terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

Paquistão cancela acordo de helicóptero turco em meio a impasse nas licenças dos EUA

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Paquistão abandonou um acordo de US$ 1,5 bilhão para adquirir um total de 30 helicópteros de ataque da Turquia devido a um embargo dos EUA aos motores dos helicópteros, optando por aeronaves de fabricação chinesa.

A declaração relacionada foi feita pelo major-general Babar Iftikhar, diretor-geral de Relações Públicas Inter-Serviços (ISPR), o braço de relações públicas do exército paquistanês, de acordo com vários sites locais no dia 5/1.

Consequentemente, Iftikhar, respondendo a uma pergunta durante uma coletiva de imprensa, sobre os helicópteros fabricados pela Turkish Aerospace Industries (TAI) que “no que diz respeito ao acordo com a Turquia, nós encerramos o negócio”.

Ele confirmou que o Paquistão estava em negociações com a China por helicópteros de ataque e “esperançosamente, receberemos alguns helicópteros (deles)”.

Informes têm sugerido há algum tempo que Islamabad poderia considerar a compra do Z-10ME, uma versão atualizada do helicóptero chinês Z-10, enquanto também sugerem que os motores dos helicópteros chineses tiveram desempenho inferior durante os testes feitos pelo Paquistão.

Z-10

O Paquistão em 2018 concordou em comprar 30 helicópteros de reconhecimento e ataque tático T129 (ATAK) fabricados pela TAI, movidos por motores fabricados pela LHTEC, uma joint venture da britânica Rolls Royce e da Honeywell, uma empresa norte-americana. As empresas estrangeiras são obrigadas a obter licenças de exportação dos EUA para vendas comerciais de nível militar.

Washington, embora dando sinal verde para a exportação desta aeronave em particular para as Filipinas, por exemplo, nunca aprovou a venda para o Paquistão, com alguns ligando isso à aquisição da Turquia do sistema de defesa aérea S-400 de fabricação russa.

Os laços entre a Turquia e os EUA, aliados da OTAN, foram muito tensos em 2019 com a aquisição do avançado sistema de defesa aérea russo S-400 por Ancara, o que levou Washington a remover a Turquia de seu programa de jatos F-35 Lightning II. Os EUA argumentaram que o sistema poderia ser usado pela Rússia para obter secretamente detalhes confidenciais dos jatos Lockheed Martin F-35 e que ele é incompatível com os sistemas da OTAN. A Turquia, no entanto, insiste que o S-400 não seria integrado aos sistemas da OTAN e não representaria uma ameaça à aliança.

A subsidiária de fabricação de motores da TAI, TUSAŞ Engine Industries (TEI), embarcou em um projeto para desenvolver um motor doméstico para o helicóptero ATAK, o turboeixo TEI-TS1400, que também irá fornecer propulsão ao primeiro helicóptero multirole T625 nativo do país, denominado Gökbey.

Quando produzido em massa, equipará os helicópteros T129 no inventário das forças de segurança turcas.

A TAI entregou até agora helicópteros T129 ATAK, incluindo suas versões atualizadas, para o Comando das Forças Terrestres da Turquia, o Comando Geral da Gendarmaria e a Direção Geral de Segurança.

FONTE: Daily Sabah

- Advertisement -

40 Comments

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gabriel BR

Melhor comprar Mi-28 ou o Z-10 mesmo

Andre

com os famosos problemas de pós venda russo, como os apresentados em recente matéria aqui na trilogia, o melhor é manter a ótima parceria que o Paquistão vem desenvolvendo com a China e ir de Z-10 mesmo.

Strike

Problemas recentes de manutenção dos nossos AH-2 sabres? até onde sei, a IAS faz a manutenção full dos motores VK-2500, e parcial das células. Conseguiu esta capacitação em acordo com a empresa russa.

Last edited 7 dias atrás by Strike
Antoniokings

Esse é o bicho;.
Amedronta o inimigo só de olhar.

comment image

Plinio Jr

A Rússia venderia para eles e depois correria o risco de queimar-se com a India , valeria a pena ?? Muito provavelmente eles vão de China ….

Antoniokings

Correto.

Rogério Loureiro Dhierio

Pra mim é carta marcada.
Tem fogo nesse mato.

