lobby hein.

comment image

Tomcat4,4

Esse parece ser o de escolta armada;
comment image?auto=compress%2Cformat&ixlib=php-3.3.0&s=ff0f43d7f1f0fce7a6c839e06db1b272

109F-4

Acho difícil ter a mesma agilidade do Apache… voar baixo sobre rios estreitos com mata de ambos os lados, abaixo da linha de visão, como o AH-64 voa…

Luiz Trindade

Acho interessante esse tipo de seleção. Será que vai substituir com totalidade e excelência o Apache? Porque o Black hawk não se discute. Agora o Apache… Só se esta pensando num misto de funcionalidades dos dois helicópteros.

koppa

Sikorsky e Boeing partiram de uma abordagem mais conservadora no Defiant. Ainda que eu ache essa configuração de rotores coaxiais + pusher interessante, o desempenho do V-280 em velocidade e alcance é consideravelmente superior. Mesmo assim não consigo o ver como um substituto para o Apache. Interessante que em breve os 4 principais ramos das forças armadas americanas terão tiltrotors: os fuzileiros navais já operam umas 3 centenas de MV-22s, a USAF opera uns 50 CV-22Bs dentro do comando de operações especiais e a USN recentemente passou a usar algumas dezenas de Ospreys para missões logísticas. Talvez essa seja a… Read more »

Leonardo Cardeal

Acho que vai acabar sendo igual aqueles LCS da marinha. No fim vai minguar. Não vejo como algo assim se sustente em campo de batalha, sinceramente… Sistema muito caro e complexo para se fazer manutenção e manter… A velocidade maior pouco importa para os sistemas de Manpads atuais. O fato de atender ou superar os requisitos não significa que esses estejam equivocados. Esse conflito na Ucrania tem mostrado isso….

koppa

O preço por estar na vanguarda tecnológica é extremamente caro e ninguém sabe disso melhor que os americanos. O desempenho superior de um V-280 age como um multiplicador de forças: uma velocidade maior permite mais sortidas, mais tropas transportadas a uma distância maior, em um tempo menor que um Blackhawk conseguiria. Imagino que o maior alcance seja bem atrativo à medida que os EUA passam a olhar para o Pacífico com mais atenção. A questão é saber se tudo isso compensa o preço pago. Não sei dizer, mas acredito que esse é invariavelmente o caminho futuro.

EduardoSP

Pode ser que que a escolha tenha sido influenciada por uma mudança de foco do US Army em direção ao Pacífico. Lá alcance e velocidade podem ser requisitos mais relevantes.

Jeferson

Sera que voa monomotor???
Caso contrario vejo problemas…apesar de eu não entender nada e não saber qual o envelope de missões que esta sendo avaliado para a contratação.
Alem do mais achei muito largo para substituir os helicopteros citados…mas como eu disse…não entendo nada…so opinião mesmo.

Thiago Santos

“Se todos os requisitos forem atendidos, o custo do programa será de US$ 70 bilhões.”

Isso aqui é loucura. Os valores desses projetos estão ficando cada vez mais surreais.

NEMOrevoltado

Algus anos atrás ví uma aeronave em um game cujo conceito me pareceu muito interessante. Um helicóptero leve de transporte e ataque, com capacidade para quatro passageiros, aviônica simples e funcional. Me pareceu ser uma aeronave barata!

a475ab7ce9905397675bbdb9ae52061f.jpg
Maurício.

Crysis, bah, na época que lançaram o primeiro lá por 2007-2008, não era qualquer Pc que rodava ele, tinha que ter uma VGA parruda, eu só jogava a demo, e tudo no low…rsrsrs. O Crysis 2, foi o único que joguei inteiro, e tudo no low também, em uma geforce GT630.😂

TJLopes

Não consigo enxergar o Bell V-280 Valor substituindo o Apache, a não ser que vá realizar as tarefas de modo diferente, do mesmo modo que o F-35 vai substituir o A-10.

Mas operando da mesma forma do Apache, ou qualquer outro helicóptero da mesma classe, acho complicado. Será que tem a mesma capacidade de absorver dano do Apache? De voar abaixo das copas das árvores? De manobrar um caynon estreito?

Hcosta

Como caçador de tanques e reconhecimento tem outro programa. O que diferencia estes modelos é a velocidade e o alcance. Ter um helicóptero de ataque puro que consiga acompanhar estes significaria sacrificar outros atributos como a agilidade, silhueta reduzida, etc… Pode ser possível mas os custos de aquisição e manutenção certamente que serão mais altos.