Heinz Guderian

O Mi-28 é fantástico, um dos meus favoritos para o EB comprar, junto ao apache. Mas como aqui a grana é curta, temos que observar opções mais baratas.
Mas sem dúvidas que o Mi-28 impõem respeito.

Felipe Morais

O Mi 28, salvo engano, é consideravelmente mais barato que as opções dos EUA (Viper), da França/Alemanha (Tiger), italiana (a129) e sua versão turca. Tem a questão do pós venda que, para mim, não ficou claro se é um problema msm ou se o problema foi de orçamento no Brasil. Parece que os peruanos não tem problemas com os russos além do que os enfrentados com fornecedores de outras nacionalidades. Então mais barato que o mi 28 teria o que, além de opções de segunda mão? Talvez só a opção chinesa msm, que duvido muito que passe pela cabeça dos… Read more »

Jadson S. Cabral

Parte do problema de pós vendas dos russos você vê com a novela da manutenção de meia vida dos AH-2 Sabre da FAB, que teve que rebolar muito e colocar pau na mesa pros russos nos permitirem a fazer o serviço aqui, porque pasme, eles queriam que enviássemos os aparelhos para lá de todos os jeitos.
Como é que você sabe que o Peru não tem problema com isso? Como é que anda a prontidão das suas forças? Quanto será que eles vêm gastando para manter os equipamentos? São detalhes que eu suponho que você não tenha.

Strike

Problemas de manutenção dos “Sabres”?
Foto da manutenção nível 3 em nossos Mi-35, feito pela IAS em Minas Gerais

130715089_2819333895022641_7902082544359539591_n.jpg
Tomcat4,3

Bem aqui pertinho do titio Tomcat!!!rs

Gutex

Para quem quiser se inteirar melhor sobre o assunto, ai vai uma entrevista com o Sr. Eliseu Alcântara, diretor de Bussiness Development e Customer Service da IAS, acerca da manutenção dos Mi-35. https://youtu.be/gvvXy1yPl6M

Jadson S. Cabral

Tá, mas você lembra de tudo o que aconteceu até conseguirmos? Lembra que a FAB teve que colocar o p*u na mesa pra conseguir isso? Mostrar uma foto depois de todo o ocorrido é fácil

Strike

Problemas de manutenção dos nossos AH-2 sabres? até onde sei, a IAS faz a manutenção full dos motores VK-2500, e parcial das células. Conseguiu esta capacitação em acordo com a empresa russa.
Foto da manutenção nível 3 em nossos Mi-35

132210501_3888484554504768_3919931007304740896_n.jpg
Felipe Morais

Pois é. Sempre se falou muito nos problemas de pós venda russos. Não sei até que ponto isso é mesmo verdade ou se os problemas relatads foram decorrentes de falta de recursos no Brasil. Me parece que, quem compra com os russos, volta a comprar. E posso estar errado, mas parece que a disponibilidade dos MI 35 na FAB é boa.

Neto

O Cmdt. Nery afirmou que o Mi35 tá com os dias contados por falta de manuntenção.
.
Problemas possíveis (adicionem suas percepções):

1.há mais um nível de revisão que torna o Mi-35 insustentável para a FAB;
.
2.Existe alguma necessidade de compra de novos motores ou outros componentes;
.
3.A ideologia do presente governo jogou areia nas aeronaves por mimimismo ideológico…

Tô acreditando que é o terceiro, a julgar pelas imagens acima.

Sensato

O texto não menciona que eles tenham se interessado pelo Mi. Me indago sobre os motivos.

Junior Souza

Russia optou pela Índia como parceiro preferencial na região. Paquistão por sua vez optou pela China

Gilson

Vc viu ali um pod com 4 possíveis mísseis ar-ar abaixo da cabine e outro pod armado logo atrás desse primeiro. Esses pod, deve ser do Z10M, que deve ter motor bem melhor que o Paquistão questionou o Z10, anterior a esse o Z10M. Esse Z10M, parece ser mais armado e mais moderno que seu antecessor Z10. Modelo de helicóptero de ataque interessante a ser estudado.

Heinz Guderian

O melhor é o Paquistão ir de Z-10 mesmo, já tem uma longa parceria com a China, não é o suprassumo em termos de Heli de ataque, mas da para o gasto.

Henrique

Melhor do que nada, concordo…

Varg

O EB não estava considerando o também o T129 Atak?