Para as missões do Apache usam um de ataque puro, como o Invictus, e para escolta dos Valor usam uma versão armada dos mesmos.

Tomcat4,4

Ainda custo a acreditar que este bicho desbancou o Sikorsky-Boeing SB-1 DEFIANT cuja versão substituta do Apache é top demais.

Hcosta

Deste ângulo não parece tão feio. Na minha opinião o Comanche e o Apache ainda ganha aos dois na “estética”

image.png.3c992b935b73a6d6ac21e268ec6c0412.png
Henrique

o invictus é pra reconhecimento e não pra combate como o apache

Filipe Prestes

A parceria da Embraer (somada á Eve) com a XMobots bem que poderia resultar em um heli nacional nessa configuração. Só teria pena de quem tivesse que certificar isso daí…Sonhar ainda é grátis afinal

Leonardo Cardeal

Mto bla bla bla pra pouca ação até agora na minha humilde opinião….

Abs

Walsh

Ontem o B-21, hoje o V-280, amanhã o NGAD, o gap tecnológico entre os EUA e os outros países vai se ampliando, a Rússia está uns 30 anos atrasada e não parece que vai melhorar, a China tá pedalando forte, a Europa parece que nem vai tentar.

Peter nine nine

A europa tem os seus conceitos e tem empresas que ja testaram muitos destes conceitos com protótipos e tem projetos ainda recentes de helis diversos em operação, comparáveis ao que esteja de facto em operação pelo mundo de outras origens. Se a China está a pedalar forte nao percebo como pode dizer que a Europa, tao bem estabelecida na área, não está sequer a tentar.

Adriano Madureira

Substituir o Apache 🤔⁉️

Douglas

Mas não são duas concorrências?
Uma para substituir o UH-60 Black Hawk que é disputada pelo Bell V-280 Valor vs Sikorsky e Boeing com o Defiant X.
Outra para substituir o AH-64 Apache que é disputada pelo Bell Invictus vs Sikorsky Raider X

https://www.youtube.com/watch?v=B4wmTaHr05M

Last edited 1 mês atrás by Douglas
Adriano Madureira

Eita ! Agora vai sobrar Blackhawk no mercado…

Mas sinceramente não vejo essa aeronave como sucessor do Apache, não seria melhor uma aeronave semelhante?

comment image

comment image

Vitor Hugo

Acho que houve um equívoco na reportagem. Essa disputa era o programa FLRAA, para escolha de aeronave de assalto, um substituto do Black Hawk. O programa FARA, é que vai escolher o substituto do Apache. Nesse, o representante da Bell é o helicptero Invictus, que concorre com o Boeing/Sykorsky Raider X.

Antonio

Maravilha da engenharia aeronáutica !

Adilson

Apache: insubstituível!

fulcrum

LOL se quisessem eficiência num vtol era só ter feito um emb-bandeirante com asa super stall de configuração variável durante o voo.

Giovani.gxp

Dois ícones difíceis de serem substituídos. Ainda acho que continuar a produção do apache mais modernos é mais vantajoso.

BLACKRIVER

Os números são impressionantes!!!

“O Bell V-280 Valor substituirá os 2.000 helicópteros Black Hawk e 1.200 Apache até 2030”

São 3200 helicópteros que vão ser substituídos nos próximos sete anos!!!

Bruno Vinícius

Uma coisa interessante de se notar (e que talvez tenha entrado na conta do Pentágono) é que – ao menos a primeira vista – seria impossível substituir o Seahaw pelo Defiant X (ele tem 7 metros de altura, muito alto para o hangar de um DDG), enquanto que o V-280 já tem até uma versão naval proposta pela Bell

SAS_2016_Bell_unveils_naval_variant_of_its_V_280_next_gen_tiltrotor_aircraft_640_003.jpg
Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Bruno Vinícius

A altura do Defiant X em comparação com o Blackhawk…

FjY1YBAXkAYoJvC.jpg
Hawke

Ué? OS EUA vão ter seu Mi24/Mi35? Porque esse helicoptero é transporte e ataque tático!

Ricardo

Substituir o Apache? Tem certeza?

humilde Observador

Aeronave fantástica. Parece até ficção científica.