Willber Rodrigues

“(…) devido a um embargo dos EUA aos motores dos helicópteros, optando por aeronaves de fabricação chinesa.”
No final, só serviu pra jogar ainda mais o Paquistão no colo da China. Que belo tiro no pé…

glasquis7

Exatamente isso que eu pensei. Tudo faz o Paquistão se aproximar da China.

Adriano Madureira

Foi isso que eu pensei ! Foi um tiro não em um pé, mas nos dois…

Andre

A parceria do Paquistão com a China já está cimentada frente ao sucesso das transações dos últimos anos. Não tem como jogar o Paquistão “mais” no colo da China.

Antonio Palhares

E a China continua comendo pelas beiradas.
Não tem tu. Vai tu mesmo.

Plinio Jr

Não vejo o porque da surpresa de muitos aqui, Paquistão e China são parceiros no setor militar há décadas, é algo natural , quando eles não conseguem comprar dos EUA / Europa eles sempre optaram pela China.

cipinha

O maior problema do Z-10 é a motorização.

Adriano Madureira

Infelizmente para a Turquia, devido ao veto americano, perderam uma boa venda! um acordo de US$ 1,5 bilhão para comprar 30 helicópteros de ataques que agora poderá cair no colo chinês e de seu Z-10… Em 2015, o Paquistão buscou a compra de 15 helicópteros de ataque AH-1Z ‘Viper’ ,a um custo estimado de US$ 952 milhões.  No entanto, a transferência da frota AH-1Z para o Paquistão foi embargada em junho de 2018, depois que o governo Donald Trump anunciou o congelamento da ajuda militar a Islamabad. A recusa dos EUA em permitir a exportação dos motores LHTEC estava ligada… Read more »

ZEUS

Alguns dados comparativos entre a aereonave da China e a Turca: Preço estimado: US$ 17 milhões contra 50 milhões  do Atak. Alcance: sem dados, contra 561 Km do Atak Vel. Maxima e de cruzeiro: 300Km/h e 230Km/h respectivamente, contra 278km/h e 269Km/h do Atak. Carga: 1.500 kg contra 1.200 kg do Atak Motores: 1.609 hp(novos motores), contra 1361 hp do Atak. Mísseis: Até 16 x mísseis anti-carro/anti-helicóptero HJ-8, HJ-9 e HJ-10, ou 16 mísseis ar-ar TY-90, misseis ar-ar PL-5, PL-6, PL-9, contra 8 mísseis Hellfire, ou UMTAS ou outros, ou 16 Roketsan CIRIT, 2 Stinger no Atak. Teto 6.400 contra 6.096 do Atak. Razao… Read more »

Nelson Daher Junior

Porque esta diferença de preço entre os dois modelos?

Marcelo

O Paquistão não confiou no motor ucraniano kkkk !!!!!

Satyricon

E por aqui, nada

Tomcat4,3

Torcendo pra que o EB, no futuro vá de T-129 Atak(melhor mesmo é que projetássemos um heli ,mesmo que utilitário mas com uma versão armada de reconhecimento ,localmente, nacional).

Satyricon

Tomcat, A Korea do Sul está desenvolvendo uma versão armada do H155 (o pantera do EB).

Tomcat4,3

Sim sim, to ligado, o intrigante é que, com mais de 30 anos em solo brasileiro, a Helibras/Airbus Helicopters até hoje não desenvolvel/projetou nem um helicóptero simples como o Esquilo/Fennec (que a propósito é campeão de vendas).

Marcelo

A Helibras só monta os kits enviados pela Airbus da Europa !!!!
Quando foi feito a parceria com a Airbus foi combinado assim e o governo brasileiro aceitou !!!!

Fábio Machado

Em termos de eletrônica os chineses até que vão bem. O problema são os seus motores, muito inferiores aos seus congêneres russos e ocidentais. Não por acaso as especulações de que estariam comprando o ka52 para operar em seus porta helicópteros. Por outro lado, os Paquistaneses não tem muita escolha.

Últimas Notícias

Chile quer comprar aeronaves britânicas E-3D Sentry ‘AWACS’ aposentadas

Uma fonte disse ao UK Defense Journal que o Chile está procurando comprar “mais de uma” aeronave E-3D aposentada...
- Advertisement -
- Advertisement -